jacarés, leões, sofrem nas mãos de humanos que se dizem racionais , ah tá

Equipes de busca pelo menino de dois anos de idade levado por um jacaré na Flórida dizem ter encontrado um corpo que acreditam ser o da vítima.

A criança, retirada “intacta” por mergulhadores da água, ainda precisa ser identificada, mas investigadores dizem estar confiantes de que seja a vítima que estavam procurando.

O xerife do condado de Orange County, Jerry Demings, identificou o menino como Lane Graves, do Estado de Nebraska.

A criança foi arrastada para a água por um jacaré na terça-feira à noite sob os olhos da família, que passava férias no Disney Grand Floridian Resort and Spa, em Orlando. Desde o ataque, cinco animais foram mortos pelas autoridades.

O pai do menino chegou a entrar na água e para tentar salvar o filho, mas não conseguiu, disse o xerife.

Desfecho

Na quarta-feira, a polícia já dizia “não haver dúvidas” de que o menino estivesse morto.

“Nós sabemos que, neste momento, estamos trabalhando para recuperar o corpo do menino”, afirmou Jeff Williamson, porta-voz do escritório do xerife do condado de Orange.

“Em nome de todos que estão envolvidos nesse esforço, digo que nosso objetivo final é dar à família um desfecho, recuperando (o corpo) de seu ente amado”, acrescentou.

Os pais e os três filhos estavam relaxando à beira da Lagoa dos Sete Mares quando o incidente ocorreu. O menino estava brincando na água rasa, apesar de placas alertando para o risco de jacarés.

O Grand Floridian é resort de luxo de propriedade da Disney e fica localizado perto do parque Magic Kingdom.

Um porta-voz disse que a empresa está “devastada” pelo incidente.

Os jacarés são encontrados em todo o Estado da Flórida. Os répteis habitam pântanos, manguezais e lagoas da região.

Segundo especialistas em vida selvagem, 22 pessoas morreram em ataques no Estado desde 1948.

( culpa mesmo é quem liberou a área pra constuir hotel ali, se fosse uma base militar por ex, algum soldado teria sido prego pelo jacaré ?, os pais que deem graças de não serem indiciados pelo ocorrido.

já que quem pagou o pato mesmo foram os 5 jacarés abatidos pra saber se um deles é o responsável por ter pego e menino)

Leões foram 'presos' no Estado de Gujarat, na Índia

  • Leões foram ‘presos’ no Estado de Gujarat, na Índia

Autoridades na Índia anunciaram a captura de 18 leões numa tentativa de encontrar o animal suspeito de matar três pessoas.

Guardas florestais do Estado de Gujarat testarão as pegadas dos leões para compará-las com os rastros encontrados nos locais de ataques. O “culpado” receberá uma sentença de “prisão perpétua” em um zoológico; os outros serão devolvidos ao santuário na Floresta de Gir.

Seis ataques foram registrados nas proximidades do santuário, o único habitat para o leão asiático.

O chefe da Guarda Florestal de Gujarat, JA Khan, disse que os leões foram “presos” nos últimos dois meses e ficarão em jaulas individuais enquanto os testes forem realizados.

“Acreditamos ter encontrado o culpado, mas ainda precisamos esperar o resultado dos testes de nove animais”, explicou.

O especialista em vida selvagem Ruchi Dave disse à BBC que os testes consistiram em análise de pegadas e exame dos excrementos dos animais.
“Também estamos estudando seu comportamento. Leões que atacam humanos normalmente mostram atitude mais agressiva em sua presença”, explicou Dave.

Outro especialista, Revtubha Raizada, explicou que a “prisão perpétua” para o leão culpado se justifica pelo fato de que o animal seria perigoso demais para viver solto.

Mas alguns zoólogos creem que o aumento da população de leões em Gir está por trás desse comportamento.

Govind Patel, ex-diretor da reserva, disse ao jornal “Indian Express” que Gir deveria acomodar apenas 270 leões –a população superava 520 indivíduos em maio de 2015– e que alguns bandos teriam de ser instalados fora do santuário.

A Suprema Corte da Índia recentemente obrigou Gujarat a transferir alguns espécimes para outras regiões, para evitar que doenças ou desastres aniquilassem a população. Mas as autoridades do Estado ainda não cumpriram a determinação judicial.

( o pais tem quase 2 bilhões de pessoas e querem o quê, reclamam de 3 que foram mortos, onde estavam quando o leão atacou ? ataques são frequentes por lá, pq a população procria feito coelhos, coitado dos leões que levam a culpa.)

assassina de 14 mata bebê nos EUA.

Uma adolescente de 14 anos da Flórida, nos Estados Unidos, está respondendo à acusação de assassinato. Segundo a rede de televisão “ABC News”, a garota admitiu que estrangulou o filho recém-nascido, e depois escondeu o corpo em uma caixa de sapatos.

 
De acordo com a polícia, a jovem, que não teve o nome revelado, deu à luz um menino saudável. Ela estava escondendo a gestação dos pais, e quando sentiu as contrações mais frequentes, correu para o banheiro de casa. Ela abriu a torneira e mordeu toalhas para abafar os gritos de dor. A adolescente contou aos policiais que usou uma tesoura para retirar o bebê, que caiu no vaso sanitário.
 
A menina retirou o bebê do vaso, sentiu o pulso dele, em seguida colocou as mãos no pescoço do bebê, e o estrangulou. Depois ela limpou o banheiro, tomou um banho, limpou o cadáver do filho e o colocou em uma caixa de sapatos, com roupas e toalhas sujas do parto.
Ainda naquele dia, a adolescente foi a um hospital procurar ajuda. Lá, os médicos desconfiaram que ela havia sofrido um aborto e alertaram a polícia e o departamento de serviço social. Três dias depois, a mãe da adolescente sentiu um cheiro estranho no quarto da filha, enquanto recolhia a roupa suja, e encontrou o corpo do bebê . Ela alertou as autoridades.
 
A adolescente foi presa na quinta-feira passada, e ainda está em uma casa de detenção. A polícia disse que a mãe da jovem garantiu que não sabia sobre a gravidez da filha. Segundo ela, a menina tinha feito dois testes em casa, e os resultados foram negativos. Ainda assim, ela pode ser acusada de negligência.
Os investigadores ainda estão tentando encontrar o pai da criança morta. Já que a menina tem menos de 16 anos, ele também pode responder a processo.

(  o pai , na certa ele vai dizer que não ia assumir e ela que se virasse , claro que ela tem de responde, afinal soube transar, e fazer o que fez, e pela cara nem deve estar arrependida, mas que os pais não sabiam ai é demais né, duro de acreditar.

não sei se o estado permite o aborto, mas se permite, ela deveria ter contado aos pais e exigido abortar, seria menos mal, agora que se ferre numa prisão, pois é o que merece, ah e tb deveria ser esterilizada, pra não engravidar de novo)

monstro ou criação do sistema ?

BBC
 

Cristian Fernandez, de 13 anos, acusado de dois crimes na Flórida

Um caso de direito penal envolvendo um menor na Flórida está causando um amplo debate nos Estados Unidos que vai além de questões jurídicas, fazendo a sociedade questionar o conceito de Justiça.

Cristian Fernandez, de apenas 13 anos, está sendo julgado como se fosse maior de idade por um tribunal do distrito de Duval County por dois crimes cometidos em 2011. O menino é acusado de ter matado por espancamento seu meio-irmão David, de 2 anos, e de ter atacado sexualmente seu outro meio-irmão, um menino de 5 anos.

Se Cristian for condenado por homicídio doloso, ele pode receber pena de prisão perpétua, sem possibilidade de liberdade condicional. O caso chamou atenção não apenas pela idade de Cristian, mas também pelo passado de abusos e de violência a que o próprio acusado foi submetido no ambiente familiar ao longo de sua vida.

Marcas da violência

Cristian nasceu marcado pela violência. Sua mãe, Bianella Susana, deu à luz o menino quando tinha apenas 12 anos. O pai de Cristian foi condenado a 10 anos de prisão por ter estuprado Bianella, então, pré-adolescente.

Leia também:  Jovem holandês é condenado por assassinato ‘encomendado no Facebook’

Quando tinha dois anos de idade, o menino foi encontrado vagando de madrugada pelas ruas do sul da Flórida, despido e mal cuidado. A avó, que era a responsável pelo menino, estava trancada há horas no quarto de um hotel de estrada, em uma maratona de uso de drogas.

Alguns anos mais tarde, em 2007, o Departamento de Crianças e Famílias da Flórida investigou uma alegação de que Cristian havia sido abusado sexualmente por um primo. O menino também começou a dar sinais de distúrbio de comportamento, com um histórico de relatos às autoridades locais de que ele havia matado um filhote de gato, além de ter simulado atos sexuais e se masturbado na escola. Mesmo assim, Cristian apresentava um excelente desempenho acadêmico.

Em 2010, foi constatado que o menino vivia novamente em um ambiente violento. O marido de Bianella deu um soco no olho de Cristian, fazendo com que sua escola o encaminhasse a um hospital. Ao chegar à residência da família, em um subúrbio de Miami, para investigar a agressão a Cristian, a polícia encontrou o padastro do menino morto. A causa da morte indicava suicídio com arma de fogo.

Julgamento

Um ano mais tarde, Bianella deixou Cristian sozinho em casa com os dois irmãos, quando David foi espancado. Ela demorou mais de oito horas para levar o filho de dois anos, que se encontrava inconsciente, até um hospital.

Em março deste ano, a mãe dos meninos se declarou culpada por homicídio culposo, determinado pela falta de intenção em provocar a morte da vítima, e pode ser condenada a 30 anos de prisão. Agora, a juíza Mallory Cooper enfrenta um dos casos de direito penal mais complicados já vistos nos tribunais americanos.

Muitos advogados e promotores apoiam a promotora estadual, Angela Corey, que pediu que Cristian fosse julgado como adulto. Mas acadêmicos de direito e psiquiatria acreditam que a abordagem do direito penal no caso de delinquentes juvenis deve ser mais humana.

“Precisamos decidir se queremos um sistema que visa à punição ou à justiça”, disse à BBC Brasil Jenna Saul, médica especialista em psiquiatria forense. Segundo a psiquiatra, é possível que Cristian nem entenda as consequências dos seus atos de violência, uma vez que, na realidade dele, a agressão física é uma forma de mostrar frustração que não resulta em morte.

“Esse menino deve, sem dúvida alguma, ser julgado por um tribunal para menores, onde podem ser implementadas maneiras de reintroduzi-lo à sociedade”, afirmou Saul.

Outros casos

Na década de 80, houve um aumento no número de casos de menores sendo julgados como adultos no país. No fim dos anos 90, a maioria dos Estados americanos tornou mais fácil que delinquentes menores de idades fossem tratados como adultos pelos tribunais criminais.

Atualmente, existem mais de 2 mil indivíduos no sistema carcerário dos EUA que receberam pena de prisão perpétua, sem possibilidade de liberdade condicional, quando ainda eram menores de idade.

Recentemente, a Suprema Corte dos EUA declarou que esse tipo de pena é inconstitucional, classificando-a como “punição com requintes de maldade”, mas nos EUA a autonomia dos estados torna a questão mais complexa.

Em âmbito global, há apenas 12 outros casos de encarcerados que foram condenados quando menores à prisão perpétua, sem possibilidade de liberdade condicional. ( se ele fosse loirinho, tipico americano branquela a pena seria a mesma ?

mas tb que ambiente ele foi criado, não só o (familiar ?) , mas todo o sistema que pisa, massacra, especialmente quem não é bem visto pela minoria dominante, já nesceu numa família ferrada ai queriam o que ?

agora é fácil julgar e trancá-lo para sempre, sem que uma instituição adequada talvez pudesse ajudá-lo a daqui a uns anos tentar recomeçar,evidente que cadeia vai apenas servir pra guardar este menino, mas pra quer querem arriscar quando o mais fácil é trancá-los pela vida toda ?)