mortes arrepiam SOROCABA , autoridades correm atras só por causa da copa.

logo pela manhã, umm triplo homicídio dentro de uma casa no Vila Nova Sorocaba – ERICK PINHEIRO

Sorocaba viveu ontem um dia sangrento com sete pessoas assassinadas e outras seis feridas em quatro atentados praticados, todos a tiros e com características de execução. Os crimes começaram a ser registrados já pela manhã com o triplo homicídio na Vila Nova Sorocaba, e no período da noite a violência se intensificou na cidade: um homem morreu e outro ficou ferido na Vila Hortência, e enquanto a Polícia Militar recebia informações de mais três pessoas baleadas no Jardim Itanguá, outras cinco também receberam tiros no Parque das Paineiras, e duas delas morreram no local e outra durante o socorro. Viaturas da Rota estiveram ontem à noite para reforçar o policiamento na cidade. Numa semana atípica, a partir de domingo foram registradas dez vítimas por assassinato, incluindo o soldado Sandro Luiz Gomes, vítima de um ataque criminoso na madrugada de domingo, quando, na Atividade Delegada, foi surpreendido durante patrulhamento na zona norte, próximo ao Jardim Paulista. 

Três homens foram executados a tiros no Jardim Nova Sorocaba na noite de segunda-feira, mas os corpos só foram encontrados ontem pela manhã, quando um vizinho avistou o portão aberto da casa de número 872 da rua Francisco Bueno de Camargo, entrou para verificar se havia algo de errado e viu os corpos estavam um ao lado do outro com tiros na cabeça, sugerindo execução. 

O triplo homicídio aconteceu 24 horas depois do duplo homicídio ocorrido no Jardim Casa Branca, que vitimou Renato Ferreira Gomes e Samuel Raimundo Soares, ambos com 26 anos de idade. A Polícia Civil não descarta a possibilidade de relação entre os casos, e acredita que a motivação dos crimes seja o tráfico de drogas. 

Os corpos de Tiago dos Anjos, 25 anos, Cleyton Alessander Ravira, 33, vulgo Véio, e Jonatas Ribeiro Gomes, 21 anos, foram encontrados por volta das 7h, mas de acordo com o mesmo vizinho que localizou as vítimas, tiros foram ouvidos na noite anterior, por volta das 23h. Entretanto, segundo ele, não foi possível perceber de que direção vinha o barulho dos disparos. 

Conforme relatado por policiais militares e civis que compareceram à cena do crime, os três homens foram mortos sentados no chão, encostados à parede da cozinha, e todos apresentavam perfurações na cabeça e tórax. Cápsulas de calibre 9 milímetros foram apreendidas no local. Do lado de fora da casa, próximo à porta, havia um cigarro de maconha. De acordo com a Polícia Técnica, os corpos foram encontrados enrijecidos, o que indica que as mortes tenham ocorrido na noite anterior. 

Moradores das proximidades e de outras localidades do bairro, se concentraram na frente da casa para acompanhar os serviços da polícia. Mas ninguém arriscava comentários sobre as vítimas, falando apenas que naquela mesma rua haveria várias “biqueiras” (pontos de tráfico) e que acreditavam que o crime pudesse ter relação com drogas. Dos três mortos, conforme o que se apurou até ontem, apenas Cleyton Ravira teria antecedente criminal, sendo inclusive procurado pela Justiça por acusação de furto, segundo informou o capitão Rogério Lima, comandante da 2ª Companhia de Policiamento. 

Um cunhado do Cleyton disse ter ouvido falar sobre os tiros tão logo chegou do trabalho segunda-feira à noite, mas que jamais imaginaria que ele fosse uma das vítimas, tanto que, ainda na noite de segunda-feira foi ao velório de um amigo. Para policiais militares, ele disse que a mãe do Cleyton havia comprado uma casa e se mudado para o Parque São Bento, e posteriormente se mudado para Piracicaba, mas que o filho não quis acompanhá-la. Uma moradora que não quis se identificar, e que mora há 11 anos no Nova Sorocaba, reclamou que o bairro não é mais um local tranquilo para se viver, e que a causa estaria no tráfico de drogas. 

O delegado Acácio Aparecido Leite, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), disse que não ignora a possibilidade desse caso estar relacionado ao duplo homicídio do Jardim Casa Branca, e que embora não descarte nenhuma linha de investigação, que uma das principais seria a de desentendimento por causa de drogas. Entretanto, ele pede a colaboração da comunidade para passar informações pelos telefones 3224-1595 (DIG) e 197 (Polícia Civil). 

Noite violenta 

Num intervalo de pouco mais de três horas, quatro pessoas foram mortas e outras seis ficaram feridas ontem à noite. O primeiro caso da noite aconteceu por volta das 19h30 na rua Assis Machado, na Vila Hortência. O aposentado Sidnei Antonio de Oliveira, 48 anos, morreu e o vigilante Valderci Inácio Cassiano, 65 anos, ficou ferido, após serem baleados pelo garupa de uma moto de cor escura, cujo modelo e placa não foram anotados. De acordo com um morador e vizinho da vítima, que residia naquela mesma rua, teriam sido disparados cinco tiros. 

Conforme o que foi apurado pela polícia, Sidnei conversava com Valderci que fazia vigilância numa obra da rua Assis Machado, quando surgiu a moto e parou próximo das vítimas. O garupeiro desceu e sacou a arma e atirou pelo menos cinco vezes, segundo um vizinho que só teve tempo de ver a moto retornando dando meia-volta em baixa velocidade. 

Sidnei, que era aposentado por conta de uma cirurgia coronária feita há três anos, ainda correu para o autoposto existente no cruzamento com a Nogueira Padilha, onde morreu ao lado de um carro que era abastecido. Foi inclusive o motorista desse carro que acionou o socorro, e conforme disse, a única coisa da qual se lembrava era do aposentado pedindo socorro. Mas surgiram versões de que além de pedir ajuda, a vítima também teria gritado “assalto”. Já o vigilante foi ferido com um tiro nas costas, ao tentar fugir da mira do atirador. Mas segundo informações policiais, não corria risco de morte. 

O delegado Acácio Aparecido Leite também compareceu a esse local de crime, mas não comentou sobre o crime. Pelo trabalho pericial, Sidnei teria sido alvejado com pelo menos três tiros, sendo dois na barriga e um no ombro. O delegado pede para que também nesse caso as pessoas colaborem por meio de denúncias. 

No Parque das Paineiras, o crime também teria sido praticado, por volta das 23h, por dois ocupantes de uma moto. Fábio Lourenço e Agostinho da Cruz Silva, morreram na calçada de uma lanchonete na esquina das ruas Jayme dos Santos e Eliza Stefano Lamos, cujo dono também foi baleado. 

Pouco antes do atentado no Paineiras, três pessoas foram baleadas na viela Santa Catarina, no Jardim Itanguá. As informações iniciais eram de que os atiradores teriam chegado a pé. As vítimas foram socorridas para o Hospital Regional, e até o fechamento desta edição, por volta de 2h, não havia confirmação sobre o estado das vítimas do Jardim Itanguá e do Paineiras.

 

( se não fosse pela copa do mundo, ninguém daria a minia pra estes casos, nem ficaríamos sabendo de alguns deles  , isso se não houver outros que não estão sendo divulgados.

agora a prefeitura e autoridades tem de correr atras pra garantir a paz nos dias do mundial )

acorda SOROCABA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s