falsos motoristas de UBER circulam por SP, se liga mulherada

Acostumada a pegar Uber há cinco meses em São Paulo, a dentista Yumi Sasaki, 26 anos, quase entrou em uma enrascada ao embarcar em um carro de um falso motorista do aplicativo. O susto ocorreu na noite de quarta-feira (18), na Liberdade, região central.

O homem rodou com ela por cinco minutos, até que a dentista percebeu o risco e desceu do veículo quando ele parou no semáforo. Já a advogada Janaina Galvão, 31, percebeu a farsa antes mesmo de embarcar e conseguiu se livrar do homem (leia no depoimento ao lado).

Yumi contou ter pedido o carro depois que saiu do trabalho e ficou na porta do prédio, mexendo no celular e olhando para a rua no intuito de saber se o carro estava chegando. O veículo que apareceu no aplicativo era um Honda Civic na categoria UberX, a qual disponibiliza automóveis mais básicos e não fornece a cor deles.

Em um determinado momento, um carro, que ela acredita ter sido um Renault Sedan chegou. O motorista baixou o vidro e perguntou: “É Uber, Uber?”. A dentista disse que sim e entrou. 

Dentista passou por momentos de tensão / Arquivo pessoal 

De inicio, ela percebeu que algo estava errado porque não apareceu o endereço que ela ia na tela do  celular do motorista, que fica no para-brisa.  “Ele logo foi falando que era seu primeiro dia como se estivesse justificando o fato do endereço não ter aparecido automaticamente”, disse.

Após rodar dois quarteirões e ainda achando estranho, Yumi recebeu uma ligação do verdadeiro motorista do aplicativo  para saber onde ela estava. Neste momento, ela começou a  pensar em um jeito de sair do carro. “Eu ainda perguntei para ele se realmente era eu que ele deveria ter pegado e ele disse que sim. A princípio não achei que estava fazendo aquilo por mal e que poderia ter acontecido um engano”, disse.

Porém, quando o falso motorista respondeu que era ela mesma, a dentista aproveitou que o carro estava parado no farol e em uma atitude desesperada, saiu do veículo. “Eu fiquei  nervosa e com medo. Não sei o que poderia ter acontecido. Minha sorte é que eu consegui puxar o pino da porta”, explicou.

Após o episódio, ela voltou para seu endereço de origem e entrou no  carro original. “Eu contei para o motorista e ele disse que eu preciso ficar atenta na placa e modelo e essa é minha dica para outras pessoas”.

O delegado Milton Toschi Júnior, do 51º DP (Rio Pequeno) disse que os falsos motoristas podem responder por falsidade e alertou os usuários. “Cautela sempre, checar a placa, modelo do carro e ficar atenta porque tem pessoa de boa fé que não imagina que no local pode ter um bandido”, disse.  

Depoimento

Janaina Galvão, 31 anos, advogada

“Não sei o que ele poderia ter feito”

Depois de trabalhar 14 horas na quarta-feira, resolvi pedir um Uber. Meu emprego é no Itaim Bibi (Zona Oeste) e, por mais que tenha bares, acho deserto. No aplicativo veio que o motorista estava em um Hyundai HB20.

Em um determinado momento, chegou um carro e o motorista perguntou: “Você pediu Uber?” Como estava escuro, não consegui ver o modelo do veículo, mas parecia ser mais chique do que um HB20 e estranhei. Eu disse para ele que o automóvel era outro e ele disse que tinha trocado e o aplicativo não atualizou. Resolvi perguntar o nome e, após gaguejar, me disse um nome diferente do motorista que eu estava esperando.

O homem disse que queria me conhecer melhor e iria me levar para onde eu quisesse porque era linda e parecia que iria tentar sair do carro quando gritei e ele saiu. Eu fiquei em choque. Não sei o que ele poderia ter feito comigo. Não acho que iria me sequestrar. Também não sei se a intenção era fazer algo ou só queria ter feito uma cantada de péssimo gosto.

Graças a Deus eu consegui perceber. Não vou deixar de usar Uber nem táxi por causa disso. Já usei o Uber cinco vezes depois disso. O conselho que dou é para a pessoa não falar seu nome nem do motorista e conferir a placa. O verdadeiro motorista me disse que não existe isso de trocar o carro e não atualizar o sistema. 

Advogada Janaína percebeu o falso motorista, gritou e conseguiu fugir/ Arquivo Pessoal 
Resposta Do uber

Aplicativo disse para usuário reforçar a atenção

A assessoria de imprensa do Uber disse que quando o passageiro chama um motorista pelo aplicativo, de imediato já aparece para o usuário o nome do motorista, foto de identificação, modelo e placa do carro. O aplicativo disse ser importante que os usuários fiquem atentos a essas informações antes de embarcar na viagem.

Na resposta ao DIÁRIO, o Uber disse que vale lembrar que, para se cadastrar para usar o aplicativo, os motoristas parceiros precisam ter carteira de motorista com licença para exercer atividade remunerada e passam por checagem de antecedentes criminais nas esferas federal e estadual.

Ao chamar um Uber, é possível acompanhar o trajeto dele até a chegada no ponto inicial, permitindo que o usuário aguarde a chegada do carro em segurança. Ao longo do trajeto é possível compartilhar a sua localização e o tempo de chegada em tempo real com quem o usuário desejar.

( de fato a pessoa já deveria até xsaber a cara do motorista pelo aplicativo, pra conferir na hora se é o mesmo, este UBER ainda vai dar muita dor de cabeça, pode esperar.)

aposentado mata jovem bebum que errou andar do prédio onde morava


Vizinho mata a tiros jovem que errou andar de apartamento em SP
Polícia diz que homem achou que fosse um assalto e disparou.
Adolescente de 18 anos estava embriagado, segundo as investigações.

Do G1 São Paulo



Um jovem de 18 anos morreu, na madrugada desta sexta-feira (1º), após forçar a entrada, por engano, no apartamento do vizinho na Zona Norte de São Paulo, informou o SPTV.

Matheus Moreno das Chagas voltou para casa, em um condomínio de 27 edifícios em Pirituba, por volta das 3h. Segundo a polícia, ele estava embriagado e teria confundido o apartamento.


O jovem morava no 16º andar no bloco 18, mas acabou entrando num apartamento no 18º andar. O morador, um policial federal aposentado, pensou que fosse um assalto e reagiu a tiros. Matheus morreu na hora.


A polícia encontrou cocaína no bolso dele e já tem as imagens do circuito interno do prédio. Não há, no entanto, câmeras nos andares.


O policial aposentado fugiu antes de a polícia chegar, mas horas depois se apresentou na delegacia. E disse que, na correria, não sabe onde deixou a arma do crime. Os policiais vão investigar se ele agiu em legítima defesa.

O policial aposentado Claudecio Ferreira de Azevedo responde por tentativa de homicídio quando baleou seu vizinho na porta de uma casa lotérica em 2011… Matheus Moreno das Chagas havia saído para jogar boliche com amigos da escola e retornou para casa por volta de 2h 30min… Matheus Moreno das Chagas cursava o 3o. ano do Ensino Médio e trabalhava como estagiário no Forum de Santana na zona norte de SP

( ele achou que fosse assalto, já que pelo jeito o condomínio não tem segurança pra evitar um possível arrastão de verdade e o aposentado já responde por tentativa de homicídio, mas responde mesmo ou o corporativismo abafou o caso de 2011 ?

já que mesmo assim ele podia andar armado, não da pra entender certas coisas,o cara já usou arma indevidamente e tinha posse ainda, ou tava ilegal ? e agora vai responder mais essa ou livram ele de novo, já que devem alegar que a culpa ´foi do rapaz que não sabia beber ?)

indiano vem ao BRASIL, achando que ia pegar a GIOVANNA ANTONELLI

O indiano Bakul, 26, que trabalha de garçom em um hotel de luxo em Dubai e foi até MG para encontrar uma mulher que usava a foto da atriz Giovanna Antonelli em um perfil da internet
 
O garçom indiano Bakul Bakulmiah, 26, que mora na cidade de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, teve uma grande surpresa ao chegar ao Brasil para conhecer quem ele achava ser o amor de sua vida. Segundo reportagem da TV Alterosa, afiliada do SBT em MG, Bakul conheceu uma brasileira que usava fotos da atriz Giovanna Antonelli para ilustrar sua página no Facebook. Ele veio ao país para conhecer a moça, mas, quando chegou a Belo Horizonte, quem estava à espera dele era uma mulher de 41 anos, divorciada e mãe de dois filhos.
Se a surpresa de Bakul foi grande, a mineira, que não quis se identificar, também não gostou da pessoa que conheceu no aeroporto. “É uma figura interessante. Diferente do que eu vi pela webcam, ele é muito baixinho”, afirmou a brasileira em entrevista à TV Alterosa.
Após finalmente se conhecerem e descobrirem que não estão apaixonados, o problema ficou ainda maior. Bakul, que já planejava ficar definitivamente no Brasil, veio apenas com a passagem de ida e com Dirhans, moeda corrente em Dubai mas que não é trocada em nenhum banco ou casa de câmbio.
Como nenhum dos dois tinha dinheiro para comprar uma passagem de volta para Dubai, a mineira procurou ajuda na Polícia Federal, que também não pôde fazer nada. Bakul não pode ser extraditado, pois entrou legalmente no país e está com o visto em dia. Após a divulgação do caso na televisão local, muitos mineiros se propuseram a ajudar o rapaz. Algumas mulheres até mesmo se disseram apaixonadas e dispostas a conhecê-lo melhor.
Apesar de inicialmente não gostar da ideia de abrigar o rapaz, a “falsa Giovanna Antonelli” aceitou levar Bakul para sua casa e disse que a família está tentando fazer uma vaquinha para comprar uma passagem. ( bem primeiramente, falta homem no BRASIL, a ponto de mulher se corresponder com estrangeiro.
ele não viu a cara real dela pela cam ? ela tb não procurou confessar que não era a GIOVANNA ANTONELLI ? mas tb tenha dó né, a mulher usa um foto falsa de uma atriz de novela (antiga por sinal)  pra que ? se corresponde com um cara lá de fora e o cara vem atras dela ?
mas tb ele é doido né ? se aventurar a vir na incerteza, achando que ia se dar bem ? e ela achando que era um sheik do petróleo ? 
e agora JOSÉ ?)