mais 5 médicos cubanos picam a mula e dão no pé pra MIAMI, e só avisam pelo zap zap.

Médico atuava em uma das salas da UBS Jardim dos Pássaros, em Guarujá (Foto: Prefeitura de Guarujá)Médicos cubanos atendiam nesta sala da UBS de Guarujá e ‘sumiram’ (Foto: Prefeitura de Guarujá)

Cinco médicos cubanos do programa ‘Mais Médicos’ que atuavam em postos de saúde deGuarujá, no litoral de São Paulo, deixaram a cidade na última semana. Na quinta-feira (11) eles avisaram as enfermeiras responsáveis pelas unidades, por meio do WhatsApp [aplicativo de mensagens], que não estavam mais no país e agradeceram o acolhimento. A prefeitura notificou o desligamento dos profissionais ao Ministério da Saúde na última segunda-feira (15).

Antes de saber do envio das mensagens, porém, a Secretaria de Saúde da cidade havia apurado com vizinhos e amigos,que os profissionais tinham partido para os Estados Unidos. O nome deles não foi revelado.

Unidade Básica de Saúde Jardim do Pássaros, em Guarujá, litoral de São Paulo (Foto: Prefeitura de Guarujá)Unidade Básica de Saúde Jardim do Pássaros, em
Guarujá, litoral de SP (Foto: Prefeitura de Guarujá)

“É importante deixar claro que eles não estavam ‘presos’ na cidade e têm o direito de ir e vir. O programa prevê três anos de contrato e no Carnaval eles sumiram. Nós já tínhamos procurado nos endereços que temos registrados e soubemos por vizinhos e conhecidos que eles foram para Miami (EUA). Depois nos comunicaram dos recados deixados para as enfermeiras”, revelou o secretário de Saúde de Guarujá, Marco Antônio Chagas Conceição.

Os cinco profissionais que deixaram a cidade trabalhavam nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da Vila Alice (3), Santa Rosa (1) e um deles, que era da Unidade de Saúde da Família (Usafa) do Jd. Las Palmas, mas atuava no Jardim dos Pássaros.

Como fica?
Com a saída dos profissionais, o secretário afirmou que não pretende, pelo menos inicialmente, repor as vagas com novos profissionais. “Nosso objetivo não é pedir substituição agora, de imediato. Já remanejamos clínicos para atendimento na Vila Alice e Santa Rosa. E na Usafa entendemos que o número ainda é suficiente”, acrescentou Conceição.

Guarujá conta atualmente com 42 profissionais do programa ‘Mais Médicos’. Desde que o projeto do Governo Federal começou, a cidade já havia recebido 49 médicos. “Dois cubanos já tinham deixado a cidade no ano passado e agora mais cinco. Já são sete ao todo. É claro que nós lamentamos. Apesar deles [os últimos] estarem há pouco mais de um ano aqui, é uma pena porque eles fazem um atendimento mais humanizado e acolhedor”, disse.

Médico deixou o programa mais médicos do Governo Federal (Foto: Reprodução / Facebook)Profissional deixou o programa mais médicos do
Governo Federal (Foto: Reprodução / Facebook)

Outros casos
Essa não é a primeira vez que profissionais do programa deixam a região. Em fevereiro de 2014 um médico cubano que atendia em Pariquera-Açu, no Vale do Ribeira, interior do Estado, abandonou o trabalho e seguiu para os Estados Unidos da Amécia (EUA)

Já em setembro uma médica cubana fez o mesmo caminho do colega de profissão e também fugiu para os EUA. Yaumara Perez Garriga trabalhava em São Vicente.

( toma BRASIL, os caras vem pra cá conseguem juntar algum e fugirem pra MIAMI, ou seja meus caros, vcs pagaram as viagens dele pra fora, sim dos seus impostos, a coisa era ssim, o médico recebia seu salário, mais da metade ia pra CUBA pro regime FIDEL CASTRO.

o restante ficava pro médico que deve ter juntado e ó , pernas pra que te quero , a saúde que sempre foi uma mierda, fica mais ainda.)

 

médica cubana gostosa da um pé na bunda no mais médicos e se manda pros EUA

Imagem: Arquivo pessoal
Uma médica cubana abandonou o serviço em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) em São Vicente, no litoral de São Paulo. Segundo amigos da cubana ouvidos pela reportagem do G1, ela estaria morando nos Estados Unidos após ter planejado, com bastante antecedência, a fuga do Brasil. Nesta quarta-feira (24), o Ministério da Saúde informou por meio de nota que 35 cubanos já deixaram o programa ‘Mais Médicos’ no Brasil. Até o momento 14.400 médicos participam do programa no país, dos quais 11.400 são de Cuba.
 
 
Yaumara Perez Garriga, de 30 anos, é natural da cidade Las Martinas, em Cuba. Ela chegou em São Vicente em novembro do ano passado com outros três profissionais cubanos do Programa ‘Mais Médicos’, do governo federal. Na chegada, ela se mostrou otimista. “Nosso trabalho é que vai falar por nós”, disse ela, na época. Yaumara foi direcionada para trabalhar na UBS Parque São Vicente.
 
 
Yaumara abandonou o serviço na semana passada, quando realizou os últimos atendimentos médicos dentro da UBS. Segundo os amigos dela, a médica cubana tinha um temperamento tranquilo e era conhecida como ‘bonequinha’ por algumas pessoas dentro do hospital. Os amigos contam que ela planejou se mudar para Miami e, assim que chegou aos Estados Unidos, conversou com alguns conhecidos por meio das redes sociais, afirmando que tudo teria ocorrido como o planejado inicialmente.
O G1 entrou em contato com a UBS Parque São Vicente, na manhã desta quarta-feira (24), à procura da médica. Um funcionário havia sido orientado a informar que Yaumara, na verdade, estava afastada do trabalho e que não tinha previsão de retorno.
 
 
Já a Secretaria da Saúde de São Vicente informou ao G1, por meio de nota, que a médica cubana Yaumara Perez Garriga não compareceu ao serviço na segunda-feira (22) alegando ter uma consulta médica em São Paulo. Na terça-feira (23), a médica também não compareceu ao serviço. A Sesau entrou em contato com o Ministério da Saúde e informou sobre a falta. Segundo o Ministério da Saúde, a médica só pode ser notificada após 48 horas de ausência injustificada. A Sesau informa ainda que já pediu ao Ministério da Saúde a reposição da profissional. 
 
 
( pois é , viu a fria em que entrou e caiu fora, no pais do PT ela acordou pra realidade.)

senta no charuto do FIDEL, vejam lugares onde os cubanos terão de trabalhar.

Posto de saúde em Santa Maria do Cambucá, no interior de Pernambuco, que vai receber médicos cubanos

Os cubanos que chegarão a partir da próxima semana a cidades do interior de Pernambuco vão encontrar ambientes bem diferentes do que viram nas visitas a algumas unidades básicas de saúde na capital do Estado.

Infiltração, mofo, estruturas enferrujadas, equipamentos quebrados e unidades que funcionam de forma improvisada foi a realidade encontrada pela Folha em municípios do agreste pernambucano que receberão cubanos.

Cubanos atuarão em postos sem banheiro e com trincas
Em Pernambuco, médico vai dividir quarto
Moradores farão festa para receber profissionais cubanos
À espera de cubanos, posto de saúde na BA está há três meses sem faxina
No RS, posto de saúde funciona em puxadinho de escola
Em MG, rachadura em posto de saúde assusta moradores e funcionários

Esses municípios que receberão os cubanos são aqueles em que nenhum profissional brasileiro ou estrangeiro inscrito no Mais Médicos demonstrou interesse na primeira fase do programa federal.

O município de Frei Miguelinho (a 151 km do Recife) solicitou quatro médicos, mas receberá apenas um, que trabalhará no distrito de Capivara, na zona rural.

A mesa em que o médico trabalhará está enferrujada, assim como a escadinha que o paciente usa para alcançar a mesa de exames.

 

Há seis meses a geladeira que deveria guardar vacinas e medicamentos está quebrada. Há um ano não chega água nos dois banheiros da unidade, que também servem de depósito para material de limpeza. A água para descarga fica em baldes destampados na sala da enfermeira.

A situação não melhora na minúscula unidade de apoio, a sete quilômetros do posto de saúde principal. Lá, as vacinas chegam em isopor porque, como o cartaz na porta avisa, a geladeira está desativada.

Em Santa Maria do Cambucá (a 145 km do Recife), o posto de saúde que fica na cidade precisa de ampliação para atender todos os meses a uma demanda local de 1.500 famílias.

Assim como todos os outros visitados pela reportagem, não atende integralmente às especificações da Política Nacional de Atenção Básica. A sala da enfermeira, por exemplo, funciona em uma garagem.

A Folha não conseguiu chegar ao posto de saúde de Sobradinho, zona rural de Salgadinho (a 111 km), porque chovia, e a estrada de terra que leva à unidade estava intransponível.

Fátima Lopes, secretária de Saúde de Passira, município a 100 km do Recife e que receberá três cubanos (quantidade recorde no Estado) afirma que, além do mofo, há carências de infraestrutura nas três unidades contempladas.

“A estrutura não está conservada. A manutenção não vinha acontecendo há anos”, afirmou.

Representantes das administrações de todos os municípios informaram que as unidades estão inscritas no Requalifica, programa do Ministério da Saúde que prevê recursos para construção, reforma e ampliação dos postos de saúde.

Segundo o Ministério da Saúde, a unidade de Frei Miguelino deve passar por obras de ampliação no valor de R$ 87 mil. Ainda segundo a pasta, o município de Santa Maria do Cambucá também deve receber recursos. O valor não foi informado. O ministério afirma ainda que irá investir R$ 15 bilhões até 2014 na expansão e melhoria da rede pública de saúde do país.   http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/09/1342232-cubanos-encontrarao-mofo-e-ferrugem-em-postos-de-saude-de-pe.shtml   ( cliquem no link ai e vejam mais fotos dos lugares onde os cubanos terão de trabalhar.

depois pergunte pra eles se ta pior que em CUBA ? mas o que interessa é a copa né ? e depois não querem que vc proteste, policia reprime, alias como perguntar não ofende, o policial tb precisa de atendimento médico, onde ele é atendido heim ? 

não duvidem que vai ter médico cubano querendo voltar pra CUBA, não duvidem.)

YOANI SANCHEZ, finalmente sai de CUBA e chega aqui

A blogueira e ativista política cubana Yoani Sánchez foi recebida com protesto por um grupo de cerca de 20 pessoas no aeroporto internacional de Recife, na madrugada desta segunda-feira.
 
Yoani desembarcou por volta da 0h30 no portão norte do aeroporto e foi seguida pelo grupo até o portão sul. No caminho, os manifestantes leram uma carta aberta na qual diziam que o blog dela é um meio de desinformação e que faz uma campanha anti-Cuba. Eles também jogaram dólares falsos na direção da blogueira.
O protesto não aborreceu a blogueira que disse que gostaria muito que em seu país as pessoas pudessem fazer o mesmo. “Foi um banho de democracia e pluralidade, estou muito feliz e queria que em meu país pudéssemos expressar opiniões e propostas diferentes com esta liberdade”, disse.
No aeroporto, Yoani também foi recebida por Dado Galvão, diretor do documentário “Conexão Cuba Honduras”, no qual é entrevistada, e cerca de dez pessoas, entre elas, o blogueiro cubano George Hernandez Fonseca, que vive no Pará.
A visita é a primeira de uma série viagens que começa pelo Brasil e a levará também a República Tcheca, Espanha, México, Estados Unidos, Holanda, Alemanha, Peru entre outros. Nos últimos cinco anos, Yoani havia recebido mais de 20 recusas para poder viajar ao exterior.

Yoani Sánchez

 Ver em tamanho maior »

Helia Scheppa/Reuters

AnteriorPróxima

Blogueira e ativista política cubana Yoani Sanchez é recebida com protesto ao desembarcar no aeroporto de Recife
Com o sentimento de ter “ganhado uma pequena vitória pessoal, jornalística, cidadã e jurídica” a autora do blog “geração Y” disse ter a impressão de estar vivendo “um sonho”.
“É uma vitória limitada, porque a reforma migratória de Cuba ainda não contempla a possibilidade de entrar e sair da ilha como um direito inerente pelo mero fato de ter nascido neste país”, disse a blogueira em entrevista no aeroporto de Havana.
Yoani Sánchez afirmou que sua principal bagagem é seu desejo de se conectar livremente à internet e de conhecer o mundo e sua realidade “com seus claros e escuros”.
“O mais importante não levo na mala, levo aqui”, disse a blogueira, apontando para sua cabeça.
Em janeiro, as autoridades cubanas outorgaram a Sánchez o passaporte que ela solicitou após a nova reforma migratória que flexibiliza as viagens dos cubanos ao exterior e eliminou embaraçosos e custosos trâmites como a permissão de saída para fora do país.
Embora ainda estejam vigentes algumas restrições nas idas ao exterior para os cubanos, nos últimos dias puderam viajar sem problemas alguns críticos do regime como o engenheiro de computação Eliécer Ávila e Rosa María Payá, filha do falecido opositor Oswaldo Payá( então respondam ai petistas, com certeza os manifestantes anti YOANI são do PT.
 
pq ela nunca pode sair de CUBA , se escreve mentiras ? só agora conseguiu ?) 

Reprodução

http://noticias.bol.uol.com.br/internacional/2013/01/28/video-mostra-crianca-de-tres-anos-sendo-tatuada-a-forca.jhtm

Vídeo chocante mostra uma mãe segurando seu filho, que aparenta ser um menino de cerca de três anos, enquanto ele é tatuado. A mulher pressiona contra o peito a criança que grita e se contorce durante o procedimento. Segundo o site “The Sun”, o caso teria ocorrido em Havana, Cuba. Em um momento do vídeo é possível ouvir a mulher dizendo em espanhol: “mire, mire”, que significa “olha, olha”, enquanto pressiona a criança contra o peito. O vídeo foi postado no fim de semana e conquistou a revolta de muitos espectadores que comentaram indignados sobre a crueldade com a criança. Sobre a atitude da mãe durante o procedimento, um dos internautas chegou a escrever: “Algumas mulheres não deveriam ser abençoadas com a maternidade”.  ( ai quando vc fala em aborto, controle de natalidade, todos se levantam contra, querem apenas controlar o corpo da mulher, lhe impondo coisas. 

não tem vasectomia, laqueadura, não incentivam a prevenção, pelo contrário, querem mais que o pobre procrie sem parar no intuito de explorarem seus filhos e formarem os novos escravos, explorados do amanhã, como no caso das crianças encontradas em sub condições que postei ontem no blog. 

é fácil criticar apenas esta mulher, mas todos tem parcela de culpa nisso tb)

YOANI SANCHEZ, uma voz pela liberdade

A blogueira cubana Yoani Sánchez, crítica do regime comunista da ilha, divulgou no início da madrugada deste sábado (horário de Brasília) em sua conta do Twitter a  gravação da conversa que teve com a funcionária do governo cubano, na qual foi negada pela 19ª vez permissão para ela deixar o país.

Alejandro Ernesto-04.abr.08/Efe
A dissidente cubana Yoani Sánchez, que teve pela 19ª vez negado seu pedido de saída do país
Yoani Sánchez, que teve pedido de saída negado pelo regime cubano; blogueira teve visto de entrada aprovado pelo Brasil

Na gravação, feita na sexta-feira (3), Yoani estava no escritório de imigração de Cuba. Ao chegar, a funcionária que a atende pergunta se ela está acompanhada. Yoani diz que sim. A funcionária pede então à blogueira que entregue todos os seus pertences (incluindo bolsa e celular) ao acompanhante (no caso, o marido dela) e a siga. Yoani questiona, e a funcionária diz que os procedimentos são necessários para que a blogueira seja entrevistada.

Após entregar os objetos ao marido, ela atravessou com a militar um corredor da oficina de imigração. A mulher que a recebe para a entrevista a comunica que ela não foi autorizada a viajar. “Estou te entregando seu passaporte e o seu formulário para você pedir o ressarcimento do seu dinheiro”, diz.

Yoani interrompe a mulher perguntando “Outra vez?”. A mulher continua falando. Yoani a interrompe de novo: “Dezenove vezes?”. A mulher, então, responde “Dezenove vezes”.

A blogueira retruca que continuará tentando, e ouve da funcionária “Tente quantas vezes você quiser”.

Yoani então diz “Um dia eu vou voltar a sair, quando esse absurdo não existir mais”. A funcionária responde “Correto. Quantas vezes você quiser, Yoani”.

“Todas as vezes. Alguma vez vão ter que me deixar sair”, diz Yoani. A funcionária encerra a conversa com um “Boa tarde”.

Durante a tarde de sexta-feira, Yoani havia divulgado, também por meio do Twitter, que o governo cubano havia lhe negado permissão de viagem. “Não há surpresas. Voltaram a me negar a permissão de saída. É a ocasião de número 19 em que me violam o direito de entrar e sair do meu país”, disse.

A blogueira opositora cobrou respeito à Declaração Universal dos Direitos Humanos e postou ainda uma fotografia da negativa recebida do governo cubano.

Sánchez, crítica do regime dos Castro, recebeu na semana passada da embaixada brasileira em Havana o visto de turista para visitar o Brasil para participar do lançamento de um documentário, no dia 10. ( não é apenas o regime o embargo econômico imposto pelos EUA, contribui para que coisas deste tipo aconteçam.

é mais fácil mantê-la presa a ilha pois uma atitude mais severa a ela, poderia desencadear protestos pelo mundo, YOANI pode falar em seu computador, mas não pode circular pra onde quer, fácil pra quem quer botar redea curta.

e temos de lutar pra que isso não seja implantado aqui, para que nossa liberdaee seja preservada e principalmente possamos falar o que quiseremos pela net, fiquemos de olho em projetos que visam controlar abusos pela web, pois sabemos que abusos querem controlar.

OBAMA perde uma grande oportunidade em enfrentar isso e rever esta injusto embargo, cliquem, no azul  ai acima e ouçam o dialogo dela com a funcionário do geoverno que lhe nega a permissão de sair.)