modelo protesta contra DILMA na avenida e é expulsa

<p>Ju Isen causou uma verdadeira confusão no Sambódromo do Anhembi, São Paulo, durante o desfile da Unidos do Peruche, neste sábado (6). A modelo desfilou como Madrinha das Passistas, mas acabou sendo expulsa do local por ter tirado a roupa.</p><p>Famosa por ter ficado nua durante protestos contra o governo federal, a loira decidiu causar polêmica também na Passarela do Samba, após ter sido impedida de exibir o corpo com um tapa-sexo com uma caricatura da presidente Dilma Rousseff.</p><p>Enquanto a comunidade evoluia no Sambódromo, a moça decidiu tirar toda a fantasia, deixando os organizadores bastante insatisfeitos. Paulo Sérgio Ferreira, presidente da Liga Independente das Escolas de Samba fez questão de retirá-la do local.</p><p>Na confusão, Ju afirmou que saiu machucada e que pretende processar a escola da Zona Norte. O presidente da Peruche adiantou que vai verificar o que aconteceu, mas que reprova sua atitude. "O que ela fez não foi legal. Tem um monte de criança, um monte de gente. Isso só acaba denegrindo a imagem do Carnava", disse ao "G1".</p><p>E garantiu que também pretende tomar medidas contra a Isen: "Tenho quase certeza que faremos isso. Não pode fazer esse tipo de situação que ela fez. Não combina com o Carnaval". </p>

Ju Isen causou uma verdadeira confusão no Sambódromo do Anhembi, São Paulo, durante o desfile da Unidos do Peruche, neste sábado (6). A modelo desfilou como Madrinha das Passistas, mas acabou sendo expulsa do local por ter tirado a roupa.

Famosa por ter ficado nua durante protestos contra o governo federal, a loira decidiu causar polêmica também na Passarela do Samba, após ter sido impedida de exibir o corpo com um tapa-sexo com uma caricatura da presidente Dilma Rousseff.

Enquanto a comunidade evoluia no Sambódromo, a moça decidiu tirar toda a fantasia, deixando os organizadores bastante insatisfeitos. Paulo Sérgio Ferreira, presidente da Liga Independente das Escolas de Samba fez questão de retirá-la do local.

Na confusão, Ju afirmou que saiu machucada e que pretende processar a escola da Zona Norte. O presidente da Peruche adiantou que vai verificar o que aconteceu, mas que reprova sua atitude. “O que ela fez não foi legal. Tem um monte de criança, um monte de gente. Isso só acaba denegrindo a imagem do Carnava”, disse ao “G1”.

E garantiu que também pretende tomar medidas contra a Isen: “Tenho quase certeza que faremos isso. Não pode fazer esse tipo de situação que ela fez. Não combina com o Carnaval”.

( primeiramente um tapa sexo seria dificil todos notarem que contra DILMA, mas como ela já havia anunciado que entraria , e pelo jeito o carnaval foi tomdo pelos petistas, pois não se pode protestar.

nudez ? oras todos ficam nus, bebedeira, estão usando camisinha, beijo na boca tb pode transmitir o ZIKA e ai , todo mundo ta ligado ?

será que não teremos nenhuma grávida do carnaval mês que vem ? heim ? a modelo não pode protestar, ah mas é festa, carnaval, oras o povo samba o ano todo todo por este governo de bosta que ta ai, ah a escola pode perder pontos, se for perder então é gente que não sabe julgar o carnaval, que alias todo ano é polêmico, escolas que se dizem roubadas, jurados corruptos etc

a modelo quis se promover, se aparecer, e os idiotas deram motivo, não souberam agir na surdina, expulsam a pontapés e agressões, querem o quê ?

Link permanente da imagem incorporada

inédito, carnaval de rua em SOROCABA será em recinto fechado.

As escolas de samba de Sorocaba não sairão às ruas da cidade em 2016, sendo que os desfiles devem ocorrer em um recinto fechado. A decisão foi tomada ontem à noite durante reunião entre representantes das agremiações. Assim, o evento terá cobrança de entrada e acontecerá em um local particular, a Arena Show Car, no bairro Ipanema das Pedras.
 
Mais cedo, o presidente da Superliga, José Carlos dos Santos, o Santão, participou de encontro no 7º Batalhão da Polícia Militar de Sorocaba, com a presença de representantes da Prefeitura de Sorocaba e do Corpo de Bombeiros, em que foram expostas as exigências que deveriam ser cumpridas para que a festa ocorresse nas ruas. A lista de providências, entretanto, estaria além do que a liga consegue arcar financeiramente. Para que o desfile ocorresse nas ruas do bairro Pinheiros, seria necessário o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), seguranças particulares, iluminação, duas ambulâncias e serviço de limpeza.
 
De acordo com Santão, apenas o aluguel das ambulâncias, para os dois dias de evento, ficaria em R$ 6 mil. Neste ano, as escolas de samba e os blocos carnavalescos de Sorocaba não receberam verbas municipais. Segundo o presidente da liga, os trâmites legais para a obtenção dessas licenças sempre foram feitos pela Prefeitura, sendo que as escolas não conhecem esses processos. O presidente deixou claro, porém, que compreende e concorda com as exigências de segurança, apenas não tem condições de cumpri-las. “Não está em nosso alcance fazer esse Carnaval aberto”, afirmou.

( bem , menos barulho e baderna pela cidade, mas e os clubes ? agora a coisa ficou restrita em lugar fechado, mas vejam agora o que seria o real motivo por não ter carnaval de rua, é o que circula na net, leia tudo e conclua vc mesmo.

 

Em 2016 Sorocaba não terá desfile das escolas de samba. A prefeitura cortou a verba dos sambistas. Não por seguir o bom exemplo dado por várias cidades, priorizando a saúde, a educação ou a segurança. Não !! A prefeitura cortou a verba porque as escolas de samba declararam independência e decidiram não “comer mais na mãozinha” da SECULT. Para a administração Pannunzio, carnaval tem que ser adestradinho, manipulável e submisso aos esquemas políticos-partidários. Se não, não tem CARNAVAL !! As escolas abandonaram a LISOBES e sua pelegagem, e fundaram a Superliga. Então vieram as “exigências”… AVCB, alvará do Corpo de Bombeiros, o símbolo máximo da hipocrisia, já que a prefeitura exige dos outros, mas ela mesmo não tem, nem no próprio prédio da prefeitura, como nas escolas e demais edifícios públicos municipais.

 

Aliás, grande parte da politicagem sorocabana é composta por CORONÉIS, e como se pode exigir que simples sargentos ou tenentes do Corpo de Bombeiros peitem esses superiores, quebrando assim a hierarquia? Portanto hoje, esse alvará de vistoria só serve mesmo para ser usado como arma contra os mais fracos. Seguranças Particulares… verdadeira aberração, pretender esse tipo de segurança em vias públicas. Isso é função exclusiva da Polícia Militar, que deve ser imparcial. Porque a PM não pode fazer a segurança dos desfiles carnavalescos, se faz a da Procissão de Aparecidinha? Será porque procissão é de Deus, enquanto carnaval é do capeta? Iluminação…

 

Quem tem que iluminar a cidade é a concessionária do serviço público, ajuizada pela prefeitura, e não agremiações particulares. Ambulâncias… outra aberração, tentar jogar nas costas dos sambistas a responsabilidade pela saúde das pessoas, muitas delas que inclusive estarão ali não em função do desfile, mas pelo simples fato de residirem no local, ou mesmo em trânsito. Essas e outras “exigências” encurralaram as escolas, empurraram-nas para um recinto fechado, longe da população, onde provavelmente ninguém vá para assistir o samba passar. Você, que teve saco para ler todo esse texto, saiba que essa foi a forma covarde, maliciosa e canalha com que a prefeitura municipal de Sorocaba achou por bem adotar para se livrar da marca registrada do Brasil no exterior, símbolo da autêntica cultura popular, e da livre manifestação do povo brasileiro.

( não é de hj que carnaval sempre foi usado pra politicagem, ainda mais em ano eleitoral, portanto perde vc folião, que vai ter de ir até o IPANEMA DAS PEDRAS, ou ficar em casa ou ainda ver se vai ter bagunça em algum clube da cidade.)

 

de menores ( ah tá) chapam o coco no carnaval de SOROCABA

Jovens embriagados foram levados pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) – Por: Luiz Setti
 

Pelo menos sete menores de idade foram encaminhados ao Hospital Regional de Sorocaba, todos embriagados e cinco deles desmaiados. Eles participaram da festa de Carnaval promovida pelo bloco Boca a Boca, na noite deste domingo (10), na praça Carlos Alberto de Souza, no bairro Parque Campolim.

A identificação de todos serem menores de idade foi feita por quatro integrantes do Conselho Tutelar de Sorocaba: Andréa Biancalana, Natália Lucena, Luciana Aro e Silmara. As conselheiras trabalharam durante a festa, flagraram jovens de até 18 anos com bebidas alcóolicas e atuaram na companhia de 80 policiais militares e 40 guardas civis municipais.

Os sete menores embriagados permaneceram deitados na praça, em fileira, próximos à calçada da avenida Caribe. Eram cinco homens e duas mulheres. Alguns mexiam o corpo apenas para vomitar. Outros tentavam se levantar, mas mal conseguiam erguer a cabeça. 

Segundo a conselheira tutelar Natália Lucena, as ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram acionadas às 19h para o socorro dos adolescentes. Os veículos começaram a chegar às 20h20. A primeira a ser levada foi uma menina, que aparentava ter 16 anos de idade. No segundo carro foram embarcados três jovens – um foi deitado na maca e os outros dois sentados.

As ocorrências durante a festa do bloco Boca a Boca não pararam por aí. O subcomandante da Guarda Civil Municipal (GCM), Ezequiel de Oliveira, confirmou a detenção de um menor de idade com posse de cocaína e maconha. O ato infracional foi registrado na Delegacia de Polícia Participativa (DPP) da zona sul.

Uma briga também ocorreu na praça, em uma das trilhas da pista de caminhada. Aproximadamente dez pessoas correram em direção a uma pessoa, que foi ferida com uma garrafa de vidro na cabeça. O casal Kleber Mateus Dias Batista Soares e Tamiris Pedroso – grávida de nove meses -, ambos de 18 anos, presenciaram a confusão. “Uns policiais foram para cima e atiraram gás de pimenta para apartar a briga”, conta.

A festa no Parque Campolim começou às 17h e o carro de som do bloco Boca a Boca terminou de tocar músicas às 20h. Mesmo assim, o povo presente no evento permaneceu na praça. Bastava caminhar pelo local para encontrar pessoas com bebidas alcoólicas nas mãos, sem qualquer tipo de disfarce. “Abordamos menores com garrafas de vodca, de pinga, latas de cerveja em baldes cheios de gelo e com embalagens de refrigerante, que eles usaram para enganar ao misturar com o álcool”, comenta a conselheira tutelar Andréa Biancalana.

De acordo com Andréa, a bebida alcoólica era trazida de casa ou era comprada em supermercados da região. “Geralmente, os menores pedem para os maiores de idade comprarem para não haver nenhum impedimento”, diz.

O presidente em exercício do bloco Boca a Boca, João Gabriel, comenta que a segurança nesse tipo de evento popular é um dever do poder público. “Mesmo assim, contratamos 30 seguranças particulares e uma ambulância com unidade de terapia intensiva”, ressalta. A festa prossegue na terça-feira em Sorocaba com o bloco Recreiol  ( não sei se isso ai é de menor, mas se for qual a diferença ? só na cabeça dos atrasados ou de quem não quer mudar nada e lucra com esta porcaria de 18 anos . 

esta criatura caida ai , ainda teve sorte de um tardo não aproveitar e levá-la pra um local ermo e se aproveitar, vejam as demais fotos, ela ta de bermuda , pra facilitar ainda mais.)

o lucro do carnaval de SALVADOR, pq não querem perder a festa ?

No carnaval de Salvador gastos são públicos e lucros, privadosFoto: AGÊNCIA ESTADO

FESTA MAIS TRADICIONAL DA CAPITAL É POUCO FREQUENTADA PELOS BAIANOS. SÃO ELES, NO ENTANTO, QUE PAGAM – E CARO – A CONTA. ARTISTAS E EMPRESÁRIOS SÃO OS QUE MAIS FATURAM

04 de Maio de 2011 às 18:36

Natália Rangel_247 — Pesquisa surpreendente divulgada pelo principal jornal soteropolitano, A Tarde, revelou que 76% dos baianos entrevistados têm o hábito de fugir da capital durante o Carnaval. Ou seja, na terra da folia, os anfitriões deixam a casa para os turistas nacionais e estrangeiros fazerem a festa. O fato encerra contradições e injustiças importantes destacadas em reportagem publicada pela revista baiana A Metrópole que mostra que a prefeitura de Salvador paga caro pelo Carnaval e recebe em troca menos do que gasta. Ou seja, segundo dados divulgados pela prefeitura, na festa de 2009 a administração investiu R$ 31 milhões e teve um prejuízo de R$ 17,4 milhões. Enquanto isso, os empresários e artistas registraram lucros da ordem de dezenas de milhões, pagando pelo uso do espaço público, a irrisória taxa de R$10,58, mais R$ 42,4 pelo metro quadrado de seus camarotes.

Entre os camarotes que mais faturam estão o Salvador, que recebe cerca de três mil pagantes, cobra R$ 1,2 mil por dia e arrecada nos três dias R$ 14,4 mil, em média. O bloco comandado por Bell Marques, do Chiclete com Banana, fatura R$ 6,2 milhões, reúne duas mil pessoas e cobra de cada um deles um valor que varia de R$ 350 a R$ 690. Alguns dados dos blocos e camarotes, segundo A Metrópole: blocos: Camaleão fatura, com a venda de abadás, R$ 6,65 milhões; Me Abraça fatura R$ 5,4 milhões; Corujas fatura R$ 4,94 milhões. Isso em três dias. Entre os camarotes, o Reino arrecada R$ 7,2 milhões; Nana Banana, R$ 6,2 milhões e Camarote Salvador, R$ 14,4 milhões. É por esta e outras que se fala hoje que a capital soteropolitana privatizou o Carnaval. Cada metro quadrado do extenso percurso praticado pelos blocos e trios elétricos têm um preço estipulado e não é barato (como se pode ver acima), os blocos de rua estão quase extintos e até quem trabalha na folia usufrui pouco da dinheirama que circula entre empresários e artistas: a figura mais tradicional do carnaval desde o surgimento dos trios elétricos, os cordeiros, aqueles que seguram as cordas que delimitam os blocos, ganham em geral menos de 10% do que um folião paga para participar da festa, cerca de R$ 30. Disparidades que vêm se acentuando em outras esferas sociais da cidade de Salvador. ( e a galera garante que vai ter carnaval sim, afinal não querejm perder o lucro por causa de uns PMS querem ?)