raio x da noite em SOROCABA.

Enquanto clientes de bares que ainda não precisam fechar as portas as 23h, vários delitos ocorrem por todas as regiões de Sorocaba.

Nos principais “points” do sorocabano, a reportagem sente na pele como pode ser assustador a noite da cidade.

O inspetor Antunes mostra patrimônios públicos “invadidos” por consumidores de drogas e traficantes, nas telas da Central de Operações da GCM, e cenas com todo tipo de crime ocorrendo em Sorocaba.

Antunes aponta para as telas de LED e mostra três jovens bebendo uma garrafa de refrigerante com um misto de conhaque e outros tipos de bebidas alcóolicas, na praça Maestro Nilson Lombardi, Jardim Iguatemi, zona oeste. Outros dez fumavam maconha atrás de uma árvore. Doze guardas são convocados e entram em seis viaturas, que seguem até o local.

Cena de filme. Os jovens correm assustados com a presença da GCM. A maioria é rendida. “Você fique quieto. Não deveria estar aqui, em uma praça pública, a esta hora da noite”, diz um dos guardas ao menor revoltado com a abordagem. “Se seu pai descobre você aqui, iria gostar do que está fazendo? Pense bem.”

O adolescente respeita a opinião do GCM e permite a revista. Um menor que portava maconha é levado para os pais. Ninguém foi detido.
Em Júlio de Mesquita Filho, zona oeste, a doméstica Michelly Rodrigues Martins, 32, dirige em alta velocidade seu Fox e atinge em cheio o Gol do metalúrgico Cleber Evandro da Silva Godói, 33, que morre prensado pelas ferragens.

A condutora admite que ingeriu bebida alcóolica em uma festa. Homicídio culposo (sem intenção) na direção de veículo automotor (artigo 302 da Lei 9503/97 – Código de Trânsito Brasileiro). “Ela não saiu de um bar”, diz o delegado Robson Lorencetti. Dois amigos da vítima fugiram do local. De acordo com o registrado em Boletim de Ocorrência, um pacote de drogas teria sido encontrado sob um do bancos do veículo
Colisão foi ocasionada pelo consumo de álcool
O estado do Gol impressiona os policiais militares. A traseira do veículo ficou destruída. “A vítima fatal estava no tampão do porta-malas, preso às ferragens, enquanto a motorista do outro carro estava descontrolada, com intenção de entrar no Gol”, relata o delegado Robson Lorencetti, plantonista do Distrito Policial Sul. “Ela confidenciou que ingeriu álcool, contudo não apresentava estar embriagada. Ela recusou-se a fazer o teste do etilômetro”, relata, no boletim de ocorrência. Os faróis do Gol da vítima, que acompanhava dois amigos no banco traseiro, estavam apagados, o que dificultou a visualização do carro.

O Fox de Michelly Rodrigues Martins estava em alta velocidade, disseram os policiais e os peritos. A colisão ocorreu na rua Mário de Campos Lima, no bairro Júlio de Mesquita Filho. A motorista, alterada, não fez nem exame clínico e foi liberada.

No Jardim Nova Esperança, os traficantes agiam livremente. Logo na chegada, um grito: “Salve, salve”. É um código de boas-vindas aos consumidores de entorpecentes. Eles competem entre si e tentam chamar a atenção dos clientes de carro. Um assovio convida a “negociar” o preço da cocaína. Despistamos.

Em Sorocaba, desde 1989, conhecedor dos principais redutos, e no transporte de jornais desde 2007, recomenda: “Jamais se arrisque em um território que não conhece. Investigue antes.”
Sem sair do automóvel, o BOM DIA constata: o crime reina na região. Bebida e droga à vontade, em gueto, bar e biqueira.

Depois da “passagem” rápida pelo bairro escuro da zona norte, a reportagem visita as proximidades de dois bailes funk, no Parque Vitória Régia e Jardim Ipiranga. Nenhum movimento.

A polícia só entra nesses locais em operação conjunta, diz um GCM. Na Visconde de Cairu, na avenida General Carneiro, um travesti atende cliente boêmio.

Crime, com ou sem bar aberto após as 23h. “Tivemos sorte hoje [domingo de madrugada], pois a noite foi tranquila devido ao mal tempo”, diz o GCM Borges.

Forças e população divergem
Delegados, guardas, policiais militares e civis comemoram a aprovação da lei que fecha os bares sem alvará especial após as 23h, mas seus clientes reprovam a medida. Para as forças de segurança, a nova legislação ajudará o trabalho de combate ao crime.

Porém, os clientes dizem que vão procurar outros meios para beber e conversar, como garagens, praças públicas, postos de combustíveis, avenidas e ruas.

O capitão Vanclei Franci, oficial de relações públicas do 7° BPMI (Batalhão de Polícia Militar do Interior) tem uma convicção: o número de ocorrências de “desinteligência”, que são aquelas provocadas por brigas de bar e pessoas que ingerem bebida alcóolica até altas horas da madrugada e depois provocam conflitos em casa e com os vizinhos, deve cair. “Gente que bebe até tarde fica com o seu estado emocional alterado, o que provoca acidentes no trânsito, homicídio e outros crimes”, afirma.

Para a PM, o fechamento desses estabelecimentos inibirá os chamados que atrapalham o patrulhamento ostensivo. “Em muitos momentos em que ‘aparta’ problemas sociais, a PM poderia estar combatendo o crime para valer”, diz.

O inspetor Antunes concorda, mas faz ressalvas. “O fechamento dos bares vai contribuir para reduzir os crimes, mas só essa lei, de maneira isolada, não resolve o problema”, afirma. “Há muitos focos de crime em Sorocaba. Com o efetivo que temos na PM e na GCM, é impossível enfrentar os criminosos diariamente.”

A delegada Elisabete Molina apoia os vereadores. “Em 90 dias, a realidade vai mudar. Os policiais e guardas nos trazem muitos casos de briga e morte em decorrência do consumo de álcool”.

No Bar do Alemão, na avenida General Carneiro, um grupo de jovens são unânimes em um ponto: se o bar fechar, vão procurar outros ambientes para beber. “Sou consciente. Meu amigo bebe refrigerante para dirigir o carro”, diz Cristiano Almeida Rodrigues, 22. “Se fechar aqui, vou beber na praça”. Michael Silva, 22, reclama dos vereadores. “Não posso ficar na rua, na bagunça. Sou contra.” ( em ROMA capital da ITÁLIA, duas da manhã, acabou a balada, fecha tudo e todos pra casa, pq lá tem a lei do silêncio, até as duas e pronto.

aqui manda tuudo pra fora da cidade, quer beber, se drogar, tirar racha ? é la fora, ai se exploda, fechar bar ,ai vaio ter um ambulante em cada esquina, pra vender bebida a vontade, sem falar nas falsificadas e ai ? )

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s