sexo com robôs, bom demais, e tem baitola que é contra.

Especialistas em ética robótica lançaram a Campanha Contra Sexo com Robôs, buscando banir o desenvolvimento de atividades e produção de robôs sexuais.

A realidade de robôs focados em proporcionar prazer está cada vez mais próxima. Brinquedos mecânicos feitos para o prazer sexual já existem, é claro, e desenvolvedores de hardware trabalham para incorporar inteligência artificial nestes produtos. Uma empresa chamada True Companion alegou estar produzindo o “primeiro robô sexual do mundo”, o Roxxxy, este ano. Apesar de questões sobre seu funcionamento e ética, o Roxxxy, cujo preço chega aos US$ 7.000, já foi encomendado por milhares de pessoas.

A especialista em ética robótica, Kathleen Richardson, da Universidade De Montfort (Reino Unido), e Erik Billing, da Universidade de Skövde (Suécia), são os cocriadores da Campanha Contra Sexo com Robôs, que busca conscientizar sobre o problema e propõe um banimento do sexo com robôs. Eles comparam a ideia a campanhas semelhantes, como a que busca limitar o desenvolvimento de robôs “assassinos”. Richardson e Billings acreditam que o sexo com robôs irá degradar o relacionamento humano e reforçar a ideia da mulher como objeto sexual.

“Acreditamos que a criação de tais robôs será prejudicial às relações entre homens e mulheres, adultos e crianças, homens e homens e mulheres e mulheres”, diz Richardson à BBC. No site da campanha, a ideia é melhor elaborada:

— Acreditamos que o desenvolvimento de robôs sexuais irá objetificar mulheres e crianças ainda mais.

— O desenvolvimento de robôs sexuais e as ideias que apoiam essa produção mostram os imensos horrores ainda presentes no mundo da prostituição, que é construído na “percepção” de inferioridade de mulheres e crianças, justificando o uso destes como objetos sexuais.

— Acreditamos que o desenvolvimento de robôs sexuais irá reduzir a empatia humana que pode ser desenvolvida apenas por experiências de relacionamentos mútuos.

A campanha rejeita o argumento que o desenvolvimento de robôs sexuais poderia melhorar as condições de trabalhadores sexuais pelo mundo, ou que existem milhares de pessoas solitárias — independente do gênero — interessadas em um companheiro robótico por inúmeras razões. Richardson também é contra o pedido da Anistia Internacional, uma organização não governamental de defesa dos direitos humanos, de descriminalizar o trabalho sexual humano.

Eu não acho que as preocupações dos especialistas sejam totalmente infundadas — robôs sexuais são um assunto para um debate acalorado — mas me parece que a campanha deveria focar mais em ajudar a estabelecer condutas razoáveis daqui para a frente, em vez de banir a produção desses robôs por completo. Esse banimento não vai acontecer, e nem deveria. Proibição raramente é uma solução.

Estamos a caminho de um futuro com robôs sexuais, independente se somos a favor deles ou não. Um banimento apenas estimularia a criação de um mercado negro de robôs sexuais que permitiria qualquer tipo de coisa. Por que não pedir por boas regras, como garantir que os robôs sejam seguros contra malware, devam aparentar ter determinada idade e estabelecer idades mínimas (maiores de 18 anos, por exemplo) para o uso destes serviços?

Existe um elemento puritano nos objetivos da campanha, e apesar de a principal preocupação envolver mulheres e crianças, ela tem um lado sexista que acredita que poucas mulheres estariam interessadas em relações sexuais com robôs. Como falaram Richardson e Billings ao Washington Post:

Perguntamos se robôs sexuais “masculinos” interessariam consumidores, e Richardson e Billing disseram que a maioria dos trabalhadores sexuais são mulheres — apesar de existir um boneco sexual masculino.

“Bem, isso provavelmente aconteceria em graus menores”, diz Billing sobre o aumento de robôs sexuais masculinos. “Certamente existem prostitutos, mas não no mesmo grau de prostitutas”.

Isso é, entretanto, uma terra de robôs sexuais ainda não descoberta, e estes dois claramente nunca viram o Jude Law ser um sedutor robô sexual em A.I. — Inteligência Artificial. Eles também não se aventuram em possibilidades de alternativas sexuais ou consideram que nossos corpos e relacionamentos possam se beneficiar de uma mãozinha robótica. Apesar do foco em um futuro avançado, estes especialistas estão presos às tradições do passado.

É impossível determinar exatamente como serão nossas vidas com potenciais parceiros robóticos no futuro. No livro Love and Sex with Robots, o autor David Levy sugere que o período em que relações entre humanos e robôs se relacionarão está se aproximando, e elas devem ser algo normal já em 2050.

Nós precisamos falar sobre o que companheiros robóticos significam e como eles se encaixam na nossa humanidade, não condená-los. A Campanha Contra Sexo com Robôs se parece muito com a brigada antipornografia, culpando o produto em vez da cultura. Em vez de demonizar o que não conhecemos, deveríamos trabalhar em propostas para que essa indústria, que ainda surgirá, seja algo seguro — tanto para humanos quanto para robôs. [BBC; Washington Post; Campaign Against Robot Sex]

( vc chega em casa depois de um dia de trabalho e en contra uma GRAZZI MASSAFERA, GISELE BUNDCHEN, versão andróide te esperando, a acasa toda arrumada e ela ainda pronta pra transar logo mais.

o mesmo pra vc mulher, um CAUÃ RAYMOND, JUSTIN BIEBER, ou BRAD PITT, ali na sua frente, fez tudo em casa e ta de coisa dura pra por em vc hehehehe.

claro que são versões androides, não de carne é osso, mas sem TPM, reclamar, dor de cabeça, barriga, vou ver futebol, sem risco de gravidez , doenças etc e ai não ta ótimo e tem gente que quer impedir isso ?)

Anúncios

mulher transa com cadáver e pasmem fica grávida dele

Uma mulher de 38 anos, que trabalha em um necrotério, foi presa e condenada a pagar uma fiança de 250.000 dólares depois “abusar” de um cadáver de um homem. O suposto crime ocorreu em um necrotério de Lexington em Missouri, Estados Unidos. A polícia acusou Felicity Marmaduke de necrofilia. De acordo com as autoridades competentes, um morto sofreu uma ereção pós morte (muito comum) enquanto era banhado pela funcionária do necrotério Marmaduke.

A mulher então, aproveitou que estava sozinha e passou ter relações sexuais com o morto. Para sua grande surpresa, o morto chegou ao orgasmo depois de alguns minutos de sexo. Algumas semanas mais tarde, ao fazer um exame médico de rotina, foi constatada a gravidez da mulher. A polícia foi notificada pelo médico depois que Marmaduke contou para ele as circunstâncias que a levaram à concepção. Em uma reviravolta bizarra, Marmaduke pretende agora processar os herdeiros do homem morto para tentar conseguir uma pensão alimentícia e apoio à criança.

É possivel ter uma ereção depois de morto?

É um tipo de ereção pós-morte que ocorre quando um homem morre verticalmente ou de bruços, permanecendo o cadáver nesta posição. Durante a vida, o bombear do sangue pelo coração assegura uma distribuição relativamente uniforme em torno dos vasos sanguíneos do corpo humano. Uma vez que este mecanismo para de funcionar, somente a força da gravidade atua sobre o sangue. Como com toda a massa, o sangue estabelece-se no ponto mais baixo do corpo e faz com que o edema ou inchamento ocorram. ( meu só vendo um vídeo disso pra saber se realmente é verdade, necrófilo existem claro, homens que transam com cadáveres de mulher , mas necrófila é a primeira vez.

e um cadáver tem ereção e goza ?  ah mas ela poderia mostrar esta criança ao nascer pra ver se será um bebê normal.)

humanos e neandertais teriam se misturados, então todos nós somos …

Pesquisa publicada nesta quinta-feira (4) na revista científica “PLoS One” traz uma nova evidência de que os humanos modernos e os neandertais tiveram filhos uns com os outros.

O neandertal era uma espécie de hominídeo que se extinguiu há cerca de 30 mil anos. Em 2010, cientistas mapearam o seu genoma, e concluíram que todos os humanos não-africanos carregam genes que eram dos neandertais.
Duas hipóteses surgiram para explicar esse fato. Uma diz que esses genes viriam de um ancestral em comum, surgido dentro de um grupo de humanos que já tivesse deixado a África. A outra afirma que houve reprodução entre humanos modernos e neandertais. Com a pesquisa publicada nesta quinta, a segunda hipótese ganha mais força.
Estátua mostra como seria exemplar de neandertal, em museu na Croácia (Foto: Frumm John/Hemis.Fr)Estátua na Croácia mostra como seria neandertal
(Foto: Frumm John/Hemis.Fr/Arquivo)
A pesquisa
A equipe liderada por Sriram Sankararaman, da Universidade Harvard, nos EUA, tentou determinar em que momento os humanos não-africanos receberam os genes dos neandertais pela última vez. O estudo concluiu que isso ocorreu entre 37 mil e 86 mil anos atrás, e “mais provavelmente” há entre 47 mil e 65 mil anos.
“Se não houvesse miscigenação recente, então esperaríamos uma data acima de 200 mil anos, porque foi quando houve a separação entre os neandertais e os humanos modernos”, explicou Sankararaman.
Os especialistas usaram uma técnica chamada desequilíbrio de ligação. Cada pedaço do nosso DNA tem um comprimento diferente. Quanto mais antiga é a sua origem, maior ele é – os pedaços que vêm dos nossos pais são os menores. Assim, os cientistas conseguiram estimar quando os genes dos neandertais foram incorporados aos humanos.
Segundo Sankararaman, além de oferecer uma evidência a mais no estudo da evolução humana, o estudo tem o mérito de mostrar o potencial desta técnica para as pesquisas na área.
“Uma questão óbvia é se essa é uma ferramenta amplamente aplicável para datar miscigenações genéticas. É uma questão que estamos explorando no momento”, afirmou. ( ai vc pergunta e dai ? dai meu amigo que esta evidência derruba de vez esta história de raça 100% pura, que toda a humanidade é composta de misturas , os cientistas afirmam isso com todas as letras.
agora resta fazer todos os 7 bilhões e uns quebrados entenderem isso de vez .) 

assim caminha a humanidade,falta de agua , falta de carne etc, veja os conflitos do futuro em 2050

Aumento dos usos diferentes da água deve causar conflitos dentro de países em todo o mundo

Aumento dos usos diferentes da água deve causar conflitos dentro de países em todo o mundo.
Apesar da quantidade de água disponível ser constante, a demanda crescente em razão do aumento da população e da produção agrícola cria um cenário de incertezas e conflito, segundo os especialistas ouvidos.
A OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) diz que a demanda mundial de água aumentará 55% até 2050.
A previsão é que nesse ano, 2,3 bilhões de pessoas suplementares – mais de 40% da população mundial – não terão acesso à água se medidas não forem tomadas.
“O aumento da demanda torna a situação mais complicada. As dificuldades hoje são mais visíveis e há mais conflitos regionais”, afirma Gérard Payen, consultor do secretário-geral da ONU e presidente da Aquafed, federação internacional dos operadores privados de água.
Ele diz que os conflitos normalmente ocorrem dentro de um mesmo país, já que a população tem necessidades diferentes em relação à utilização da água (para a agricultura ou o consumo, por exemplo) e isso gera disputas.
Problemas também são recorrentes entre países com rios transfronteiriços, que compartilham recursos hídricos, como ocorre entre o Egito e o Sudão ou ainda entre a Turquia e a Síria e o Iraque.
 

Brasil x Bolívia

O Brasil também está em conflito atualmente com a Bolívia em razão do projeto de construção de usinas hidrelétricas no rio Madeira, contestado pelo governo boliviano, que alega impactos ambientais.
Tanto no caso de disputas locais, que ocorrem em um mesmo país, ou internacionais, a única forma de solucionar os problemas “é a vontade política”, segundo o consultor da ONU.
O presidente da Agência Nacional de Águas (ANA) Vicente Andreu, que também participa do fórum em Marselha, acredita que hoje existe maior preocupação por parte dos governos em buscar soluções para as disputas.
“O problema dos rios transfronteiriços é discutido regularmente nos fóruns internacionais. Aposto na capacidade dos governos de antecipar os potenciais conflitos.”
Durante o fórum, que termina neste sábado, o Brasil defendeu uma governança global para a água e a criação de um conselho de desenvolvimento sustentável onde a água seria um dos temas tratados de maneira específica.
“A água está sempre vinculada a algum outro setor, como meteorologia, agricultura ou energia. Achamos que ela tem de ter uma casa própria para discutir suas questões”, diz Andreu.

Direito universal

Na declaração ministerial realizada no fórum em Marselha, aprovada por unanimidade, os ministros e chefes de delegações de 130 países se comprometeram a acelerar a aplicação do direito universal à água potável e ao saneamento básico, reconhecido pela ONU em 2010.
No fórum internacional da água realizado na Turquia em 2009, esse direito universal ainda era contestado por alguns países.

ONU diz que 800 milhões de pessas não tem acesso a água potavel

Os números divulgados por ocasião do fórum mundial em Marselha são alarmantes. Segundo estudos de diferentes organizações, 800 milhões de pessoas no mundo não têm acesso à água potável e 2,5 bilhões não têm saneamento básico.
Houve, no entanto alguns progressos: o objetivo de que 88% da população mundial tenha acesso à água potável em 2015, segundo a chamada meta do milênio, já foi alcançado e mesmo superado em 2010, atingindo 89% dos habitantes do planeta.
Mas Gérard Payen alerta que o avanço nos números globais ocultam uma situação ainda preocupante.
“Entre 3 bilhões e 4 bilhões de pessoas não têm acesso à água de maneira perene e elas utilizam todos os dias uma água de qualidade duvidosa. É mais da metade da população mundial”, afirma.
Ele diz que pelo menos 1 bilhão de pessoas que têm acesso à água encanada só dispõem do serviço algumas horas por dia e que a água não é potável devido ao mau estado das redes de distribuição.
Segundo Payen, 11% da população mundial ainda compartilha água com animais em leitos de rios.
De acordo com a OMS, sete pessoas morrem por minuto no mundo por ingerir água insalubre e mais de 1 bilhão de pessoas ainda defecam ao ar livre. ( durma-se com um barulho destes, faça mais filho viu tonto, e se não bastasse veja abaixo, seus filhos e netos terão de comer insetos em 2050, no programa A LIGA sobre tabus, veja TAIDE, tendo de comer insetos, preparados para consumo humano, pois faltará carne amanhã)

tempestades podem ser 3 vezes mais frequentes no sudeste do BRASIL nos proximos anos

Tempestades podem triplicar no Rio e dobrar em São PauloCom a ajuda do Instituto de Aeronáutica e Espaço e do prestigiado Instituto de Tecnologia de Massachusetts, nos Estados Unidos, os pesquisadores do Inpe estudaram as estatísticas de tempestades no Rio, em São Paulo e em Campinas e concluíram: elas já estão aumentando em toda a região Sudeste.

Se continuarem nesse ritmo, daqui a 60 anos as tempestades serão três vezes mais frequentes no Rio de Janeiro e vão dobrar em São Paulo e em Campinas. Tudo isso, segundo doutor Osmar Pinto Júnior, tem a ver com o aquecimento das águas do Atlântico. http://fantastico.globo.com/Jornalismo/FANT/0,,MUL1669469-15605,00-TEMPESTADES+PODEM+TRIPLICAR+NO+RIO+E+DOBRAR+EM+SAO+PAULO.html

( vejam no link o video da matéria toda, é galera quem avisa amigo é, depois nos chamam de ecochatos né ?)

incrivel, casal de negros tem filho loiro na INGLATERRA

   Reprodução Um casal de negros contou ao jornal Daily Mail o quão surpreso ficou com o nascimento de Daniel, um menino branco e loiro. O pai, Francis Tsibangu, admitiu: “meu primeiro pensamento foi: será que ele é mesmo meu?”. Ele e Arlette já eram pais de Seth, 2 anos, um garoto que, assim como eles, reflete as características da ascendência africana. A explicação para o caso está na genética, pois houve uma ligeira mutação, o que não significa que Daniel seja albino. Francis, que nasceu no Congo, explicou que até mesmo os médicos suspeitaram de sua paternidade. “Então olhei para Arlette e tive certeza de que o filho era meu. Estamos juntos há 3 anos e nunca houve problemas de infidelidade entre nós.
 
A certeza de que Daniel era mesmo seu filho veio quando Francis abaixou-se para beijar o menino. Nesse momento, ele pode perceber traços dele e da mulher na criança. “Ele tem o meu nariz e a boca da Arlette”, afirmou o homem ao jornal britânico.A mãe disse que a reação na sala de cirurgia foi de silêncio, todos estavam chocados, inclusive ela. “Os olhares dos médicos e enfermeiras diziam tudo: todos se perguntavam como é que eu podia ter tido um bebê branco. No entanto, como qualquer mãe que acaba de dar à luz, a minha principal preocupação era se ele era saudável”, afirmou ela.

Francis afirmou que sabe sobre as suspeitas que irão acontecer em torno da família. “Eu sei que vai existir quem diga que minha mulher teve um caso, mas eu confio nela completamente e sei que isso não aconteceu. Mesmo se ela tivesse se envolvido com um homem branco, o bebê nasceria mestiço, com os cabelos pretos, por exemplo, e não lisos e loiros como os de Daniel.”

Apesar de toda a especulação, o casal afirma que a cor da pele do menino não é o mais importante. “O que vale é que temos um filho saudável e que é muito amado”, acrescentou Francis. ( exame de DNA , ja confirmou que o bebê é dos dois, não houve troca nem traição, a genética realmente por enquanto não tem explicação neste caso.)