RIO GRANDE DO NORTE vive o caos,como em SP 2006, pais de bananas da nisso

Cidades do Rio Grande do Norte registraram na madrugada desta segunda-feira (1º) a terceira noite seguida de ataques criminosos em Natal e no interior do Estado. Além dos novos atentados registrado pela polícia, 14 presos fugiram do Centro de Detenção Provisória (CDP) da Ribeira, na Zona Leste da capital.

De acordo com o G1, a instalação de bloqueadores de sinal de telefonia móvel na Penitenciária de Parnamirim, na Grande Natal, seria um dos motivos do terror promovido pelos bandidos.

Sobre a fuga, os presidiários escaparam por um buraco dentro do banheiro da cela 1. A polícia só conseguiu capturar um dos bandidos que escaparam até o momento. O número de presos que fugiram no RN em 2016 subiu para 288 após essa fuga.

Na terceira noite de ataque os bandidos incendiaram três motos e dois carros no anexo da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU), além de tentarem atear fogo no Grupamento de Busca e Salvamento do Corpo dos Bombeiros do bairro de Lagoa Seca.

Os criminosos também fuzilaram uma agência do Banco do Brasil. Além disso, a vegetação do Morro do Careca, na praia de Ponta Negra, foi incendiada. E os ataques não pararam por aí. O posto policial de Jardim Petrópolis, em São Gonçalo do Amarante, também foi alvo de incêndio. Já em Currais Novos, quatro veículos da Secretaria de Saúde foram incendiados. Em Canguaretama quatro sucatas foram incendiadas.

Os ataques começaram na sexta-feira (29). O poder público contabiliza 65 ataques ou atentados. As escolas públicas e particulares suspenderam as aulas nesta segunda-feira.

Para tentar conter a violência generalizada no Rio Grande do Norte, o governo federal vai enviar ao estado mil homens do Exército e 200 fuzileiros navais para reforça a segurança.

( a foto ai acima estava menor, ampliei, esta é a importância que estão dando pr esta acontecendo no RN , por ser nordeste e bem longe das olimpíadas que se dane né ? imagine por ex se fosse SP igual em 2006 lembram ?

sexta feira tem olimpíadas ai nçao se fala mais nada mesmo, já não estão falando,mesmo , até aqui na net, deve ser difícil vc achar noticias a respeito do caos no RIO GRANDE DO NORTE.

lamentável, de minha parte não tem jogos aqui em casa.)

terror na FRANÇA, supostos terroristas atacam na noite de PARIS

Uma série de ataques coordenados em diversos pontos em Paris deixou mais de 120 mortos e pelo menos 200 feridos na noite desta sexta-feira.

Ainda há muitos detalhes não esclarecidos sobre os ataques. Confira o que se sabe – e o que ainda não se sabe – até o momento:

Dentre os diversos pontos atacados nesta sexta-feira, o atentado mais letal ocorreu na casa de show Bataclan, localizada no 11º distrito, na região central de Paris.

Atiradores tomaram o local e abriram fogo contra o público, matando pelo menos 80 pessoas.

Outras pessoas foram mortas em um suposto ataque suicida no Stade de France e em ataques em bares e restaurantes no centro da capital francesa.

Autoridades francesas informaram que oito dos atiradores morreram. Sete deles seriam homens-bomba.

Pelo menos 200 pessoas ficaram feridas – 80 em estado grave.

Ao menos cinco locais foram alvo de ataques em Paris.

Na principal medida, o governo francês declarou estado nacional de emergência e fechou suas fronteiras.

O controle das fronteiras na zona Schengen – acordo que prevê livre circulação entre os países signatários – pode, em teoria, ser alterado em situações emergenciais.

Moradores e turistas foram orientados a não sair às ruas e mais de 1.500 militares estão sendo espalhados pela cidade.

Um promotor de Paris afirmou que cúmplices dos autores dos ataques ainda podem estar à solta, reporta a agência de notícias France Presse.

Ainda não há detalhes sobre os atiradores e, até a madrugada deste sábado, nenhum grupo havia reivindicado a autoria do ataque.

O apresentador de rádio Pierre Janaszak disse à agência de notícias France Presse que os atiradores da casa de shows disseram aos reféns: “É culpa de Hollande, é culpa do seu presidente, ele não deveria ter intervindo na Síria”.

Outras testemunhas, no entanto, afirmaram que os atiradores estavam em silêncio.

Autoridades em Paris afirmaram que oito autores do ataque estão mortos:

Mas os franceses alertaram para o fato de que seus cúmplices ainda podem estar à solta, segundo a agência de notícias France Presse.

http://www.msn.com/pt-br/noticias/mundo/estado-isl%C3%A2mico-reivindica-autoria-dos-ataques-em-paris/ar-BBmZqnV?li=AAaB4xI

http://www.msn.com/pt-br/noticias/videos/o-dia-seguinte-no-bataclan/vi-BBmZG7A

 

( viu outro dia um vídeo feito por um português que alertava para a possível entrada de terroristas fingindo serem refugiados, pois afinal nem todos são verificados realmente e documentos falsos tb podem circular.

estes terroristas estavam a pouco tempo ?, ou a muito tempo, só esperando uma ordem ?  de fato nunca saberemos de tudo só o que nos informam de acordo com interesses de meia duzia, o certo é esta politica de receber refugiados tem de ser revista, aqui tb vai entrando qualquer um sem nem ser verificado direito nem d eonde vem corretamente e se é refugiado mesmo.

ABRE O OLHO BRASIL.)

ataques a coletivos levam medo a SOROCABA


Ônibus incendiado deixou marcas de medo nos moradores do Jardim São Marcos 

O clima em alguns bairros de Sorocaba é de medo entre as pessoas que usam transporte público, depois que três ônibus foram atacados nos últimos dias – um deles foi incendiado e crianças tiveram os corpos encharcados com gasolina.

O primeiro ataque foi no Jardim Itanguá, seguido logo depois por outro no bairro Ouro Fino e no Jardim São Marcos. 

A polícia investiga se os ataques estão relacionados aos 15 homicídios registrados na cidade entre domingo e quarta-feira passada. 

“Isso dá muito medo, lógico, a gente não tem segurança nenhuma. Imagina se acontece uma tragédia e alguém pegar fogo mesmo?”, questiona dona de casa M. L., 69 anos.  

Ela mora há 10 anos no bairro Ouro Fino, onde, por volta de 21h30 de quarta-feira, um  ônibus que trafegava por uma avenida do bairro foi atacado por um trio de bandidos segurando galões de gasolina. 

Haviam muitos passageiros dentro do veículo, inclusive crianças – três irmãs, de 3, 4 e 12 anos e uma prima de 8 ficaram encharcadas de gasolina. Elas estavam acompanhadas de uma tia. A família e as outras pessoas, além do motorista, conseguiram descer às pressas. O ônibus não chegou a ser incendiado, pois a polícia estava no bairro, cuidando da outra ocorrência, essa sim consumada, no ponto final do ônibus Central Parque, no Jardim São Marcos,  onde o veículo foi totalmente destruído pelas chamas. As marcas e sujeira ainda são visíveis no local.

Sujeira do crime/ A pensionista Maria Helena de Moraes Bruder, 66 anos, mora em frente ao local onde o ônibus foi incendiado, na rua Clara Goldman. “Estávamos vendo TV quando percebemos as chamas. O ônibus pegando fogo impediu que a gente saísse, pois ficamos acuados com ele bem na frente de casa. Foi um clima de pânico por 40 minutos, até os bombeiros aparecerem”, conta ela, que agora faz questão de ir buscar a neta no serviço.

“O ônibus da firma deixa ela na esquina logo após a meia-noite. São  pouco mais de 50 metros, mas tenho que ir buscá-la. O clima de segurança estragou“, afirma a avó, que ontem limpava a sujeira deixada pelo incêndio na frente de casa.

Duro é ter coragem de sair de casa para ir trabalhar à noite

A acompanhante Cícera Ireida do Nascimento, 55 anos, também mora em frente ao local onde foi atacado o ônibus no Jardim São Marcos, e teme pela segurança, já que trabalha de noite e tem que pegar ônibus às 21h. 

“Estou com medo até agora, até dor de estômago me deu isso”, afirma a mulher, que estava em frente à sua casa na tarde de ontem cortando alguns arbustos de uma árvore que ficou queimada pelas chamas. 

Apesar do medo, sorocabanos têm visto viaturas da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar), a tropa de elite da PM, pelas ruas.

( agora todo mudo ta em pânico, mas daqui a pouco começa a copa , ai todos esquecem, a mídia não fala mais nisso e pronto.)

PCC ameaça repetir o inferno de 2006 , ACORDA BRASIL.

Setores de inteligência das polícias de São Paulo descobriram que membros da facção criminosa PCC discutem uma série de ataques caso chefes da organização sejam transferidos para penitenciárias do Estado com regras mais rígidas.

Promotoria prepara ofensiva contra policiais suspeitos de elo com facção

Policiais e agentes penitenciários interceptaram “salves” (ordens) dados a integrantes da facção nos quais classificam as reações do crime organizado em ao menos três níveis. Em última instância poderiam até infiltrar bandidos em meio a manifestações populares em que houver vandalismo.

A ideia dos criminosos é aproveitar o quebra-quebra promovido por adeptos da tática de protesto “black bloc” para atacar policiais.

Antes de chegar a esse ponto, segundo a Folha apurou com seis investigadores que acompanham os passos de chefes da quadrilha, os detentos cogitam uma série de pequenos protestos dentro das penitenciárias, como impedir a entrada de novos presos em alas dos presídios.

A segunda etapa seria o ataque direto a prédios das polícias Civil e Militar, como ocorreu em maio de 2006. Na ocasião, cerca de 500 pessoas morreram em decorrência dos ataques.

A infiltração nos protestos seria só em caso de transferência dos 35 chefes do PCC para a penitenciária de Presidente Bernardes, onde os detentos ficam sob o RDD (regime disciplinar diferenciado).

Nesse sistema, o preso não recebe visita íntima, pode ficar só duas horas no banho de sol, não há aparelhos de rádio e TV e não pode ler jornais e revistas. As conversas com visitas ocorrem uma vez por semana em um parlatório, que é monitorado.

MAIOR OFENSIVA

As ameaças do PCC ocorrem em reação ao pedidos de prisão de 175 suspeitos de integrar a facção e de transferência de 35 chefes. As solicitações foram negadas pelo Judiciário, mas o Ministério Público recorreu.

O argumento dos promotores é que se não houver a transferência para o RDD esses criminosos continuarão comandando delitos de dentro da prisão. Essa é a maior ofensiva contra a facção desde sua criação, em 1993.

A investigação identificou que a organização criminosa tem cerca de 11.400 membros em 22 Estados, no Paraguai e na Bolívia.

Além disso, descobriu que ela movimenta R$ 120 milhões por ano e discutiu ataques a autoridades do governo do Estado.

Procurada, a Secretaria da Segurança Pública afirmou que não se manifestaria sobre informações de inteligência policial, mas que as polícias estão prontas para combater o crime organizado.

  Editoria de arte/Folhapress  
 

 ( traduzindo galera podemos voltar pra 2006, naquele inferno no estado lembram ? incrível como o pais não sabe o que fazer com estes bandidos.)

boatos de ataques do PCC, afetam 3 cidades da região de SOROCABA, povo bunda é isso.

 

Boatos de supostos ataques do crime organizado criaram ontem apreensão e desencadearam “toques de recolher” em pelo menos três cidades da região. Universidades e escolas dispensaram estudantes e até estabelecimentos comerciais fecharam as portas mais cedo. De acordo com a Polícia Civil, os boatos começaram por Araçariguama e se estenderam para São Roque, alcançando ainda Mairinque, que também teve escolas fechadas antes do horário previsto. O policiamento em São Roque e Araçariguama foi reforçado com equipes de Sorocaba. As polícias Civil e Militar, porém, negam que os boatos tenham fundamento.

De acordo com o delegado seccional de Sorocaba, André Moron, as primeiras notificações relacionadas a um suposto ataque aconteceram em Araçariguama, se estendendo rapidamente até São Roque, gerando apreensão de moradores das duas cidades. Entretanto, nada de concreto teria sido registrado pelos serviços de inteligência, mas segundo Moron, policiais civis e militares teriam ido às ruas para tranquilizar as pessoas. Ele disse ainda que para São Roque e Araçariguama foram enviadas equipes tanto de policiais civis como de militares, e que da Polícia Civil foi empregado ainda o serviço de uma unidade especializada.

Para o delegado seccional, os boatos são decorrentes dos problemas ocorridos em São Paulo, mas que também não atingem toda a capital, e muito menos o interior, mas garantiu que “a polícia está em alerta e preparada para enfrentar qualquer ataque”. Informações colhidas também junto a policiais militares de Sorocaba, dão conta de que moradores de Araçariguama, São Roque, Mairinque e Alumínio ligaram durante todo o dia de ontem preocupados com os supostos ataques. Até mesmo uma denúncia anônima, que teria partido do bairro Vila Nova Sorocaba, sobre ataques em Sorocaba, chegou à central.

Em São Roque, pelo menos uma universidade, uma faculdade, assim como uma escola técnica, além de instituições das redes públicas estadual e municipal dispensaram seus alunos. Vigilante da FAC São Roque, Luís Gustavo Moraes, confirmou na noite de ontem, que a direção da escola decidiu, por volta das 20h, dispensar seus cerca de 500 alunos. “Agora (às 21h10) já não há mais alunos, professores e outros funcionários. Só está a equipe de segurança. Todos ficaram assustados com os comentários que davam conta de um suposto toque de recolher”, afirmou o vigilante.

Moraes disse ainda que sua esposa, que trabalha na cidade de Araçariguama, também foi dispensada mais cedo do local onde trabalha, por volta das 17h, na região central daquela cidade, também por conta dos boatos. “Ela ligou para mim dizendo que já estava saindo, pois lá estava um alvoroço e um clima de medo e apreensão”, relatou.

Em Mairinque não foi diferente. Parte do comércio fechou as portas no final da tarde e escolas também dispensaram seus alunos das aulas no período da noite. Escrivão de Polícia Civil da Delegacia de Mairinque, Marcos Falabim, confirmou as informações de que a cidade viveu uma sexta-feira atípica diante do suposto toque de recolher. “Recebemos ligações de diretores de escolas e de comerciantes nos questionando sobre o fato. Diante disso, a delegada de plantão, Fernanda Santos Ueda, determinou que esquipes fossem às ruas para apurar o fato. Mas até agora (22h) não temos uma confirmação oficial”, ponderou. ( depois que vc votou né ? agora se exploda, o povo que aceita isso ai passivamente caminha pra onde ? 

a policia ROBOCOP não pode opinar, apenas segue ordens, daqui a pouco boatos chegam a SOROCABA e ai ? mas amanhã tem jogo em SP ? a policia deve se prepara pra horda de palmeirenses que devem incendiar as ruas, caso o time caia pra segundona, o que parece mesmo inevitável. 

mas vem cá e as baladas noturnas foram afetadas ? não né, pelo jeito onde rola droga pode ir sossegado, pois não haverá ataques ali.)

PCC, poem SOROCABA em alerta e o povo como sempre só dorme

Nesta quarta-feira (7), policiais militares abordaram um entregador de 18 anos no Jardim dos Pássaros. Era 0h20, quando o jovem foi revistado e uma tatuagem característica da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) foi vista.


Sem nenhuma documentação, ele informou que morava em Osasco e que estava na cidade com um amigo para passar alguns dias.

O jovem levou os PMs até a casa na qual estava. Foi então que Fagner Rodrigues de Oliveira, 33, viu a viatura e correu. Foram apreendidos vários relógios, celulares, cocaína, maconha e um revólver calibre 38 com  número raspado que estava com Fagner. Ele foi indiciado por porte ilegal de arma.

A presença da dupla, que não soube explicar o que veio fazer em Sorocaba, chamou a atenção da polícia. Ambos possuíam tatuagens que fazem apologia ao PCC.

Por esta razão, o BOM DIA convidou Gustavo Barata, doutor em processo penal, mestre em direito penal, professor da Uniso e ex-coordenador da especialização em segurança pública da universidade para falar  sobre a questão que envolve a segurança em Sorocaba.

BOM DIA- Como o senhor avalia a situação da segurança pública em Sorocaba?

Gustavo Barata- De um modo geral, a segurança pública da cidade está dentro da normalidade. Porém, pelo crescimento rápido do município, notamos por meio de estatísticas da própria Secretaria de Segurança Pública que os índices de criminalidade vêm aumentando ano após ano. Por exemplo, Sorocaba possui um índice de furto de veículos superior a São José dos Campos. Claro que isso não traz à sociedade a sensação de insegurança, mas mostra que os agentes de segurança devem estar em alerta para que a criminalidade, de um modo geral, não aumente.

A Secretaria de Segurança Pública só decidiu recentemente realizar reuniões e traçar estratégias no combate ao crime, com mais de 90 policiais militares mortos na capital paulista. Com isso, a imagem da secretaria ficou comprometida?
Com toda a certeza, pois a partir do momento em que o Estado demora a agir, o crime organizado se fortalece. O que surpreendeu nesses episódios foi o número razoável de militares assassinados em um curto espaço de tempo. A criminalidade cresce na inércia estatal.

É possível que as ações criminosas da Capital se estendam para cidades do interior, como Sorocaba?
Sim, é possível e por dois motivos: Sorocaba fica a menos de cem quilômetros de São Paulo e o sistema prisional da região conta com cerca de cinco mil presos do PCC (Primeiro Comando da Capital).

Portanto, esses detentos recebem visitas aqui. E estamos próximos de mais uma época de saidinha temporária. Com isso, quase mil presos serão beneficiados. Por tudo isso, a possibilidade de tais ataques se alastrarem pelo interior  é grande. O Estado já está implantando ações para evitar que os detentos se organizem no sentido de ordenar práticas de má conduta.

Se os ataques chegarem a Sorocaba, acredita que as forças policiais estão preparadas?
Vamos imaginar que se esses mil presos saírem e decidirem praticar crimes simultaneamente, claro que não será possível impedi-los. Mas vejo que a estrutura da segurança pública da cidade está organizada, permitindo ações rápidas e efetivas de combate ao crime, se necessário. A cidade ainda não faz parte do Sinesp (Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, Prisionais e sobre Drogas), que foi implantado em junho deste ano. Com ele, todas as informações de crimes são enviadas para uma base de dados do Governo Federal. Este sistema vem funcionando muito bem, mas não é obrigatório, ele depende da política do município. É fundamental essa reunião e compartilhamento de informações.

O fato de o Governo do Estado negar a existência do PCC contribuiu para o fortalecimento da facção?
Claro. Se você nega que algo existe, você não atua e, com isso, aquilo cresce ainda mais. Essa negativa fez com que a facção criminosa se tornasse algo imenso, sem o comando do Estado perceber.

Como o senhor avalia a atuação desta facção criminosa?
Vejo que é uma reunião de pessoas efetivamente organizadas para a
prática de crimes. A situação atual mostra seu crescimento de forma estrutural, com estatuto e, até mesmo, fortes lideranças. A facção deve ser combatida para que não cresça mais e traga mais insegurança à população.

Em Sorocaba, 90% dos pontos de venda de drogas pertencem ao PCC. O comércio de entorpecentes é a principal fonte de renda da facção atualmente. Como é possível combater isso?
A palavra-chave é inteligência. A investigação é muito importante para identificar os reais causadores dessa conduta. Sem esse trabalho, as prisões serão esporádicas, de pequenos traficantes. O trabalho da Polícia Civil identifica os reais fornecedores e distribuidores das drogas, denominados ‘grandes traficantes’. Porém, o trabalho investigativo precisa ser completo, com escutas telefônicas e determinação de pontos de lavagem de dinheiro. Tudo isso acaba convergindo para o combate efetivo e prisões dos criminosos. Por isso, as forças policiais precisam trabalhar de forma integrada.

Combate constante
26 de julho de 2012O BOM DIA noticia detalhes do livro-caixa do PCC (Primeiro Comando da Capital), revelando que Sorocaba contribui ativamente com a receita
da facção criminosa. Apenas em janeiro deste ano, os criminosos conseguiram arrecadar R$ 42,6 mil
27 de julho de 2012Como matéria de destaque,  jornal mostra a prisão de Reinaldo Souza Teixeira, 25 anos, o Reinaldão. Ele era o ‘rifeiro’ da facção, além de ser um grande distribuidor de entorpecentes
283homens do PCC envolvidos com o tráfico de drogas foram detidos na região de Sorocaba em janeiro deste ano. ( aqui perto da onde trabalho tem um posto policial, em 2006,, tivemos que ir pra casa mais cedo por causa de um possível ataque, ainda bem que não aconteçeu e foi apenas um dia que tivemos de fechar o comércio mais cedo.
esperamos que isso não venha se repetir de novo, mas como ninguém ta nem ai pra nada e gente que se aproveita do caos pra faturar né ?)