lista das compras do avião do TEMER ,é nós que pagamos povo mané.

barra-de-chocolate-sem-lactose-e-sem-gluten-choco-soy-1482860283280_300x200

http://noticias.bol.uol.com.br/fotos/imagens-do-dia/2016/12/27/as-compras-para-o-aviao-de-temer.htm?mobile&imagem=1

Pois é zé povinho ,enquanto vc leva o ferro do dia a dia ,mas uma dúvida,dona MARCELA,come alguma destas coisas ? ou pra ela é versão light .

Confiram no link a lista completa.

 

 

vidente prevê tragédia em SP dia 26 , avião bate em prédio.


 

Síndico faz alerta sobre premonição de queda de avião na Avenida Paulista
Proprietários de salas comerciais de edifício em SP receberam comunicado.
Vidente diz que aeronave baterá contra prédio no dia 26 de novembro.

Olivia Florência Do G1 São Paulo

Um comunicado enviado aos condôminos de um prédio comercial na Avenida Paulista, em São Paulo, fez um alerta sobre uma premonição de um acidente aéreo no local na manhã do dia 26 de novembro deste ano.

Segundo suposta previsão do vidente Jucelino Nóbrega da Luz, registrada em um cartório no Centro da capital paulista, um avião partindo do Aeroporto de Congonhas com destino a Brasília (DF) baterá contra um edifício, perto do cruzamento da avenida com a Alameda Campinas, após uma pane.

O Serviço Regional de Proteção ao Voo de São Paulo (SRPV), da Aeronáutica,  informou, no entanto, que nenhuma aeronave comercial que decola de Congonhas para Brasília tem como rota sobrevoar a Paulista. Pilotos ouvidos pelo G1 também relataram que, após a decolagem, os aviões seguem para o sul, em rota sentido Interlagos.

O aviso sobre a premonição foi distribuído na terça-feira (18) pelo síndico do Edifício Barão de Serro Azul, Severino Alves de Lima, de 67 anos. Ele disse que tomou a iniciativa de escrever o comunicado para informar funcionários e locatários das salas comerciais do prédio, onde funcionam escritórios e consultórios.

“Quando houve aquele incidente com o avião do Eduardo Campos eu fiquei sabendo que ele tinha previsto uma série de situações. Umas ocorreram e outras não. Eu fui no cartório, peguei uma cópia da carta que ele havia registrado em cartório e guardei. Agora achei conveniente divulgar para os condôminos”, disse o síndico. No aviso, ele deixa ao cuidado de cada um a responsabilidade de liberar ou não os funcionários na data da premonição.

A empresária Paula Baccaro, de 33 anos, tem uma sala no edifício e achou o comunicado engraçado. “Eu tomei conhecimento dessa carta em 2005. Na época eu era analista de sistemas e trabalhava no edifício aqui ao lado, num banco e recebemos a carta no RH do banco e o próprio vidente enviou a carta. Então eu já sabia da existência dessa premonição, mas eu sinceramente não acredito muito, não, mas dou risada”, afirmou.

“Até acontecer ninguém acredita muito. Acho que o síndico enviou um comunicado para se eximir da culpa caso aconteça. Eu não sei se acredito. Eu vou vir trabalhar, afinal é uma quarta-feira [dia 26 de novembro] e eu tenho que vender”, completou a empresária. Já o analista de suporte Bryan Sousa, de 26 anos, não viu o comunicado, mas riu ao tomar conhecimento pelo G1. “Acho que pode causar algum pânico”, afirmou. “Mas claro que eu não acredito e vou vir trabalhar”, completou.

Mesmo o síndico do prédio parece não confiar na premonição e garantiu que não deixará de ir ao trabalho no dia 26. Ele convocará uma reunião para discutir o assunto com funcionários das salas comerciais. “Vou deixar a critério deles, mas eu estarei aqui. Eu virei porque eu sou responsável. É a pergunta que todo condômino me faz: ‘E você?’ Eu estarei aqui”, defendeu Severino Lima.

Mesmo assim, o síndico tem palpites sobre o suposto local da queda do avião. “É [Alameda] Campinas mais direcionado para a Paulista, então acredito que sejam aqueles dois prédios [aponta para a esquina da Alameda Campinas com a Avenida Paulista no sentido Consolação. O Serro Azul está do outro lado da avenida]”, completou.

Premonição

O vidente Jucelino Nóbrega da Luz afirmou que registrou no 8º Cartório de Títulos e Documentos de São Paulo, em 24 de outubro de 2014, um documento em que alerta sobre a possibilidade de o voo TAM JJ 3720 Congonhas-Brasília apresentar problemas em uma das turbinas e chocar-se contra um prédio da Avenida Paulista às 9h do dia 26 de novembro de 2014.

Nóbrega da Luz explicou que essa previsão apareceu para ele durante um sonho premonitório em julho de 2005 e disse que desde então envia cartas à companhia sobre o fato. “O avião sairia às 8h30 de Congonhas indo para Brasília. Esse voo tem problemas nas turbinas. Pedimos para a empresa amigavelmente para que se retirasse esse avião e fizesse uma vistoria para localizar o defeito. Foram feitos vários contatos. A empresa respondeu e também tem uma notificação via cartório”, relatou.

Segundo o vidente, pessoas que compraram passagens mostraram para ele cópias do cancelamento do voo. No documento com detalhes da suposta tragédia, ele diz que espera estar errado e pede que sejam tomadas providências imediatas. “O prejuízo maior será esse acidente tornar-se realidade”, afirmou, defendendo que o o cancelamento do voo evitaria a uma “catástrofe”.

O acidente, ainda segundo ele, provocado por pane seria evitável porque não é um fato natural. “Quando a gente fala fato natural é aquele que você não tem como alterar, como um terremoto, um furacão. Um fato destes, como é mecânico, você tem como alterar. Não é uma ficção como mostra um filme de premonição. A morte não vai seguir ninguém. É só naquele dia. Se não acontecer naquele dia, provavelmente não vai acontecer mais”, disse.

O G1 procurou a TAM Linhas Aéreas, mas até esta publicação a companhia não havia se manifestado sobre o assunto e se tomará alguma medida sugerida pelo vidente.

 

se fosse nos EUA, este cidadão, já estaria numa sala escura sendo interrogado pelo FBI, CIA, DEA, ATF, etc etc, e a caminho de uma cela em GUANTÁNAMO provavelmente, mas aqui ainda pode virar celebridade, em todo caso vamos ver dia 26 o que vai dar) 

acidente de avião no JD SÃO GUILHERME, 4 meses de lenga lenga.

Quase quatro meses depois de ter a sua casa completamente destruída por uma pequena aeronave que caiu no bairro Jardim São Guilherme, o operador de empilhadeira Miguel Aparecido Galdino e sua esposa Deise ainda amargam os prejuízos morais, materiais e psicológicos provocados pelo acidente inimaginável, que matou o piloto e o copiloto. Excluindo o fato de não ter sofrido qualquer dano físico, já que nenhum dos dois estava em casa no momento da queda do avião, o casal lamenta o fato de, mesmo sendo vítima, ter de arcar com todos os gastos para a reconstrução do imóvel, já que uma eventual indenização depende da conclusão das investigações da polícia civil e Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), além do trâmite burocrático do processo judicial. “Até hoje não fui procurado por ninguém. Estou tentando reconstruir minha vida e minha casa. Para isso, eu e minha esposa estamos trabalhando o dobro, fazendo horas extras, inclusive aos sábados. Também estou contando com o auxílio de amigos para voltar a ter onde morar”, relata Galdino, que luta para reformar sua residência. 

O imóvel teve a garagem, toda a parte superior e o telhado destruídos. “A laje ficou comprometida, assim como o telhado e garagem. Para você ter uma ideia, deixo meu carro guardado na casa de uma vizinha”, afirma.

Galdino prefere não falar em valores, já que ainda não imagina quanto irá gastar para concluir a reforma e reconstrução de parte do imóvel. “Estou guardando as notas, mas estamos endividados e só conseguimos manter a obra em andamento porque temos o apoio de amigos”, comenta o operador de empilhadeira. 

Ação na justiça

Como não foi procurado pelo proprietário do avião, trinta dias após o acidente Galdino nomeou a advogada Neusa Norma Mello Valente para representá-lo. Desde então, ela acompanha as investigações realizadas pela Polícia Civil e o Cenipa. “O processo corre em segredo de justiça, por isso pelo menos por enquanto não posso fornecer muitas informações. Mas estamos aguardando laudos periciais do Cenipa e conclusão do inquérito policial. Ainda não calculamos valores, mas meu cliente pedirá ressarcimento por danos morais e materiais”, afirma a advogada. 

“Ele está sofrendo um transtorno muito grande, inclusive é alvo de questionamento diário por parte de curiosos que passam pelo local”, diz Neusa Valente. 

“Infelizmente, não é possível estimar prazo para que ele (Galdino) seja ressarcido, já que o andamento do processo depende de muitas variáveis como a conclusão e emissão de laudo pericial”, informou a representante da vítima. 

No 8º Distrito Policial, onde foi aberto inquérito para investigar o acidente aéreo, também há poucas informações disponíveis sobre o caso. “Estamos aguardando um laudo complementar do Cenipa. Por isso, pedimos prazo maior no Fórum, para concluir o inquérito”, informou um escrivão da unidade policial. 
O jornal Cruzeiro do Sul entrou em contato com o Cenipa para questionar qual a previsão de tempo para a conclusão das investigações. Um oficial que estava de plantão informou que o responsável pelo caso encontra-se de licença médica e que só retornará ao trabalho na próxima semana.( e pelo jeito vão esperar muito uma talvez indenização, já que ta o empurra empurra, e pq segredo de justiça ? o que tem pra esconder ?

se os 7 mortos do PÁTIO CIANÊ , tão empurrando com a barriga, imagine este caso ai,é tant laudo, só falta pedir laudo pra SÃO PEDRO das condições climáticas daquele dia. )

avião cai e atinge casa no JD SÃO GUILHERME EM SOROCABA.

Mais fotos…

Piloto e copiloto morreram com a queda de um avião monomotor na tarde de hoje no Jardim São Guilherme, em Sorocaba. O acidente ocorreu por volta das 15h40, na rua Belmiro Moreira Soares, altura do número 1.189. 

Acredita-se que o piloto tenha tentado fazer um pouso forçado numa área utilizada como campo de futebol. A queda, no entanto, aconteceu bem em frente a uma casa. A asa do avião atingiu o muro da residência. Com a explosão, um incêndio se propagou e atingiu 50% do imóvel. Os moradores saíram ilesos, pelos fundos do local. Nenhum morador do bairro se feriu. os corpos das vítimas ainda estão sob os restos da aeronave. O piloto Cauan Nichelimi e o copiloto Fernando Bondezan Moreira, 34 anos, morreram na hora.

O avião anfíbio, prefixo PPXLR, decolou no Aeroporto de Sorocaba com destino a Jundiaí. Moradores que testemunharam o ocorrido contam que momentos antes da queda a aeronave começou a perder altitude em movimentos giratórios, direto ao chão.

O monomotor de fabricação norte americana passou por manutenção numa das oficinas instaladas no aeroporto de Sorocaba. O barulho da explosão e o risco de propagação das chamas gerararam pânico entre os moradores. Alguns deles, usaram mangueiras para debelar o fogo que se espalhava pela rua em razão do vazamento de querosene combustível. A casa atingida foi interditada pela Defesa Civil por medida de segurança. Outra também sofreu avarias, mas em proporção menor.

A rede elétrica foi atingida, o que ajudou a propagação do incêndio. A região está sem energia. De acordo com a Urbes – Trânsito e Transportes, os semáforos do bairro tiveram o funcionamento interrompido durante 30 minutos, mas já foram reestabelecidos. Durante este tempo agentes auxiliaram o trânsito. Viaturas da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e GCM estão no local, além do helicóptero Águia. 

 

hana

Em nota o Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp) informou que a investigação das causas do acidente será realizada pela Aeronáutica, por meio do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes (Seripa).

Já a assessoria de imprensa da Força Aérea Brasileira (FAB) divulgou comunicado no qual esclarece que o avião envolvido no acidente era uma aeranove experimental. Ainda de acordo com a FAB, aviões deste tipo não precisam passar por investigação após acidentes, mas o órgão não descarta a possibilidade.

888

Moradora de casa atingida pelo fogo conta como escapou

Duas meninas de 16 anos estavam nas casas atingidas pelo fogo gerado a partir da explosão. Elas foram salvas por Marcelo Gasque Colares, 26 anos, que trabalhava na instalação de um para-raios no telhado de uma residência próxima, e correu para prestar ajuda após testemunhar a queda da aeronave.

Andrezza Ribeiro de Oliveira, 16 anos, e sua vizinha, da mesma idade, foram retiradas pelo homem, através do muro dos fundos de um dos imóveis.

Ainda emocionada, Andrezza contou que tinha acabado de almoçar e levava comida para seu cachorro, quando ouviu o estrondo e sentiu a casa tremer. “Eu saí da minha casa, peguei o cachorro e pulei para a casa da minha tia, porque imaginei que pelo corredor ao lado daria para sair, mas vi o fogo entrando por debaixo do portão”, relembrou assustada. Ela contou ter encontrado a inquilina da tia e decidiu retornar à sua casa. Empurrou uma máquina de lavar até o muro e pulou de volta com a vizinha, levando consigo o cachorro. De volta à casa onde mora, correu para os fundos e começou a gritar por ajuda. O morador da casa vizinha dos fundos ouviu o pedido de ajuda e chamou Marcelo, que conseguiu puxar as duas pelos braços. O animal de estimação também foi resgatado. Todos saíram ilesos.

Após o resgate, Marcelo entrou na casa a tempo de remover o botijão de gás e evitar um estrago maior. Ele precisou quebrar o vidro de uma das portas e feriu-se na mão. “Eu não pensei duas vezes. Entrei e tentei ajudar como pude. O calor e o cheiro de fumaça estavam muito fortes, mas, na hora, só estava preocupado em colaborar. Foi muito terrível. Eu nunca tina visto um acidente desse tamanho. Acho que vou me lembrar de tudo enquanto viver”, declarou.

ALDO V. SILVA
pilot2 
Documento de copiloto foi recuperado entre os restos do avião