deputado fundamentalista Anderson Ferreira x feministas

Grupo que prepara ação pela legalização do aborto em casos de microcefalia foi o mesmo que conseguiu que Supremo autorizasse aborto em caso de anencefalia

© Copyright British Broadcasting CorporationGrupo que prepara ação pela legalização do aborto em casos de microcefalia foi o mesmo que conseguiu que Supremo autorizasse aborto em caso de anencefaliaO deputado Anderson Ferreira (PR-PE), um dos principais expoentes da bancada conservadora do Congresso, disse que apresentará nesta terça-feira um projeto de lei específico sobre abortos em casos de gestantes infectadas por zika – doença que vem sendo associada ao aumento do nascimento de bebês com microcefalia.

Em entrevista à BBC Brasil, Ferreira explicou que seu objetivo é tentar eliminar qualquer “brecha” que dê espaço para que o Supremo Tribunal Federal (STF) legalize a interrupção da gravidez nesses casos.

O movimento é uma reação a iniciativa do grupo feminista Anis, que pretende apresentar em breve ao STF uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) com objetivo de legalizar o aborto de fetos afetados por zika.

“Eu acho que o movimento feminista está indo na contramão da sociedade, aproveitando de um momento de epidemia no nosso país para fincar uma bandeira pró-aborto. Isso é inadmissível. Como parlamentar, fico indignado”, disse Ferreira – também autor da polêmica proposta de Estatuto da Família, que tramita na Câmara e busca limitar a definição de família a casais heterossexuais.

O deputado estuda propor um aumento de pena para o crime de aborto em casos de microcefalia e quer também obrigar o Estado a pagar um benefício para as famílias que tiverem um bebê afetado por zika durante a gestação.

Atualmente, no Brasil, só é permitido interromper uma gravidez em caso de risco à vida da mãe, quando a concepção foi resultado de um estupro ou quando o feto é anencéfalo.

O grupo que prepara a ação pela pela legalização do aborto em casos de microcefalia foi o mesmo que conseguiu em 2012 que o STF liberasse abortos de fetos anencéfalos (sem cérebro).

Agora, a Anis argumenta que a mulher não deve ser punida por uma falha das autoridades em controlar o mosquito transmissor da doença,Aedes aegypti, o mesmo da dengue. Além disso, também sustenta que a ilegalidade do aborto e a falta de políticas de erradicação doAedes ferem a Constituição Federal em dois pontos: direito à saúde e direito à seguridade social.

Para Ferreira, a mulher não tem direito a escolher sobre a interrupção da gravidez porque “sua vida não está acima da do feto”. E cita argumento religiosos para justificar sua visão: “Não cabe a ela escolher quem vive ou quem deixa de viver. Isso cabe a Deus”, defende.

BBC Brasil – Qual o objetivo de criar uma lei específica sobre aborto em casos de microcefalia?

Anderson Ferreira – Veja só, aborto é crime no nosso país. O movimento feminista está tentando criar uma interpretação junto ao Supremo por meio de uma Adin (para liberar o aborto em casos de microcefalia). Então, vou criar um projeto de lei que deixe claro que o caso de interrupção da gravidez na microcefalia é crime, para não deixar fresta.

Eu estou sentado com uma equipe jurídica para ter todo um embasamento constitucional nesta questão. Estamos estudando propor aumento de pena e também obrigar o governo a pagar um benefício às famílias que tiverem esse problema de uma criança com microcefalia.

BBC Brasil – Então o objetivo é não deixar brechas para que o Supremo possa de alguma forma permitir esse procedimento?

Ferreira – Isso. Por meio de uma Adin, mesmo caminho que tomaram na questão dos (fetos) anencéfalos.

BBC Brasil – O movimento feminista argumenta que é uma questão de direito à escolha. Por que o senhor acha que a mulher não deve ter esse direito?

Ferreira – Porque não cabe a ela escolher quem vive ou deixa de viver. Isso cabe a Deus. A partir do momento que você faz uma escolha como essa, no caso uma seleção dos seres humanos que vêm à Terra, o que estão querendo fazer é uma pré-seleção. Então, se a criança vai ter algum tipo de deficiência, a mãe ter o direito de interferir nessa gravidez ou não. Isso eu acho que está acima de todos nós.

Eu defendo a vida. Então, não poderia deixar de maneira alguma uma interferência do Supremo junto ao Poder Legislativo, porque somos eleitos representantes legais do povo e temos autonomia de legislar.

Acho que o movimento feminista está tomando um caminho perigoso porque hoje a grande maioria da sociedade não comunga desse pensamento, e o Parlamento também não comunga. O movimento feminista, para você buscar os direitos das mulheres, é um movimento digno, mas não poderia aproveitar de um momento como esse, um momento de epidemia no mundo, não só no Brasil, para tentar fincar uma bandeira indo de encontro com o todo o princípio da vida.

BBC Brasil -O movimento feminista sustenta que o Estado é laico e que o argumento religiosos não poderia ser usado porque não há provas da existência de Deus. É uma questão de fé individual.

Ferreira – A minha argumentação, dentro do meu projeto, em nenhum momento é uma argumentação religiosa. Eu estou defendendo com o Código Penal e a Constituição brasileira.

Defendo os meus princípios, eu sou cristão e não abro mão da minha fé. Interfere no meu caráter e nas minhas escolhas como parlamentar, mas eu defendo os meus princípios com a Constituição e com o Código Penal. Então, não é por eu ser cristão que eu estou indo na contramão da sociedade.

Eu acho que o movimento feminista, ele sim é que está indo na contramão da sociedade, aproveitando de um momento de epidemia no nosso país para fincar uma bandeira pró-aborto. Isso é inadmissível.

BBC Brasil – Há uma leitura jurídica de que uma das funções do Supremo é justamente garantir os direitos das minorias. A gente sabe que historicamente nem sempre o que a maioria crê em determinado momento é o certo. A escravidão já foi permitida, por exemplo. Não pode haver uma evolução de entendimento?

Ferreira – É que essa evolução de entendimento tem que ser feita nas devidas casas. Só cabe ao Legislativo elaborar leis que regem a sociedade, e ao Judiciário cabe interpretar o que é constitucional.

BBC Brasil – O movimento argumenta que o Estado não está sendo eficiente no combate ao mosquito e está deixando as mulheres numa situação vulnerável, que lhes causa sofrimento. O senhor não se sensibiliza também com a condição das mulheres?

Ferreira – Tanto nos sensibilizamos que estamos acolhendo dentro do nosso projeto a previsão de um benefício que possa dar assistência a esse tipo de família. Mas eu não posso ser um assassino para querer tirar a vida por conta que nasce com esse tipo de problema.

BBC Brasil – Outro argumento do movimento feminista é essa questão de que, na prática, quem tem uma renda mais alta consegue fazer aborto no país e que a criminalização prejudica principalmente as mulheres mais pobres.Muitas morrem ao fazer procedimentos inseguros.

Ferreira – Se tem dinheiro para fazer clandestino, está sendo um criminoso. O aborto é crime. A gente não pode entrar nesse mérito. Então vão dizer: “olha, cocaína é crime, mas tem quem use cocaína porque é o valor de uma droga cara”. Então por isso vai liberar a cocaína? Não tem muito sentido.

A obrigação do governo é dar assistência a essas famílias, obrigação de governo não é matar. A gente vai voltar aqui à época de Hitler, para fazer a seleção de um ser humano que tem que formar a nossa sociedade?

BBC Brasil – Mas o movimento feminista não trata a questão como eugenia, mas como direito à escolha da mulher sobre o seu corpo e sua vida.

Ferreira – Mas como eu posso ter a escolha de tirar a vida de outro ser humano?

BBC Brasil – Na visão desse movimento trata-se de um potencial de uma vida, que ainda não está desenvolvida.

Ferreira – Há casos de adoções. Você não tem obrigação para criar essa família. O que eu não posso é comungar com uma linha de raciocínio de um movimento feminista de dizer que o direito à vida da mulher está acima de outra vida. Então, se tem um vizinho que me incomoda, eu não posso conviver com ele, eu vou matar ele porque o meu direito está acima de todos?

BBC Brasil – Mas o vizinho tem uma vida autônoma fora do corpo da mulher. É totalmente diferente de um feto.

Ferreira – Sim, mas eu não tenho um convívio dentro de uma sociedade? Então quando a criança nascer, que ela possa ter o direito de adoção. Ela não é obrigada a criar, se ela não quiser. Agora, para ela criar ela teria que ter uma ajuda do Estado. É isso que eu estou propondo.

( meu caro deputado pq mulher rica não é punida então se fizer aborto pq tb corre risco de ter um filho com microcefalia ? h ele tem dinheiro, poder então pra ela não da em nada, só pobre que toma na tarraqueta, seria essa sua resposta ?

agora vejamos, já trabalhamos pra pagar bolsa família( esmola) pra muitos ai, teremos de pagar ajuda para mulheres que tiveram bebês com micro ? ajuda do estado com nossos impostos ?   

pq o senhor não propõem que seja liberado vasectomia e laqueadura sem limite de idade e vantagens pra quem evitar filho então, já que é contra aborto ? DNA público pra facilitar na caça aos irresponsáveis que fazem filhos e pulam fora .

se o pobre ver que terá muito mais vantagens se não fizer filho ele vai querer deputado, quem não quer mais vantagens ?

mas não , prefere manter o machismo travestido de religião pra continuar sub-julgando as mulheres .)

vereador CRESPO chama gays de anormais e ateus de ignorantes

 O comentário em uma rede social de um vereador de Sorocaba (SP) se referindo a classe LGBT como “anormais” repercutiu nas redes sociais nesta quinta-feira (25). A polêmica teve início quando o parlamentar José Crespo (DEM) respondeu um comentário de uma internauta, integrante de um movimento que defende a classe LGBT. O tema surgiu após a votação do Plano Municipal de Educação (PME) que estabelece metas e estratégias para os próximos dez anos. Na ocasião, Crespo afirmou: “os GLBTTTT, como se auto-denominam, merecem ser respeitados e gozar de todos os direitos civis, mas são pessoas anormais”.

Em entrevista ao G1, Crespo confirmou suas declarações e se defendeu: “Anormal é simplesmente aquilo que destoa do ‘normal’. Muitos me apoiaram nas redes sociais e, como cristão, devo defender os meus valores. Antes de ser político, sou cristão e não abro mão disso. Não me arrependo, não me divirto e nem me estresso.  Um agente público deve enfrentar polêmica, eu mesmo não fico em cima do muro.” 

A postagem foi excluída da internet e, segundo o vereador, não foi ele quem tirou, mas sim uma internauta que estava inserida na discussão. “Ela foi honesta e retirou a postagem e até gostaria que ela voltasse isso, pois o debate deve ser mantido”, finaliza o vereador.

Vereador de Sorocaba chama LGBTs de 'anormais' em rede social (Foto: Carlos Dias/G1)Postagem foi feita pelo vereador José Crespo
(Foto: Carlos Dias/G1)

Câmara se pronuncia
Em nota, a Câmara de Vereadores informou que, em relação a debates ocorridos entre o vereador José Crespo e munícipes na página do parlamentar numa rede social, o presidente da Câmara Municipal de Sorocaba, vereador Gervino Cláudio Gonçalves, o Cláudio do Sorocaba I (PR), afirma que tomou conhecimento do assunto através da imprensa e nesta sexta-feira, 26, de posse do conteúdo da conversa, irá se reunir com a Secretaria Jurídica da Câmara para saber se houve algum tipo de quebra de decoro por parte do parlamentar.

Quanto ao fato de José Crespo ser o presidente da Comissão de Ética da Casa, Cláudio explica que os membros das comissões são responsáveis por eleger seus presidentes, sem que haja qualquer interferência do presidente do Legislativo.

( senhor CRESPO, perto de sua casa deve ter um salão de  cabeleireiros  onde deve ter um homossexual  trabalhando, que paga água , luz, IPTU, ou seja ser salário .

então se este homo levanta cedo, abre seu salão, trabalha até tarde, pra embelezar as mulheres é anormal para o senhor ? o  mundo não é um padrão único, as pessoas não são robôs pra se comportarem todas iguaizinhas, não interessa se são minorias, tem seus direitos e pronto e não falo apenas de gays, mas de índios, mulheres, sem teto, favelados etc.

países onde o estado é laico e a religião sabe ser correto lugar são os que vão pra frente, e não aqui que os grupos religiosos quem tomar o poder e impor seus dogmas e interesses.

o senhor tb diz que ateu é burro ? ai no meio politico tem ateu, religioso , hétero e homo enrustido, o senhor sabe a vida privada de cada um de seus colegas ? na hora de ferra com o povo e receber seu altos salários, ah ai é todo mundo, seja ateu, religioso, macho ou gay, afinal grana não tem preconceito, vai em todos os bolsos.

e pra terminar gay, ateu,tb vota , inclusive alguns eles devem ter sido seus eleitores, ano que vem o senhor quer votos, não tem medo né ? deve ter seus curral eleitoral formado por cristãos héteros não é ? e vai saber se este cristão ai do seu lado realmente é cristão e é macho ou fêmea de verdade.

o povo quer comida, emprego, saúde, segurança, educação, não ta preocupado com preferências dos outros.)

gremista PATRICIA MOREIRA, a bode expiatório do sul

até o presente momento somente ela ta sendo julgada, se deixou levar pela torcida quetava xingando o goleiro, mas a câmera somente registrou sua imagem, poupando os demais, o resultado todos já sabem.

PATRICIA foi eleita bode expiatório de tudo, tirar o GRÊMIO é fácil, queria ver fazerem isso com CORINTHIANS , FLAMENGO, SÃO PAULO etc do RJ E SP, só pq é time do sul ?

pegarem PATRICIA pra saco de pancada é fácil, aquele ator da GLOBO ,que foi preso no RJ meses atrás acusado de assalto, ficou 15 dias preso, alguém o defendeu, os policiais foram achincalhados pela população revoltada ?

este semana teve um senhor e seu filho tb negros sendo acuados na rua por policiais, acusados de furto em uma loja, todos apenas assistiram e depois cada um na sua .

PATRICIA errou, pede desculpas, até se encontrar com o goleiro aranha, mas e os outros ?

aguardamos que a  cara de todos os envolvidos tb seja mostrada, ou vai ficar só a cara da PATRICIA mesmo.

e notem que a mídia não fala mais do avião do EDUARDO CAMPOS, belo desvio de assunto né ?

policia investiga falsos deficientes em jogos da copa, tb no pais da malandragem né ?

De um lado, a escassez de ingressos comuns oferecidos pela FIFA. Do outro lado, o grande número de ingressos especiais sobravam nas bilheterias. Os ingressos especiais contemplam deficientes, cadeirantes, obesos, pessoas com mobilidade reduzida, estudantes e idosos. Além do grande número desses ingressos, os mesmos também eram vendidos a preços menores do que os ingressos comuns.

Esta situação acabou gerando uma série de acontecimentos duvidosos dentro do estádio, tais como torcedores com aparência de trinta anos portando ingressos para idosos, carteiras de estudante falsas e até mesmo cadeirantes que se levantavam durante comemorações nas partidas.

A 32º DP Itaquera reuniu cerca de vinte e duas imagens de circuitos internos e dez imagens fornecidas por torcedores que presenciaram as cenas inusitadas e vem investigando o caso desde então.

 

( no pais do jeitinho vc quer o que ? onde idoso, deficiente, mulher, criança, gays etc não são respeitados, uma vaga pra deficiente não é respeitada vc esperaria o que ? 

ou será que os estádios agora estão operando milagres, olha ai pastores VALDEMIRO, SOARES E e cia, tão roubando fiéis de vcs.)

PAPA e manifestantes RJ 40 graus.

No primeiro dia da visita do papa Francisco ao Brasil, manifestantes promoveram diversos protestos no centro do Rio de Janeiro. Pedindo mais liberdade pela mulheres e criticando a interferência da religião no governo, mulheres tiraram a roupa em manifestação.

 
 
 
Manifestantes tiram a roupa em protesto de mulheres no Rio. Foto: Uanderson Fernandes / Agência O Dia
1/4
 

Um beijaço gay ocorreu em frente à Igreja Nossa Senhora da Glória, no Largo do Machado, na zona sul. O grupo tomou conta das escadarias da igreja, que momentos antes estavam ocupadas por peregrinos da Jornada Mundial da Juventude . Com cartazes como do “Papa eu abro mão, quero mais dinheiro para saúde e educação”, os manifestantes protestam contra gastos públicos com a vinda do papa ao país.

O protesto reúne diversos grupos, como de estudantes, integrantes do movimento LGBT (lésbica, gay,bissexual, travesti e transexual) e pessoas com bandeiras de partidos políticos. Policiais do batalhão de choque e da Força Nacional de Segurança acompanham os protestos a distância ( é o direito, democracia é isso, ou o PAPA esperava encontrar 100% de adesão aos dogmas da igreja ? 

quem critica a manifestação é pq deve obedecer ao sistma cegamente sem questionar, deve estar com a vida boa, ou apenas se conforma e aceita o que lhe é imposto, e se outros tb protestassem ? índios, deficientes, sem teto etc , tb seriam criticados ?)

militares femininas são punidas por fotos em ISRAEL ( gayyyyyyyyyysss)

militares femininas do exército de ISRAEL foram punidas por causa destas fotos  , agora ninguém mais pode usar rede social enquanto estiver em serviço, esta não é a primeira vez, já houve casos semelhantes antes em que homens tb foram punidos por fazer gracinhas na web.

pô na boa, pais de baitolas, que só ficam procurando guerra com os outros, deixa a  mulherada desestressar um pouco caramba , mas tb colocar fotos na internet da nisso, sempre tem algum veado pra denunciar, uma recalcada pra denunciar e por ai vai.