de menor deverá assumir a morte de torcedor na BOLÍVIA.

adolescente, 17, menor de idade para a lei brasileira, que a organizada Gaviões da Fiel apresentará nesta segunda-feira como a pessoa que acionou o sinalizador qumatou o boliviano Kevin Beltrán, informação revelada hoje pela Folha, poderá, pela legislação boliviana, pegar até 25 anos de prisão.

 
Advogados bolivianos consultados pela reportagem apontam que um indivíduo é considerado pela lei de seu país maior de idade assim que completa 16 anos.
Na Bolívia, segundo os advogados, é considerado menor quem tem até 15 anos. Nesse cenário, ele cumpriria, no máximo, apenas cinco anos de prisão.

San José x Corinthians

 Ver em tamanho maior »

Policiais bolivianos escoltam torcedores do Corinthians detidos indiciados pela morte de torcedor de 14 anos do San José Leia mais
Para ter efeito prático na situação dos 12 brasileiros detidos, o integrante da Gaviões teria de ser apresentado à Justiça boliviana e confessar a autoria do crime.
Filiado à torcida uniformizada Gaviões da Fiel desde outubro de 2010, o adolescente H.A.M., 17, mora em Guarulhos. Ele vai contar nesta segunda-feira na Vara de Infância e Juventude de Guarulhos que disparou acidentalmente o sinalizador. Ele revelará também que embarcou em um dos quatro ônibus da caravana de organizadas para a Bolívia com seis sinalizadores –não está claro se todos navais, como o que atingiu Espada.
Outro ponto que será abordado pelo garoto para tentar mostrar que o tiro foi acidental é que, logo depois de ter disparado, ele precisou deixar o local com medo de represália dos próprios corintianos. Pelo menos três deles, também membros de organizadas, alegaram quase terem sido atingidos pelo sinalizador.
O argumento do advogado do menor, Ricardo Cabral, será de que a possibilidade de ter atingido pessoas próximas a ele mostra que não direcionava o sinalizador para a torcida adversária.

( tem tudo pra dar em pizza, como o tal de menor não vai voltar a BOLÍVIA , se for fica 25 anos preso lá ?

mas e os outros que estão presos  ? e este de menor é o autor do disparo talvez acidental  ? entranho que justamente agora apresentem um menor pra assumir  a bronca, parece coisa combinada.)

 

Anúncios

WANDERLEA DOS SANTOS SILVA desabafa sobre vídeo na praia de rio das ostras.

A recepção inicial é fria. Na porta de casa, no Vale do Ipê, em Belford Roxo, Wanderlea dos Santos Silva, de 41 anos, reluta em falar sobre as cenas quentes que protagonizou no carnaval de Rio das Ostras ou do vídeo que correu a internet esta semana. Aos poucos, mais solta, ela revela: ‘Eu não transei’. Nas imagens acima, Wanderlea aproveita para se defender das críticas que vem recebendo na internet. 

– Estou pensando em processar o Youtube se eles não tirarem essas imagens do ar. Eu já tenho um advogado, mas também posso procurar um defensor público, não sei ainda. Essa situação toda me causou muita dor de cabeça. Olhei os comentários do vídeo e até tinha bastante gente me defendendo, mas outros falavam muita bobagem. 

Wanderlea dos Santos Silva, de 41 anos, foi filmada no mar de Rio das Ostras
Wanderlea dos Santos Silva, de 41 anos, foi filmada no mar de Rio das Ostras Foto: Urbano Erbiste  

É isso mesmo. Wanderlea tem um companheiro, Johne Max Geraldo dos Santos, de 38 anos (ou apenas Max). Os dois se relacionam há cerca de dois meses, mas foi justamente logo após o flagrante com outro homem que o casal passou a dividir o mesmo teto, dormindo lado a lado pelas últimas duas semanas.

— Eu mesma contei pra ele sobre isso tudo assim que voltei de viagem, antes de saber dessa coisa de vídeo — diz Wanderlea, que apenas ontem, em uma lan house, assistiu às cenas em questão: — Não transei com o rapaz. Acho que ele só disse na delegacia que fez para aparecer. A gente se beijou, foi bom e faria de novo, mas quem pode dizer se eu estava com o biquíni abaixado? Estão falando demais, e eu não devo nada a ninguém.

 

Já Max, surpreendido ao chegar do trabalho e encontrar a amada dando uma entrevista, parece realmente ter levado numa boa toda a situação. No entanto, embora não tenha hesitado em perdoar Wanderlea, o funcionário de uma transportadora preferiu não assistir ao vídeo. Afinal, o que os olhos não veem, o coração não sente (ou sente menos).

— Tem que entender, né. Gosto muito dela. E se veio me contar por conta própria, não tenho por que duvidar de nada. Eu confio — assegura.

 

Ontem, mais detalhes sobre a aventura em Rio das Ostras de Wanderlea, que é mãe de um casal de gêmeos de 9 anos, vieram à tona. Ela e o rapaz de 27 anos, auxiliar de serviços gerais na cidade do Norte Fluminense, se conheceram horas antes de entrarem juntos no mar, na sexta-feira anterior à folia. O mergulho caliente aconteceu depois de um bate-papo animado e algumas cervejas

Na noite de ontem, no aconchego do lar, Wanderlea conseguiu até brincar com o apelido que ameaça vingar: “Cicarelli de Rio das Ostras”.

— Se fosse com o Max, eu com certeza teria chegado aos finalmente — garante.

Max, sorrindo, apenas concorda com a cabeça.

 

Wanderlea e o companheiro, Johne Max Geraldo dos Santos
Wanderlea e o companheiro, Johne Max Geraldo dos Santos Foto: Urbano Erbiste 

Veja a entrevista com a dona de casa

O que aconteceu na praia?

Não aconteceu nada demais. Não mantive relações sexuais com ninguém dentro d’água. Fui com os meus filhos para a praia. Conheci um rapaz. Tomamos cerveja em frente à praia e depois fomos para a água. Ficamos conversando e rolou um beijo. Qual o problema se eu beijar alguém? Mas não transamos. Meus filhos estavam perto de mim. 

Por que, então, você foi parar na delegacia?

A guarda me chamou e falou que eu tinha sido vista fazendo sexo. Falei: “Não estava fazendo isso”. Chamaram uma conselheira tutelar, que ficou com os meus filhos. Fiquei quase três horas na delegacia. Pedi para fazer exame de corpo de delito para provar que não tinha transado. 

Você veio para Rio das Ostras passar o carnaval?

Vim na quinta-feira (um dia antes do incidente na praia), para ver a minha filha mais velha, que tem 19 anos e mora na cidade. Moro em Belford Roxo, com os gêmeos (um casal de 9 anos). Não trabalho porque o pai deles paga pensão e prefere que eu fique em casa cuidando. 

Como foram os dias após o episódio?

Fiquei com medo de voltar à praia e que as pessoas ficassem me olhando e apontam para mim. Me senti constrangida. Ia ficar uma semana, mas fui embora na segunda-feira. Acabou com o meu carnaval. 

Você pretende tomar alguma providência? 

Estou pensando em processar o Youtube se eles não tirarem essas imagens do ar. Eu já tenho um advogado, mas também posso procurar um defensor público, não sei ainda. Essa situação toda me causou muita dor de cabeça. Olhei os comentários do vídeo e até tinha bastante gente me defendendo, mas outros falavam muita bobagem. ( DONA WANDERLEA, mesmo que o youtube retire o vídeo do ar, não adianta mais, ele ficará na net pra sempre, seja em outros sites ou nos arquivos de quem já baixou e salvou. 

a própria DANIELA TREPARELLI já percebeu que seu nhec nhec na ESPANHA ta na rede até hj e vai ficar lá, deixa rolar e esquece tudo, logo tudo isso passa e a senhora volta a ser mais uma anônima dos seus 15 minutos de fama. 

ah e praia é espaço publico, a senhora pode voltar lá o quanto quer e ninguém pode falar nada.)

corintianos presos na BOLÍVIA estão numa masmorra

Torcedores corintianos estão presos acusados de participação na morte do jovem

Torcedores corintianos estão presos acusados de participação na morte do jovem

23/02/2013 – 06h00

Corintianos vão para presídio superlotado e vigiado por próprios detentos bolivianos

Penitenciária de San Pedro, Oruro, Bolívia. É lá que os 12 torcedores corintianos indiciados pelo homicídio do jovem boliviano Kevin Douglas Espada, de 14 anos, ficarão presos à espera do julgamento ou uma segunda ordem judicial. Funcionando desde 1844, a prisão está hoje superlotada e opera sob um controle peculiar de segurança: lá, são os próprios detentos os responsáveis por garantir a ordem.
A descrição é do ministro conselheiro da embaixada do Brasil na Bolívia, Eduardo Saboia. Ele é o chefe da representação brasileira no país vizinho e acompanha, com certa apreensão, a situação dos brasileiros presos após o jogo entre San José e Corinthians, na quarta-feira – o duelo terminou empatado em 1 a 1.
“Na Bolívia é assim: são os presos que fazem a segurança interna do local. As autoridades só garantem que os detentos não saiam do presídio”, explicou Saboia. “Isso nos preocupa. Temos que tentar garantir a integridade física dos brasileiros aqui”.

Corinthians é punido por morte de torcedor na Bolívia – 4 vídeos 

  • Neto%3A%20%22eu%20tiraria%20o%20Corinthians%20da%20Libertadores%22Neto: “eu tiraria o Corinthians da Libertadores”
  • Corinthians%20%E9%20punido%20e%20jogar%E1%20Libertadores%20sem%20torcidaCorinthians é punido e jogará Libertadores sem torcida
  • Nova%20imagem%20exibe%20momento%20em%20que%20corintiano%20joga%20sinalizadorNova imagem exibe momento em que corintiano joga sinalizador
  • TV%20boliviana%20mostra%20momento%20em%20que%20sinalizador%20%E9%20lan%E7adoTV boliviana mostra momento em que sinalizador é lançado

PróximoAnterior

A penitenciária de San Pedro fica no prédio de um antigo convento colonial. Em meados do século 19, o imóvel foi convertido em presídio e, naquela época, passou a receber principalmente ladrões que costumavam assaltar mineradoras na área da cidade de Oruro.
Oficialmente, o presídio tem capacidade para 250 presos. No final do ano passado, entretanto, jornais bolivianos informavam que cerca de 450 pessoas estavam detidas em San Pedro. Dentre eles, estão homens, mulheres e até bebês, filhos das detentas.
Todos eles, segundo os jornais da Bolívia, vivem em condições precárias. As celas da penitenciária San Pedro são pequenas, as paredes são feitas de barro, o chão é de piso frio e, em dias de chuvas, várias goteiras surgem no teto do presídio.
Nada disso, porém, preocupa mais Eduardo Saboia do que a segurança dos torcedores presos na penitenciária. Ele disse que, durante o Carnaval, um brasileiro foi assassinado durante um motim em uma penitenciária de Cobija, perto da fronteira com o Acre. Sabendo disso, a embaixada brasileira já solicitou proteção especial aos corintianos.
“O clamor popular é grande”, afirmou Saboia. “Nós já falamos com o diretor do presídio. Ele nos disse que os brasileiros vão ficar em duas celas isoladas.”
Questão judicial
Ao mesmo tempo em que a embaixada busca garantir a segurança dos torcedores, Saboia disse que o órgão tenta assessorar juridicamente os brasileiros presos. Na sexta-feira, o próprio Saboia esteve com a promotora boliviana que indiciou os torcedores para entender os motivos da prisão temporária deles.
No encontro, ele foi informado de que a prisão foi solicitada por “precaução”. Segundo a própria promotora, se a investigação avançar e for descartada a participação dos brasileiros detidos na morte de Kevin Douglas, eles podem ser liberados.
Saboia afirmou que todos os presos afirmam ser inocentes. Eles se até se colocaram à disposição da Justiça para ajudar o esclarecimento do caso e identificar responsáveis. O ministro conselheiro da embaixada espera que essa ajuda seja utilizada e as investigações avancem rápido. Assim, os brasileiros poderiam ser libertados mais brevemente.
O governo boliviano foi procurado pelo UOL Esporte para comentar a situação dos brasileiros presos no país e a segurança do presídio em que estarão. As autoridades não responderam à reportagem.

Morte na Bolívia em jogo do Corinthians10 fotos1 / 10

21.fev.2013 – Caixão com o corpo do jovem Kevin Beltran Estrada, de 14 anos, é colocado dentro de carro em Oruro 

curretos perseguem atriz que faz a professorinha HELENA em carrossel

Quando os diretores da versão brasileira da novela infantil Carrossel, do SBT, escalaram a intérprete da Professorinha Helena, nunca imaginaram que o passado artisticamente corajoso da atriz Rosanne Mulholland iria causar tanto constrangimento e até mesmo esbarrar numa polêmica sobre formação pedagógica.
Em Carrossel, ela é uma professora bondosa, doce e ética, idolatrada pelos seus alunos, uma heroína quase mitificada, mas fora da novelinha há um vasto material disponível na internet que exibe a protagonista nua ou em situações sensuais, fruto de trabalhos anteriores da atriz. 
No filme de José Eduardo Belmonte, A Concepcão (2005), ela aparece fazendo sexo com dois homens e em um beijo lésbico. Em Falsa Loura (2007), dirigido por Carlos Reichenbach, a moça se mostra em um nu frontal logo após ir para a cama com um menino de 14 anos.
Essas cenas estão disponíveis no Google e acabam criando situações embaraçosas para os pais das crianças fãs da novelinha, que usam com exaustão esse mecanismo de busca. A dona de casaLuciana Ezarani, 31 anos, confessou ao Virgula Famosos que descobriu as fotos da atriz nua, impressas da internet, dentro do álbum de figurinhas da novela Carrossel que ela havia dado ao seu filho G.S.E., de 7 anos. Janaina Carla Damasceno, 27 anos, uma professora do ensino fundamental na vida real, admitiu temer a “falta de respeito” a ela pelos alunos que descobrirem a “vida dupla” da professorinha Helena. 
Ao depararmos com essas questões, conversamos com a psicóloga Eunice Albano, 51 anos, com o intuito de desvendar o quanto a imagem de uma “professora” que aparece nua na internet vai interferir negativamente na formação da criança. “A imagem da professora na visão infantil funciona como um mito e os mitos ajudam a dar a maturidade necessária para enfrentar os desafios futuros”, afirma a psicóloga. E continua: “Depende de como essa criança está sendo preparada para lidar com a nudez nesta família, se como tabu será sim um problema, se como parte natural da vida, a criança passará incólume a isso”.
Já sobre o respeito em sala de aula, entre “aluno e professor”, o Virgula Famosos buscou o parecer da pedagogaCamila Del Dono, 29 anos, que nos disse: “Por ainda necessitar de alguns elementos concretos para desenvolver suas aprendizagens, as crianças acabam sim por associar as imagens da professora que lhe dá aula, com a imagem da professora Helena de Carrossel. É importante estabelecer com as crianças uma relação entre aquilo que é real e aquilo que elas veem na televisão”. Apontando uma solução para a polêmica, a pedagoga sugere: “Talvez seja interessante a escola e a família realizarem um painel para os alunos conhecerem as profissões e quais atividades são realizadas dentro de cada uma delas, e assim explicar quais são as funções de uma atriz”.
Na reta final da novela com seus altos índices de audiência e esta instigante discussão relembra que Silvio Santos, 82 anos, o dono do SBT (portanto quem dá o aval para a escolha de seus funcionários), sabia do risco, pois ao receber a atriz Rosanne Mulholland em seu programa Jogo das Pistas, assim que ela foi escolhida para viver o papel de Helena fez a pergunta em tom de piada: “Você fez 11 filmes, e nesses filmes você já fez alguma cena muito ousada?” E ela responde “Já!” Então ele completa: “E como é que agora você vai ser a Professorinha Helena?” com os risos do auditório. Silvio encerra: “Olha só, com vocês a nova Professorinha Helena!” e segue seu programa.
O que se sabe é que Carrossel é a telenovela do SBT de maior audiência nos últimos 11 anos, e que Rosanne foi alçada ao estrelato com um trabalho elogiado e que por uma ou outra razão as crianças adoram: a Professorinha Helena. “Eu [a] amo muito e gostaria de ter uma [professora] igual. Na minha escola não existe ninguém tão linda e tão amorosa como ela” encerra nossa reportagem especial a menina A.L.D., de 9 anos.
 ( ninguém precisaria ficar sabendo o passado da atriz, mas como tem os politicamente curretos, que não tem mais nada pra fazer do que ficar fuçando a vida dos outros.
e dai que ela fez isso e aquilo, ela É ATRIZ P… ela não é uma XUXA idiota que fica perseguindo seu filme , fez ta feito e pronto, o que importa é o hj.
estes hipócritas, assistem seus filmes, e depois vem criticar é o mesmo que ir numa festa se empanturrar e depois sair falando mal.)

curintianos querem ferver SP na quarta feira dia 28

Após a decisão da Conmebol em punir o Corinthians pela tragédia ocorida em Oruro, na Bolívia, alguns corintianos, indignados com a proibição da presença da torcida alvinegra nos jogos da Libertadores até que o caso seja resolvido, decidiram organizar atos para a próxima quarta-feira, quando o Corinthians enfrenta o Millionarios (COL), no Pacaembu.


“Você Corintiano! Está convocado para aparecer na Praça Charles Miller”, diz o pôster de uma das campanhas, lançada no Facebook e que destaca a face de Andrés Sanchez, ex-presidente do clube. A imagem é uma referência à clássica figura do “Tio Sam”, personificação nacional dos Estados Unidos da América, e utilizado na Primeira Guerra Mundial para convocar os americanos.

Outra imagem também já circula pelas redes sociais. “Se lá dentro cabem 40 mil e não nos deixarem entrar, lá fora cabem 1 milhão gritando sem parar! Vai ser a maior festa que esse país já viu”, são os dizeres da campanha.

A intenção é reunir o máximo de torcedores possíveis para estarem presentes na Praça, que fica localizada na frente do estadio do Pacaembu, no dia do jogo contra os colombianos. 

 

aCampanha coloca ex-presidente Andrés Sanchez como Tio Sam – Reprodução/Facebook 

 

sOutra imagem convoca torcedores à comparecerem na frente do estádio no dia da partida – Reprodução/Facebook 

Entenda o caso

Um triste incidente manchou a história do futebol na noite da última quarta-feira. Durante a estreia do Corinthians na Libertadores, contra o San José, na Bolívia, o torcedor local Kevin Beltran Espada, de 14 anos, morreu depois de ser atingido no olho por um sinalizador. O ocorrido pode resultar na perda de pontos ou até na exclusão do Timão no torneio continental.

 

Isso porquede acordo com a polícia boliviana, o artefato foi lançado pela torcida corintiana que foi ao Estádio Jesús Bermudez, na cidade de Oruro. O jovem era nascido em Cochabamba, cidade onde o Timão se concentrou para sua estreia. Ele viajou para assistir à partida e foi atingido no olho pelo artefato. O torcedor foi levado ao Hospital Obrero, em Oruro, mas não resistiu aos ferimentos.

 

O ocorrido, obviamente, gerou revolta da torcida do San José e total comoção do Corinthians. Logo que ficaram sabendo do incidente, os torcedores começaram a chamar os corintianos de “assassinos” e os juraram de morte. Os atletas que não haviam sido relacionados e alguns membros da comissão técnica tiveram que sair do camarote onde assistiam à partida para não serem agredidos.

 

Enquanto isso, o técnico Tite e o gerente de futebol Edu Gáspar choravam pelo ocorrido. Otreinador chegou a dizer que trocaria o título mundial que conquistou no ano passado pela vida do garoto. Já o dirigente lembrou que poderia ter acontecido com qualquer um e não conseguiu segurar a emoção ao mencionar que seu filho também vai a estádios de futebol, além de oferecer assistência para a família da vítima.

 

Em seu site oficial, o clube divulgou uma note de pesar. Apesar da morte do garoto, no entanto, o diretor de futebol Roberto de Andrade não acredita muito em uma punição ao Timão.

 

A polícia deteve 12 torcedores do Corinthians, que permanecem na Bolívia até a apuração do caso. Em entrevista à Rádio Bandeirantes, o presidente do San José, Freddy Fernandez, afirmou que os policiais têm certeza de que o sinalizador foi disparado pela torcida brasileira.  (pra isso , brasileiro sabe protestar e o restante do pais que se dane, corrupção, miséria, mensalão, que se exploda, o que interessa é o futebol. 

 ai vem a frase, ah por causa de uns dois , milhões de corintianos serão punido sem poder ir ao estádio ?  

mas se não for assim , a violência não tem solução . 

o torcedor deveria policiar uns aos outros, para evitar que os baderneiros fizessem o caos prevaleçer, mas preferiam se calar, então que fiquem em casa. 

QUARTA FEIRA EM SP, é melhor chamarem até as forças armadas pra garantirem a ordem. )

GIL RUGAI, mesmo condenado vai ficar solto.

 

Gil Rugai é condenado pelo assassinato do pai e da madrasta 

Ele foi condenado a 33 anos e 9 meses, mas recorrerá em liberdade. 


Luis Rugai e Alessandra Troitino foram assassinados em março de 2004. 

Paulo Toledo Piza, Márcio Pinho e Kléber Tomaz 
Do G1 São Paulo

O estudante Gil Rugai foi condenado a 33 anos e 9 meses em regime fechado pelo assassinato de seu pai, Luis Rugai, e de sua madrasta, Alessandra Troitino, ocorrido em março de 2004. 


Na sentença, o juiz Adilson Paukoski Simoni chamou o condenado de dissimulado e “extremamente perigoso”. 


Entretanto, determinou que ele poderá recorrer em liberdade. 


Segundo o juiz, Rugai pode pedir progressão para o regime semiaberto com o cumprimento de 5 anos, 7 meses e 15 dias de pena. 


Rugai já cumpriu cerca de dois anos de pena. 


A sentença é o resultado de cinco dias de julgamento, encerrado nesta sexta-feira (22) no Fórum da Barra Funda, em São Paulo. 


Neste período, foram ouvidas 15 testemunhas (sendo cinco de acusação, sete de defesa e três do juízo), além do réu, que foi interrogado pelo juiz, por seus advogados e pelo promotor. 


‘Não fui eu, quem foi eu não sei’, diz Gil Rugai durante julgamento Gil Rugai negou o crime. 


“Não fui eu [quem matou]. Agora quem foi eu não sei”, disse o jovem de 29 anos. 


Logo no começo do julgamento, a defesa já tinha anunciado que iria recorrer caso o julgamento terminasse em condenação. 


As principais provas apresentadas contra o réu foram a pegada de Gil Rugai em uma porta arrombada no local do crime e a localização da arma que matou o casal. 


Ela pertencia ao jovem. (…)tratando-se ainda de réu primário, sem antecedentes judiciais, faculto-lhe recorrer dessa decisão em liberdade” 


Adilson Paukoski Simoni, juiz 


Na sentença, o juiz Simoni ressaltou as estratégias adotadas por Gil Rugai ao longo do processo. 


“Nesse passo, forçoso é concluir, que, como o réu, a todo momento nos autos, negou qualquer envolvimento nos homicídios das vítimas, mantendo socialmente uma aparência de bom moço, até freqüentando igreja, demonstra personalidade intensamente dissimulada, cuja personalidade nesse contexto fático-jurídico, aponta cuidar-se de pessoa extremamente perigosa”, escreveu o juiz. 


Apesar da avaliação, o juiz justificou o respeito à hierarquia para determinar que Gil Rugai recorra em liberdade. 


“Em respeito à hierarquia inerente ao conjunto de normas de nosso país – e ninguém está acima da lei – por não haver presentemente encarceramento por estes autos, tratando-se ainda de réu primário, sem antecedentes judiciais, faculto-lhe recorrer dessa decisão em liberdade”, afirmou o juiz. ( enfim o julgamento só serviu pra gastar tempo e dinheiro publico a toa, alem de fornecer assunto inútil pra mídia marrom em geral.

 

pra no fim dar em pizza mesmo.)

médica é flagrada fazendo palavras cruzadas no hospital no DF,estava prevaricando ou estava de folga ?

Médica faz palavras cruzadas enquanto pacientes esperam por atendimento em hospital no DF 

Edgard Matsuki 

Do UOL, em Brasília 

Os pacientes que esperavam atendimento na manhã da última segunda-feira (18) no Hospital Regional de Planaltina (cidade a 40 km de Brasília) se deparavam com uma cena, no mínimo, curiosa. 


Uma das médicas que deveria fazer a triagem de quem chegava ao local estava se distraindo com palavras cruzadas. 


A cena foi filmada pela paciente Diana Gomes, que postou o vídeo na internet. 


Diana afirma que chegou ao local às 7h30 da manhã e só foi atendida às 10h30. 


Na vídeo de cerca de 2 minutos e meio, a médica fica ao lado do vigilante do local fazendo palavras cruzadas de um jornal. 


Não era possível ver outros pacientes, mas o barulho dava conta que havia muitas pessoas no local. 


De acordo com Diana, a médica ainda demorou dez minutos para começar a atender os pacientes. 


A autora do vídeo diz que a maior surpresa foi ser atendida justamente pela médica que estava jogando na hora do trabalho. 


“Eu pensava que era alguma enfermeira que estava com o vigilante”, diz. 


Ela foi ao local por que sofria de fortes dores abdominais. 


De acordo com ela, a médica lhe receitou soro e a mandou de volta para casa. 


O vídeo repercutiu em redes sociais e a Secretaria de Saúde do Distrito Federal lançou uma nota afirmando que naquela manhã foram atendidas mais de 100 pessoas no hospital, que no vídeo é o segurança que pede auxílio à médica e que a atividade não prejudicou o atendimento. 


Confira a nota na íntegra: 


Sobre o atendimento no Hospital Regional de Planaltina A Secretaria de Saúde do DF – SES/DF informa que na segunda-feira (18), três clínicos gerais, incluindo a médica que aparece no vídeo, estavam escalados na Emergência do Hospital Regional de Planaltina. Das 7h ao meio-dia, período em que essa médica estava em atendimento, na Emergência do HRPL, mais de 100 atendimentos foram realizados. No momento em que a médica aparece no vídeo, foi o instante em que o vigilante pede auxílio à médica, o que não interferiu no trabalho da mesma. 


De acordo com a coordenação do hospital, a médica (que não teve o nome revelado) não irá sofrer punições pelo ocorrido. 


Em um comentários do vídeo no Youtube, uma pessoa xinga a autora pelo vigilante ter perdido o emprego. 


Porém, a informação não foi confirmada pela coordenação do HRPL ou pela Secretaria de Saúde.( de acordo com comentários do youtube, precisa ver se a médica  não estava em um momento de folga, mas estranho que somente o vigilante tenha pago o pato com demissão.)