FABÍOLA GADELHA X seguranças truculentos de hospital

A jornalista Fabíola Gadelha brigou com seguranças de um Hospital Municipal de Campo Limpo, bairro carente localizado na zona sul de São Paulo. A confusão foi exibida na íntegra pelo “Cidade Alerta”, nesta quarta-feira (17)

A equipe da TV Record foi até o local para conversar com a direção do hospital sobre o atendimento a um recém-nascido, com problemas no coração. A família aguarda a transferência da criança, que precisa realizar uma cirurgia e corre risco de morte. Ao entrar no hospital, a jornalista e o cinegrafista foram impedidos pelos seguranças.

“Você não vai  me retirar daqui”, gritou a jornalista para o segurança, que, curiosamente, estava com a corda de um crachá com os símbolos da TV Bandeirantes e do canal Bandsports. “Tira a mão de mim”, prosseguiu. “Não empurre o meu cinegrafista. Vocês não vão nos barrar, não vão nos calar”, insistiu.

Houve muito bate-boca e troca de acusações sobre uma suposta agressão. Com o tumulto, sete seguranças foram chamados para fazer um paredão e expulsar o cinegrafista do local.

Irritado, Marcelo Rezende, do estúdio, não se controlou e soltou palavrão ao vivo. “Me dê a cara desse merd* aí”, disparou o apresentador, ao se referir ao homem que tentava impedir a equipe de fazer a reportagem.

A confusão só foi controlada minutos depois, quando a equipe da emissora foi atendida pela direção do hospital. A entidade prometeu dar a assistência necessária à criança.

( o hospital é público , afinal nós sustentamos isso tudo , inclusive o salário deste corno ai chamado segurança, gozado, falta médico sobra segurança, simplesmente sete ?

ai vão dizer ah é sensacionalismo, afinal quem vcs querem que vá lá tentar resolver ? a GLOBO que só vai filmar a frente e mandar uma nota na qual o hospital nunca responderá ?)

menina de 6 anos passa mal ao fumar maconha em RIBEIRÃO PRETO (SP)

Uma menina de apenas seis anos foi parar no hospital depois de fumar um cigarro de maconha em Ribeirão Preto, interior de São Paulo.
 
A mãe conta que a filha brincava com outras crianças na rua quando ganhou o cigarro de dois vizinhos — um adulto e outro menor de idade. Depois de fumar a droga, ela começou a passar mal.
 
— Ela estava meio passada, com o olhinho vermelhinho.
 
Acompanhada da polícia, a mãe levou a menina a um hospital. A médica que fez o atendimento confirmou que a menina usou a droga e que os efeitos estavam quase no fim.
 
Um inquérito policial vai ser aberto e o caso será investigado pela delegacia da Infância e Juventude. O Conselho Tutelar também foi acionado e quer ouvir as explicações da mãe.
( pois é não da mais pra brincar na rua sossegado, mas como pobre não mora m condomínio né ? a mãe não tem de explicar  nada, a policia tem de enquadrar quem ofereceu maconha a menina.
por isso que não da pra liberar drogas dentro das cidades, volto a falar 1000000 vezes se for preciso, liberem fora das cidades , ai cada um que use a sua maldita.)