WATSAPP bloqueado de novo, veja como driblar.

Mais uma vez os usuários do WhatsApp foram ameaçados de ficar sem o aplicativo. 

Mas, antes de se desesperar, veja uma lista de dez boas alternativas ao programa para se manter conectado com os amigos e familiares.

Apps de mensagens
  • Reprodução

    O aplicativo permite troca de mensagens, vídeos e imagens em uma plataforma simples e intuitiva. A principal vantagem do app é a possibilidade de fazer chamadas de áudio e vídeo com qualidade de som HD. No entanto, as ligações ficam à mercê de boas conexões com a internet.Foto: Reprodução

  • Reprodução

    O programa dá ao usuário a opção de bater papo pela rede social Google+ e recentemente adicionou o serviço de trocar de SMS. Ele está disponível para Android, IOS e computadores, mas só é possível trocar mensagens com usuários do Google.Foto: Reprodução

  • Reprodução
    Skype (www.skype.com/pt-br/):

    Apesar de ter grande foco em chamadas de vídeo, o aplicativo é uma excelente opção para conversar por texto. Com a possibilidade de trocar mensagens individuais ou em grupo, o Skype só peca no excesso de propagandas em sua interface.Foto: Reprodução

  • Reprodução
    KaKaoTalk (www.kakao.com/talk):

    No aplicativo é possível trocar mensagens de texto, voz, imagens, nota de áudio, compartilhar eventos e contatos. O programa sincroniza os números da agenda telefônica do usuário e os adiciona automaticamente a lista do app, porém ele não é muito popular o Brasil.Foto: Reprodução

  • Reprodução
    Line (line.me/pt-BR):

    O software concede a oportunidade de trocar mensagens de voz e de texto, essa ultima com simpáticos stickers exclusivos. O diferencial em relação aos outros aplicativos é a plataforma QR-Code acoplada ao app. Um ponto negativo é o fato de ele não mostrar quando um amigo está online.Foto: Reprodução

  • Reprodução
    Kik Messenger (www.kik.com):

    O app oferece troca de mensagens de texto, voz e imagens instantaneamente. Versátil e acessível, ele está disponível para Android, IOS, Windows Phone, Symbian e Blackberry. No entanto, não é possível fazer chamadas de voz ou vídeo conferência com o programa.Foto: Reprodução

  • Reprodução
    WeChat (www.wechat.com/pt/):

    Além da trocar mensagens de texto, imagens, chamadas de voz e de vídeo, é possível passar o tempo com jogos disponíveis na plataforma. Boa pedida para quem quer conhecer gente nova, o programa tem a função “Olhar ao Redor”, que localiza pessoas próximas. Apesar da plataforma leve, ele pode travar durante as chamadas.Foto: Reprodução

  • Reprodução

    Este é o aplicativo para quem curte juntar os amigos em uma grande conversa. Ele sincroniza contatos da agenda para ajudar o usuário a criar grupos. Por meio dele não é possível abrir um bate-papo individual.Foto: Reprodução

  • Reprodução
    Facebook Messenger:

    O comunicador instantâneo está diretamente ligado ao Facebook, mesmo sendo um app a parte. Por ele é possível trocar mensagens de texto, voz e emoticons divertidos, no entanto só é possível conversar com pessoas que tenham conta na rede social. Versões para Android (http://goo.gl/2BBla1), iOS (http://goo.gl/f7KSUU) e WindowsPhone (http://goo.gl/TlnEv3)Foto: Reprodução

  • Reprodução

    Com uma interface bastante agradável, o app disponibiliza funções de troca de mensagens de texto, imagens e vídeos. O grande diferencial da plataforma é a possibilidade de enviar documentos em doc, pdf e vários outros formatos. O ponto negativo é que as pessoas ainda não o aderiram em grande escala 

  • ( a decisão do bloqueio veio la do SERGIPE, de um juiz da cidade de LAGARTO, o motivo seria o mesmo da outra vez falta de colaboração com a justiça, bem isso é o que dizem.
  • http://tecnologia.uol.com.br/noticias/redacao/2016/05/02/justica-manda-bloquear-whatsapp-no-brasil.htm

uma coisa é certa a democracia aqui ta ameaçada , ACORDA BRASIL.)

ditadura no congresso, manifestantes sendo agredidos, RENAN CALHEIROS ditador

 

RENAN CANALHA CALHEIROS , manda esvaziar o plenário,mandou a  segurança do legislativo descer a lenha nos manifestantes, isso é tipico de países totalitários 

A sessão no Congresso Nacional está SUSPENSA! Depois que Renan Calheiros mandou a Policia Legislativa esvaziar as galerias, parlamentares da oposição impediram tal atitude!

Isso aconteceu em virtude de parlamentares pedirem para que o POVO que estava do lado de fora do Congresso Nacional pudessem ter acesso ás galerias pois estão vazias. Segundo Renan, foram distribuídas senhas para os partidos,proporcionalmente, para que utilizassem-nas para ocuparem as cadeiras. Mas, ou não quiserem repassa-las,ou quem as recebeu não quis entrar.

Houve parlamentar que disse que o impedimento PRESENCIAL era inútil já que as imagens estão (ou estavam) sendo transmitidas VIRTUALMENTE pela TV Senado, e também pelo Youtube!
QUASE DUAS HORAS neste embate,até que a Senadora Jandira Fegale disse não ter gostado que nas manifestações da galeria teria ouvido a palavra VAGABUNDA, e que achava ser um desrespeito e pediu o esvaziamento, o que o Senador Espiridião Amin disse que PERDOAVA ela, mas não ao Renan, caso atendesse ao pedido.

Renan já “enfurecido” com o barulho, e o “vai-não-vai” da sessão mandou esvaziar e logo depois encerrou a sessão e marcou nova sessão para esta quarta-feira, dia 3, às 10 horas da manhã.

( o povo tinha de invadir esta pocilga e expulsar todo mundo na porrada, RENAN, JANDIRA e cia , tinham de apanhar na bunda até ficar roxa e serem expulsos de BRASÍLIA pra sempre, esta lei ai, seria pra livrar DILMA de complicações e até mesmo evitar um impeachment contra ela.)

Link permanente da imagem incorporada

coronel reformado do exército é assassinado por conta de seu passado obscuro.

Paulo Malhães, em depoimeno na Comissão da Verdae Foto: Pedro Kirilos / O Globo
Bernardo Costa
Tamanho do texto A A A

O coronel reformado do Exército Paulo Malhães foi encontrado morto na manhã desta sexta-feira dentro de sua casa, num sítio do bairro Marapicu, zona rural de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O militar da reserva teve atuação de destaque na repressão política durante a ditadura militar. No mês passado, em depoimento à Comissão Nacional da Verdade, ele assumiu ter participado de torturas, mortes e desaparecimentos de presos políticos – entre eles o ex-deputado Rubens Paiva.

 

O quarto onde Malhães foi assassinado
O quarto onde Malhães foi assassinado Foto: Luiz Roberto Lima / Extra

 

Segundo investigadores da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense, que acabam de realizar uma perícia no local, três homens invadiram a residência de Paulo Malhães na tarde desta quinta-feira. Ele ficou em poder dos bandidos de 13h às 22h, segundo o relato de testemunhas, entre elas a viúva do ex-coronel, Cristina Batista Malhães:

– Eu fiquei amarrada e trancada no quarto, enquanto os bandidos reviravam a casa toda em busca de armas e munição. Não era segredo que ele era colecionador de armas – disse Cristina, enquanto era conduzida para a Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) para prestar depoimento.

 

O corpo do ex-militar é retirado do sítio
O corpo do ex-militar é retirado do sítio Foto: Luiz Roberto Lima / Extra

 

O caseiro também foi conduzido para a delegacia. Ele também ficou trancado em outro cômodo da casa, amarrado.

Segundo o delegado Fábio Salvadoretti, da Divisão de Homicídios, não havia marcas de tiros no corpo de Paulo Malhães, apenas sinais de asfixia.

– A princípio, ele foi morto por asfixia. O corpo estava deitado no chão do quarto, de bruços, com o rosto prensado a um travesseiro. Ao que tudo indica ele foi morto com a obstrução das vias aéreas.

A perícia foi feita no local. Policiais apreenderam na casa um rifle e uma garrucha antigas e colheram impressões digitais, que serão analisadas.

 

Policiais da Divisão de Homicídios cercam o local
Policiais da Divisão de Homicídios cercam o local Foto: Luiz Roberto Lima / Extra

 

Família surpresa

De acordo com parentes de Malhães, ele morava no sítio há cerca de 30 anos. Um genro do coronel, que se identificou apenas como Nelson, disse que a família não tem ideia do que pode ter motivado a morte do militar. Ainda segundo o genro, os familiares desconheciam sua atuação durante a ditadura.

– Aquilo foi uma surpresa para a gente. Não sabíamos que ele tinha sido um torturador. Ficamos sabendo pela televisão, e depois disso nunca nos sentimos à vontade para perguntar. Ele sempre foi muito reservado, e nunca comentou nada. Também não sabíamos se estava sendo ameaçado – relatou Nelson.

Também estão no sítio, junto com o genro, duas irmãs de Malhães e um filho do militar. A família deve se reunir no fim da tarde desta sexta-feira para fazer uma nota para a imprensa sobre o caso.

 

Malhães morava há 30 anos no sítio em que foi encontrado morto
Malhães morava há 30 anos no sítio em que foi encontrado morto Foto: Luiz Roberto Lima / Extra

 

Revelações sobre torturas

Em depoimento à Comissão Nacional da Verdade (CNV), há exatamente um mês, Malhães confessou ter se envolvido em torturas, mortes e ocultação de corpo de vítimas da ditadura. Foi a primeira vez que o coronel assumiu, em público, que fez parte da equipe de repressão que operou, nos anos 1970, na Casa da Morte, que funcionava em Petrópolis, na Região Serrana do Rio.

Em seus relatos, Malhães detalhou como a repressão fazia para impedir a identificação daqueles que eram mortos. De acordo com o coronel reformado, os dentes da pessoa eram quebrados e os dedos, cortados. Assim, não era possível fazer a identificação pela arcada dentária e as digitais, já que na época não havia exame de DNA.

O militar admitiu ainda, em seu depoimento, ter recebido uma ordem de seu comando para ocultar o corpo do ex-deputado Rubens Paiva. Mas Malhães alegou, no entanto, que a operação foi executada por outro oficial do Centro de Informações do Exército (CIE).

— Eu deveria ter feito, sim, mas tive outra missão. Eu disse (à imprensa) que foi eu porque acho uma história muito triste quando uma família leva 38 anos para saber o paradeiro de uma pessoa. Não estou sendo sentimental, não — declarou à época.

( depois de velho é isso ai, bate o arrependimento, o coronel poderia não ter dito nada e se recusado a colaborar com a tal comissão, que por enquanto só v~e o lado dos militares , falta interrogar tb a esquerda , mas ai seria difícil, até a DILMA teria de falar, mas vcs acham que ela vai ?

com certeza ai foi queima de arquivo, vingança por ele ter falado, roubaram a casa pra dirfarçar e notem que o homem tinha armas , mas elas não o salvaram.

quem dera se todos se arrependessem publicamente, ou se arrependem só no pensamento mesmo ? depois que ta velho acabado, ai pensa em tudo que fez de errado e ai ? que os jovens de hj pensem no que fazem, os militares que ainda estão na ativa pensem muito, isso vale pra todos, desde o simples vigia de uma rua, passando pelo policial militar ou civil, até chegar nos mais graúdos .)

 

ANA PAULA MACIEL, e seus relatos de horror na RÚSSIA.

Em 25 de outubro, dentro de uma cela na gelada Murmansk (Rússia), a brasileira Ana Paula Maciel, 31, ativista do Greenpeace, escreveu em um diário: “Ontem eu pensava qual seria a forma mais rápida de acabar com tudo isso, sou bióloga e sei muitas formas de acabar com a agonia de um ser vivo”.

Durante os dois meses de prisão, Ana Paula, libertada na semana passada, escreveu detalhes da agonia que viveu, em um diário cujos trechos principais estão abaixo.

‘Não me arrependo do que fiz”, diz brasileira que foi presa na Rússia’
‘É muito bom vê-la e abraçá-la’, diz mãe de ativista brasileira ao chegar à Rússia

Acusada de vandalismo e pirataria por ter participado de um grupo que tentou barrar a exploração de petróleo no Ártico, ela não pode deixar a Rússia até o julgamento, que não tem data marcada. Ontem, a gaúcha Ana Paula reencontrou-se com a mãe, Rosângela, que a visitou em São Petersburgo.

26/9 – A primeira audiência

Nos acusaram de pirataria, com penas de até 15 anos, mesmo com o presidente deles [Putin] dizendo que não somos piratas. Agora sozinha na cela rezo para que minha mãe reze por nós. A pior parte de ser forte é que ninguém pergunta se você está bem. Vou manter esse diário até quando eu possa ter caneta.

29/9 – Justiça decreta prisão preventiva de dois meses

A última vez que vi no relógio eram dez horas [da noite], agora já não sei, é tarde. Me trouxeram um purê de batatas com beterraba, delicioso, pena que estava frio. A corte foi cansativa e cheia de emoções. Encontrei uma página em branco num livro e escrevi: “Save the Arctic” [Salvem o Ártico]. Não sei se isso vai me trazer problemas […] O banho é só duas vezes por semana, às 18h trazem a janta.

30/9 – Primeiro dia com a prisão decretada

Vieram me chamar para caminhar, pelo menos ar fresco. É sempre nessa caixa de concreto, 5 por 5 [metros], uma caixa de paredes sem sol. Quando me chamaram, acho que me senti como a Lilica e Laila [cachorras dela], quando vamos passear. Acabei de escutar notícia na rádio sobre nós. Acabei de jantar, deve ser seis horas, mais ou menos. “Greenpeace”, “Arctic Sunrise” [navio em que foram presos], “Murmansk”, foi o que entendi, o resto era em russo.

7/10 – As regras da prisão

Meu Deus, quando tudo isso vai acabar? Acordei cedo e não voltei a dormir. O regulamento parece aqueles manuais traduzidos por chineses, não dá para entender nada. Entendi que tinha que limpar a cela, embora tenha tirado toneladas de sujeira, não parece que limpei.

25/10 – Desabafo

Acho que os investigadores deveriam ter peso na consciência de fazerem inocentes passarem pelo terror psicológico da prisão. Estou cansada das inspeções, de sorrir para os guardas, de mostrar respeito pelas pessoas que não respeito. Cansada de andar com as mãos nas costas, das caixas escuras onde nos transportam, das algemas, de ser vigiada pelo olho da porta. Ontem eu pensava qual seria a forma mais rápida de acabar com tudo isso, sou bióloga e sei muitas formas de acabar com a agonia de um ser vivo, formas quase indolores e bem rápidas, o problema é que sou muito forte e corajosa.

Para se matar, é preciso coragem, mas para viver é preciso ainda mais. Na corte, me senti como uma atriz no teatro, porque a decisão já estava tomada antes mesmo de eu sair da prisão, desse buraco imundo, cheio de ratos e fantasmas.

12/11 – Transferência para São Petersburgo

Chegamos perto da uma da tarde, uma e meia já estávamos sendo transferidos para a nova prisão. O transporte de trem levou 27 horas. Não havia colchão e era bem difícil ir ao banheiro. Fomos para a cela, onde tenho duas companheiras. Somente queremos que isso acabe, por favor.

13/11 – Sem dormir

É proibido dormir depois das seis da manhã. […] Quero ver a regra, porque punir as pessoas por dormir é contra os direitos humanos. Minha companheira de cela já me disse que elas tomam um banho uma vez por semana. Hoje vieram perguntar se quero tomar banho de novo. Se elas não podem ir, eu não vou, afinal, qual a diferença entre nós? […] Peguei o papel com as regras do horário e clarifiquei com eles [guardas] que não era contra a lei dormir e que sempre vou tomar banho. Pedi para garantir os mesmos direitos para minhas companheiras.

20/11 – A inesperada saída

Nada de especial aconteceu [no mesmo dia é libertada].

( vcs conhecem aquela expressão é fácil tirar o pobre da loima , difícil é tirar a lama dele ? 

então, tiraram a antiga URSS da RÚSSIA  e das demais ex republicas, mas não tiraram a mente de muita gente  que ainda prefere viver naqueles tempos, pois um pais autoritário onde vc não pode se expressar claramente correndo o risco de ser preso.

o próprio PUTIN disse que eles não eram piratas, mas então ele não apita nada lá, faz o que no governo então ?)

moça é chamada de gostosa por PM e vai presa ? ela tinha de sorrir então ?

A estudante Anne Melo, moradora do Bairro de Fátima, afirmou ter sido presa por agentes da Tropa de Choque após ser chamada por um dos policiais de "gostosa"

A estudante Anne Melo, moradora do Bairro de Fátima, afirmou ter sido presa por agentes da Tropa de Choque após ser chamada por um dos policiais de “gostosa”

 A estudante Anne Melo, moradora do bairro de Fátima, afirmou ter sido presa por agentes da Tropa de Choque após ser chamada por um dos policiais de “gostosa”, durante o protesto realizado na noite de segunda-feira (7), no centro do Rio de Janeiro.

Um vídeo divulgado nas redes sociais mostra o momento em que a jovem foi detida sob acusação de desacato. Na versão de Anne, após receber o suposto “elogio” de um PM que estava na garupa de uma moto do Choque, ela respondeu ao policial de forma “agressiva”.

“Tenho q responder por desacato ao babaca do policial, sabendo q ele me faltou com respeito, mas fora isso…ta tudo certo [sic]”, afirmou a jovem em sua página no Facebook.

Anne foi levada pelos policiais militares à 12ª DP (Copacabana), na zona sul do Rio, onde a ocorrência foi registrada.

Procurada pela reportagem do UOL, a assessoria da PM informou que, no distrito policial, Anne assinou um termo circunstanciado e foi liberada em seguida. A corporação não comentou a acusação da manifestante sobre a suposta conduta do agente da Tropa de Choque.

Ainda de acordo com a Polícia Militar, “eventuais problemas de conduta dos policiais podem ser informados” aos órgãos competentes (Ouvidoria e Corregedoria). Fatos como esse também podem ser relatados à Delegacia de Polícia Judiciária Militar. 

( hahahaha, como se a corregedoria fosse resolver, acaba em corporativismo, tinha de ter o nome  e a cara do PM e estampar na net, será que ele chmama uma policial de gostosa tb ? e ai daria em quê ?

quer dizer que tudo agora é desacato ? do jeito que vai, se vc olhar feio prum PM mesmo sem abrir a boca é desacato tb ? )

ditadura não quer protestos durante o ROCK IN RIO

Os adolescentes Herika da Silva, 20, de Niterói, e Rodrigo Chaves, 15, de Cascadura, esperam em barraca a abertura do evento no dia 13

A Polícia Militar anunciou na tarde desta terça (10) seu planejamento de segurança para os sete dias de Rock in Rio, que começa na próxima sexta (13).

Em comparação com o último festival, em 2011, o efetivo atual terá 300 policiais a mais a cada dia –um total de 1.000 PMs e 77 viaturas estarão nos arredores e vias de acesso à Cidade do Rock, em Jacarepaguá (zona oeste), a cada dia, divididos em dois turnos.

Segundo a PM, o aumento no efetivo está ligado aos protestos com incidentes violentos, nos últimos meses.

“A gente não pode desprezar o momento atual do país, então há necessidade de maior rigor”, disse o tenente-coronel Marcos Amaral, comandante do 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes).

“Vamos utilizar o mesmo procedimento da Copa das Confederações, fazendo revistas em dois bloqueios em cada uma das extremidades de acesso ao Rock in Rio.”

Duzentos policiais cuidarão dos bloqueios, que estarão nas avenidas Abelardo Bueno e Salvador Allende, por onde o público passará a pé, no caminho para a Cidade do Rock. Antes de chegar à entrada do festival, o público precisará mostrar o ingresso para o dia e passará por uma revista de mochilas e bolsas. Não será permitida a passagem de mascarados.

Na área interna do festival, além da segurança privada haverá agentes da Polícia Civil –910 policiais trabalharão durante os sete dias do festival, em 15 postos de atendimento ao público (12 na parte externa e três na interna) e na Delegacia Móvel que será montada no Riocentro, em frente à Cidade do Rock. ( na verdade, qualquer pessoa poderá sem barrada , basta carregar uma pequena, faixa, ou até mesmo uma camiseta que contenha alguma frase de protesto, nem falar algo vc pode, é a repressão total, este papo de querer conter somente os mascarados não cola.

afinal teremos copa do mundo, e o ROCK IN RIO ( GLOBOSTA) não quer admitir nenhuma manifestação mesmo ordeira, é a ditadura PETRALHA/TUCANADA a todo vapor.

quanto aos aborrecentes ali acima, pq estão ali ? não vieram protestar né ? só querem curtir o ROCK , mas CLAUDIA LEITE é rock ? )