prostituição infantil entra em campo com tudo na copa, e ainda falam que combatem ah tá

Trágico: ruas do Brasil estão cheias de “milhares” de crianças desesperadas. Dois retratado aqui com um trabalhador caridade missionária

Crianças a partir dos 10 estão sendo obrigados a vender-se para o sexo nas ruas do Brasil para lucrar com as ondas de torcedores indo para a Copa do Mundo.

Uma investigação Sunday People hoje revela como as crianças que vivem na miséria chocante e no alto de crack são exploradas por traficantes e cafetões de drogas.

E, como 600 mil fãs estrangeiros, incluindo britânicos inundação no Brasil esta semana, a situação dos jovens vai piorar.

Eu voei para fora na semana passada para sediar cidade Recife, na costa nordeste de entrevistar crianças envolvidas no ciclo vicioso da prostituição.

Como um ex-detetive e com quase 30 anos de experiência em investigações de abuso infantil, incluindo o escândalo Jimmy Savile , o que eu encontrei no Brasil me fez estremecer.

Milhares de crianças desesperadas …

TOUT para o sexo por apenas £ 1,30 após cafetões encomendá-los a usar roupas e maquiagem para parecer mais velho.

PLY seu comércio sórdido poucos metros dos hotéis onde os fãs britânicos vão ficar.

SNIFF a partir de garrafas de cola industrial para parar a dor da fome.

FEAR por suas vidas após uma prostituta de 14 anos de idade, foi assassinado e seu corpo foi jogado na rua no mês passado por um homem que se recusou a pagar por sexo.

Este comércio chocante de meninas e meninos nas esquinas se passa sob os narizes de polícia na sétima economia mais rica do mundo.

Com suas praias atraentes ao lado de arranha-céus, Recife é a quinta maior cidade do Brasil e vai acolher cinco jogos da Copa.

Inglaterra vai jogar lá em jogos a eliminar, se vencerem o seu grupo.

Mas Recife está repleto de drogas e abuso infantil que trabalhadores da caridade dizer é o mesmo em todas as cidades do país.

 

Cola crianças
Cola crianças: Eles inalar cola – apelidado de ‘cola’

  

Assim que você chegar ao aeroporto, os motoristas de táxi esperando para buscá-lo oferta para levá-lo a lugares para comprar drogas ou sexo.

As crianças sentam em torno de praças do centro da cidade , onde os fãs se reunirão.

Esta deve ser uma cena inofensiva de inocência, mas muitas dessas crianças vão estar oferecendo sexo sem pensar duas vezes.

O que imediatamente me impressionou é como o jovem essas crianças eram. Muitos tentaram fazê-los parecer mais velho com roupas e maquiagem.

Acompanhado por um tradutor e um missionário que trabalha com crianças nas ruas, falei com três meninas muito jovens, um dos quais claramente não estava bem por causa das drogas que tomava e cola ela estava cheirando.

Lorrisa é de apenas 13 e seu quadro tão pequeno que eu tenho certeza que o seu crescimento tinha sido atrofiado pelo uso de drogas.

Ela cheirou a partir de um frasco de plástico contendo cola forte industrial, que apelido de “cola”, como ela explicou como ela vive.

Eu segurei a garrafa debaixo do meu nariz para ver o que era eo cheiro era insuportável, me deixando com uma dor de cabeça.

Lorrisa me disse: “Cheirando a cola faz-me sentir tonta e dormente e isso me deixa de sentir fome, então eu não preciso comer.

“Isso me ajuda a lidar com a violência e perigo nas ruas.”

Eu estava acompanhado por um amigo de Lorrisa Raphaela, 13.

Ela me contou como ela se aproximou por dezenas de homens à procura de sexo – moradores, turistas e taxistas.

Eles vão pagar 10 reais, o equivalente de £ 2.60.

 

SATIROProstituta Criança
Prostituta: Raphaela, 13

  

Ela contou uma história assustadora sobre sua amiga Mickela de 14.

Ela disse: “Mickela viveu na rua e ela foi assassinada no dia de uma greve da polícia .

“Um homem a pegou pela estação de trem de metrô e ela teve relações sexuais com ele.

“Mas depois que ele se recusou a pagar, a matou e jogou o corpo dela. Ele só aconteceu algumas semanas atrás.”

Disseram-me mais tarde por uma prostituta mais velha, que tem assumido um papel de mãe para os filhos que a polícia não conseguiu encontrar o assassino.

Nas três horas que passei com as crianças, pois foi abertamente sobre os seus negócios, um carro da polícia passou duas vezes, mas os oficiais não fizeram nada.

Pimps ir e vir ao lado de traficantes de drogas, com a certeza de que a polícia é incapaz de conter o horror.

Calliem, 14, me contou como ela começou a vender seu corpo para o sexo aos 11 anos.

“Eu tenho sexo tantas vezes com os homens e eles só me pagar cinco reais”, disse ela.

É o equivalente de £ 1,30.

Calliem é um usuário regular de “cola”, maconha e crack – adquirir o crack de um traficante que visita regularmente as ruas.

Ela disse: “Meu pai está morto, minha mãe vive em um abrigo com a minha tia e havia nove irmãos e irmãs.

“Três deles já estão mortos. Um foi morto em um tiroteio “.

 

Brasil mapa
Brasil

  

Sua família restante sei que ela vive nas ruas vendendo-se para o sexo.

O que foi mais chocante foi a forma como a matéria-de-fato que ela descreveu a sua vida, como se fosse perfeitamente normal e aceito.

Calliem me disse que teme que a Copa do Mundo só vai atrair mais homens que querem ter relações sexuais.

Uma mulher de 41 anos, que vive nas ruas desde que ela tinha sete anos, disse: “As crianças estão em risco real de homens locais e turistas.”

Ela apontou um menino de 10 anos que foi forçada a se prostituir.

Ela disse: “As crianças vão com os homens porque eles são ricos em drogas ou precisa de mais dinheiro para comprar drogas.

“Eles usam drogas para anestesiar a dor do abuso sexual, em seguida, tornar-se viciado precisa vender-se uma e outra vez para levantar o dinheiro.”

As drogas são amplamente disponíveis no Brasil eo país está nas garras de uma epidemia de crack.

Eu conheci um garoto de 15 anos viciado em crack e “cola” e pimped por um homem que chamam de tio.

Eu também foi levado para o famoso Santo Amaro favela favela para falar em segredo com um traficante de nível médio, Stephanie.

Você poderia passar por ela na rua e não acho nada dela, mas a realidade é muito da comunidade teme ela.

Ela me disse: “Acabei de vender rachadura mas apenas para adolescentes e pessoas mais velhas. Um dos meus clientes é um advogado. “

Quando eu disse a ela as drogas eram muitas vezes vendidos para crianças de tenra idade, ela começou a chorar. Ela tem seus próprios filhos e explicou que seu filho mais velho com 18 anos é viciado em crack .           

 

SATIRODuas crianças prostitutas
Salvador: Dois criança prostitui com trabalhadores da caridade missionária

 

E ela me disse o quão perigoso o crack é: “Ele foi enviado pelo diabo para fazer três coisas – para matar, roubar e destruir a vida das pessoas.”

Eu tenho a impressão de vida, houve uma correia transportadora que ela, também, não poderia sair – de frente para um futuro de prisão ou ser assassinado em uma briga de drogas.

Eu conheci o comandante da polícia, Major Angelo, que me convidou para uma visita à estação ao lado de um oficial do departamento de Tráfico de Seres Humanos.

Para minha surpresa, quando eu perguntei o oficial quando foi o último caso que tratou de uma criança ou vendendo-se para o sexo ou que estão sendo vendidos por um adulto para o sexo, ele não podia se lembrar, porque foi muito tempo atrás.

Major Angelo acrescentou: “Nós estamos levando a questão de fãs à procura de sexo com crianças muito a sério.

“Criámos uma linha de apoio e irá responder a todas as chamadas e procurar evidências.”

Mas, por mais genuínas intenções do chefe poderia ser, era evidente que ele e os policiais brasileiros não têm idéia de como lidar com o problema.

No entanto, uma operação de vigilância simples mais de uma semana que renderá muitos criminosos sexuais da criança e permitir que as crianças a ser resgatado.

Polícia no Reino Unido estará trabalhando com as autoridades brasileiras para impedir conhecidos agressores sexuais de crianças que vêm dentro

A caridade Criança Feliz, criada para cuidar de crianças que ficam grávidas por vender-se para o sexo, lançou uma campanha de alerta para os fãs da Copa do Mundo, que inclui pulseiras para as crianças.

Diretor Sarah de Carvalho MBE disse: “Estamos muito preocupados com o afluxo de fãs.

“Nós sabemos que com grandes eventos esportivos que crianças vulneráveis ​​estão em risco de serem explorados sexualmente.

Nosso É uma campanha Penalty foi criado para sensibilizar os fãs de futebol que, se eles se envolvem em exploração sexual com uma criança com idade entre 17 anos ou menos que eles poderiam enfrentar um processo no Brasil e seu país de origem. “

Uma menina ajudado pela caridade, Erica, me disse: “Logo após meu nascimento me foi dada por minha mãe prostituta a um amigo.

“Esse amigo era dono de um bordel e cuidou de mim até que eu tinha 10 anos.

 

SATIROProstituta Criança
Homeless: Uma prostituta garota compartilha um colchão na rua

  

“O amigo então me disse que era hora de eu ganhar o meu próprio dinheiro e pagar o que foi gasto em mim por tantos anos.

“Eu tive que trabalhar no bordel e eu tinha que ter relações sexuais com homens de visita.”

Ela fugiu e passou os próximos dois anos, nas ruas e em abrigos, cada vez fugindo depois de ter sido abusada sexualmente ou espancados.

De 13 anos, ela conheceu um homem de 24 anos de idade e foi morar com ele.

Ela ficou grávida e ele a deixou, por isso, mais uma vez ela estava nas ruas.

Criança Feliz entrou em cena e ela agora tem um futuro esperançoso. Menino da menina está previsto para agosto eo berço ao lado da cama está pronta.

Mas existem milhares de outros cujo único futuro é a venda de seus corpos.

Estive em muitos países expondo ou identificando a exploração sexual, mas a abertura do abuso na cidade-sede da Copa do Mundo é chocante.

Qual seria surpreendente é que os muitos milhões que irá sintonizar a assistir a Copano conforto de suas salas poderia poupar um pensamento para as crianças cujas vidas estão sendo arruinadas.

Eu, pessoalmente, estar escrevendo para o Brasil do presidente e chefe de polícia para lhes apresentar a minha prova e chamar a atenção urgente para este abuso horrível.

 

( primeiramente eu usei o GOOGLE  tradutor, pra traduzir a página, mas  da pra vcs terem a ideia do que vai ser esta zona toda, na duvida conforme isso com um professor (a) de inglês, mas é claro que todos la fora sabem disso, não é segredo, mania do BRASIL em esconder coisas que o mundo todo já sabe.

e não adianta falar que estão de olho, que a pedofilia é combatida, que mané combatida o que , com a bola rolando todos vão ver outra coisa ? )

crime violento no VITÓRIA REGIA 2, adolescente é morto e seu corpo é queimado e esquartejado .

( veja ai no link foto do acusado e do local do crime .)
 
A cabeça do adolescente Lucas Matheus Camargo, 17 anos, o Luquinha, assassinado em 17 de setembro e desenterrado pelo seu algoz no último domingo, foi encontrada ontem, na garagem da casa do pai do réu confesso Wellington Elias dos Santos, de 27 anos, no Jardim Santa Lúcia. A localização aconteceu um dia depois do autor do crime que chocou até mesmo a polícia, ter informado que o havia quebrado o crânio com a pá e ateado fogo. 
 

Segundo informações policiais, o crânio foi encontrado por volta das 13h, quando o pai de Wellington, Renato Elias dos Santos, mexia em algumas ferramentas na garagem de sua casa, na rua João Ruiz Martins, e resolveu olhar o que havia dentro de uma sacola plástica. Ao se deparar com o objeto macabro, imediatamente Renato acionou a Polícia Militar. A perícia compareceu ao local, e depois a parte restante da ossada do adolescente foi encaminhada para a funerária. Apesar de queimado, o crânio estava intacto.

Entretanto, apesar de confessar ter matado Lucas por asfixia na noite de 17 de setembro e enterrar o corpo em seu próprio quintal, na casa da rua Zemira Rosa, 65, no Parque Vitória Régia 2, Wellington poderia ter saído livre do Plantão Norte para sua residência não fosse o valor de R$ 50 mil arbitrado pelo delegado plantonista Frederico Urban Monteiro, pelo crime de ocultação de cadáver, que é passivo de fiança.
Isso porque como o réu confesso não estava em situação de flagrante pelo homicídio, sua prisão por esse crime só ocorrerá quando for decretada sua prisão temporária, que depois deverá ser revertida para preventiva. Mas no dia da localização dos restos mortais do garoto, que também residia no Parque Vitória Régia 2, a ocorrência era de ocultação de cadáver. E como não teve condições de pagar o valor arbitrado, Wellington segue preso no Centro de Detenção Provisória (CDP), no bairro da Aparecidinha.
Ontem, pela Polícia Civil, a natureza da ocorrência foi registrada como “Destruição, subtração ou ocultação de cadáver”, e pela Polícia Militar, como “Encontro de cadáver”.
A história do desaparecimento de Lucas chocou até mesmo a polícia pelo fato de que Wellington ter agido com frieza ao planejar desenterrar o corpo após dois meses para atear fogo na ossada e assim se livrar de qualquer prova contra ele. Segundo um policial militar que participou da prisão do acusado, “o crime chocou por revelar requintes de crueldade, tendo em vista que cada passo foi devidamente estudado, sem que o autor estivesse sob o uso de entorpecentes, e o que é pior, continuou a frequentar a casa onde o corpo estava sepultado”.
Por sair dos parâmetros de normalidade dos crimes registrados regularmente, o caso chegou também à imprensa paulistana, sendo divulgado pelo programa Brasil Urgente, apresentado por José Luiz Datena.
Entenda o caso
Passados 60 dias da morte de Lucas, pensando que só restasse os ossos do corpo da vítima, Wellington resolveu desenterrá-lo no domingo. A intenção era se livrar do corpo queimando a ossada e a jogando os restos mortais nas caçambas de entulhos instaladas no Parque Vitória Régia 2. Ainda no domingo, Wellington se desfez de algumas partes jogando-as numa caçamba da rua Mercedes Minhonha Marques. Na segunda-feira, novamente ele juntou num saco plástico mais um pouco de ossos e restos ainda não decompostos. Mas por considerar que a sacola estava pesada para ser levada até a caçamba, Wellington a deixou no quintal de sua casa.
Esse foi seu erro, pois o mau cheiro chamou a atenção da vizinhança e a polícia foi chamada. No quintal da casa, os PMs se depararam com os restos mortais na sacola e uma cova rasa aberta. Com a localização do RG de Wellington na residência, os policiais militares o localizaram na casa do pai, no Jardim Santa Lúcia, mesmo endereço onde ontem a cabeça foi encontrada.
Para a reportagem Wellington disse ter ficado sabendo que Lucas o teria ameaçado de morte por desavenças por causa de drogas, e que por isso resolveu matá-lo. Para isso, o atraiu na casa para fazerem uso de droga e o matou mediante asfixia.
 ( o caso pode ser escabroso pra provìncia de SOROCABA , mas é comum no pais todo, especialmente nas favelas  dominadas pelo tráfico.
 
 os pais não tem controle sobre seus filhos, logo quem entra na droga ou é isso ai ou cadeia.)
 
 

pais perdem a guerra contra o crime que adotam seus filhos cada vez mais cedo.

 

Enquanto esperava no Plantão Policial Norte para assinar o boletim de ocorrência com o nome do filho, uma empregada doméstica,  que optou por não se identificar,  se dizia indignada e chocada com a postura do filho. “Fico pensando onde errei, sabe. Trabalho duro e nada falta, nem amor, nem educação.” 

Assim como ela, os pais de centenas de adolescentes de Sorocaba envolvidos com o tráfico de entorpecentes se sentem perdidos, avalia a psicóloga infantil Maura Pereira. “Não há uma fórmula mágica e os pais sentem que falharam na missão de educar. Muitos nem imaginam que o filho está no crime”, explica. 

De janeiro a julho deste ano, os casos deste tipo registrados em Sorocaba cresceram 66% em comparação ao mesmo período de 2012. 

E a mãe de uma menor de 17 anos sentiu exatamente isso na  semana passada. A filha, que está matriculada em escola particular, usava o horário letivo para vender drogas em frente ao Cemitério Consolação, bairro da Vila Haro.  Ela foi apreendida pelos guardas civis municipais da Romu Rosivaldo, Picoli e Renato Martins. 

Para eles, a menor contou que  ao descobrir que o tráfico era lucrativo, não teve dúvidas e fez a troca. Sua mãe estava na igreja quando foi avisada da situação. “Desconfiava que tinha algo errado com minha filha, mas não esperava que chegasse a este ponto”, relata aos GCMs. 

Pela experiência da Guarda Civil Municipal –  corporação de Sorocaba que mais apreende adolescentes – a grande maioria só descobre a verdade sobre os filhos no momento de registrar um flagrante.

Pais não conseguem crer que filhos se envolvam com crime
“Meu filho sempre sai este horário, mas achava que ele estava só passeando com amigos”, diz a mãe de Abner Fernandes da Silva Marques, 21 anos, aos guardas civis municipais da Romu Barbato, Picoli e Rosivaldo, que flagraram seu filho na  semana passada com Paulo Henrique Favioli dos Santos, 18, vendendo drogas na Praça Ilma Pereira de Carvalho, bairro Cajuru. 

Além das dezenas de porções de drogas, Abner estava com o celular que trazia fotos suas com revólveres de calibre 38. 

“Geralmente a família é pega de surpresa por achar que o filho não é capaz deste tipo de coisa, mas o traficante consegue levar até mesmo um jovem de boa família para o crime”, alerta o subcomandante da GCM, Ezequiel de Oliveira. 

Neste ano, mais de 360 menores foram flagrados no tráfico por guardas  municipais. “A maioria deles é  de famílias de pais trabalhadores”, complementa.

Pelas ocorrências registradas, nota-se que a faixa etária mais aliciada para o tráfico é de 11 a 19 anos. “Estes jovens creem na ilusão vendida pelo traficante de um futuro promissor ganhando seu próprio salário, com poder e proteção”, avalia o subcomandante da GCM. Ezequiel  finaliza com um recado: “Pais, amem seus filhos. Cuidem bem e os acompanhe, pois se vocês não fizerem isso, algum criminoso irá fazer.”

Cuidados importantes

Fique de olho nas coisas dos filhos
Se chegarem em casa com objetos estranhos, de muito valor ou com dinheiro, desconfie. Faça perguntas e busque saber a real origem de tudo, não acredite em presentes ou trocas.

Acompanhe de perto a rotina escolar
Sempre consiga um tempo para conversar com professores, orientadores pedagógicos e diretores; muitas vezes seus filhos podem estar faltando ou apresentando mudança de comportamento sem que você saiba.

Previna-se e busque orientação
Escolas e instituições de segurança pública possuem material de orientação sobre o que fazer em muitos casos de envolvimento com o crime. Busque informações para saber prevenir ou lidar com esta condição.

A palavra e a atenção são importantes
Não se afaste da vida de seu filho, procure saber onde ele vai, com quem anda. Sempre converse e saiba ouvir. Carinho familiar e tempo de qualidade juntos podem fazer a diferença.

Nunca duvide de sinais e alertas
Se notar qualquer coisa diferente no comportamento deles, investigue sem medo.

entrevista: Ezequiel de Oliveira – Subcomandante da GCM
Sensação de impunidade é fator marcante

Subcomandante da Guarda Civil Municipal, Ezequiel de Oliveira, fala um pouco mais da experiência da corporação.

A GCM patrulha ao redor de escolas, em praças também. Qual é o perfil destes jovens aliciados pelo tráfico?
Se eu dissesse um perfil exato, estaria errando. O que posso afirmar é que alguns apreendidos estão usando o uniforme da escola, por exemplo. Este ano tivemos cinco crianças (menores de 12 anos) flagrados no tráfico. O bandido não está preocupado, ele tira os estudos, o convívio familiar e acaba com a vida deste jovem. Tudo para obter o ganho dele.

Como é lidar com estas famílias?
Os pais se sentem sem chão  por não saberem onde buscar ajuda. Se o envolvido com o tráfico não é usuário de drogas, está muito perto de se tornar. 

Qual a maior dificuldade em impedir que os menores voltem para o crime?
A sensação de impunidade. Percebemos isso nas ruas. Este é um fator marcante, pois o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) passa isso para eles. Temos casos de menores apreendidos até 11 vezes, que voltam às ruas.

MAIS

Crescimento lamentável
O advogado Indalécio Alves, presidente da Comissão de Cidadania e Ação Social da OAB , promove o projeto “OAB Vai à Escola”. Ele comenta que, “lamentavelmente, é grande o índice de drogas envolvendo alunos”. Segundo Indalécio, há uma necessidade de uma melhor sintonia entre os pais e os professores para que um ajude o outro a prestar atenção no comportamento da criança e do adolescente.

Projeto OAB Vai à Escola
Entre os temas abordados pelo projeto estão “Direitos e Deveres do Adolescente” e “Drogas”. O trabalho também orienta os pais  para que criem uma boa sintonia com seus filhos, fiquem atentos e sempre os acompanhe.

289 atos infracionais de tráfico foram registrados, até o momento,  este ano

Mais conscientes
O advogado Indalécio crê que os menores precisam ser mais firmes em suas decisões. “É necessários exercer o poder do não, como recusar convites que não vão gerar boas consequências”, conclui.( pois é faz filho pra que ? pra depois deixar a rua criar ? 

é preciso acabar com este negócio de de menor, 3 aninhos em fundação casas não consertam estas criaturas, deixa mais tempo, precisa acabar o machismo no BRASIL, esta coisa, de ah ele é homem, ah ele sai com amigos, ah ele busca auto-afirmação , mas que maldita auto-afirmação é esta ?)

pastor MARCOS PEREIRA é condenado a 15 anos de cana , mas cumpre ?

O pastor Marcos Pereira da Silva em culto da igreja evangélica Assembléia de Deus dos Últimos Dias, no bairro de Édem
O juízo da 2ª Vara Criminal da Comarca de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, condenou o pastor Marcos Pereira da Silva a 15 anos de prisão por estupro. Segundo os autos, o crime foi cometido no final de 2006 contra uma seguidora nas dependências da igreja Assembleia de Deus dos Últimos Dias.
 
“As testemunhas ouvidas relatam com firmeza como o acusado é uma pessoa manipuladora, fria, só pensa em si, utilizando-se das pessoas para satisfazer seus instintos mais primitivos e de forma promíscua, utiliza da boa-fé das pessoas para enganá-las. Pelo exposto e por tudo que dos autos consta, julgo procedente a pretensão punitiva para condenar Marcos Pereira da Silva”, diz a sentença, segundo o TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio).
 
Marcelo Patrício, advogado do pastor Marcos Pereira, afirmou que vai recorrer da sentença. Segundo ele, a decisão é absurda. “É uma injustiça porque não tem nenhuma prova no processo. Parece que o direito penal foi rasgado para o caso dele”, disse por telefone ao UOL. O advogado vai alegar que houve decadência do crime. “Pela nova lei, uma vítima teria seis meses para denunciar o estupro. Neste caso, o pastor Marcos não poderia ser processado porque o estupro teria acontecido em 2005. É uma questão já definida pelas cortes superiores.”
 
Patrício também criticou a duração da pena. “O pastor é réu primário. Não existe pena de 15 anos para réu primário.” O advogado prometeu recorrer até a cortes internacionais caso sua apelação à Justiça brasileira não seja acolhida. “Estou pensando até em ir para a Corte Internacional de Direitos Humanos. Para mim, o pastor Marcos Pereira é um preso político.”

Prisão

Na semana passada, o MP-RJ (Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro) denunciou o pastor Marcos Pereira e Márcio Nepomuceno dos Santos, conhecido como “Marcinho VP”, pelo crime de associação ao tráfico. O órgão solicitou ainda o pedido de prisão preventiva dos dois.
 
Segundo o promotor Alexandre Murilo Graça, a associação dos denunciados para o tráfico de drogas começou em 1993, época em que o religioso fazia trabalho de evangelização em presídios, delegacias e comunidades dominadas pelo tráfico. Já Marcinho VP começava a ascender na estrutura do “Comando Vermelho”, organização da qual é um dos principais chefes.
O pastor, como aponta a denúncia, começou como “pombo correio”, levando ordens de chefes do tráfico que estavam presos para as comunidades onde atuavam, aproveitando-se do fato de ter acesso aos presos. Nas comunidades cariocas –principalmente nos complexos do Alemão e da Penha– outros religiosos eram ameaçados e impedidos de realizar seus cultos, o que fortalecia a igreja de PEREIRA.
 
( o cara é arquivo vivo, duvido que fique 15 anos em cana, capaz de sair antes mesmo,mas a condenação até que foi rápida heim ?)

ÉDEN E CAJURU, insegurança toma conta , e a distância só píora


A sensação de insegurança nos bairros Éden e Cajuru, em Sorocaba, é cada vez mais preocupante para moradores e comerciantes daquela região. Há casos de estabelecimentos assaltados mais de uma vez ao luz do dia. A situação intimida comerciantes, que não sabem como reagir e que alegam que o policiamento nesses bairros é precário. Além do medo de assaltos, a morte do Policial Militar durante uma tentativa de roubo a padaria no Cajuru, no último sábado, agravou a situação. 

Proprietária de padaria no bairro do Éden, Sueli Sheila da Silva, 38, contou que seu estabelecimento foi assaltado oito vezes. “Não há como se prevenir, tento fechar mais cedo – o atendimento que ia até as 22h, hoje fica até as 21h -, mas de todas as vezes que fui assaltada, apenas uma foi à noite, todas as outras foram no período da manhã, entre 10h e 11h, com clientes no balcão.” Ela comentou que nessas ocasiões a viatura da Polícia Militar demorou horas para chegar no local. “Não tenho o que falar do serviço, os policiais são sempre atenciosos e sei que não é culpa deles, e sim da falta de carros e mais policiais disponíveis”, alegou. Sueli e outros comerciantes pretendem levar o problema até as autoridades, exigindo mais segurança. 

Outro comerciante no bairro, Adolfo Iossi Manetta, 38, disse que a falta de segurança preocupa tanto os comerciantes, que a maioria opta por terceirizar o serviço. “Quem pode sempre contrata um segurança para vigiar a loja ou estabelecimento ou instala alarmes e câmeras.” Proprietário de uma frutaria, ele revelou ter visto a farmácia ao lado ser assaltada sete vezes. “Sempre é tudo muito rápido, uma das vezes o rapaz que assaltou a farmácia ainda passou aqui, comprou frutas e depois foi lá assaltar. É tão fácil para eles, acho que nem tem medo de serem pegos.” 

Policiamento e fechamento 
Proprietário de um restaurante no Cajuru, que preferiu ter seu nome preservado, afirmou ter sido assaltado duas vezes em menos de três meses. “Só tem uma viatura para o Cajuru, Éden e Aparecidinha, por isso o policiamento é devagar, além de ser tranquilo para quem quiser assaltar, afinal sabem que não há policiais perto”. A Polícia Militar foi procurada para dar mais detalhes sobre o policiamento nos dois bairros, mas até o fechamento desta edição não houve retorno.

Para evitar incidentes, o dono do restaurante citado resolveu fechar as portas e atende os clientes antigos via encomenda por telefone. “Claro que fechar as portas fará com que eu perca dinheiro, afetando minha renda no final do mês, mas foi a única solução que eu encontrei”, desabafa. Comerciantes da rua Mário Monteiro de Carvalho, mesma via da padaria onde o policial militar Kleber de Salles Coelho, 32, foi morto no sábado passado, ainda estão indignados. Eles também não quiseram se identificar, por temer represálias. Além de “chocados” com o crime, têm medo que mais crimes do tipo se repitam. ( estes bairros são distantes, será que vale a pena pertencerem a SOROCABA ?

emancipados, eles poderiam investir sua grana em segurança particular ao invés de IPTU e demais impostos que não dão em nada.)

elemento mata e debocha do crime cometido em baile funk de SOROCABA

O desempregado Luiz Henrique dos Santos Silva, 21 anos, foi quem matou, na madrugada de sexta-feira passada, o auxiliar de produção Tiago Pedroso, 24 anos. A autoria do crime, ocorrido na porta da casa noturna Estação Class, que fica sob o viaduto Jânio Quadros, após uma discussão iniciada no interior do estabelecimento, foi esclarecida pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG). O acusado, que já teve a prisão temporária decretada, está foragido.

De acordo com o delegado Acácio Aparecido Leite, as investigações feitas a partir do momento do crime, quando uma das equipes de homicídio esteve no local, apontaram Luiz Henrique como o autor. Porém, sua identificação também pela rede social, fez com que a polícia percebesse comentários alusivos ao crime. Para isso, o acusado se utiliza também de trechos de algumas letras de rap, das quais uma faz apologia ao crime e exaltação à facção Primeiro Comando da Capital (PCC).

Durante as investigações ficou evidente que a morte de Tiago foi mesmo decorrente de uma briga, por motivos ainda ignorados, iniciada dentro da casa noturna. Com o desentendimento contido no interior do estabelecimento, todos os frequentadores saíram para a rua, quando então aconteceu o desfecho fatal. Aparentemente a vítima foi morta por um disparo que teria atingido seu braço, que parecia estar quebrado, perfurando seu coração. Mas apenas o laudo pericial apontará o número de disparos, bem como a causa-mortis.

Imagens captadas pelo sistema de videomonitoramento do Terminal Santo Antonio mostram o momento em que centenas de pessoas saem correndo pela avenida, provavelmente após o disparo já ter ocorrido. Na sequência, aparece o carro guiado pelo acusado, um Ford Ecosport preto, trafegando em direção à praça da Bandeira, mas que ao chegar em frente ao Terminal de Ônibus, retorna até próximo ao local do crime e foge pela contramão da rua lateral da casa noturna, acessando o viaduto Jânio Quadros.

Ontem pela manhã, investigadores foram até a casa do acusado, no Jardim São Guilherme, para o cumprimento do mandado de prisão temporária por 30 dias, mas ele está foragido. O delegado Acácio disse que agora a polícia quer esclarecer a motivação do crime, mas que para isso é preciso localizar Luiz Henrique. A arma utilizada no homicídio também não foi apreendida. Ainda de acordo com o delegado, é possível que Luiz Henrique tenha saído da boate e ido até o carro buscar a arma. O delegado pede para quem tiver alguma informação sobre o paradeiro de Luiz Henrique, para avisar pelo 197. Não é preciso se identificar.

Apesar de nunca antes ter sido condenado, em 5 de março de 2011 Luiz Henrique foi averiguado por tráfico, sendo porém liberado. O rapaz que o acompanhava na ocasião, ficou preso pela venda de drogas. A vítima, que morava no Jardim Paulista, em Votorantim, não tinha antecedente criminal. No entendimento do delegado Acácio Leite, o fato do acusado postar comentários voltados para o ato criminoso não significa audácia, mas sim a sensação de impunidade: “quando eles acham que serão pegos? Eles se acham acima do bem e do mal”, disse.
 
Comentários

Para a polícia, os comentários feitos pelo acusado nas últimas horas, sugerem que ele estaria interessado em saber das investigações, como também demonstraria cansaço de ficar fora de circulação, sem ir para a rua. Tais comentários são “eu vou beber, dá um rolê, ver as notícias da TV….”: “tédiooooo – Q vontade de ir pa rua”.

Porém, em dois de seus comentários, Luiz Henrique se utilizou de letras de rap. Num deles, parte da letra utilizada é da música “Fórmula Mágica da Paz”: “Morrer é um fator, Mas conforme for, Tem no bolso na agulha e mais 5 no tambor….”, e por conta própria ele acrescentou “Quem pode mais saca primeiro…”

Em outro trecho, o acusado de matar o auxiliar de produção escreveu um trecho da música “Dia de Operação”, que faz apologia à violência: “”Não mexo contigo; Não mexa comigo; Desfez o acordo, toma CLACK BUM….”  (  a musica formula mágica da paz é contra  violência, curtir rap qualquer um curte, mas seguir a letra fielmente são outros 500.

quem pode mais saca primeiro, o cara atira num outro desarmado, queria ver ele enfrentar alguém tb armado, no baile funk do HABITETO por ex, ai o bicho pegava pra ele ,desempregado mas tem carro e grana pra baile funk, de onde vem a bufunfa ?
a policia tem obrigação moral de pegar este cara e botar em cana, que tal no presídio do MINEIRÃO onde o cara arrancou o coração do outro, ai queria ver a valentia dele la dentro, pois não teria o CLACK BUM.)