presídio que abriga PMS teria mordomias escandalosas.

Apesar de fotos que mostram regalias no BEP, PM diz que presídio é fiscalizado com frequência 

Uma das celas do BEP, fotografadas durante inspeção do CNJ 

Foto: Divulgação Paolla Serra A Polícia Militar se manifestou, nesta sexta-feira, sobre a matéria publicada pelo EXTRA que mostra o relatório de uma vistoria realizada pelo Conselho Nacional de Justiça, no Batalhão Especial Prisional (BEP), em dezembro do ano passado. 

De acordo com a nota enviada pela assessoria de imprensa da corporação, desde a inspeção o comando do batalhão mudou e “protocolos e procedimentos já foram adotados”. A PM frisou ainda que a unidade é fiscalizada com frequência pela corregedoria interna, pela Vara de Execuções Penais e pelo Ministério Público. Há ainda fiscalizações com animais do Batalhão de Ações com Cães (BAC) e do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque). 

Segundo a nota, todas as denúncias feitas pelo relatório da CNJ são ou foram motivo de averiguação, sindicância ou inquério policial militar. 

Nas inspeções, documentadas por fotos, foram encontradas celas com ar-condicionado, TV de plasma, teto rebaixado, piso de cerâmica, cozinha artesanal e farta variedade de eletrodomésticos. 

De acordo com o relatório, quanto maior a patente do preso, maiores eras as regalias. Até um banco 24 horas foi encontrado dentro da unidade. 

O relatório do CNJ apontou regalias nas celas dos presos, no BEP. 

O Batalhão Especial Prisional, que abriga PMs e ex-PMs em Benfica, já foi cenários de festas. 

Em julho de 2010, o ex-PM Carlos Ari Ribeiro – apontado como o principal matador da maior milícia do Rio – foi preso quando dirigia um carro roubado. 

Levado para o BEP, Carlão comemorou o aniversário do filho com uma festa dentro da unidade. 

O evento, decorado com bolas coloridas, foi regado a cerveja e energéticos. 

No ano passado, um capitão “esqueceu-se” de trancar as galerias onde estavam os presos, deixou de fazer a conferência e Carlão fugiu. 

Ele foi morto em setembro de 2012, em Inhoaíba, na Zona Oeste. 

Leia a nota da PM na íntegra: 

1- As imagens e fatos apresentados na reportagem do jornal EXTRA desta sexta-feira (30/11) se referem ao mês de dezembro do ano passado. Desde então, o comando da Unidade Prisional mudou e vários novos protocolos e procedimentos já foram adotados. 

A Corregedoria Interna da PM, a Vara de Execuções Penais (VEP) e o Ministério Público (MP) estadual fiscalizam o BEP com frequência. 

2- Todos os fatos irregulares são ou foram motivo de averiguação, sindicância ou Inquérito Policial-Militar. A PM participa das fiscalizações da VEP com os animais do Batalhão de Ações com Cães e com o reforço do Batalhão de Polícia de Choque. 

3- A corregedoria mantém vigilância externa sobre a Unidade Prisional. Em outubro do ano passado, uma destas operações flagrou 2600 latas de cerveja que ingressariam naquela unidade. 

4- Hoje aquela unidade tem 325 presos. Destes, 41 são ex-PMs mantidos por liminar da Justiça. 

5 – O posto bancário existente na Unidade atende ao efetivo e aos funcionários de outros órgãos que interagem com o trabalho na prisão, como a Defensoria Pública. ( é meu caro e vc achava de mordomia era só coisa de preso rico, ou chefe de facções né ?) 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s