sobrinho de ZECA DO PT, tira sarro do povo, chuva de porradas nele galera.

tinha que pegar este corno, baitola, dar uma bela de uma surra de pau, deixar pelado, e jogar num avião pra fora do BRASIL.

lixo como estes não precisamos aqui, vai tirar sarro do povo numa quebrada, quero ver se é macho pra isso.

la fora tb tem protestos contra DILMA

Em paralelo à grande mobilização contra o governo da presidente Dilma Rousseff, que acontece neste domingo (15) em diversas cidades brasileiras, o movimento Vem Pra Rua convocou protestos em vários países. Europa, América do Norte e Oceania tem manifestações programadas.

Na Europa, Londres e Lisboa devem reunir o maior número de brasileiros. Paris não tem nenhum protesto previsto. Nos Estados Unidos, as maiores aglomerações do movimento devem acontecer em Nova York e Miami. Sidney, na Austrália, também aderiu ao movimento. Na América do Sul, Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, e Assunção, no Paraguai, participam do protesto.

As convocações são feitas através da página do movimento Vem Pra Rua no Facebook e no Twitter. Como tem feito para as manifestações no Brasil, o grupo publicou fotos com os locais e os horários dos protestos no exterior.

“Dia 15/03, não só no Brasil, mas no mundo inteiro!”, diz uma mensagem publicada na página do Facebook do Vem Pra Rua. “Motivos para o dia 15/03 não faltam. Seja qual for o seu, vem pra rua. Venha demonstrar sua insatisfação com a situação atual do Brasil”, diz uma publicação no Twitter. O grupo também criou uma hashtag, #VemPraRua para endossar o movimento na internet.

Confira a lista das manifestações pelo mundo :

Europa

Bruxelas (Bélgica): 9h, na Rue du Trône, 108

Zurique (Suíça): 11h, em frente à Zurich Hauptbahnhof

Londres (Inglaterra): 12h na Trafalgar Square

Lisboa (Portugal): 15h Praça Luis de Camões

América do Norte

Miami (EUA): 12h, TorchofFriendship Bayside, Downtown Miami

Nova York (EUA): 11h, Union Square, SW Corner

Orlando (EUA): 13h, 5403 International Dr, Banco do Brasil

São Francisco (EUA): 11h, Market St, Just Herman Plaza

Vancouver (Canadá): 15h ancouver Art Gallery

© Fournis par RFI

América do Sul

Santa Cruz de la Sierra (Bolívia): 15h, Plaza del Estudiante

Assunção (Paraguai): 9h, nos arredores da Embaixada brasileira, na Avenida Mariscal López

Oceania

Sidney (Austrália): 16h, Martin Palace

conheça 3 movimentos sociais e seus ideais pra este dia 15.

São Paulo – Liberais, intervencionistas, empresários, estudantes. O perfil dos grupos que lideram os protestos contra o governo previstos para este domingo é diverso. Até mesmo oimpeachment da presidente Dilma Rousseff não é um ponto de consenso entre os movimentos. Dos três principais grupos, um – o Vem pra Rua – não defende a proposta.

Além dos três movimentos listados nesta reportagem, outros – incluindo grupos que defendem uma intervenção militar no país – também estarão nas manifestações deste domingo.

Em comum, está o fato de que eles usam as redes sociais para propagar suas ideias e a oposição ao governo Dilma. Dos três principais, todos negam envolvimento com qualquer partido político. 

Veja as principais bandeiras dos três principais movimentos: 

 Movimento Vem Pra Rua 

Dos três principais movimentos que estão por trás dos protestos de domingo, o Movimento Vem Pra Rua é o único que, por enquanto, não defende o impeachment da presidente Dilma Rousseff.

“O impeachment é um processo político e jurídico. Se você não tiver uma tese política que seja provada pelo STF e pela Constituição, você não consegue continuar o processo”, afirma o consultor Rogério Chequer, porta-voz do movimento.

Cerca de 450 pessoas estão envolvidas diretamente com o movimento em todo o Brasil, de acordo com Chequer. O grupo também não apoia a intervenção militar. O grupo defende a redução do tamanho do estado, independência dos três poderes, ética na política, reconhecimento dos crimes nas estatais.

Como se financia: Doações de membros e conhecidos.

Quanto vai gastar com as manifestações do dia 15: só em São Paulo, serão 10 mil reais.

Movimento Brasil Livre

De orientação liberal, o Movimento Brasil Livre é liderado majoritariamente por jovens na casa dos 20 anos que se uniram para organizar os protestos de novembro passado. Para o grupo, o Brasil, hoje, não vive uma democracia.

“Quando você desvia dinheiro público para parlamentares para submeter o legislativo ao executivo, você acaba com a República”, afirma Kim Kataguiri.

Nos próximos dias, os líderes do movimento pretendem entregar um pedido formal de impeachment ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). “Ainda que a Dilma não esteja envolvida, só o fato de existir um esquema dessa magnitude, já caracteriza omissão”, afirma.

Ao todo, o MBL tem 500 coordenadores em todo o Brasil que defendem um Estado mínimo, separação dos três poderes, fim dos subsídios diretos e indiretos para Ditaduras.

Como se financia: Doações de membros e conhecidos.

Quanto vai gastar com as manifestações do dia 15: só em São Paulo, serão 10 mil reais. 

Revoltados On Line

Com o discurso mais duro dos três principais movimentos e o deputado Jair Bolsonaro (PP) como ícone, o Revoltados Online tem o impeachment da presidente Dilma e do vice, Michel Temer, como sua principal bandeira.

“Ela foi negligente com o país com a refinaria de Pasadena. A outra é que é crime de lésa-patria enviar dinheiro para países como Cuba sem a aprovação do Congresso Nacional”, afirma Marcello Reis, criador da página do Revoltados Online no Facebook. Segundo ele, o governo do PT estaria implantando um regime socialista no Brasil.

© Oswaldo Corneti/Fotos Públicas

Reis defende também o fim das urnas eletrônicas nas eleições e, portanto, a volta do voto de papel; a consolidação de um regime parlamentarista no Brasil e a existência de apenas cinco partidos no país – “um de centro, direita, extrema direita, esquerda e extrema esquerda”.

Na semana passada, o Revoltados Online organizou outras duas manifestações no Rio de Janeiro e, na sexta-feira, em São Paulo. No Rio, 40 pessoas compareceram ao protesto.

Como se financia: vendendo um kit pró-impeachment (que vem com camiseta, boné e 5 adesivos) que custa  a partir de 175 reais. Em janeiro, foram vendidas mil unidades

Quanto vai gastar com os protestos do dia 15:  20 mil reais (levando em consideração os gastos com os protestos da última terça-feira e sexta-feira)

( pra mim o mais incoerente é o revoltados, pois tem como ícone  BOLSONARO ?  e extrema direita, extrema esquerda como partidos ? .

mas não apostaria em nenhum dos três, acho que temos de ter outro modelo.)

carro de professora é roubado em shopping, mas imagens só saem pra policia em 3 dias.

O resultado de uma pesquisa que demandou mais de 20 anos de trabalho e investimentos de R$ 700 mil (verba pública) corre o risco de se perder. O estudo desenvolvido pela professora Telma Darn, do curso de Turismo do câmpus Sorocaba da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) estava gravado no notebook que foi furtado de dentro do seu carro na quinta-feira no estacionamento do shopping Iguatemi Esplanada e reproduz o que a autora chama de “ressonância magnética” das potencialidades turísticas dos 644 municípios do Estado de São Paulo. O material não foi arquivado em backup ou em outro ambiente que permita sua recuperação.

A professora pretendia apresentar uma primeira versão do levantamento ao secretário do Turismo Roberto Lucena que esteve na cidade na quinta-feira. Desesperada com o acontecido, Telma Darn lembrou que sua pesquisa iria subsidiar as ações do Observatório de Turismo do Estado de São Paulo (Obtesp) que será inaugurado em maio dentro do Núcleo de Extensão, Educação, Tecnologia e Cultura da Universidade (ETC), no bairro de Santa Rosália.

Nela estão relacionadas informações, indicadores e estatísticas que dimensionam o quanto cada município pode gerar de divisas, empregos e agregar em fator de desenvolvimento. Para se ter ideia todas as cidades que fazem parte da recém-criada Região Metropolitana de Sorocaba (RMS) foram mapeadas.

O cronograma de inauguração do Obtesp não será alterado. A professora esteve à frente da mobilização que fez com que o órgão fosse instalado em Sorocaba e lamenta a falta de sorte. “Foi uma conquista para Sorocaba que será referência no campo de pesquisa para políticas públicas voltadas ao estímulo do turismo. Até por isso, vamos continuar trabalhando”, disse.

“O Observatório poderia ter ido para São Carlos ou qualquer outro lugar, mas priorizamos Sorocaba porque foi aqui que tudo se desenvolveu. O desaparecimento da pesquisa compromete muito esse processo, mas vamos continuar a batalha com disposição redobrada apesar dos transtornos”.

A pesquisadora lamenta não ter tomado medidas para manter os arquivos. O professor da Esamc, Valdinei Castelan informou que o recomendado é fazer backup do conteúdo produzido ou, ainda, usar os chamados drives virtuais, como são chamados espaços disponibilizados na internet por programas como drop box, google drive ou one drive. Outra alternativa é equipar o computador com softwares que impeçam o acesso aos arquivos.

O furto

Conforme anotado em boletim de ocorrência registrado na DPP Sul o furto aconteceu por volta das 12h30 de quinta-feira. A professora estacionou seu carro no shopping onde esteve para sacar dinheiro num caixa eletrônico. Ao retornar acionou o controle do alarme e estranhou ao constatar que nada acontecia.

Percebeu, então, que a porta do motorista havia sido arrombada e que de dentro do veículo foram levados o notebook e um data show. Ela procurou um eletricista estabelecido nas imediações do estacionamento e soube que o ladrão teria usado uma mixa (espécie de chave que destrava a fechadura). Depois disso, o ladrão retirou o fusível que faz o dispositivo funcionar e subtraiu os objetos do interior do automóvel. Esse é um procedimento comum na prática de crimes como esse.

Em nota, a assessoria de imprensa do shopping disse que lamenta o ocorrido e que se colocou à disposição da cliente e das autoridades para ajudar na solução do caso. O empreendimento dispõe de sistema de videomonitoramento e deverá, dentro de 72 horas, fornecer as imagens captadas pelas câmeras lá instaladas. Essa providência ajudará o trabalho de investigação

( quer dizer que vc matar alguém,no estacionamento do shopping, só vão descobrir quem foi depois de 3 dias ? que coisa né ?

então pra q câmeras, se não pegar em flagrante, tem de esperar 3 dias pra saber quem foi ? ah ta.)

DILMALA é vaiada em centro da construção em SP, pede pra sair meu.

 

o mais entranho é que os militontos não estavam presentes para defendê-la , ou então se poupando pra domingo ?

e vão sair de suas casas da periferia só pra ir em defesa dela e confrontar os manifestantes ? ah vai te lanche com suquinho de novo ? 

petistas são quer nem carrapato não querem sair de jeito nenhum, grudam e não largam, DILMA deveria aproveitar e ja ir pegando uma vaga em CUBA,  ou não quer ir pq os caras estão de conversinha com os EUA ? e VENEZUELA, lá nem ter mercadorias pra ela fazer suas comprinhas, como fez no URUGUAY.

bem vamos ver dia 15, afinal em futebol, cerveja pra atrapalhar.)

corpo do aposentado levado pela enxurrada em SOROCABA é encontrado.

Motorista tentou sair do carro, foi atingido por parte de árvore e desapareceu – ADIVAL B. PINTO

Mais fotos…

O corpo do aposentado Benedito Generoso Prestes Neto, 75 anos, levado pela enxurrada na tarde de ontem, foi encontrado hoje pela manhã.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o corpo estava na rua Adão Pereira de Camargo, cerca de 3 quilômetros do local onde foi levado pela correnteza, na avenida Américo Figueiredo, no cruzamento com a avenida Cecília Meireles.

Benedito conduzia um Honda Fit e tentou atravessar a ponte alagada. Ele ficou ilhado dentro do veículo por cerca de 30 minutos. Quando a água começou a subir, chegando a encobrir o carro, a vítima se desesperou e resolveu sair pela porta do passageiro, mas foi atingida por um grande tronco de árvore e arrastada pela correnteza.

O Corpo de Bombeiros suspendeu as buscas às 21h de ontem, e retormou às 6h de hoje, encontrando o corpo por volta das 8h.

inflação está corroendo o bolsa família, pois é avisamos não foi ?

Carlos Moura/CB/D.A Press

A inflação tem sufocado tanto o custo de vida dos mais pobres que nem o Bolsa Família anda salvando as contas do mês. Apesar de o benefício do governo federal ter sido reajustado em ritmo mais acelerado do que o da própria carestia nos últimos anos, a atual conjuntura econômica embaraçou de vez o orçamento das famílias de baixa renda. Estrangulada pela alta dos preços e dos juros, a ajuda criada para garantir o direito à alimentação e o acesso à educação e à saúde não consegue assegurar itens básicos da cesta de consumo, como ocorria em um passado recente.

Na última sexta-feira, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulou, em fevereiro, aumento de 7,7% em 12 meses, maior patamar desde maio de 2005. O indicador serve como parâmetro, mas não reflete o impacto real da inflação nas camadas mais pobres da população, sempre mais castigadas do que mostra a média registrada oficialmente. Os reajustes dos preços administrados, por exemplo, como os das faturas de água e luz, pesam mais sobre os lares com menor renda.

Os gastos com alimentação ilustram bem a discrepância entre os prejuízos da inflação na população pobre e nas classes média e alta. O Índice de Custo de Vida (ICV), calculado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), indica que as despesas em supermercados, bares e restaurantes representam 40% da cesta mensal das famílias de baixa renda, enquanto nas de faixa superior esse peso é de 26%.

A Estrutural, uma invasão que virou cidade a menos de 20km da Praça dos Três Poderes, reúne número significativo de beneficiados do Bolsa Família no Distrito Federal, onde o valor médio pago atualmente é de R$ 143,38. No mês passado, 86.440 famílias que vivem ao redor da capital do país receberam essa ajuda do governo. Somente em 2014, foram pagos R$ 147,6 milhões desse benefício no DF, montante 27% maior que o total investido dois anos atrás, segundo o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS).

Estrutural

Em um das dezenas de barracos erguidos lado a lado na quadra 17 da Estrutural, mora Vivaldina Rosa Teixeira , 49 anos, e os três filhos que garantem a ela o direito ao Bolsa Família. Há quase 10 anos, quando a dona de casa se cadastrou no programa, pingavam no banco todo mês R$ 180. Hoje, são quase R$ 400, mais do que o dobro, mas Vivaldina tem saudade do tempo em que começou a receber o benefício. “O que eu ganhava naquela época valia muito mais do que ganho agora”, reclama.

Há seis meses, Maria Alice perdeu o emprego de auxiliar de cozinha. Foi mandada embora porque o restaurante fechou as portas. Desde então, tem tido dificuldade para encontrar outra ocupação. “Antes, era mais fácil conseguir uma oportunidade e tudo estava mais barato”, lembra ela. Assustada com os preços no supermercado, a beneficiada diz que a situação só não está pior porque tem sido contemplada com doações de cestas básicas na igreja. “Vejo na televisão quem tem dinheiro reclamando de inflação. Imaginem nós aqui”, pontua.

( pior é os que fizeram filho só pra aumentar a renda, agora a coisa começa a arrebentar, falta de aviso não foi, avisamos que o bolsa era eleitoreiro, que o negócio ia desandar de vez 

10576836_1566936030200769_609062890_n (1) 

por isso dia 15, o jeito é ir pras ruas, senão…?