bicicletas do integra bike, estragos e roubo.

Aparecida Prestes Amaral também tem enfrentado problemas – Por: Adival B. Pinto

Os usuários que querem desfrutar do IntegraBike, o sistema em que ao ser cadastrado, é possível emprestar bicicletas por uma hora gratuitamente, tem enfrentado alguns problemas. É possível ver bicicletas com peças faltando, como o retrovisor, e até lixo nos cestos de carga. Outras bicicletas, por exemplo, estão com os estofamentos dos bancos rasgados. De acordo com a Urbes – Trânsito e Transportes, o valor do contrato mensal com a empresa gerenciadora do sistema, Samba – Transportes Sustentáveis, é de R$ 91.350,00.

Ao todo 152 bicicletas estão disponíveis em 19 estações espalhadas pela cidade. A Urbes informou que não tem um registro de atos de vandalismo, alegando que a Samba é a responsável por isso. Até agora, a empresa registrou apenas um furto de uma bicicleta na manhã do dia 10, da estação em frente ao Poupatempo, na avenida Dom Aguirre. Na ocasião, a Guarda Civil Municipal (GCM) prendeu Gerson Messias, 42, visto andando com a bicicleta às 5h, horário não permitido. A base das bicicletas na avenida Dom Aguirre ficou danificada, segundo a Urbes, por causa da força que Gerson fez para estourar a trava de segurança do veículo.

José Carlos, 58, conta que costuma utilizar o sistema e encontra diversas bicicletas danificadas. “Algumas estão sujas de barro, inclusive, aí não dá pra usar”, comenta. José Carlos reclama também do telefone de apoio marcado na estação. “Nunca atende. Uma vez vi um homem com seu filho tentando ligar mas não conseguia”, lembra. “Acho ridículo isso. Não tem por que estragarem algo que beneficia a população”, ressalta. A Urbes informou que, desde o início do programa, em 18 de maio de 2012, 10.057 pessoas foram cadastradas e 63.052 empréstimos foram realizados.

Aparecida Prestes Amaral, 51, relata que encontrou até validadores quebrados. “Precisava devolver a bicicleta que emprestei e não achava estações vazias, as duas que achei, na praça Carlos de Campos e na Praça da Bandeira, os validadores estavam quebrados. Tive que devolver em outra estação e demorei muito mais para chegar em casa”, salienta. Mesmo assim, Aparecida elogia o programa e conta que utiliza a bicicleta como meio principal de transporte. “Tenho bicicleta mas acho mais prático usar essas (públicas). O problema é que não tenho como escolher qual bicicleta usar, então o risco de eu pegar uma que não está boa é alto”, destaca.

Segundo a Samba, são realizadas vistorias diárias nas bicicletas e os reparos são feitos assim que os problemas são constatados. De acordo com a empresa, cada bicicleta é usada, em média, oito vezes por dia, por isso o desgaste. A empresa gerencia sistemas de empréstimo de bicicletas em outras cidades brasileiras como Santos, no litoral paulista, São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre (RS) e Recife (PE).

Alan Bastos de Sá, 21 e Jeniffer Alves Malaquias, 19, utilizam as bicicletas geralmente à noite, e confessam que a ausência do retrovisor é o mais comum. “Algumas também têm o pneu murcho”, lembra Jeniffer. O casal conta que empresta bicicletas cerca de quatro vezes por semana. Alan lamenta. “É uma pena. A ideia é boa, mas as pessoas não colaboram



Um homem foi preso pela Guarda Civil Municipal (GCM) em flagrante por furtar uma bicicleta pública pertencente ao programa Integra Bike, da Urbes – Trânsito e Transportes, na manhã desta quinta-feira (10).

A bicicleta estava estacionada na base em frente ao Poupatempo, na avenida D. Aguirre, quando Gerson Messias, 42, forçou a trava que prendia o objeto à baia. Por volta das 5h um munícipe viu Gerson andando com a bicicleta e avisou soldados da GCM.

O homem foi encontrado na esquina da avenida Juscelino Kubistchek com a rua Salvador Correa, no centro. Segundo a GCM, Gerson estava alterado e não sabia explicar o que faria com a bicicleta. A GCM não confirmou se ele já tem passagem pela polícia.

Na base em que a bicicleta estava é possível perceber outras danificadas. Questionada, a Urbes ainda não informou qual a periodicidade de reparos das bicicletas, que custam R$ 1350,00 cada. ( bem como temos tradição e origem tropeira, o sorocabano já trata do carro como cavalo, ou seja acelera, costura, faz bizzarrices no trânsito, pois acha que ta montado num cavalo, e com bicicleta não seria diferente.

e claro não poderia faltar um ladrão de bicicleta né ? o integra bike é bom, mas o povo cavalo chucro é que não é.) 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s