DENISE LEITÃO ROCHA e seu inferno pessoal



A advogada Denise Leitão Rocha, demitida do Senado após ter um vídeo íntimo vazado na internet, afirma estar com medo de sofrer preconceito no mercado de trabalho. Nesta terça-feira, após ir ao gabinete do senador Ciro Nogueira (PP-PI), onde trabalhava, para pegar objetos pessoais, Denise conversou com o EXTRA e, emocionada, desabafou.

Não vai ser fácil chegar e todos saberem do que aconteceu comigo. O futuro não vai ser fácil – lamentou.

Denise não conseguiu encontrar-se com o senador, que é seu primo de terceiro grau, mas ainda pretende falar com o parlamentar. Mas, mesmo que Nogueira volte atrás, não pretende trabalhar novamente com o parlamentar. Leia a entrevista.

O que você planeja agora para o futuro?

Independentemente de eu ser assessora, eu sou advogada. Não dependo do Senado para viver. Agora, o difícil para mim vai ser entregar um currículo. Foi uma atitude desumana e impensada. Vou conhecer novos colegas de trabalho, vou procurar os escritórios em que já trabalhei. Não vai ser fácil chegar e todos saberem do que aconteceu comigo. O futuro não vai ser fácil.

Como foi seu retorno nesta terça-feira ao Senado?

Depois dessa polêmica toda, eu vim hoje para conversar no gabinete. Estava operada. Já conversei com o chefe de gabinete. O senador Ciro só chega à tarde, não sei se vou poder esperá-lo.

Você voltaria a trabalhar lá?

Eu tenho família. Essa demissão foi completamente injusta. Minha família não aceitaria que eu voltasse. Teresina inteira, Piauí, o estado, ninguém está satisfeito com essa demissão.

O senador chegou a dizer que repensaria a demissão. Você chegou a conversar com ele?

Eu havia conversado com ele. Falei que não seria nas dependências do Senado, disse que era um vídeo de seis anos atrás. Ele falou para eu ficar tranquila em relação a isso, já que eu não havia feito nada aqui no Senado. E que minha intimidade não tem nada a ver com o meu trabalho. Fui me operar e, depois que saí da cirurgia, a imprensa me ligou dizendo que eu havia sido demitida. Aí que eu fui saber. Vim hoje porque esse assunto está tomando uma proporção que está fazendo mal à minha família. Eu torço para que tudo dê certo para ele. Mas continuo achando que foi uma demissão desumana e machista.

O que você acha que mudou dessa conversa lá atrás para agora, com a sua exoneração?

Não tive contato com ele para saber o que passou pela cabeça dele. Ele sabe que eu sou uma boa pessoa. A deputada (Iracema Portella, mulher de Ciro Nogueira) também sabe do meu trabalho sério. As pouquíssimas vezes em que estivemos juntas ela viu isso. Se a decisão foi tomada com base no argumento de que eu iria atrapalhar, isso é a cabeça dele.

Quando você soube do vazamento?

No dia do depoimento do prefeito de Palmas, Raul Filho (PT). Logo que eu estava entrando, uma pessoa, por quem tenho muita admiração, me informou. Tenho muita gratidão por essa pessoa. Fico até emocionada quando falo nisso, porque essa pessoa teve coragem de chegar e contar o que estava acontecendo (Denise para de falar e chora).

Naquele dia mesmo, você parou de trabalhar?

Naquele dia, fui aconselhada pela equipe e pelo senador a parar de trabalhar. Mesmo que não tivesse esse aconselhamento, eu, como advogada e ser humano, me afastaria.

Você ainda está sofrendo com o vazamento do vídeo?

Sim, estou tomando remédios de duas em duas horas e estou com acompanhamento psiquiátrico.( deve ser inveja de mulheres tb, afinal no vídeo ela pareçe estar tendo orgasmos, coisa que muita mulher não tem.

agora ficam ai execrando a moça, um simples videozinho destrói uma pessoa, assistindfo GABRIELA, pelo jeito desde a epoca em que passa a novela e até os dias de hj a mulher não avançou muito.


o machismo ainda persiste, e as mulheres não se unem , depois ficam cri8tiocando FEMEN e afins que poem os seios pra fora pra protestar)

assessora é demitida após vídeo de sexo, eita pais machista esse

 

Denise Leitão Rocha, assessora do senador Ciro Nogueira Foto: Reprodução da Internet 
A advogada Denise Leitão Rocha, assessora parlamentar do senador Ciro Nogueira (PP-PI), será demitida do cargo comissionado que ocupa no Senado Federal desde janeiro de 2011. A informação foi confirmada ao EXTRA por uma fonte da Casa.
– Não é uma demissão por justa causa, até porque não existe isso em cargos comissionados. Ela era uma excelente funcionária. Ela está sendo desligada não por causa do vídeo. Mas pelo constrangimento que está sendo criado para o senador. Não havia como ela continuar nesse trabalho – explicou uma pessoa próxima a Nogueira.
O senador não quis comentar o motivo da demissão. De férias do Senado desde o início da semana, Denise é o principal assunto do Congresso Nacional há uma semana, desde que um vídeo com cenas íntimas suas e de um homem vazou misteriosamente, primeiro entre celulares e tablets do Senado e agora na web.
Denise não foi encontrada para comentar a decisão. Ela trabalhava no Senado desde janeiro de 2011 e tinha um salário em torno de R$ 4 mil, valor pago aos ocupantes do cargo de assessor parlamentar de nível 3( leia-se machismo, afinal mulher quando é descoberta em suas aventuras se da mal mesmo, sempre a mulher é cobrada em tudo, já para o homem é garanhão, comedor e pronto.
 
pq todos se metem na vida da moça ? ela fez sexo no congresso por acaso ? culpa do cara que postou o vídeo na net, ela deveria cobrar dele agora a demissão se seu emprego.
 
já que o ROMÁRIO tava de olho na moça, pq não a contrata pra trabalhar pra ele, se bem que logo ele ia querer ver a tatuagem mais de perto né peixe ?)