HABITETO EM SOROCABA, medo, a incerteza do amanhã

Padrão
Capitão Vanclei: denúncias anônimas feitas pelos moradores mobilizou a ação da Polícia Militar – Por: Luiz Setti

Os moradores do Conjunto Habitacional Ana Paula Eleutério (Habiteto), foram surpreendidos às 6h de ontem com a ocupação maciça da Polícia Militar, cuja permanência será de uma semana. Essa foi a estratégia encontrada pela polícia para o resgate da sensação de segurança e tranquilidade no bairro, ameaçada pelo tráfico de entorpecentes. Também visando melhorar a vida daquela comunidade, secretarias municipais devem, a partir de hoje, desenvolver ações sociais paralelamente ao trabalho policial. Depois do Habiteto, outros bairros receberão a operação “Bairro Seguro” nessas mesmas proporções. Até o começo da noite nove pessoas haviam sido presas, das quais seis por tráfico. Dois carros roubados – um deles inclusive foi utilizado num assalto à residência na noite anterior – foram recuperados. Grande quantidade de drogas como maconha, crack e cocaína foi apreendida.

A escolha pelo Habiteto para sediar a operação com essa dimensão, (uso da Força Tática, cavalaria, canil, Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (Rocam), base móvel e helicóptero Águia) foi justificada pelo comando do 7º Batalhão da Polícia Militar do Interior (7º BPM/I) pela quantidade de denúncias dando conta de traficantes agindo em suas ruas. De acordo com a polícia, o bairro não é dos mais preocupantes em relação ao índices criminais de roubos, furtos e até mesmo de homicídios. Nesse sentido, o capitão Vanclei Franci, chefe do setor de Assuntos Civis, deixou claro que as denúncias, que se mantiveram no decorrer do dia de ontem já demonstram que a maioria dos que lá vivem é do bem e deseja ver a paz reestabelecida.

Questionado se o prazo de uma semana não seria considerado muito grande, o oficial reafirmou que “o objetivo é trazer a paz social para o bairro”, e explicou que a expectativa é de que no decorrer dos dias o policiamento seja retirado gradativamente, mantendo-se então apenas o “cartão de prioridade de patrulhamento (CPP)”, que consiste no policiamento feito pelo efetivo correspondente daquela determinada área. E foi exatamente com base nas dezenas de denúncias feitas anonimamente pelos telefones 190 e 181, que a Polícia Militar preparou a operação especial, com dez mandados de buscas e apreensões expedidos pela Comarca Judicial de Sorocaba. Todos os mandados foram cumpridos, embora nem todos tenham resultado em prisão e ou apreensão.

Ainda pela manhã, com o surgimento dos primeiros resultados, o capitão Vanclei já classificava a operação como “ocupação positiva”, e à noite a opinião de trabalho bem sucedido era mantida. Para o oficial, o resgate da sensação de segurança também será possível graças ao trabalho que o Executivo desenvolverá nesses dias por meio de ações sociais. Para isso, representantes de diversas secretarias participaram ontem de uma reunião com o comandante do 7º Batalhão, tenente coronel Aldemar Fernando Belloti. Estiveram representadas as secretarias de Segurança Comunitária (Sesco), Cidadania (Secid), Saúde (SES), Guarda Civil Municipal (GCM) e Urbes. A Secretaria de Juventude deve também se juntar nesse trabalho a partir de hoje. Entretanto, as ações seriam ainda definidas.

Mas segundo ressaltou o capitão Vanclei, a presença da polícia não teria constrangido os moradores do Habiteto, uma vez que ninguém foi impedido de ir e vir. A única diferença foi a de que vários bloqueios foram feitos para fiscalização dos carros, com vistas à parte criminal e de trânsito.
 
Prisões por tráficos
 
Até o início da noite de ontem, quatro flagrantes de tráfico de entorpecentes haviam sido registrados, resultando na prisão de seis pessoas, entre elas uma mulher. No primeiro deles, às 7h15, foram presos os irmãos Gilson Alan Martins, 21 anos e Matheus Alan Martins dos Santos, de 18 anos, e também Maicon Willian de Lima Ferreira, de 19 anos. Os três foram surpreendidos pelo mandado de busca e apreensão quando dormiam, na casa de número 540 da rua Francelino dos Reis. Num guarda-roupa a polícia encontrou uma pedra grande de cocaína, um saquinho com cocaína e cinco embalagens transparentes para acondicionamento de droga. Nos fundos da casa foi apreendida a moto Honda CG-150 Titan vermelha, placa DJW-2248, de Sorocaba, cujo chassi está pinado. A polícia acredita que a moto seja produto de furto ou roubo.

No segundo caso de tráfico, às 9h30, a faxineira Jhennifer Cristini Figueiredo de Souza, 25 anos, foi presa em sua casa, na rua Alameda da Paz, 120. As denúncias davam conta de que no local ficavam vários usuários e que ela seria a traficante. Com a ajuda da cachorra Daya, foi localizado em baixo do seu colchão um tubo plástico com seis saquinhos com crack, 15 porções de maconha e 40 ampolas vazias. Um celular também foi apreendido.

O ajudante Nilton Gonçalves de Faria, vulgo “Niltão”, 19 anos, morador na casa de número 68 da rua Preto Ghoez, foi flagrado com um pote plástico com 80 ampolas com cocaína, 45 pedras de crack, uma porção a granel de crack e uma porção de maconha. A droga estava dentro do seu guarda-roupa, e sob sua cama haviam fios de cobre que, segundo o preso, tinham sido trocados por drogas por um tal de “Franjinha”. Conforme consta no boletim de ocorrência, “Niltão” teria assumido a propriedade do entorpecente e que sua destinação seria para venda. Também foram apreendidos R$ 213,00 em dinheiro.

O jardineiro Tiago Henrique de Oliveira, 22 anos, foi o sexto preso por tráfico na operação “Bairro Seguro” no Habiteto. Com a chegada dos PMs munidos do mandado em sua casa, na rua Fraternidade, 51, ele foi logo dizendo que toda droga estava em uma cômoda do seu quarto. Sobre o móvel havia um tijolo de maconha embalado em papel alumínio e mais um pedaço da mesma droga embalada com papel igual, além de um saco plástico com 78 ampolas com cocaína. Ele teria dito que a maconha seria para uso próprio e as ampolas para venda.

Ao todo, até o último balanço feito no início da noite, haviam sido apreendidos um quilo de maconha, 600 gramas de crack, 164 ampolas com cocaína, 45 pedras de crack, e 15 porções de maconha.
 
Veículos apreendidos
 
Ainda durante a operação no dia de ontem, a PM localizou um Polo preto roubado na cidade em 23 de fevereiro deste ano, escondido na casa de número 600 da rua Francelino dos Reis, e na casa de número 112 da rua Zumbi dos Palmares estava o Citroën C4 preto, de placas ETI-6637, de Sorocaba, roubado por volta das 22h de segunda-feira numa casa da rua Nicolau Fernandes, no Jardim Maria Eugenia. Na ocasião, cinco rapazes entre 18 e 20 anos de idade chegaram com esse Polo.

O roubo não durou mais que 20 minutos mas deve ter representado uma eternidade para as vítimas, uma dona de casa aposentada de 57 anos, e seu filho, um engenheiro de 31 anos. Ele foi abordado quando estacionava o carro na casa, e junto da mãe foi obrigado a se ajoelhar na sala. As vítimas não podiam olhar para os ladrões e ainda foram levadas para um dos quartos da casa, onde foram amordaçadas e tiveram ainda as mãos amarradas. Além do carro, o bando fugiu levando uma TV 42 polegadas LCD, dois notebooks, um videogame com dez jogos diversos, três celulares, uma bermuda, uma camiseta, além de documentos do engenheiro. Todos os objetos foram também recuperados na mesma casa onde estava o Citroën. Mas nessas duas residências ninguém foi preso.( teria de se adotar o mesmo esquema do RJ, uma UPP no bairro, tá e depois de uma semana ?

se não atacar a raiz do problema o medo eterno irá continuar, pois bandido nunca desiste, mesmo nas favelas cariocas com UPPS o traficante expulso, ainda ronda o lugar.)
About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s