curreta joga tinta em repórter do PÂNICO durante protesto dos ciclistas em SP



A panicat Ana Paula Mineratou levou um susto duranta gravação do “Pânico na Band” na noite deste sábado (9) em São Paulo. Uma manifestante que participavaa da “Pedalada Pelada”, evento que aconteceu na Avenida Paulista, se irritou com a presença da reportagem do programa e jogou tinta vermelha na assistente de palco. Procurada pelo UOL, a assessoria de Ana Paula disse que “ela estava muito chateada” e que em razão do ocorrido a gravação foi cancelada.

 “Eles não estavam ali para zoar a manifestação, eles queriam entrevistar as pessoas e até iriam andar de bicicleta. Uma louca chegou perto da Ana Paula e fez isso. Ela está muito chateada”, contou. Segundo repórter fotográfico da AgNews, que estava presente no local, a manifestante bradou contra Ana Paula dizendo que o “Pânico” estimula as mulheres a usarem o corpo para aparecerem na mídia. “Ela [a manifestante] disse que era contra o programa, que eles não valorizam a mulher”, explicou o fotógrafo Amauri Nehn


.
Amauri Nehn/AgNews

Ana Paula disse que eles não tinham intenção de participar do evento e prejudicar a causa. “Estavamos fazendo uma reportagem sadia. Não queríamos denegrir a imagem de ninguém”, disse a panicat, que afirma apoiar os ciclistas e que não revidou após a agressão.


 “Não fiz nada contra ela, só tentei explicar o motivo de estarmos ali”. A panicat lembrou ainda que a equipe de outro programa humorístico já foi agredida na mesma manifestação no passado. “Acho que eles têm algum problema com programas de humor. Eles pensam que tem que estar de terno e gravata para ser um programa sério. Nós estávamos fazendo uma reportagem bacana, que não tinha lado negativo”, concluiu a repórter do programa “Pânico na Band” ( se pegarem esta manifestante e levpa-la ao clube das mulheres ? ela vai gostar, ou vaio dizer que os homens ali tb são explorados com semi nudez ?

vai dizer que ah lugar fechado pode ai é de cada um, nós já temos ditadura dos carros, tomando conta das ruas e atropelando a todos, pois não querem pedestres, eles é que querem mandar, aqui no meu bairro tenho de tomar todo cuidado pois os motoristas se sentem donos da rua , exclusividade só pra eles.


esta que jogou tinta quer respeito, mas tb deveria respeitar os outros , e se um motorista de carro jogasse tinta nela, gritando vai pra casa a rua é dos carros, mulher não tem de dirigir, lugar dela é em casa , e ai como ela se sentiria ?

ciclista perde o braço em atropelamento em SP por causa de um motorista bebum, até a médica protestou

Post publicado no Facebook por Rachel Baptista

Por meio de sua página no Facebook, a médica Rachel Baptista, da equipe do Hospital das Clínicas que atendeu o ciclista atropelado na manhã deste domingo (10) na av. Paulista, pediu a “punição” do motorista e o chamou de “monstro”.

David Santos de Souza, 21, teve o braço decepado no acidente. O motorista, o estudante de psicologia Alex Siwek, 22, fugiu sem prestar socorro e, depois, jogou o braço da vítima em um córrego da zona sul.

De acordo com a políciatestemunhas afirmam que o motorista havia bebido e trafegava em “velocidade incompatível com a via”, dirigindo em zigue-zague.

“Sou totalmente a favor da lei seca e de tolerância zero. Não há como ter brechas permitindo pessoas totalmente irresponsáveis dirigirem nestas condições. Tem que haver justiça neste país”, escreveu, referindo-se, provavelmente, ao fato de o motorista ter se recusado –com o amparo da lei– a fazer o teste do bafômetro.

O UOL não conseguiu contato com a médica às 23h40 deste domingo. O Hospital das Clínicas confirmou que Rachel Baptista faz parte da equipe que atendeu o ciclista.

“Sinto muito, mas chegamos ao nosso limite. Sinto pela família e pelo paciente”, concluiu Rachel.

A médica abriu seu post chamando o motorista de monstro. “Quero manifestar a minha indignação quanto à atitude desse monstro que atropelou o ciclista na avenida Paulista e que inviabilizou a chance desse menino de 21 anos de tentar recuperar o braço”, escreveu.

“Estávamos prontos para tentar o reimplante e infelizmente a polícia, juntamente com os bombeiros, não conseguiram encontrar o braço no rio”, completou.

Alex Siwek está detido e foi encaminhado na noite deste domingo ao 2º DP (Bom Retiro), na região central da capital. Ele deverá ser indiciado por quatro crimes: tentativa de homicídio doloso (por ter assumido o risco de matar), omissão de socorro, embriaguez ao volante e fraude processual (porque tentou se desfazer do braço da vítima).

Ampliar

Ciclista perde um dos braços após ser atropelado na avenida Paulista, em SP26 fotos

1 / 26

10.mar.2013 – Um ciclista perdeu um braço em um acidente com um veículo na manhã deste domingo (10), próximo à estação Brigadeiro do metrô, na avenida Paulista, em São Paulo Leia mais J. Duran Machfee/Futura Press

O acidente

O acidente ocorreu na altura da estação Brigadeiro do metrô, na ciclofaixa sentido Paraíso da avenida Paulista, por volta das 5h30 deste domingo (10). Nesse horário, a ciclofaixa de lazer da avenida ainda está desativada –o horário de funcionamento da faixa exclusiva para ciclistas é das 7h às 16h, aos domingos e feriados–, mas os cones que a separam das demais vias já tinham sido colocados.

O motorista fugiu do local levando o braço da vítima no veículo. Posteriormente, jogou o membro em um córrego da rua Ricardo Jafet, na zona sul da cidade. À polícia o motorista disse que o braço da vítima caiu dentro do carro, mas que só percebeu a presença do membro mais tarde.

Depois, Siwek se apresentou ao 3º batalhão da PM, na Saúde. Na tentativa de encontrar o braço do ciclista, os policiais refizeram, com Siwek, o trajeto realizado pelo motorista, mas o membro não foi encontrado.

Ampliar

Ciclistas pedalam nus em protesto para pedir respeito no trânsito28 fotos

1 / 28

Ciclistas de São Paulo (SP) promovem na avenida Paulista a “World Naked Bike Ride”, um ato em que os participantes saem nus (ou não, pois não é obrigatório) e de bicicleta pelas ruas para pedir respeito aos ciclistas no trânsito. A pedalada ocorreu em diversas cidades do mundo .( agora vamos esperar que a médica nãp seja punida por manifestar sua opinião, já que policiais, por ex não podem pois a corporação não permite.
quanto ao motorista, vamos ver que desculpa que ele vai dar, ah fugiu pq gritaram lincha é a desculpa mais dada, mas jogar o braço do cara num córrego ai já é demais né ?)