vale ( cultura ?) será usado em baile funk, mas tinha de ser coisa do PT.

O cartão vale-cultura

A ministra da Cultura, Marta Suplicy, afirmou nesta terça-feira (9) que o vale-cultura, benefício de R$ 50 dado aos trabalhadores que ganham até cinco salários mínimos para ser gasto com produtos culturais, também poderá ser usado em bailes funk.

“O vale-cultura poderá ser usado em bailes funk, desde que haja música ao vivo. As operadoras têm que credenciar os equipamentos culturais. Da nossa parte (o credenciamento de baile funk) não tem problema nenhum. É cultura”, ressaltou a ministra em entrevista à Agência Efe.

Com potencial de investimento de R$ 25 bilhões, o benefício é distribuído atualmente para mais de 223 mil pessoas e tem sido usado principalmente na compra de livros, jornais e revistas.

Por meio deste programa, o Ministério da Cultura também espera fomentar o mercado cultural no país a médio e longo prazo, principalmente entre os setores que hoje sofrem com as distorções da Lei Rouanet.

“Nós achamos que, com o vale, as peças de teatro vão poder ousar mais, já que, até agora, o financiamento que nós tínhamos era via Lei Rouanet”, destaca a ministra ao reconhecer os “desvios” que a lei apresenta atualmente.

“Desta forma, com o vale-cultura, eu acredito que o teatro vai poder inovar, ser mais vanguarda, poder ousar, porque vai ter um público e isso vai ser muito interessante”, ressaltou a ministra da Cultura ao pontuar que se trata de um resultado para apresentar resultados “dentro de alguns anos”.

Críticas 

Criada na década de 90, a lei Rouanet tem sido criticada por favorecer grandes produções devido ao retorno publicitário que as empresas alcançariam ao apoiar artistas já renomados, como a baiana Claudia Leitte, que cantou na abertura da Copa deste ano e já teve um de seus shows apoiados pela lei.

“Quando eu fui olhar os beneficiados pela Lei Rouanet não vi temáticas negras e criadores negros. Então, o nosso primeiro gesto foi criar um edital para criadores negros”, revelou a ministra ao abordar um dos diversos editais criados pelo Governo Federal para fomentar a cultura local e periférica.

Entre eles está o “Conexão Cultura Brasil”, programa de bolsas de intercâmbio que serão distribuídas a artistas e produtores culturais com ou sem formação acadêmica.

“O esforço todo foi na direção de dar oportunidade para aqueles que têm talento e não chegam lá, não só porque não têm recurso para pagar uma universidade, uma passagem e se manter lá fora, mas também porque não tem nenhum diploma”, ressaltou a ministra.

Neste aspecto, Marta Suplicy também falou sobre a importância do Mercosul para o governo e para o Ministério da Cultura, que aposta em uma maior integração cultural com os países do bloco.

“Nós damos um foco grande ao Mercosul porque o Brasil hoje tem uma relevância muito grande e somos muito demandados também. E nós temos tido presença em todos os festivais tidos como os mais importantes” disse Marta à Efe.

Somente neste ano, pelo menos dois grandes festivais de artes cênicas no continente contaram com participantes apoiados pelo Ministério da Cultura: O Festival de Teatro de Bogotá, realizado em abril, e o Festival Internacional de Artes Cênicas de Santiago a Mil, no Chile.

“Nós levamos seis peças de teatro para o festival de Bogotá e traduzimos 14 peças de teatro que foram encenadas lá por atores colombianos”, destaca a ministra, cujo ministério ainda apoiará dois eventos: um de música, em Compostela, e outro de Arte Contemporânea, em Madrid, ambos na Espanha.

A iniciativa faz parte dos dois pilares que têm centrado as iniciativas do Ministério da Cultura: divulgação de aspectos desconhecidos da cultura brasileira em outros países e o fomento a iniciativas culturais populares.

“Quem decide o que as pessoas querem ver não somos nós do ministério e nem o governo, mas nós temos a obrigação de levar (aos outros países) aquilo que nós temos que fazer um esforço para conhecerem”, destacou Marta ao citar o fomento de uma exposição sobre Cândido Portinari no Grand Palais de Paris.

“Isso ninguém iria patrocinar. Nós fomos atrás de abrir espaço no Grand Palais e de levar patrocínios brasileiros para chegarmos lá e mostrar nosso maior pintor. E foi um êxito enorme”, concluiu a ministra.

 

( o dona MARTA , claro que uma pessoa da favela não vai num museu ver arte né ?  por isso cada um decide onde vai usar seu vale ( cultura ?) , pra isso que a senhora foi eleita ?

o pai trabalha o dia todo, não vai ao bale funk, mas seus filhos vão , ai sabem o que vão encontrar lá né ? não é funk de cultura, e sim o popular proibidão, ai viram drogaditos, bandidinhos e não sabe pq .)

elemento mata e debocha do crime cometido em baile funk de SOROCABA

O desempregado Luiz Henrique dos Santos Silva, 21 anos, foi quem matou, na madrugada de sexta-feira passada, o auxiliar de produção Tiago Pedroso, 24 anos. A autoria do crime, ocorrido na porta da casa noturna Estação Class, que fica sob o viaduto Jânio Quadros, após uma discussão iniciada no interior do estabelecimento, foi esclarecida pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG). O acusado, que já teve a prisão temporária decretada, está foragido.

De acordo com o delegado Acácio Aparecido Leite, as investigações feitas a partir do momento do crime, quando uma das equipes de homicídio esteve no local, apontaram Luiz Henrique como o autor. Porém, sua identificação também pela rede social, fez com que a polícia percebesse comentários alusivos ao crime. Para isso, o acusado se utiliza também de trechos de algumas letras de rap, das quais uma faz apologia ao crime e exaltação à facção Primeiro Comando da Capital (PCC).

Durante as investigações ficou evidente que a morte de Tiago foi mesmo decorrente de uma briga, por motivos ainda ignorados, iniciada dentro da casa noturna. Com o desentendimento contido no interior do estabelecimento, todos os frequentadores saíram para a rua, quando então aconteceu o desfecho fatal. Aparentemente a vítima foi morta por um disparo que teria atingido seu braço, que parecia estar quebrado, perfurando seu coração. Mas apenas o laudo pericial apontará o número de disparos, bem como a causa-mortis.

Imagens captadas pelo sistema de videomonitoramento do Terminal Santo Antonio mostram o momento em que centenas de pessoas saem correndo pela avenida, provavelmente após o disparo já ter ocorrido. Na sequência, aparece o carro guiado pelo acusado, um Ford Ecosport preto, trafegando em direção à praça da Bandeira, mas que ao chegar em frente ao Terminal de Ônibus, retorna até próximo ao local do crime e foge pela contramão da rua lateral da casa noturna, acessando o viaduto Jânio Quadros.

Ontem pela manhã, investigadores foram até a casa do acusado, no Jardim São Guilherme, para o cumprimento do mandado de prisão temporária por 30 dias, mas ele está foragido. O delegado Acácio disse que agora a polícia quer esclarecer a motivação do crime, mas que para isso é preciso localizar Luiz Henrique. A arma utilizada no homicídio também não foi apreendida. Ainda de acordo com o delegado, é possível que Luiz Henrique tenha saído da boate e ido até o carro buscar a arma. O delegado pede para quem tiver alguma informação sobre o paradeiro de Luiz Henrique, para avisar pelo 197. Não é preciso se identificar.

Apesar de nunca antes ter sido condenado, em 5 de março de 2011 Luiz Henrique foi averiguado por tráfico, sendo porém liberado. O rapaz que o acompanhava na ocasião, ficou preso pela venda de drogas. A vítima, que morava no Jardim Paulista, em Votorantim, não tinha antecedente criminal. No entendimento do delegado Acácio Leite, o fato do acusado postar comentários voltados para o ato criminoso não significa audácia, mas sim a sensação de impunidade: “quando eles acham que serão pegos? Eles se acham acima do bem e do mal”, disse.
 
Comentários

Para a polícia, os comentários feitos pelo acusado nas últimas horas, sugerem que ele estaria interessado em saber das investigações, como também demonstraria cansaço de ficar fora de circulação, sem ir para a rua. Tais comentários são “eu vou beber, dá um rolê, ver as notícias da TV….”: “tédiooooo – Q vontade de ir pa rua”.

Porém, em dois de seus comentários, Luiz Henrique se utilizou de letras de rap. Num deles, parte da letra utilizada é da música “Fórmula Mágica da Paz”: “Morrer é um fator, Mas conforme for, Tem no bolso na agulha e mais 5 no tambor….”, e por conta própria ele acrescentou “Quem pode mais saca primeiro…”

Em outro trecho, o acusado de matar o auxiliar de produção escreveu um trecho da música “Dia de Operação”, que faz apologia à violência: “”Não mexo contigo; Não mexa comigo; Desfez o acordo, toma CLACK BUM….”  (  a musica formula mágica da paz é contra  violência, curtir rap qualquer um curte, mas seguir a letra fielmente são outros 500.

quem pode mais saca primeiro, o cara atira num outro desarmado, queria ver ele enfrentar alguém tb armado, no baile funk do HABITETO por ex, ai o bicho pegava pra ele ,desempregado mas tem carro e grana pra baile funk, de onde vem a bufunfa ?
a policia tem obrigação moral de pegar este cara e botar em cana, que tal no presídio do MINEIRÃO onde o cara arrancou o coração do outro, ai queria ver a valentia dele la dentro, pois não teria o CLACK BUM.)

roupa de mulher é rasgada em baile funk no GAMA (DETRITO FEDERAL)

pokjfkpfdkpl

Um vídeo na internet mostrando supostos abusos sexuais contra mulheres terminou em caso de polícia. A filmagem, provavelmente feita por celular, mostra cenas de suposta violência contra mulheres em um baile funk realizado em uma chácara na área rural do Gama, Distrito Federal. No vídeo, enquanto um dos integrantes de um grupo de funk segura uma jovem por trás, outro simula sexo oral.

Em seguida, os integrantes começam a dançar e levantam a saia dela, simulando sexo. Após conseguir levantar do chão, a jovem tenta sair, mas perde um short e por pouco não fica sem a calcinha. Outra jovem que também aceita dançar com dois rapazes, tem o vestido suspenso e a roupa íntima arrancada. A gravação mostra ainda simulações de sexo oral.

Segundo informações, as festas possuíam todas as licenças e autorizações necessárias para realização. Conforme a polícia, a casa de shows foi denunciada e um inquérito foi instaurado. O caso só será comentado após o fim das investigações. Há suspeita de venda de drogas ilícitas no local. Serão ouvidos os organizadores da festa, as jovens que aparecem no vídeo publicado no Youtube e o dono da chácara.

( nada justifica a violência contra a mulher, mas tb elas frequentando estes lugares sabem ou deveriam saber que pode acontecer algo,ainda mais numa chácara, lugar afastado .

e quer saber, dane-se é lugar afastado mesmo, vai quem quer, deixa rolar, afinal a população não ta sendo atingida mesmo por ser lugar afastado, por isso que toda casa noturna, deveria ser fora da cidade ai que se dane tudo.

as mulheres da festa, que eventualmente, estejam em suas casas ainda traumatizadas e chorando que da próxima vez achem uma diversão mais sadia, cinema, teatro, um filme em casa etc.)

casos de estupro crescem em SOROCABA, e todos feito baratas tontas nada fazem.

Engrossando a estatística da SSP (Secretaria de Segurança Pública), a Polícia Civil de Sorocaba contabilizou mais um possível caso de estupro envolvendo vulneráveis.Dados da SSP mostram que os casos de estupro registrados no município aumentaram em cerca de 42,05% até agosto de 2011, 107 foram registrados; no mesmo período deste ano, eles chegaram a 152.Investigado/ Na manhã desta terça-feira (9), Elton Luiz Soares, 18 anos, foi levado ao Centro de Detenção Provisória. Na noite anterior ele foi indiciado em flagrante pelo crime de tráfico de entorpecentes e será investigado por cárcere privado e estupro de vulneráveis.Na noite de sexta-feira, uma adolescente de 16 anos – que, segundo a família, possui problemas psicológicos – fugiu de casa para ir a um baile funk, no Jardim Ipiranga e desapareceu.“A menor foi ao encontro de uma amiga, que a acompanharia no baile, mas encontrou Elton no caminho e se envolveu com ele”, explica o sargento da Polícia Militar Carlos Silva, que atendeu a ocorrência com o soldado Fabiano.

A menina permaneceu na casa do garoto até a tarde de ontem, quando teve acesso a um celular e informou aos familiares onde estaria.

Flagrante/ Os militares envolvidos na ocorrência contaram ao BOM DIA que no momento em que a viatura chegou na rua, um grito de socorro foi ouvido dentro da casa. “A casa era alugada e o dono estava nas proximidades. Ele autorizou a nossa entrada”, esclarece o sargento Carlos Silva. Com isso, a porta da casa foi arrombada e a adolescente foi encontrada chorando embaixo da mesa da cozinha.

A vítima contou aos policiais que a casa era utilizada para embalar drogas. Em um dos armários da cozinha foi encontrado um pote contendo uma grande porção de maconha e 27 embalagens da mesma droga, prontas para serem vendidas.

Elton assumiu aos militares que embalava e vendia drogas. A adolescente explicou que manteve relações sexuais com o jovem durante as duas noites nas quais se manteve em sua casa.

Na delegacia/ A ocorrência foi encaminhada à Delegacia de Defesa da Mulher. O pai da adolescente reencontrou a filha e se mostrou chocado com a situação. Segundo ele, após a separação de sua mulher, a adolescente ficou morando com ele. Ela recebia medicação controlada mas, desde então, não tem recebido o remédio.

O acusado confessou que teve relações sexuais com a jovem, mas negou ter praticado o ato sem seu consentimento. Inicialmente, a menor contou que seu celular foi tomado e que ele teria ameaçado sua vida, caso deixasse a casa. Por esta razão, a DDM registrou um boletim de ocorrência de estupro e averiguação de cárcere privado.

Lei define limite das escolhas de deficientes
Desde 2009, a lei 12.050 – que substituiu a lei 244 – trata de forma rigorosa os crimes sexuais. Com isso, houve o agravamento de penas e medidas processuais, principalmente para os crimes cometidos contra menores de idade. Nesta esfera, estão os adolescentes considerados vulneráveis (até 14 anos e os que possuem algum tipo de deficiência psicológica).De acordo com a delegada Marta Ayres Cardum, que atendeu o caso envolvendo Elton Luiz Soares e a adolescente de 16 anos, a jovem não aparenta ter deficiência psicológica.“A vítima explicou que permaneceu na casa por sua própria vontade, durante estes dois dias”, destaca a delegada, que completa: “A relação sexual teria ocorrido na madrugada dos dias anteriores, por isso não caracterizou o flagrante.”Por esta razão, um exame de constatação de conjunção carnal foi pedido, assim como um laudo para provar que a vítima possui, de fato, alguma deficiência. A legislação brasileira determina que uma pessoa com problemas psicológicos, principalmente nesta idade, não tem condições de responder por si mesma. Portanto, praticar sexo com alguém que se enquadre nestes quesitos é considerado estupro de vulneráveis. A delegada Marta explica que o inquérito está sendo concluído. Se a Justiça entender que a vítima é deficiente, Elton responderá pelo estupro. ( pra ir em baile funk, não tem problema psicológico né ? agora vai ser a nova mania dos di menor ? 

ah eu atirei no cara pq tenho problema psicológico, estou traficando por ter problema psicológico e assim vai por diante, e a ( JUSTIÇA) como sempre , abaixa as calças pra di menor , a da licença vai, ninguém é vulnerável nesta história, a garota foge de casa, ai vai pra casa do cara , da pra ele e depois avisa a família ?
o cara vi preso e dai ? amanhã ele pode sair e ainda voltar pra se vingar da garota e da família dela, eles terão é de se mudar pra outra cidade, ou ficar e correr este risco.) 

motorista de ônibus passa mal, e é espancado em SP

Motorista de ônibus passa mal, bate e é linchado

SÃO PAULO – Um motorista de ônibus foi espancado até a morte no fim da noite deste domingo, em Sapopemba, na Zona Leste de São Paulo, depois que bateu em três carros e três motos. Edmilson dos Reis Alves, de 59 anos, passou mal ao volante e perdeu o controle do coletivo, que acabou atingindo veículos estacionados. Ele teria sofrido um derrame cerebral. Uma passageira que viu o motorista passar mal puxou o freio de mão do ônibus e conseguiu parar o coletivo.

Na praça perto da rua onde o ônibus perdeu o controle acontecia um baile funk, com cerca de 300 pessoas. Um grupo de homens ficou revoltado, achando que o acidente foi imprudência, apedrejou o coletivo e retirou o motorista desacordado do ônibus. Alves foi linchado. Ele chegou a ser socorrido, mas acabou morrendo. Aposentado há dois anos, preferiu continuar trabalhando para complementar a renda.

A polícia, que não sabe ainda quantas pessoas participaram do crime, faz buscas pela região. Ninguém foi preso.

http://noticias.r7.com/sao-paulo/noticias/motorista-de-onibus-morre-apos-bater-em-quatro-carros-e-uma-moto-na-zona-leste-20111128.html  ( no link vc tem o vídeo da matéria , bem ainda não está confirmada como o motorista morreu, se foi de mal súbito , derrame cerebral sei lá, ou se foi devido ao espancamento provocado por esta corja de anormais.

e agora JOSÉ, pergunte se alguém, que espancou , vai se entregar a policia e dizer que se arrepende, que não sabia que o homem tinha passado mal antes ? ninguém vai, pq quem faz isso é tão bandido como qualquer outro, e ainda vem gente na net que quer que o povo tenha arma de fogo pra se defender de bandido.

claro que isso viraria faroeste, se ali estivessem todos armados, tinham feito peneira do pobre homem, ah mas a empresa é culpada, o cara tava aposentado, pq deixaram ele trabalhar ? ai a empresa é que teria de responder.

nada justifica isso, tb tinha de ser baile né ? gente bebendo, ai deu nisso.)