segundo homem, atirador da boate gay de ORLANDO seria uma biba enrustida, matou por vingança, a louca

  • Homem disse ter encontrado Mateen entre 15 e 20 vezes; eles teriam se conhecido em um aplicativo gayHomem disse ter encontrado Mateen entre 15 e 20 vezes; eles teriam se conhecido em um aplicativo gay

Um homem que não teve o nome revelado e pediu disfarce no rosto disse, em entrevista à TV Univisión (emissora latina dos EUA), que foi amante de Omar Mateen, atirador que matou 49 pessoas na boate Pulse, em Orlando.

No depoimento, ele afirma que Mateen não cometeu o ato por terrorismo, mas sim por vingança contra os porto-riquenhos.

O suposto amante revelou uma história contada pelo atirador a ele: em uma relação sexual com dois porto-riquenhos, Mateen teria descoberto que um deles era portador de HIV.

O entrevistado completou declarando que a esposa do atirador sabia que ele era gay e que mantinha o casamento com ele por fachada.

De acordo com o depoimento, Mateen e o entrevistado se conheceram por meio de um aplicativo gay e se encontraram entre 15 e 20 vezes.

( só investigar o aplicativo e pronto, ta confirmado o que já estavam falando , o cara não saia do armário, por causa da religião, família, seu pai o xingando de ser gay, e um casório de fachada.

por seu um mal resolvido , 50 pessoas que nada tinham a ver com isso pagaram com a vida

aluno atiram em outros dois em SANTA LUZIA (MG)

As câmeras do circuito interno de TV da Escola Estadual Ephigênia de Jesus Werneck, emSanta Luzia MG, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, flagraram o momento em que um estudante dispara contra dois colegas. O crime aconteceu na manhã desta quinta-feira (4).

Dois alunos de 15 e 16 anos, do 9º ano do Ensino Fundamental, foram baleados, mas sem gravidade. O suspeito dos disparos é um jovem de 19 anos, que cursa o 1º ano do Ensino Médio na mesma escola, e alega ser vítima de bullying.

O estudante Alexandre Esteves dos Santos, de 19 anos, estava dentro da escola e esperou o colega, que seria o praticante do bullying contra ele, na escada. Quando o adolescente de 15 anos passa, a imagem mostra Alexandre disparar uma arma. O garoto é atingido quando estava de costas para o suspeito.
Depois, outra câmera mostra os dois em um corredor. O atingido pelo tiro fica com uma mão no ombro, onde está o ferimento. O suspeito aparece andando atrás. Então, Alexandre para, parecendo confuso, e guarda a arma dentro da mochila. Instantes depois, o adolescente baleado passa mais uma vez pelo mesmo corredor, em sentido contrário, e é novamente perseguido. O suspeito armado atira mais vezes, e os alunos entram em pânico.
Em alguns destes disparos, o tiro atinge no abdome um outro garoto, de 16 anos e que nada  tinha a ver com o desentendimento. Agostinho de Souza, pai do estudante, disse que o filho contou que o suposto agressor pediu desculpas por tê-lo atingido. Alexandre contou ao filho de Agostinho que ele não era o alvo.
Uma aluna que não quis se identificar disse o barulho dos disparos parecia uma bomba garrafão. “De repente, começou mais tiros. Foi ‘que’ nós olhamos pela janela. Eu já vi dois alunos correndo ensanguentados, pularam o muro correndo, e vi o menino que atirou correndo, né, com a arma na mão e atirando”, contou.
A Polícia Militar disse que foram cinco disparos. Segundo o tenente Rodrigo Lima Ferreira, o suspeito vinha sofrendo agressões. “Ele é portador de necessidades especiais. Ele estava sofrendo aí agressões e o pessoal também chamando ele, na escola, de gordo”, afirmou.
A arma, de acordo com a polícia, pertence a um policial que é tio de Alexandre. O rapaz foi preso em casa e, conforme a polícia, assumiu o crime. Um revólver calibre 38 foi apreendido. A escola não tem detector de metais.

De acordo com a Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), os dois feridos passam bem. O adolescente de 16 anos, que foi baleado no abdome, não precisou ser submetido a cirurgia. O aluno de 15 anos, que seria o alvo dos disparos, foi operado no Hospital de Pronto-Socorro João XXIII. Ele teve uma fratura exposta no ombro e perdeu um pedaço de uma orelha, atingidos pelos disparos. A família do estudante disse, por meio da assessoria de imprensa da Fhemig, que não vai falar sobre o caso.
O advogado do suspeito de fazer os disparos disse que a família não vai comentar o assunto por enquanto.
A escola não funcionou na parte da manhã, mas as atividades foram retomadas durante à tarde.
A Polícia Civil diz que vai apurar a denúncia de bullying, que teria sofrido Alexandre dos Santos, e os disparos dentro da escola. O delegado não divulgou detalhes da investigação.( com certeza hj ele não é mais o , gordo da escola né ? agora é louco.

se tivesse matado os dois seria monstro , assassino, pois é todo mundo pisoteia, ai quando a pessoa vira bicho.

e o tio do cara que é policial,deveria saber melhor guardar sua arma, isso não é brinquedo pra deixar em qualquer lugar.)

louco mata 12 pessoas num cinema nos EUA

  • Ao menos 12 pessoas morreram e pelo menos 50 ficaram feridas, na madrugada desta sexta-feira (20), quando um atirador abriu fogo em uma sala de cinema lotada
    Ao menos 12 pessoas morreram e pelo menos 50 ficaram feridas, na madrugada desta sexta-feira (20), quando um atirador abriu fogo em uma sala de cinema lotada
Testemunhas do tiroteio que deixou ao menos 12 mortos e pelo menos 50 feridos em um cinema no Estado do Colorado, nos Estados Unidos, relataram que o atirador agiu “calmamente” antes de abrir fogo na madrugada dessa sexta-feira (20). As vítimas assistiam à estreia do filme “Batman, o Cavaleiro das Trevas Ressurge” em uma sessão especial que havia começado à meia-noite, no subúrbio de Denver.
Segundo a rede de TV americana CNN, a polícia revisou e corrigiu o número de mortos inicialmente divulgado, 14. Entre os feridos, segundo o hospital da Universidade do Colorado, há um bebê de apenas três meses de idade.
Hoje de manhã, o porta-voz do FBI, Jason Pack, disse à rede de TV CNN que o caso não parece estar relacionado a um ato de terrorismo. Já o chefe de polícia Dan Oates, que confirmou o número de mortos e feridos, disse não haver evidências de um segundo atirador.
Segundo testemunhas relataram à BBC, o atirador estava mascarado e lançou uma bomba com um gás não identificado antes de abrir fogo contra a multidão. Uma delas, que estava dentro da sala atacada, chamada Pam, disse que 30 ou 40 minutos depois do início do filme um homem entrou pela porta direita que ficava perto da primeira fila.
“Ele atirou no ar, então comecei a ouvir o ‘bang, bang, bang’ de um revólver. Eu engatinhei, abaixada entre a fila de cadeiras, e por sorte estava perto da saída, então consegui escapar rapidamente. Ouvi mais tiros à medida que fugia”, disse a testemunha. “Tenho quase certeza que ele estava usando uma máscara. Ele jogou um cilindro para o alto, podia ser uma bomba de gás, ou de gás lacrimogêneo”, disse.
À CNN, outra testemunha declarou que o homem “subiu calmamente as escadas (da sala de cinema) atirando em quem aparecia pela frente”.
 
O porta-voz do departamento de polícia de Aurora, Frank Fania, disse que o homem, um jovem de pouco mais de 20 anos, portava uma espingarda, uma escopeta, uma pistola e um colete à prova de balas. Os motivos da ação ainda são desconhecidos.
“As testemunhas disseram que o homem apareceu na parte da frente da sala, mas não está claro se ele apareceu por detrás da tela ou por uma das portas, e começou a disparar”, acrescentou Fania.
Em entrevista À CNN, Fania declarou que o rapaz não resistiu à voz de prisão. “Ele não resistiu. Ele não colocou uma luta”, disse.

Local é próximo de palco de outro massacre

Aurora fica no subúrbio a cerca de 15 km do centro de Denver. Centenas de pessoas foram ao cinema com fantasias dos personagens da série para assistir o filme.
A localidade ainda é próxima –cerca de 13 km–  de Littleton, palco do massacre ocorrido em abril de 1999 na Columbine High School.
Nesse incidente, dois alunos adolescentes, Dylan Klebold e Eric Harris, se armaram com armas e bombas e abriram fogo dentro da escola. Eles mataram 13 pessoas e feriram outras 23 antes de se matar.( colocar detector de metais e raio x em todos os cinemas americanos e já aqui tb.)

equipe de tv flagra tentativa de assassinato na PARAIBA

Uma equipe da TV Record flagrou uma tentativa de assassinato na frente de um bar em João Pessoa (PB). O cinegrafista registrou o exato momento em que um rapaz que agonizava na calçada, vítima de três tiros, foi novamente atingido por um tiro à queima roupa na cabeça. A vítima foi socorrida e sobreviveu.
 
 
O motivo do crime teria sido uma briga em agosto de 2011. Após deixar o hospital, Rodrigo Ferreira da Silva, de 20 anos, conversou com a equipe da Record e contou o que realmente aconteceu.
— Começou há oito meses com uma discussão numa festa de um amigo nosso. De lá para cá nunca houve mais nada. Há uns três meses, o mesmo garoto que eu briguei estava nesse mesmo bar e ele chegou e eu evitei. Quando foi dia 18, ele chegou com mais cinco ,  Segundo Silva, antes dos tiros ele foi violentamente espancado.,  — Foi coisa rápida. quando sai do banheiro me deram uma capacetada na cabeça. Mandaram me ajoelhar, chutaram meu rosto.

Depois de levar três tiros, Silva tentou fugir, mas não conseguiu ir longe. Ele voltou para a frente do bar poucos minutos depois e se deitou.

— Fiquei deitado esperando por socorro porque falaram que a ambulância estava na esquina. Só que eu não conseguia levantar. Estava sem força.

Foi nesse momento que aconteceu a cena do flagrante.

— Depois ele [atirador] voltou e eu só ouvi na hora que ele disse: você vai morrer e disparou.

O tiro acertou a boca do jovem. A bala ainda está alojada perto da orelha. Os outros tiros foram no peito, nas costas e no braço, mas nenhum órgão vital foi atingido.

Silva sabe que é um sobrevivente e diz estar feliz por poder voltar a ficar com a família. ( o lugar já é barra pesada e tem bar aberto até tarde ? e o atirador não ta nem ai, quer apareçer e não se importa se foi filmado.

este é o faroeste que algunas grupos querem fazer no pais, com a desculpa de querer arma de fogo pra cidadão.)

atirador do shopping não pode responder por seus crimes diz justiça da BAHIA

O ex-estudante de medicina Mateus da Costa Meira, condenado por assassinar três pessoas num cinema em São Paulo em 1999, foi considerado inimputável (que não pode ser considerado responsável pelos atos) no julgamento ocorrido nesta terça-feira em que era acusado de tentar matar seu companheiro de cela em maio de 2009.

Atirador do shopping Morumbi revela “frieza” em cartas a travesti
Perícia comprova a autenticidade das cartas de Mateus Meira

Juca Varella-4.nov.1999/Folhapress
Mateus da Costa Meira sendo encaminhado à delegacia após o crime; Justiça da Bahia decide que ele é inimputável
Mateus da Costa Meira sendo encaminhado à delegacia após o crime; Justiça da Bahia decide que ele é inimputável

Esse segundo julgamento ocorreu na 1º Vara do Tribunal do Júri de Salvador. A decisão atendeu aos pedidos do Ministério Público e da defesa de Meira, que afirmavam que ele não poderia responder pelos atos devido a distúrbios psicológicos.

Com a decisão, a defesa anunciou que vai pedir revisão do julgamento que o condenou em São Paulo. “Ele deverá permanecer em um hospital psiquiátrico onde poderá ter atendimento especializado de uma equipe multidisciplinar”, diz o advogado Vivaldo Amaral.

Mateus está preso há 10 anos, sendo que no último ele ficou em um hospital psiquiátrico de Salvador, após a tentativa de homicídio contra Francisco Vidal Lopes, seu companheiro de cela. O crime ocorreu em maio de 2009. Meira usou uma tesoura utilizada nas atividades artesanais para agredi-lo na cabeça.

CONDENAÇÃO

Em 3 de novembro de 1999, Meira entrou na sala 5 do cinema do Morumbi Shopping e, armado com uma submetralhadora 9 mm, atirou contra as pessoas que assistiam ao filme “Clube da Luta”. Três pessoas morreram e quatro ficaram feridas.

Pelo crime, ele foi condenado inicialmente a 110 anos e seis meses de prisão. Em 2007, magistrados da 4ª Câmara Criminal do TJ (Tribunal de Justiça) de São Paulo reduziram a pena para 48 anos e nove meses. Na prática, acusado não poderá ficar na cadeia por mais de 30 anos, pena máxima permitida pela legislação brasileira.

Em fevereiro de 2009, ele foi transferido da Penitenciária 2 de Tremembé (147 km de São Paulo) para a prisão em Salvador após a Justiça acatar o pedido de seus pais, que moram na cidade.( num manicômio, com certeza ele pode ficar o resto da vida, cadeia não resolve mesmo do jeito que está.)

atirador da escola em SÃO CAETANO DO SUL, planejou mesmo o crime.

Aluno atirou contra professora e depois se matou; ela passa bem, e ele foi enterrado na sexta-feira. Foto: Aloísio Maurício/Terra

Aluno atirou contra professora e depois se matou; ela passa bem, e ele foi enterrado na sexta-feira.

O disparo efetuado por um menino de dez anos contra uma professora em São Caetano do Sul pode ter sido premeditado, apontam investigações da polícia. De acordo com a Folha de S. Paulo, a professora de matemática Ana Paula Lima teria dito, em seu depoimento, que uma aluna lhe contou que o atirador afirmara, um dia antes da tragédia, a intenção de matar a professora de português, Rosileide Queiros de Oliveira. Além disso, os planos do garoto incluiriam se matar após o crime, para evitar ser repreendido pelo pai, Milton Evangelista Nogueira, da guarda civil municipal.

Outro indício de que a ação seria premeditada é um desenho encontrado na mochila do aluno, em que ele aparece com duas armas ao lado de um professor, e em que está escrito “Eu com 16 anos”. A polícia ainda não sabe qual seria o motivo do menino para querer matar a docente, mas trabalha com a hipótese de que ele não gostava dela. A delegada Lucy Mastellini Fernandes também ouviu, na sexta-feira, a professora Priscila Razante e três integrantes da diretoria da escola, que afirmaram que o garoto tinha bom comportamento. Os colegas de classe serão ouvidos durante a semana, em depoimentos auxiliados por psicólogos. ( pois é , ela talvez não acreditasse, que isso poderia aconteçer,afinal ele tinha apenas 10 né ? e mesmo que acreditasse, a quem ela iria recorrer ? só se não apareçesse mais pra trabalhar.)