40 gatos pingados em manifestação contra a prefeitura de SOROCABA

Manifestantes também lembraram vítimas da queda do muro do shopping – Fábio Rogério

Mais fotos…

Lixo acumulado pelas ruas, centralização no atendimento da saúde, falta de vagas em creches, promessas de campanha que deixaram de ser cumpridas no primeiro ano de mandato do prefeito Antonio Carlos Pannunzio (PSDB) e o acidente que há um ano matou sete pessoas quando a parede da ainda construção do Pátio Cianê Shopping desabou na rua Comendador Oeterer. Em protesto a todos esses fatos, cerca de 40 manifestantes saíram às ruas do centro de Sorocaba às 18 horas de ontem com o objetivo de demonstrar insatisfação com a atual administração. Apesar de haver poucas pessoas e na maior parte do tempo terem mantido ao menos faixa das ruas aberta para a passagem dos veículos o trânsito foi prejudicado. A Prefeitura preferiu deixar de se manifestar sobre o ato.
Ainda na concentração, na praça Coronel Fernando Prestes, o aposentado Osvaldo Francisco Ramos, 70 anos, fez questão de usar o megafone para fazer fortes críticas contra o prefeito Pannunzio. Ramos disse que foi preso político em 1969 quando trabalhava como metalúrgico e hoje mora em Capela do Alto. Afirmou que veio a Sorocaba exclusivamente para protestar porque está descontente não só com a política de Sorocaba como da cidade onde reside.

Juliane Loures Ramos, 20 anos, moradora da Vila Leopoldina, disse que foi ela e outra menina de 16 anos quem tomaram a iniciativa de chamar pela internet para uma manifestação outras pessoas que estivessem descontentes. Juliane disse que o limite da insatisfação foi quando soube que não haveria decoração de Natal no centro, já que enfrentou dificuldades para encontrar uma vaga na creche para o filho e está muito insatisfeita com os problemas na coleta de lixo, buracos nas ruas e a falta de estrutura no posto de saúde. Entoando palavras de ordem como “Fora Pannunzio”, “Pannunzio ladrão estamos juntos no lixão”, “O lixo está na rua, Pannunzio é culpa sua”, o grupo percorreu as ruas Coronel Benedito Pires, Francisco Scarpa, avenida Afonso Vergueiro, Comendador Oeterer, Álvaro Soares e Barão do Rio Branco, onde mantiveram alguns minutos de manifestação no cruzamento do Bulevar Braguinha e encerram o ato às 19h15.

Em frente ao Pátio Cianê Shopping os manifestantes fizeram um minuto de silêncio. Também foi o local onde permaneceram por mais tempo parados, cerca de 15 minutos. Mantiveram interditadas duas das três faixas da via sentido sentido avenida Dom Aguirre, mas por várias vezes chegaram a fechar a terceira faixa por alguns segundos, interrompendo o trânsito. O mesmo fizeram por alguns minutos na pista do sentido inverso. 
A Polícia Militar e a Guarda Municipal passaram a acompanhar a manifestação a partir da avenida Afonso Vergueiro, mas sem interferências, a não ser uma abordagem verbal feita por um dos Guardas Municipais que solicitou os nomes de alguns dos manifestantes. Um deles, o estudante de direito e representante do Diretório Centro dos Estudantes na Uniso, Gabriel Soares, 18 anos, disse ao término do ato que foi cumprido o objetivo de mostrar a insatisfação do grupo. Sobre a reação das pessoas, reconheceu que parte delas reclamaram do trânsito, mas muitos também apoiaram o grupo por alguns trechos.

( só 40 ? por isso nem precisou infiltrar agentes da prefeitura ou da policia pra estragar o movimento, nem foi preciso policial chegar com cassetete e dizer que não gosta de manifestante.

fim de ano, a maioria só quer saber de ficar de bunda pra ciuma em qualquer praia por ai , o prefeito CARAMUNZZIO deve estar dando risada dos 40, se fosse festa com rave, funk, bagunça em geral, ai sim, seria hiper ultra mega lotado.

e pq tinha guarda municipal perguntando nome de manifestante heim ?)

Anúncios

apocalipse em dezembro, subfamilias fingem ser sem teto, só pra ganhar doações

Assim que a folhinha do calendário vira e dezembro chega, famílias que moram em apartamentos na periferia de São Paulo deixam seus lares para morar um mês na rua, como se fossem sem-teto.

O lugar escolhido é o Glicério, no centro. A região é conhecida por altos índices de criminalidade e de uso de drogas, mas é estratégica durante o Natal.

“Todo ano, quando terminam as aulas das crianças, a gente vem para aqui para ganhar presentes e outras doações”, diz a dona de casa Silvia Ferreira Andrade, 38.

Ela e ao menos outras cinco famílias passam um mês a 25 km do conjunto Cingapura, onde moram em São Mateus (zona leste), atraídas pela onda de solidariedade típica desta época do ano. Outra família veio de Ferraz de Vasconcelos, na Grande SP.

“Os carros passam aqui, deixam brinquedos para nossos filhos, dão marmitex. Outros pegam medidas para trazer roupas depois. Fazemos isso porque não temos dinheiro para comprar essas coisas. É nossa única opção.”

Silvia está acampada com os quatro filhos no Glicério desde o início do mês. Segundo ela, em São Mateus, onde mora, quase ninguém faz doações,pois muitas famílias vivem situação semelhante.

As doações escasseiam normalmente na noite de 25 ou 26 de dezembro, e as famílias deixam o Glicério.

Acampar na calçada, bem embaixo de um viaduto, impõe dificuldades. Para tomar banho e ir ao banheiro, as famílias recorrem a associações, a uma tenda da prefeitura na região e a igrejas.

Algumas preparam as refeições em fogueiras improvisadas com tijolos e álcool. “Eu trouxe um fogãozinho de duas bocas e um botijão de casa para facilitar”, conta Adriana de Souza, 36.

Cássia Aparecida Isabel, 38, é uma das mais “experientes” do grupo. “Venho com minha família faz tempo. Uma das minhas duas filhas tem 20 anos e acampa comigo desde os 6.”

Os funcionários da prefeitura estão acostumados com a situação e apenas impõem algumas regras, diz ela. “Pedem para que a gente não faça bagunça. Então montamos nossas coisas e, antes de sair, deixamos tudo limpinho.”

CRIANÇAS

Editoria de Arte / Folhapress

Apesar disso, o grupo não está livre das ações da prefeitura. Anteontem de manhã, uma operação levou sete barracos e os filhos de Carolina Maria Lima, 46: uma menina de 11 anos e um garoto de 9.

“Quando cheguei, as crianças já tinham sido levadas pelo Conselho Tutelar, que disse para eu procurar a Justiça para ter meus filhos de volta. Fui ao [fórum] João Mendes duas vezes, mas um promotor disse que o processo ainda nem foi lido. Até agora [tarde de ontem] não consegui ver os meus filhos.”

Moradora de Ferraz de Vasconcelos, Carolina afirma que estava na empresa de reciclagem onde trabalha –a cerca de cem metros do acampamento– quando os garotos foram levados. “Fiquei desesperada. Eles estudam, têm documentos e não estavam fazendo nada de errado”, diz.

“Têm que ir na Cracolândia, não mexer com a gente, que não usa drogas e mantém nossos filhos na escola.”

Genaro Ferreira de Lima, funcionário do conselho que participou da ação, disse que as famílias já são conhecidas, mas não aceitam ajuda.

“Abrigamos duas crianças, e o resto fugiu. Eles [pais] usam as criancinhas para arrecadar dinheiro e ganhar cesta básica. Recebemos várias denúncias e temos autorização para fazer as ações.”

O subprefeito da Sé, Maurício Dantas, disse que essas famílias ficam nesse local para pedir dinheiro no semáforo, com muitas crianças.

“Acionei a Secretaria de Assistência Social e pedi para fazer abordagens, mas as pessoas recusaram o abrigo.”  ( abrigo ? as pessoas não são sem teto, e não podem expulsar dali, uma pq voltam e tem o direito de ir e vir, ai ficam ali, de malandragem.

ai depois do fim de ano voltam pra suas casas ou barracos sei lá, e  pior, vão fazendo filho, uma ai falou que não tem grana, mas tem 4 filhos ?)

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/12/1387693-familias-deixam-casas-e-acampam-no-centro-atraidas-por-doacoes.shtml  cliquem no link e vejam mais fotos do apocalipse.

povo tb sabe dar prejuízo ao estado, acidentes 2013 em SOROCABA passam dos milhões

 

 Os danos gerados pelos acidentes no trânsito vão além dos financeiros, pois os impactos familiar e social não podem ser ignorados. – ADIVAL B. PINTO

Mais fotos…

Os acidentes de trânsito de 2013 em Sorocaba já causaram R$ 67,589 milhões em prejuízos suportados tanto pelo Estado como pelas vítimas e seus familiares. A estimativa é feita com base em informações do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Urbes – Trânsito e Transportes e da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP-SP). Cada morte no trânsito custa R$ 150 mil à sociedade como um todo, os acidentes com feridos geram prejuízos de R$ 22.882 por vítima e as ocorrências sem vítimas têm custo médio de R$ 4.275. 

Definidos pelo Ipea, os valores, entre outros pontos, levam em consideração os gastos com resgate e remoção dos envolvidos no sinistro, atendimento médico, internação hospitalar, reabilitação das vítimas, gastos previdenciários quando do acidente resulta a invalidez ou morte das vítimas e danos aos veículos. Em Sorocaba, os acidentes com vítimas são os mais numerosos e, na cidade, somam pelo menos, R$ 44 milhões em custos no ano. 

Durante os dez primeiros meses do ano, de acordo com a SSP-SP, o trânsito de Sorocaba totalizou 81 mortes. Até outubro, o prejuízo com os óbitos no trânsito sorocabano somava R$ 12,150 millhões. Gerente de Educação para o Trânsito na Urbes, Roberta Bernardi S. Martin, explica que além dos custos com o acidente em si, remoção dos corpos e dos veículos da via e o funeral das vítimas o valor engloba ainda o pagamento de seguro e de benefícios previdenciários para possíveis herdeiros. 

Cada vítima de acidente de trânsito custa até R$ 22.882. Roberta explica que esse valor calcula os gastos com o resgate, internação hospitalar, recuperação e reabilitação das vítimas. “Esse valor não é obrigatoriamente pago pelo Estado, mas alguém arca com esses custos e quem perde é a sociedade”, comenta. A responsável pela área de Educação para o Trânsito na Urbes lembra que, segundo o estudo do Ipea, as ocorrências sem vítimas têm custo médio de R$ 4.275. 

“Nos acidentes sem vítimas são calculados apenas os prejuízos materiais”, explica Roberta. Os custos com o conserto dos veículos e avarias públicas como postes derrubados e a varrição do asfalto necessária depois de um acidente com quebra de vidros dos automóveis envolvidos. Até setembro, em Sorocaba a Urbes registrou 2.670 sinistros sem vítimas. O prejuízo foi de R$ 11,414 milhões, aproximadamente. 

Apesar do estudo considerar de forma geral os prejuízos causados pelos acidentes, Roberta afirma que a maior parte dos custos são arcados pelo Estado. “Partindo do pressuposto que os acidentes podem ser evitados, esses são recursos que poderiam ser investidos em outras áreas da saúde”, pondera. A gerente de Educação de Trânsito da Urbes afirma que, segundo dados do seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores (Dpvat) cerca de 45 mil pessoas morrem no trânsito brasileiro por ano. 

Danos visíveis e invisíveis 

Os danos gerados pelos acidentes no trânsito vão além dos financeiros, os impactos familiar e social não podem ser ignorados. Roberta lembra que grande parte das pessoas que morrem no trânsito têm até 34 anos e estão em idade produtiva. A morte repentina causada pelos acidentes ainda traz danos à saúde psicológica da família. 

“Os estudos mostram que depois da perda de um filho aumentam as chances de separação entre os casais e de haver abandono do emprego principalmente por parte da mulher”, comenta. Depressão e outras doenças psiquicas, diz, são comuns entre quem perdeu um ente querido no trânsito. Os danos sociais também podem ser apontados na perda da força de trabalho para o País como um todo. 

Apesar de não valorados monetariamente, o estudo cita também os danos invisíveis ligados aos acidentes de trânsito. Nas sequelas apontadas pelo levantamento estão os impactos do estresse pós-traumático de um acidente na pessoa vitimada e nas suas relações familiares e sociais. 

“Embora sejam de difícil quantificação, (os danos invisíveis) necessitam ser identificados e caracterizados, pois evidenciam a amplitude da violência dos acidentes. A reação pode ser vivida como uma experiência traumática dependendo das condições e conseqüências do acidente, da ocorrência de perdas de vida, da responsabilidade pela perpetração do acidente, o que aumenta a probabilidade de perturbação mental, a depender de fatores de risco ou de fatores protetores”, descreve a introdução do estudo. 

De acordo com o estudo, os indivíduos envolvidos em acidentes de trânsito, em especial nas rodovias, em condições de distanciamento físico do atendimento e do resgate, desenvolvem um quadro de co-morbidade onde a depressão e a ansiedade são as conseqüências mais frequentemente descritas entre os envolvidos. 

Os estudos do IPEA sobre o custo da violência no trânsito foram desenvolvidos em conjunto com a Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP) e tiveram o apoio do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), do Ministério da Saúde, do Ministério dos Transportes, dentre outros. Em linhas gerais, o objetivo do projeto é subsidiar a formulação de políticas públicas, programas e ações voltadas para a redução da quantidade e, especialmente, da gravidade dos acidentes de trânsito no país. 

Para o calculo, o estudo do Ipea leva em consideração a perda de produção das vítimas, danos ao veículo, atendimento médico, processos judiciais, congestionamento, gastos previdenciários, resgate, remoção e reabilitação das vítimas, dano ao mobiliário público, à sinalização de trânsito, atendimento policial, danos a propriedades de terceiros e impacto familiar. Os valores mais recentes divulgados pelo instituto são de 2006.

Trauma provoca mudança de vida aos 19 anos

Jefferson Martinez estava com 19 anos quando se acidentou na estrada que liga Sorocaba a Piedade. Sem cinto de segurança, sofreu uma lesão medular e, como consequência, perdeu o movimento das pernas. Hoje, aos 48 anos Martinez fala com naturalidade sobre o acidente mas lembra que a recuperação levou mais de três anos. “Meus pais gastaram muito dinheiro comigo. O médico orientou que eu fosse atendido no sistema particular. O carro também não tinha seguro e eu perdi o carro do meu pai”, recorda. 

Da experiência traumática Jefferson deu a volta por cima e usa sua história como ferramenta de incentivo a outros cadeirantes que têm a deficiência por diversas razões. Desde 2005 Martinez está a frente da coordenação da Associação de Deficientes de Votorantim (ADV), que hoje atende mais de 80 pessoas. “Na época do acidente eu namorava uma menina de Piedade e me acidentei voltando da cidade dela. Naquela época não tinha campanha para o uso de cinto de segurança”, lembra. 

Por conta da lesão, Martinez passou por cirurgia para colocação de uma placa de platina na coluna. “Fiquei seis meses na cama para a recuperação”, conta. A fisioterapia começou apenas um ano depois do acidente. Foram três anos de tratamento. “No começo eu pegava forte na fisioterapia, mas até que chega uma hora que a gente se convence que não vai mais andar. Daí fiquei só na manutenção em casa mesmo”, recorda. Martinez retomou a vida, adaptou-se à nova realidade e hoje, garante, tem uma vida normal. 

“Tenho uma vida completamente normal até que eu encontre alguma barreira”, diz. Há cinco anos ele voltou a dirigir e a rotina é corrida, com horários apertados. “Sou totalmente envolvido com a instituição. Conseguimos ampliar muito o atendimento e a estrutura, isso sem depender de dinheiro público ou doação. Fomos atrás”, comemora. Martinez lembra que a recuperação do acidente não foi fácil, assim como a adaptação à condição de cadeirante mas comemora o fato de ter conseguido construir uma história positiva a partir do acidente. “Se eu não estivesse nessa condição, dificilmente teria me engajado nessa causa”, finaliza.

( o povo reclama que falta verba pra isso e aquilo , como educação, saúde etc, mas nunca se da conta que tb gera prejuizos ao estado como no ex da matéria ai, final do ano ta ai, se vc beber e for dirigir não se esqueça que vc pode dar preju ao estado ta bom ?

bom senso falta em todos tb viu ?)

prefeitura de SOROCABA gasta dinheiro pra ficarem no facebook, falando bem do governo caramunzzio.

Foto: EM  BUSCA DA SALVAÇÃO!
Prefeitura investe dinheiro em Facebook patrocinando varias paginas para "tentar" reverter imagem negativa da atual gestão em Sorocaba... 
As paginas são varias, e de todo tipo todas patrocinadas... Fiquem espertos! 
Enquanto a cidade sofre, tem "gente" gastando SEU DINHEIRO para ficar no Facebook!
Fiquem espertos...
Nada Contra, se o dinheiro não fosse público!

depois da censura a página LEGITIMIDADE SOROCABANA a prefeitura vem com essa, gastar noissa grana com FACEBOOK pra falar bem da administração.

pô, basta fazer uma página e pagar melhor uns funcionários pra isso, um vai coletando fotos e fatos pela cidade , ai o outro digita e faz os textos, o bom politico, começa seu governo com ações concretas, ai ninguém tem de falar mal, e portanto não precisa ficar fazendo propaganda, pois todos verão isso.

mas com adminstrações ruins, corruptas como tem no BRASIL, ai surge esta guerra de internet , um fala mal, o outro quer censurar, ai vem com essa de crir página pra falar bem, ah tem dó.

PT quer fazer vaquinha pra ajudar mensaleiros ?

A liderança e políticos com mandatos de Sorocaba do Partido dos Trabalhadores (PT) estão dispostos a fazer uma “vaquinha” para ajudar os petistas presos e acusados de participação no mensalão a pagarem as suas multas que ainda precisam ser calculadas pela Justiça, mas é possível que somem valor próximo a R$ 30 milhões. Até mesmo a deputada federal Iara Bernardi (PT), que há 11 meses recusou que iria contribuir porque não tinha compromisso e nem participação com o que aconteceu, agora não descarta a possibilidade de vir a ajudar, mas alegando que antes isso será discutido dentro do partido. O presidente nacional do PT, Rui Falcão, disse nesta semana acreditar que haverá uma “rede de solidariedade entre a militância” para colaborar com o pagamento das multas aos condenados do mensalão. 

O ex-presidente do diretório em Sorocaba do PT, José Carlos Triniti Fernandes, disse que é favorável à contribuição e ele próprio como filiado vai contribuir. Sobre a orientação do diretório local aos demais filiados ele explicou que isso ainda não foi discutido porque não chegou qualquer orientação. Lembrou que sequer o valor exato a ser pago foi definido pela Justiça. Apesar de alegar que o tema será discutido, a deputada Iara Bernardi diz que não vê empecilho em contribuir, afirmando que já contribui co parcela significativa com o partido, ao destinar a ele de 25% a 30% do salário (subsídio) dela como deputada
.
O deputado estadual Hamilton Pereira diz que irá contribuir. No entendimento do deputado os réus foram condenados “sem provas, em um tribunal de exceção”. Afirma que diante desse fato os filiados costumam ser bastante solidários. Declarou que ele mesmo está disposto a encampar o pedido da contribuição e se Sorocaba optar em ajudar, ele vai contribuir para fazer os pedidos a todos os filiados. No entanto Hamilton Pereira afirma que a contribuição será solidária e não obrigatória.
 ( se o PT estivesse no poder aqui, arrancaria dinheirod e nossos impostos pra isso ?
 
então ó povo de SP, vai ter de contribuir com seus IPTUS , e os mensaleitos não tem grana pra pagar seus processos, DIRCEU ta vendendo uma casa sua de 1,6 MILHÕES.
 
isso é tapa na cara do povo mesmo.)

reacionários censuram página LEGITIMIDADE SOROCABANA, após denunciar custo de árvore de natal que caiu com chuva

EXISTE SIM UMA CORPORAÇÃO:
– Que tenta comprar a imprensa
– Que tenta enganar a população
– Que age de forma suja e rasteira
– Que preferem se incomodar com a verdade do que FAZER MELHOR!
– Que se incomodam com a verdade mas não com a realidade
Uma imagem onde mostrava o custo da arvore de natal (que voltaremos a postar SIM!) Mostrando o documento com o custo de R$99.980,00 foi denunciada como conteúdo sexual, por 22 pessoas.
Mafia, bandidos, covardes… Essa informação não é segredo pois esta no JORNAL DO MUNICÍPIO, jornal que muitos não leem… Hoje em dia, o medo é o que postamos aqui. Pois esta abrindo os olhos de muitos!
Estamos com quase 40.000 seguidores… 
E FAÇO OUTRA DENUNCIA…
EXISTE SIM FUNCIONÁRIOS DA PREFEITURA QUE NÃO PODEM FICAR EM HORÁRIO DE TRABALHO EM REDE SOCIAL, POIS SÃO NOSSOS FUNCIONÁRIOS… E POSSUEM PERFIS FALSOS PARA FICAR O DIA TODO TENTANDO DESFAZER INFORMAÇÕES QUE PREJUDIQUEM AS TETAS QUE MAMAM DE FORMA FAMINTA!

facebook retira página por 26 horas do ar, o motivo: 

LEGITIMIDADE SOROCABANA – BLOQUEADO –
APÓS POSTAR O VALOR QUE CUSTOU A “ARVORE” DE NATAL (quase R$ 100 mil) que veio ao chão ontem…
Page esta impedida de fazer postagens
Seu administrador Hudson Pessini, também esta bloqueado.
Segundo o Facebook essa postagem tinha conotação sexual…
De fato o conteúdo é extremamente sexual… Pois estão Fod… Sorocaba.
Estamos tentando reverter essa falsa denúncia para continuar falando o que TEM QUE SER FALADO

( o motivo da censura a página LEGITIMIDADE SOROCABANA  é este, na ultima quinta feita durante uma chuva de apenas 5 minutos a aárve de natal da praça central, foi ao chão.

após terem divulgado o ciusto de 100 mil reais desta coisa ai, as denúncias começaram, 22 canalhas alegaram que havia conotação sexual, o que fez o FACEBOOK bloquear a  página.

bem se o FACE não tem uma equipe competente pra avaliar conteúdos pra que existe ? já que bandidos, pedófilos e outros criminósos expões suas mazelas aqui com maior naturalidade sem serem incomodados e mesmo excluídos, voltam de novo.

este tipo de politica suja, covarde, que quer nos empurrar censura, não pode mais existir, aqui não é CHINA, RÚSSIA, CUBA etc.