segundo homem, atirador da boate gay de ORLANDO seria uma biba enrustida, matou por vingança, a louca

  • Homem disse ter encontrado Mateen entre 15 e 20 vezes; eles teriam se conhecido em um aplicativo gayHomem disse ter encontrado Mateen entre 15 e 20 vezes; eles teriam se conhecido em um aplicativo gay

Um homem que não teve o nome revelado e pediu disfarce no rosto disse, em entrevista à TV Univisión (emissora latina dos EUA), que foi amante de Omar Mateen, atirador que matou 49 pessoas na boate Pulse, em Orlando.

No depoimento, ele afirma que Mateen não cometeu o ato por terrorismo, mas sim por vingança contra os porto-riquenhos.

O suposto amante revelou uma história contada pelo atirador a ele: em uma relação sexual com dois porto-riquenhos, Mateen teria descoberto que um deles era portador de HIV.

O entrevistado completou declarando que a esposa do atirador sabia que ele era gay e que mantinha o casamento com ele por fachada.

De acordo com o depoimento, Mateen e o entrevistado se conheceram por meio de um aplicativo gay e se encontraram entre 15 e 20 vezes.

( só investigar o aplicativo e pronto, ta confirmado o que já estavam falando , o cara não saia do armário, por causa da religião, família, seu pai o xingando de ser gay, e um casório de fachada.

por seu um mal resolvido , 50 pessoas que nada tinham a ver com isso pagaram com a vida

onça é assassinada por causa da tocha olímpica em MANAUS

 

Onça mascote do Exército foi morta com um tiro de pistola após avançar sobre soldado; ela havia sido acorrentada e apresentada ao público durante cerimônia

A morte de Juma, a onça que participou de uma cerimônia com a tocha olímpica em Manaus, revela o drama de uma espécie ameaçada de extinção e gera questionamentos sobre a manutenção de animais selvagens em centros do Exército na Amazônia.

Juma foi abatida com um tiro de pistola no Centro de Instrução de Guerra na Selva (Cigs) logo após ser exibida no evento olímpico. Como outra onça, apelidada de Simba, ela havia sido acorrentada e apresentada ao público durante a cerimônia.

O Exército mantém várias onças em cativeiro na Amazônia. Os felinos – bem como animais de outras espécies – costumam ser adotados pelo órgão ao serem encontrados em cativeiro ou em poder de caçadores.

Muitas onças, como Juma, se tornam mascotes dos batalhões e passam por sessões de treinamento.

Em Manaus, os felinos são presença frequente em desfiles militares, prática condenada por biólogos e veterinários.

Em 2014, durante gravação de um documentário em Manaus, militares do Cigs mostraram Juma, a mascote do centro, à BBC Brasil. Na época, explicaram que a onça havia sido resgatada com ferimentos após sua mãe ter sido morta. Foi levada para o centro e ali cresceu sob os cuidados de tratadores.

O destino trágico de Juma chama a atenção para a situação cada mais precária da espécie, listada como ameaçada no Brasil pelo Ibama em 2003.

É um animal que exige extensas áreas preservadas para sobreviver, caçando espécies como capivaras e até jacarés. Ela vem sendo ameaçada pelo desmatamento, não apenas na Amazônia como também no Pantanal e no Cerrado, para abrir espaço para a expansão da atividade agropecuária.

Tiro de pistola

Em nota enviada ao site da agência local de notícias Amazônia Real, o Comando Militar da Amazônia (CMA) diz que, após a solenidade olímpica na segunda, Juma escapou dentro do zoológico do centro do Exército. O órgão afirma que um grupo de veterinários e militares tentou recapturá-la com tranquilizantes, mas que, mesmo atingido, o animal avançou sobre um soldado.

“Como procedimento de segurança, visando a proteger a integridade física do militar e da equipe de tratadores, foi realizado um tiro de pistola no animal, que veio a falecer”, diz o órgão.

Segundo o Amazônia Real, dois militares seguravam a corrente presa a Juma durante todo o evento. O site diz que muitas pessoas tiraram fotos com a onça na cerimônia. Ela teria fugido logo após a exibição, quando militares tentavam colocá-la numa caminhonete.

O Exército diz que abriu um processo administrativo para investigar a morte do felino. Segundo o Amazônia Real, o Instituto de Proteção Ambiental do Estado do Amazonas (Ipaam) não havia autorizado a participação de Juma no evento e poderá multar a corporação.

Indomesticável

Para João Paulo Castro, biólogo com mestrado em comportamento animal pela Universidade de Brasília, Juma pode ter fugido após se estressar durante o evento:

Não é saudável nem recomendável submeter um animal a uma situação como essas, com barulho e muitas pessoas em volta. Muitas vezes a onça já vive numa situação precária e estressante no cativeiro, o que é agravado num cenário de agitação

Castro diz que muitos batalhões do Exército na Amazônia mantêm onças em cativeiro. Ele afirma ter visitado um centro que mantinha um felino em Cruzeiro do Sul (AC) em condições “bem toscas”.

Segundo Castro, é um erro tratar onças como animais domesticáveis. Ele afirma que são necessárias várias gerações em cativeiro para que uma espécie se acostume a conviver com humanos.

O biólogo diz que, idealmente, onças apreendidas devem ser devolvidas à natureza ou levadas a refúgios, onde possam ficar soltas em amplos espaços.

Segundo ele, a soltura de felinos é um processo complexo, mas há casos bem sucedidos pelo mundo – como o de tigres devolvidos a florestas na Ásia.

Horas antes da morte de Juma, a BBC Brasil pediu ao Exército detalhes sobre a manutenção de animais selvagens em dependências do órgão na Amazônia. Não houve resposta até a publicação desta reportagem.

Um veterinário de Manaus que já trabalhou com o Exército e pediu para não ser identificado defendeu o órgão das críticas. Segundo ele, ao cuidar de animais resgatados, a corporação assume uma função que deveria ser de outros órgãos públicos.

Ele diz que os militares são muito cuidadosos com os animais e que a burocracia impede que muitos sejam devolvidos à natureza.

O veterinário afirma ainda que grande parte das onças resgatadas chegam ao órgão ainda filhotes e se tornam dependentes dos cuidadores, o que torna difícil sua soltura.

( virou festa do caqui, e ainda tem noia que quer intervenção militar nesta pocilga aqui, a onça escapou como ? não tinha ninguém pra vigiar ? tranquilizante não funcionam direito ?

a ai assassinam o animal, deixasse ela quieta na jaula, por causa desta merda de tocha.)

falsos motoristas de UBER circulam por SP, se liga mulherada

Acostumada a pegar Uber há cinco meses em São Paulo, a dentista Yumi Sasaki, 26 anos, quase entrou em uma enrascada ao embarcar em um carro de um falso motorista do aplicativo. O susto ocorreu na noite de quarta-feira (18), na Liberdade, região central.

O homem rodou com ela por cinco minutos, até que a dentista percebeu o risco e desceu do veículo quando ele parou no semáforo. Já a advogada Janaina Galvão, 31, percebeu a farsa antes mesmo de embarcar e conseguiu se livrar do homem (leia no depoimento ao lado).

Yumi contou ter pedido o carro depois que saiu do trabalho e ficou na porta do prédio, mexendo no celular e olhando para a rua no intuito de saber se o carro estava chegando. O veículo que apareceu no aplicativo era um Honda Civic na categoria UberX, a qual disponibiliza automóveis mais básicos e não fornece a cor deles.

Em um determinado momento, um carro, que ela acredita ter sido um Renault Sedan chegou. O motorista baixou o vidro e perguntou: “É Uber, Uber?”. A dentista disse que sim e entrou. 

Dentista passou por momentos de tensão / Arquivo pessoal 

De inicio, ela percebeu que algo estava errado porque não apareceu o endereço que ela ia na tela do  celular do motorista, que fica no para-brisa.  “Ele logo foi falando que era seu primeiro dia como se estivesse justificando o fato do endereço não ter aparecido automaticamente”, disse.

Após rodar dois quarteirões e ainda achando estranho, Yumi recebeu uma ligação do verdadeiro motorista do aplicativo  para saber onde ela estava. Neste momento, ela começou a  pensar em um jeito de sair do carro. “Eu ainda perguntei para ele se realmente era eu que ele deveria ter pegado e ele disse que sim. A princípio não achei que estava fazendo aquilo por mal e que poderia ter acontecido um engano”, disse.

Porém, quando o falso motorista respondeu que era ela mesma, a dentista aproveitou que o carro estava parado no farol e em uma atitude desesperada, saiu do veículo. “Eu fiquei  nervosa e com medo. Não sei o que poderia ter acontecido. Minha sorte é que eu consegui puxar o pino da porta”, explicou.

Após o episódio, ela voltou para seu endereço de origem e entrou no  carro original. “Eu contei para o motorista e ele disse que eu preciso ficar atenta na placa e modelo e essa é minha dica para outras pessoas”.

O delegado Milton Toschi Júnior, do 51º DP (Rio Pequeno) disse que os falsos motoristas podem responder por falsidade e alertou os usuários. “Cautela sempre, checar a placa, modelo do carro e ficar atenta porque tem pessoa de boa fé que não imagina que no local pode ter um bandido”, disse.  

Depoimento

Janaina Galvão, 31 anos, advogada

“Não sei o que ele poderia ter feito”

Depois de trabalhar 14 horas na quarta-feira, resolvi pedir um Uber. Meu emprego é no Itaim Bibi (Zona Oeste) e, por mais que tenha bares, acho deserto. No aplicativo veio que o motorista estava em um Hyundai HB20.

Em um determinado momento, chegou um carro e o motorista perguntou: “Você pediu Uber?” Como estava escuro, não consegui ver o modelo do veículo, mas parecia ser mais chique do que um HB20 e estranhei. Eu disse para ele que o automóvel era outro e ele disse que tinha trocado e o aplicativo não atualizou. Resolvi perguntar o nome e, após gaguejar, me disse um nome diferente do motorista que eu estava esperando.

O homem disse que queria me conhecer melhor e iria me levar para onde eu quisesse porque era linda e parecia que iria tentar sair do carro quando gritei e ele saiu. Eu fiquei em choque. Não sei o que ele poderia ter feito comigo. Não acho que iria me sequestrar. Também não sei se a intenção era fazer algo ou só queria ter feito uma cantada de péssimo gosto.

Graças a Deus eu consegui perceber. Não vou deixar de usar Uber nem táxi por causa disso. Já usei o Uber cinco vezes depois disso. O conselho que dou é para a pessoa não falar seu nome nem do motorista e conferir a placa. O verdadeiro motorista me disse que não existe isso de trocar o carro e não atualizar o sistema. 

Advogada Janaína percebeu o falso motorista, gritou e conseguiu fugir/ Arquivo Pessoal 
Resposta Do uber

Aplicativo disse para usuário reforçar a atenção

A assessoria de imprensa do Uber disse que quando o passageiro chama um motorista pelo aplicativo, de imediato já aparece para o usuário o nome do motorista, foto de identificação, modelo e placa do carro. O aplicativo disse ser importante que os usuários fiquem atentos a essas informações antes de embarcar na viagem.

Na resposta ao DIÁRIO, o Uber disse que vale lembrar que, para se cadastrar para usar o aplicativo, os motoristas parceiros precisam ter carteira de motorista com licença para exercer atividade remunerada e passam por checagem de antecedentes criminais nas esferas federal e estadual.

Ao chamar um Uber, é possível acompanhar o trajeto dele até a chegada no ponto inicial, permitindo que o usuário aguarde a chegada do carro em segurança. Ao longo do trajeto é possível compartilhar a sua localização e o tempo de chegada em tempo real com quem o usuário desejar.

( de fato a pessoa já deveria até xsaber a cara do motorista pelo aplicativo, pra conferir na hora se é o mesmo, este UBER ainda vai dar muita dor de cabeça, pode esperar.)

GENOINO esta livre de vez, toma BRASIL

  • Genoino obteve o benefício com base no indulto natalino decretado por Dilma

    Genoino obteve o benefício com base no indulto natalino decretado por Dilma

O STF (Supremo Tribunal Federal) extinguiu nesta quarta-feira (4) a pena do ex-presidente do PT José Genoino, condenado por corrupção ativa no processo do mensalão.

A decisão foi tomada por unanimidade e teve como base o indulto natalino decretado pela presidente Dilma Rousseff em dezembro de 2014. Em 2012, Genoino foi condenado a quatro anos e oito meses de prisão e cumpria parte de sua pena em regime domiciliar.

Em dezembro de 2014, a presidente Dilma assinou decreto de indulto natalino que previa o perdão a todos os condenados do país que estivessem cumprindo pena em regime aberto ou em prisão domiciliar.

O benefício só poderia ser concedido se ainda faltassem até oito anos para o cumprimento total da pena. Desde agosto de 2014, José Genoino cumpria sua pena em regime de prisão domiciliar.

O petista é agora um homem livre. Ele poderá dormir fora de casa, votar, frequentar bares e não precisará mais comparecer periodicamente à Justiça.

Apesar da extinção da pena, porém, Genoino não poderá voltar a disputar cargos eletivos imediatamente já que renunciou ao mandato de deputado federal em dezembro de 2013 para evitar a cassação. Segundo a Mesa Diretora da Câmara dos Deputados, ele só poderá voltar a disputar cargos eletivos em 2023.

No último dia 25 de fevereiro, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deu parecer favorável à extinção da pena de Genoino por considerar que o ex-parlamentar se enquadrava nos critérios previstos no decreto.

O relator da ação penal 470, do caso mensalão, ministro Roberto Barroso, decidiu pela extinção da pena e submeteu sua decisão ao plenário do STF. Dos nove ministros presentes à sessão, todos votaram a favor do perdão da pena de Genoino.

Segundo julgamento no Supremo, o mensalão foi um esquema de corrupção em que agentes do governo federal recebiam apoio no Congresso Nacional para votações de interesse do Executivo por meio de pagamentos mensais a partidos e políticos.

O caso terminou com 37 pessoas condenadas entre políticos e empresários. Entre os políticos condenados estão o ex-ministro chefe da Casa Civil José Dirceu, o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares e ex-presidente do PR Valdemar Costa Neto.

( imagina se voltasse a disputar cargos, o povo bunda votava nele de novo, mas soltaram o homem agora em que o povinho banana nanica ta de bunda pra cima nas praias e ja bebendo por conta do fim de ano.

AH BRASIL.) 

bandoleiros do MST agridem manifestantes em BRASILIA, ditadura em marcha

Na tarde desta quarta-feira (28) integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MTST) cercaram o acampamento do Movimento Brasil Livre (MBL), grupo pró-impeachment de Dilma.

O MTST alega que deseja acampar no mesmo local. Houve confusão, integrantes do MTST partiram para agressão e uma mulher foi acusada de perfurar membros do MBL.

O acampamento no gramado do Congresso Nacional teve autorização do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB). Parlamentares petistas querem que o grupo seja retirado, alegam que a autorização precisa ser do presidente do Congresso Nacional, Renan Calheiros.

Ontem os manifestantes abriram uma faixa com o dizer, Fora Dilma, durante sessão deliberativa no plenário da Câmara. O líder do PT na Casa, Sibá Machado se exaltou e ameaçou, “eu vou juntar gente e vou botar vocês para correr, daqui da frente do Congresso, bando de vagabundo. São vagabundos. Vamos para o pau com vocês agora”. Coincidência ou não, nesta tarde o MTST apareceu no local (assista aos vídeos). Procurada a Polícia Militar do Distrito Federal disse que não houve nenhuma ocorrência no local.

( vejam ai nos vídeos como ta a coisa em BRASILIA, militontos do MT agridem  os manifestantes acampados, pra vcs verem a real democracia onde tá, ACORDA POVO, querem calar sua voz , daqui a pouco vc não pode reclamar de nada mais, é uma nova ditadura em marcha)

MYRIAN RIOS x sexo anal,ela quer que vc pare de dar.

imaginem se ela e aquela outra louca SARA SHIVA  ( filha da BABY DO BRASIL), que deu mais que chuchu na cerca,que fica pregando virgindade para trouxas se juntassem .

seria o caos geral, DONA MYRIAN na boa , pq não se preocupa com gravidez na adolescência , precoce heim ?paternidade , maternidade irresponsável que assola este pais , vou dar pra senhora um ex  

https://www.facebook.com/Tinhoso/videos/1118539528157755/?pnref=story   

 
da uma olhada neste link ai e para de se preocupar com o rabicó dos outros tá ? pelo menos atras não engravida .
 
 
a senhora deveria experimentar.