MARIA DA PENHA E FEMINICÍDIO não protegem a mulher

MYLENA DA SILVA BESSA, morta em NITERÓI (RJ), pelo ex ai da foto um advogado de 53 anos, que esta foragido.

O delegado Marcos Amin, adjunto da Delegacia de Homicídios de Itaboraí, Niterói e São Gonçalo (DHINSG), pediu, neste domingo (19), a prisão do advogado Gutembergue Augusto Martins Gonçalves, 53 anos. Ele é apontado pela polícia como o principal suspeito do assassinato da comerciante Mylena da Silva Bessa, de 27 anos, morta no último sábado (18), em Charitas. 

Segundo testemunhas, a vítima estava com um amigo no carro, próximo ao Clube Naval. Ainda de acordo com testemunhas, o amigo de Mylena estacionava o veículo, quando um outro automóvel que também realizava manobra para estacionar, teria, acidentalmente, batido na porta do carro em que o casal estava. Ao sair do automóvel para saber o que havia acontecido, o amigo de Mylena teria visto Gutembergue, que estaria com uma arma em punho, descendo do carro a poucos metros de onde estavam.  O amigo da comerciante fugiu correndo, enquanto Gutembergue efetuou os disparos contra Mylena, que morreu na hora. Aparentemente, a vítima teria sido seguida pelo ex-companheiro. 


Segundo a Delegacia de Homicídios de Itaboraí, Niterói e São Gonçalo, o crime teria ocorrido porque Gutembergue não se conformava com o término do relacionamento com a jovem há aproximadamente quatro meses. O suspeito foi procurado pela polícia em sua residência, mas não foi encontrado no local. Mylena deixa um filho de 6 anos, fruto da relação com o advogado. 


Comportamento


Familiares da vítima afirmaram que o Gutembergue nunca apresentou qualquer sinal de possessividade ou agressividade em relação à Mylena e sempre ligava para falar com o filho. 


O corpo da vítima foi encaminhado para o Instituto Médico legal (IML) do Barreto, em Niterói, e já foi liberado. Por meio de uma rede social na internet, a irmã da vítima informou que o enterro de Mylena será neste domingo, às 15h, no Cemitério de Irajá, na Zona Norte do Rio. 


O registro de advogado de Gutembergue Augusto Martins Gonçalves foi suspenso pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

O lutador de jiu jitsu Rafael Martinelli Queiroz, de 27 anos, agrediu a namorada antes de matar Paulo Cezar de Oliveira, de 49 anos, na noite do sábado (18), no hotel Vale Verde, em Campo Grande, ao suspeitar que ela estava grávida de outro homem. As informações constam no boletim de ocorrência registrado pela Polícia Civil.

Pouco antes de cometer o homicídio, Rafael teria descoberto que a jovem, de 24 anos, estava grávida. Ele desconfiava que o filho não era dele. Por isso, agrediu a mulher, que fugiu do apartamento onde eles estavam hospedados.


Consta no boletim que o lutador foi atrás da namorada. No caminho, arrombou um dos quartos e matou a ‘cadeiradas’ um hóspede do hotel.


Também consta no registro que a recepcionista do estabelecimento relatou ter ouvido barulhos no segundo andar e encontrou a vítima já morta no apartamento. Ela disse, ainda, que a namorada do suspeito havia, momentos antes, descido do apartamento, quando disse a funcionários que havia sido agredida pelo companheiro.


A jovem ficou escondida no local e pouco tempo depois, Rafael também desceu e entregou à recepcionista uma corrente. Ele disse que a joia pertencia ao hospede do quarto 216, que era Paulo Cezar.


No local, a Polícia Civil e a perícia técnica encontraram Paulo Cezar próximo à cama com ferimentos no rosto. Ao lado, estavam os destroços de uma cadeira, que teria sido usada para atingir a vítima. As chaves estavam na porta e a polícia concluiu que a porta foi destrancada, porém teve o trinco arrombado pelo suspeito.


Foram encontrados os documentos de Paulo Cezar e da empresa em que ele trabalhava. Foi constatado que estava a trabalho em Campo Grande e que não tinha vínculo com o casal.


Na confusão, objetos do corredor do hotel ficaram destruídos, câmeras e sensores de segurança foram quebrados, portas de inúmeros apartamentos foram arrombadas, extintores de incêndio derrubados da parede e até o forro de gesso foi quebrado.


A Polícia Civil ainda assistiu a parte das imagens das câmeras de segurança e concluiu que o suspeito invadiu o apartamento da vítima, na intenção de encontrar a namorada, que havia fugido dele. À Polícia Militar, Rafael confessou ter agredido um hóspede do hotel e disse que suspeitava tê-lo matado.


A polícia apurou que o suspeito teria ficado transtornado o com o fato de a namorada estar grávida e o filho não ser dele.  Ainda de acordo com o registro, Rafael foi algemado e já na delegacia passou de forma violenta a tentar fugir do cárcere. Foi necessário acionar o BPChoque (Batalhão de Choque da Polícia Militar. Ele foi encaminhado para o Garras (Delegacia Especializada em Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros). 

( estes dois casos mais o da funkeira e tantos outros por ai que nem sabemos, mostra que MARIA DA PENHA E FEMINICÍDIO, não resolvem o problema da mulher.

alem da lei dobre vingança pornô que vai vir por ai, privilegiaram demais a mulher em detrimento de outros grupos que tb são assassinados, isso mostra que temos leis demais , o código penal é de 1900 e bolinha, leis demais, brechas demais para advogados espertos e malandros, sem falar na corrupção, quem tem grana, paga e vai embora e o processo se arrasta ou some de vez.

e tb a midia se encarrega de sumir com os assuntos, a funkeira AMANDA, A MYLENA , a moça agredida pelo lutador  ,se tornam mais um número nas estatísticas .)

imagens da morte da funkeira podem não servir de prova contra o assassino

new caption

O vídeo que mostra o assassinato da dançarina de funk Amanda Bueno, de 29 anos, pode não servir como prova contra o acusado pelo crime, o dono de vans Milton Severiano Vieira, de 32 anos, noivo da vítima. A gravação já está em poder da polícia, mas, segundo o advogado Hugo Assumpção, que defende o acusado, as imagens foram obtidas de forma inapropriada e vazadas irregularmente na internet, o que desqualifica o material como prova no processo.

Imagens do sistema de segurança instalado na casa onde o casal morava, em Nova Iguaçu, cidade na Baixada Fluminense, mostram Amanda sendo agredida pelo companheiro, na tarde de quinta-feira, 16. A defesa do acusado pelo assassinato diz que fará em momento oportuno o pedido para que a Justiça desqualifique o vídeo como prova contra Vieira.

“O vídeo não vai poder ser usado, porque foi uma prova obtida de forma ilegal. Invadiram a casa dele e roubaram o vídeo antes que a polícia chegasse”, justificou Assumpção. 

Segundo o delegado Fábio Salvadoretti, diretor da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense da Polícia Civil, a equipe de investigadores recolheu os vídeos à noite, ao chegar ao local. Coincidentemente, funcionários da empresa de monitoramento estavam no local, pois tinham ido fazer a manutenção no sistema que Vieira mandara instalar três dias antes. “Tivemos uma facilidade porque os funcionários estavam lá”, declarou Salvadoretti, ressaltando que já havia outras pessoas na cena do crime e que o vídeo pode ter vazado de várias formas no dia seguinte, sexta-feira, 17.

O dono de vans foi indiciado por feminicídio, assassinato cometido contra mulheres em razão do gênero ou em decorrência de violência doméstica. Preso desde sexta-feira, ele foi transferido neste sábado, 18 para a penitenciária de Bangu 10, no Complexo de Gericinó, na zona oeste do Rio.

O assassinato de Amanda Bueno, ex-dançarina dos grupos de funk Gaiola das Popozudas e Jaula das Gostozudas, causou comoção nas redes sociais, onde foram postadas fotos do corpo da vítima e as imagens do sistema de segurança da casa de Vieira. Na gravação, Amanda e Vieira discutem, até que o noivo começa a agredir a dançarina. Vieira derruba Amanda no chão, bate com a cabeça da vítima e a golpeia várias vezes com uma pistola. Depois de deixá-la desmaiada, ele pega uma escopeta calibre 12 e ainda dispara cinco vezes contra a cabeça da mulher.

A polícia investiga se Vieira é ligado à milícia que atua na região e controla o transporte de vans. Segundo o advogado do acusado, todas as armas que ele possuía em casa eram registradas. Assumpção também afirmou que o dono de vans não participa de nenhuma milícia. 

Após o crime, Vieira roubou o carro do dono da firma de instalação do sistema de segurança, que tinha parado em frente à sua casa para fazer uma checagem no equipamento instalado dias antes. O acusado foi preso após capotar na Rodovia Presidente Dutra, que liga o Rio a São Paulo.

Vieira estava com a pistola e a escopeta usadas no crime, outras duas pistolas e um revólver. Ele tinha porte de armas intramuros, que só permite o uso dentro de casa.

(se as imagens foram roubadas e divulgas quem fez isso com certeza queria que o cara fosse preso e condenado, pra então assumir o negócio das vãs, pode ser um concorrente que queria o MILTON fora, ode ser isso não pode ?

fez isso pois algum policial corrupto amigo do MILTON poderia sumir com as imagens, são suposições minha mas pode ser verdade.

e o tal feminicídio pode realmente não ser suficiente pra manter o cara preso pelos próximos 30 anos, ta vendo ? não adianta privilegiar determinados grupos com leis específicas, mulheres tem o MARIA DA PENHA tb, os homossexuais lei específica de homofobia, mas não ta adiantando nada, leis demais, e brechas demais que advogados ladinos encontram, e tem a corrupção tb, o MILTON é um arquivo vivo, se for miliciano mesmo, sabe dos podres de muitos.)

funkeira assassinada pelo marido psicótico no RJ, quem arruma malandro da nisso.

Câmeras mostram marido matando dançarina de funk

RIO – Dono de vans, Milton Severiano Vieira, de 32 anos, foi preso pelo assassinato da mulher, Amanda Bueno, de 29 anos, ex-dançarina dos grupos de funk Gaiola das Popozudas e Jaula das Gostozudas. Imagens do sistema de segurança, instalado por Vieira em casa três dias antes, flagraram o crime. Vieira foi indiciado por feminicídio, assassinato cometido contra mulheres em razão do gênero ou em decorrência de violência doméstica.

Em poder da polícia, as filmagens mostram que Amanda e Vieira começaram a discutir no fim da tarde de quinta-feira, 16, na casa em que viviam em Nova Iguaçu, cidade na Baixada Fluminense. O bate-boca vira agressão. Vieira a derruba e a seguir bate com a cabeça de Amanda violentamente no chão. Depois, a golpeia várias vezes com uma pistola. A dançarina desmaia no chão. Ele pega uma escopeta calibre 12 e dispara cinco vezes contra a cabeça da mulher.

As imagens do circuito interno de segurança e fotos do corpo da dançarina foram compartilhadas nas redes sociais.

A lei tipificando o crime de feminicídio foi sancionado em março deste ano pela presidente Dilma Rousseff. O delegado Fábio Salvadoretti, da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), classificou as imagens como “cruéis a ponto de chocar até os policiais”. A polícia vai investigar se Vieira é ligado à milícia que atua na Baixada Fluminense e controla o transporte de vans.

Depois de matar a mulher, Vieira roubou o carro de um vizinho, policial militar. O criminoso chegou a disparar com a escopeta para intimidar o PM. Horas depois do crime, ele parou o Gol na Via Dutra (Rio-São Paulo), desligou o motor e apagou as luzes. Foi atingido por um carro.

Com o impacto, o Gol capotou. Preso às ferragens, Vieira estava com a pistola e a escopeta usadas no crime, além de mais duas pistolas e um revólver. Ele tinha porte intramuros, que só permite o uso de armas dentro de casa.

Segundo o advogado Hugo Assumpção, Vieira está “arrependido” e sabe que terá de “pagar pelo que fez”. O dono de vans teria “surtado” ao receber imagens pelo celular de uma suposta traição de Amanda. Assumpção negou haver ligação do cliente com a milicianos e disse que as vans são legalizadas.

Ele é uma pessoa centrada, que num momento de ira perdeu a cabeça. Ele toma remédios controlados e não poderia beber. O crime foi cometido porque várias circunstâncias infelizes se juntaram: as imagens que ele recebeu, a mistura de remédios com bebida e o porte de armas. Se fosse mais fiscalizado o acesso ao porte de armas, isso não teria acontecido. Não deveriam dar porte para quem tem surto psicopata”, afirmou Assumpção.

Vieira e Amanda já viviam juntos e ficaram noivos no último domingo, com festa para amigos. Assumpção disse que o cliente já havia tido outros surtos, mas jamais agredira a mulher. “Eles fizeram um boletim de ocorrência de mútua agressão, mas depois ela retirou a queixa.” Segundo o advogado, Vieira “sustentava” a família de Amanda – mãe e filha de 13 anos.

No Facebook, a cantora Valesca Popuzuda lamentou a morte da ex-colega. “Uma moça que teve seus sonhos interrompidos deixando amigos e família órfãos de seu sorriso e sua presença. Amanda, assim como muitas mulheres no mundo, foi vítima de violência doméstica. Existem donas de casas, advogadas, médicas que sofrem da mesma violência que Amanda sofreu. Infelizmente, o fim dela foi triste e de uma forma violenta e trágica. Fica meu respeito pela pessoa da Amanda, ficam as lembranças dos shows, as risadas nas viagens e a lembrança da garra que ela tinha em querer um futuro melhor para sua filha e sua mãe”, escreveu.

( quando o cara quer matar, mesmo que não tenha arma de fogo, vi na mão ou faca , claro que arma de fogo é mais rápida, mas realmente dar porte pra pessoa que tima remédio controlado e tem surtos , ainda tb pelo fato de supostamente ser miliciano e trabalhar com vans clandestinas.

o tal feminicídio espera 30 anos pelo menos que é pena máxima, mas nçao fica não, como eu falo, são leis demais no BRASIL, as mulheres precisam mesmo é analisar com muito mais precisão o tipo de homem que arrumam, quer gosta de cafajeste, maloqueiro, safado, malandro, corre estes riscos ai, fica a dica.)

PM coxinha detém manifestante gostosa na PAULISTA.

A jovem Jéssica dos Santos, de 25 anos, foi detida em frente ao Masp, na Avenida Paulista, durante a tarde deste domingo (12).' (Foto: Tatiana Santiago/G1)

A jovem Jéssica Basílico dos Santos, de 25 anos, foi detida em frente ao Masp, na Avenida Paulista, durante a tarde deste domingo (12). Ela tirou toda a roupa e colocou apenas uma faixa onde estava escrito “Justiça divina”. A mulher foi levada ao 78º Distrito Policial, nos Jardins, assinou um termo circunstanciado e acabou liberada por volta das 18h30.

Jessica, que se diz cristã, disse ao G1 que recebeu um chamado divino para protestar sem roupa. A detenção ocorreu na esquina das avenidas Paulista e Casa Branca. O caso é o único incidente registrado ao longo da tarde no protesto contra a presidente Dilma Rousseff.

No protesto de 15 de março, Jéssica dos Santos também tirou a roupa no ato, do alto de um carro de som. Na ocasião, ela também foi detida e liberada na sequência.

Ato na Av. Paulista
Segundo a Polícia Militar, a manifestação reuniu 275 mil pessoas às 16h, em seu pico. O Instituto Datafolha estimou o público em 100 mil ao longo do dia e 92 mil no horário de pico, também às 16h. Na avaliação de dois dos grupos organizadores, o Vem Pra Rua e o Revoltados Online, 800 mil participaram do ato em São Paulo. Para o Movimento Brasil Livre, participaram entre 750 mil e 800 mil.

Em 15 de março, as estimativas foram de 1 milhão para a PM e 210 mil para o Datafolha; os organizadores concordaram com os números divulgados pela PM e não fizeram estimativas próprias.

Os atos foram convocados por movimentos com orientação conservadora e contrários ao PT(conheça o perfil dos principais grupos).

Mulher protesta nua na Avenida Paulista, em São Paulo (Foto: Aglécio Dias/Código 19/Agência O Globo)

Mulher protesta nua e é levada pela PM (Foto: Márcio Pinho/G1)

( notem que precisa dois PMS pra segurá-la e mais um terceiro lá atras dando suporte, como se ela fosse uma traficante homicida, que papelão em policia? , quando vcs vão acordar e verem que são apenas peões sendo usados pelo estado, amanhã estes três ai vão se aposentar e ai ?

deixem a gostosa protestar.)

machões cantam mulheres nas ruas, sem saverem que eram suas mães.

GOSTOSA-RUA-MÃE

vc meu amigo machão que mexe com mulher na rua,que fala aquelas gracinhas que nenhuma delas gosta, imagine se esta mulher fosse sua mãe ?

pois no PERU, onde ocorre um alto índice de cantadas baratas  , duas mulheres , mães, toparam um desafio , se disfarçaram com roupas provocantes, perucas ,e  foram pras ruas e receberam cantadas de seus próprios filhos , imaginem a reação deles  .

vejam o vídeo, e não precisa ser fluente em espanhol pra entender .

http://sweetlicious.net/video/e-se-a-gostosa-que-voce-mexe-na-rua-fosse-a-sua-mae-48439   

 

 

game inspirado nas peladonas de PORTO ALEGRE, e apareceu mais uma heheheh

gaúcho cria jogo inspirado nas peladonas de PORTO ALEGRE. 

Inspirado nas peladas de Porto Alegre, gaúcho desenvolve jogo para celular
“Corrida Pelada! POA” pode ser baixado gratuitamente no Google Play

Aproveitando a onda de corredoras peladas na capital gaúcha, o gaúcho Cristiano Bartel desenvolveu o jogo Corrida Pelada! POA para Android. 

O game é protagonizado por uma mulher loira nua que foge de um policial. Por que ela está correndo pelada? 
Assim como na vida real, não se sabe.

Há obstáculos no caminho para atrapalhar a corredora, como mesas, carros, buracos, cascas de banana, entre outros. 

Cada vez que a mulher pula um desses empecilhos, ganha um ponto. 
Quanto mais pontos o jogador acumula, mais acelerado fica o jogo. 
São duas fases disponíveis no game: parque e cidade, que não lembram Porto Alegre, mas o que vale aqui é a brincadeira.

Caso o jogador obtenha 45 pontos, irá avançar para a segunda etapa, que acontece na Terceira Perimetral, outro ponto onde surgiu uma “peladona”. 

A ideia de Bartel é continuar atualizando o jogo, assim que surgirem novos casos de pessoas nuas correndo pelas ruas da capital gaúcha. 
 
– O jogo foi feito em 24 horas por uma pessoa só, então peguem leve com a avaliação – justifica o desenvolvedor da Auren Games na descrição do jogo no Google Play.

Corrida Pelada! POA foi disponibilizado nesta segunda-feira para download gratuito no Google Play. O joga roda em celulares Android 2.3 ou superiores. 

( deveriam fazer um bem realista, os gráficos igual aos jogos de hj, onde rolaria até sexo, a peladona se encontra com um peladão e os dois fazem um vuco vuco no meio de um matagal, ou uma construção abandonada ai simmmmmmmmmm.) 

 

 

Pela terceira vez em 11 dias, uma mulher foi flagrada pelada pelas ruas de Porto Alegre. 

Depois do Parcão e da Terceira Perimetral, o fato ocorreu perto do Palácio Piratini, no Centro Histórico.

Segundo a agência Futura Press, o fotógrafo Fernando Teixeira registrou a imagem por volta das 15h deste domingo.

Nua, apenas com boné para se proteger do sol e tênis.

 

( isso foi antes de uma tal corrida pelada, que havia sido marcada pela internet, eh deilicia, pena que no meu bairro não tem disso não.)