homem que teve carro incendiado durante protestos , teria mentido , dizem manifestantes

o homem que teve seu fusca incendiado durante manifestações contra a copa do mundo em SP, estaria mentindo segundo os manifestantes.

Além dos vídeos, e fotos, o próprio Jornal Nacional, do dia 27/01/2014, confirmou que o senhor da imagem, avançou com o carro por cima do colchão queimado por manifestantes. Segundo o JN, o colchão enroscou no escapamento e o carro começou pegar fogo. 

segundo os manifestantes , o homem teria sido manipulado a mentir, dizendo que os manifestantes jogaram o colchão sobre seu carro, isso após ele ter dito que passou por cima do colchão 

http://noticias.r7.com/sao-paulo/internautas-organizam-vaquinha-para-ajudar-dono-de-carro-incendiado-em-manifestacao-27012014  

( e agora ? quem ta mentindo, os manifestantes ? o homem ? a imprensa manipulou a notícia ?  estavam organizando uma vaquinha pra ajudá-lo na internet,para lhe dar um carro novo, já que este era usado pra ele poder trabalhar,  mas desistiram depois  que ele passou a acusar os manifestantes do incêndio no carro .

defesa da boate KISS diz que tudo estava em ordem e que foi uma fatalidade

Bombeiros combatem incêndio na boate Kiss, em Santa Maria

O escritório de advocacia Kümmel & Kümmel divulgou comunicado na noite de domingo (27) em nome da boate Kiss, local do incêndio em que pelo menos 233 pessoas morreram na madrugada de ontem. Na nota, a empresa Santo Entretenimento Ltda. manifesta o seu “maior sentimento de dor e de solidariedade em decorrência da lamentável tragédia” e a classifica como uma “fatalidade”.
“Somente Deus tem condições de levar o consolo e o conforto espiritual que desejamos a todos os familiares e ao povo santamariense, gaúcho e brasileiro”, diz a nota. A empresa lamenta a extensão da tragédia, “que excedeu a toda a normalidade e previsibilidade de qualquer atividade empresarial”.
 
Segundo o documento, a situação da empresa é regular e a boate tinha todos os equipamentos “previsíveis e necessários” para combater incêndios, conforme normas do Corpo de Bombeiros. A boate ainda informa que os equipamentos atendem “às necessidades da casa e de seus frequentadores”.

A nota ainda informa que a empresa já se colocou à disposição para fornecer documentos necessários para a apuração dos fatos e que todas as informações serão esclarecidas.

Em conversa com a Agência Brasil, o advogado Eduardo Kümmel informou que a nota divulgada ontem de noite em página atribuída à Kiss no Facebook não foi redigida pelos donos da empresa. O documento, assinado por um administrador chamado Armando Neto, afirmava que o quadro de funcionários tem a “mais alta qualificação técnica” e estava “devidamente treinado e preparado para qualquer situação de contingência”.

Ao tomar conhecimento da nota, a Agência Brasil entrou em contato com os telefones divulgados no comunicado na internet. Um dos números foi atendido por uma mulher que se disse funcionária da empresa. Ela garantiu que Armando Neto é gerente da boate e estaria disponível para falar em horário comercial a partir desta segunda-feira (28).

Kümmel não quis dar mais detalhes sobre a situação de seus clientes, inclusive sobre o teor dos esclarecimentos prestados à polícia e sobre a validade do alvará de funcionamento. O advogado disse que o contato com seus clientes é recente e que as estratégias de defesa ainda estão sendo definidas.
( o que faltou foi: comunicação entre os seguranças, câmeras tinha ? se tivesse alguém no comando avisaria os seguranças pelo rádio que estava acontecendo um incêndio.
eles não tinham visão do palco, pq não havia seguranças ali ?, ai um já avisava do fogo , e claro, só havia uma saída, quando deveria ter mais.
mais uma vez o BRASIL não aprende, já tinham acontecido tragédias semelhantes, ARGENTINA, RUSSIA etc, mas mania do brasileiro não aprender com os erros lá de fora, quer fazer do seu jeito, o jeitinho brasuka, olha no que deu.)  

 

policil fumante joga gasolina em rapazes e incendia um, e diz que cigarro escapou

Soldado Marcelo Ribeiro (centro) disse que o seu cigarro caiu e causou incêndio
 
 Soldado Marcelo Ribeiro (centro) disse que o seu cigarro caiu e causou incêndio
O soldado da Polícia Militar Marcelo Penny Ribeiro, de 33 anos, foi preso em flagrante pelos próprios companheiros de policiamento depois de atear fogo no motoqueiro Uoshington Ramalho da Silva, 19 anos, no bairro de Americanópolis, na Zona Sul da capital.
Os amigos Willian Gonçalves da Silva, de 22 anos, e Uoshington seguiam pela Rua José de Alcântara quando a moto em que estavam ficou sem gasolina. Um casal, em uma segunda motocicleta, parou para ajudar e resolveu buscar combustível em um posto próximo.
Nesse intervalo uma viatura da Polícia Militar parou e abordou os dois jovens. “Os policiais ficaram perguntando onde estava a arma. Ele (soldado Marcelo) falou: ‘Vocês aí têm tatuagem de ladrão e não têm uma arma?’”,  contou Willian,  em entrevista à TV Globo.
Durante a averiguação, o casal voltou com a gasolina, mas  foi embora em seguida. Segundo as vítimas, durante a discussão com os rapazes, o soldado pegou a gasolina e a derramou  sobre os dois amigos. Em seguida, acendeu um cigarro e jogou sobre eles. Willian conseguiu fugir, mas Uoshington começou a pegar fogo na calçada. O jovem foi levado ao Hospital Saboya, na Zona Sul, e teve queimaduras de terceiro grau em 50% a 60% do corpo.
Segundo o comandante interino da PM, Gilson Araújo, o soldado Ribeiro afirmou que o cigarro caiu da sua mão e deu início ao incêndio. No final da tarde ele foi  transferido para a 3 Companhia do 46º Batalhão da PM, na região do Sacomã. “No momento ele se encontra muito abalado”, disse o advogado da Associação de Cabos e Soldados da PM, Thiago de Souza Duca.
“Foi uma atitude isolada e não compactuada pelos colegas”, comentou Araújo. Ribeiro  vai responder processo por tortura e tentativa de homicídio.
 ( deixa ver se entendi, quer dizer que jogar gasolina na pessoa é normal ? ai o policial que estava FUMANDO ? durante a abordagem , diz que o cigarro escapou de sua mão ?
é sem duvida um fato bizarro, policial fumando, abordar as pessoas e jogar gasolina  , arma, dizer que tatuagem era coisa de bandido, e agora ta abaldado é ?)

PABLO HENRIQUE DIAS, diz que tocou fogo em ônibus, devido a uma discussão com motorista

Acusado de incendiar ônibus no Jardim Bom Sucesso foi apresentado ontem na DIG – Por: Emídio Marques
O vendedor Pablo Henrique Dias Gomes, de 19 anos e que era procurado por ter incendiado um ônibus no Jardim Bonsucesso, região do Vitória Régia, se apresentou na Delegacia de Investigações Gerais (DIG) na segunda-feira e está preso. Ele confessou que incendiou o ônibus, mas negou ter agido sob ordem de qualquer facção criminosa. 


Pablo disse que discutiu com um motorista no mesmo dia, 23 de novembro, e por isso ele e mais três jovens atearam fogo no coletivo da empresa Consórcio Sorocaba. O acusado liderou o grupo, como mostram imagens da câmera do ônibus, analisadas pela Polícia Civil. Pablo não disse os nomes dos que praticaram o incêndio criminoso com ele.

O fogo foi ateado com álcool que compraram num posto de combustível, mas não se alastrou por todo o ônibus. Atingiu 11 bancos fabricados com material antichama. De acordo com a versão de Pablo à polícia, ele e alguns amigos costumam ficar no ponto final do ônibus e isso incomodou um motorista. Teria havido discussão. Por vingança, Pablo decidiu pôr fogo num ônibus, mas não seria o do motorista com quem brigou. 

No dia 23 de novembro, uma sexta-feira, e em dias anteriores circularam boatos em Sorocaba de “toque de recolher” e que haveria ataques do crime organizado. Diretores de escola suspenderam aulas e muita gente foi para casa mais cedo, à noite. Os boatos se intensificaram justamente no dia 23. 

Coincidência? 
A discussão entre Pablo e o motorista não foi confirmada pela Polícia Civil. A versão dele deve ser confrontada com a desse profissional, se realmente a briga existiu. O delegado Acácio Aparecido Leite, da DIG, disse ontem que vai pedir à empresa de ônibus os nomes dos motoristas que fazem a linha a fim de verificar se é verdade ou não o que declarou Pablo.

O acusado trabalhava havia um mês como vendedor numa loja de sapatos no centro de Sorocaba e morava com os pais no Parque Vitória Régia. Ao saber que o filho estava envolvido no incêndio ao ônibus, os pais o convenceram a se apresentar à polícia. Pablo compareceu espontaneamente na DIG, com advogado.

Apesar de Pablo não relacionar o ataque ao ônibus com ordem do crime organizado, o delegado não descarta essa possibilidade. As investigações prosseguem, inclusive para identificar os outros três autores do incêndio. Nas imagens, Pablo aparece com uma arma, com que rendeu o motorista, o agente de bordo e uma passageira. Ele disse que a arma era uma réplica, que jogou depois num contêiner de lixo. 

Pablo também negou a participação em incêndios a outros ônibus, em Sorocaba e Votorantim. Há suspeita de que teria participado no ataque a um ônibus na rua Otto Geissler, próximo ao Plaza Shopping Itavuvu, e a outro no Jardim São Lucas em Votorantim. Mais seis ônibus foram queimados na garagem da antiga empresa Transporte Coletivo Sorocaba (TCS), no Jardim Betânia, em Sorocaba. O total de ônibus queimados foi de nove.
 
Desordem pública 
A previsão é de que Pablo fique preso pelo menos até a fase final de instrução do processo. Ele é acusado de incêndio criminoso (artigo 250 do Código Penal) com agravante de ser em veículo de transporte público, o que aumenta a pena de 3 a 6 anos de prisão em um terço.

O juiz Jayme Walmer de Freitas, da 1ª Vara Criminal e que autorizou a prisão preventiva de Pablo, entendeu que o fato trouxe prejuízo à ordem pública. Pablo teve passagens na polícia quando era menor de 18 anos. Foi detido por tráfico de droga, roubo de carro e de residência. Na Fundação Casa de Franco da Rocha, participou de motins entre junho e agosto do ano passado. ( discussão com motorista ? foi este o motivo de tudo isso ? uma discussão boba, banal, gerou este incêndio, mas se este foi o motivo pq ele incendiária outros coletivos inclusive o de VOTORANTIM. ?) 

identificado suspeito de ataques a ônibus em SOROCABA

Circuito interno do ônibus mostra Pablo entrando no veículo – Por: Emídio Marques
A Polícia Civil identificou e pediu a prisão do acusado de ser o líder do grupo que ateou fogo no primeiro ônibus incendiado em Sorocaba após a onda de violência na Grande São Paulo atribuída ao crime organizado. Pablo Henrique Dias Gomes, 19 anos, morava no Parque Vitória Régia e está foragido. Ele é quem teria comandando o grupo formado mais três jovens que queimou 11 bancos do ônibus da empresa Consórcio Sorocaba no Jardim Bonsucesso, região do Vitória Régia, na noite de 23 de novembro.


Pablo tem antecedentes criminais de quando era menor de 18 anos. Foi detido por tráfico de droga, roubo de carro e de residência. Na Fundação Casa de Franco da Rocha, ele participou de motins entre junho e agosto do ano passado. Este ano, em junho e já maior de idade, foi pego com droga em Sorocaba, mas por causa da pequena quantidade respondeu por porte.

O delegado José Humberto Urban Filho, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Sorocaba e que coordenou a investigação, disse ontem que não se sabe ainda se Pablo agiu a mando de facção criminosa. “Saberemos quando ele for preso e interrogado”, segundo o delegado. O procurado mudou de bairro para se esconder. Urban acredita que ele pode ser preso nos próximos dias.

Uma testemunha apontou Pablo como um dos autores do incêndio criminoso ao ônibus. A comparação das imagens captadas por câmera do próprio ônibus batem com as características físicas dele. Conforme a investigação, foi Pablo quem aparece portando uma arma de fogo, rende o motorista, o agente de bordo e uma passageira. Outros dois colocam fogo no interior do ônibus, mas não se propagou porque o material dos bancos é antichama. O quarto do grupo espera do lado de fora.

Antes de queimar o ônibus, Pablo teria alardeado seu plano, gritando por ruas do bairro. A Justiça autorizou a prisão preventiva dele, que é acusado de incêndio criminoso (artigo 250 do Código Penal) com agravante de ser em veículo de transporte coletivo, o que aumenta a pena de 3 a 6 anos de prisão em um terço.

O delegado da DIG suspeita que o mesmo grupo pode ter ateado fogo no ônibus da empresa Sorocaba Transportes Urbanos (STU) na rua Otto Geissler, próximo ao Plaza Shopping Itavuvu, na noite de 25 de novembro. As chamas queimaram totalmente o coletivo. Testemunhas viram três indivíduos encapuzados, que fugiram a pé.

Também há suspeita de que o incêndio a outro ônibus em Votorantim, na última quarta-feira, também pode ter sido praticado pelo grupo, devido à descrição física dos autores. O ônibus da empresa São João foi totalmente consumido pelo fogo no Jardim São Lucas. Em Sorocaba e Votorantim nove ônibus foram queimados criminosamente desde o dia 23. Seis, da empresa Breda, estavam na garagem da antiga empresa Transporte Coletivo Sorocaba (TCS), no Jardim Betânia, em Sorocaba.


( esta é uma foto do suspeito que está foragido, se vc o vir , avise a policia, isso se ele ainda estiver em SOROCABA.)

mais 6 Ônibus incendiados em SOROCABA e ta tudo bem né ?

Os atos de vandalismo contra ônibus em Sorocaba continuaram neste final de noite de segunda-feira (26) e início de madrugada desta terça (27). Desta vez, seis ônibus foram incendiados na garagem da antiga TCS, situada na altura do número 5.000 da avenida Ipanema. O local abriga o patrimônio da extinta empresa, destinado a leilão

Quatro deles ficaram totalmente destruídos. Os outros dois ficaram parcialmente queimados. Todos os veículos pertencem à Breda Turismo. Cinco viaturas do Corpo de Bombeiros foram deslocadas para combater o fogo.

Segundo os bombeiros, ainda não é possível saber se o ato de violência tem ligação com alguma organização criminosa da cidade. Os vândalos teriam entrado no local através de um terreno situado nos fundos da garagem.

A perícia técnica ainda vai determinar que tipo de combustível os invasores teriam utilizado para colocar fogo nos ônibus.

Durante o fim de semana, Sorocaba registrou dois casos de ataques a ônibus do transporte coletivo municipal. Os últimos incidentes deste tipo foram em 2006, quando o PCC (Primeiro Comando da Capital) comandou ataques na cidade.Porém, o modo como os atos criminosos foram praticados desta vez sugerem que a ação pode ter sido praticada por vândalos, segundo a polícia.É fogo/ No primeiro caso, um grupo de jovens ateou fogo nos bancos de um ônibus no Jardim Bonsucesso, nas proximidades do Parque Vitória Régia, zona norte. O veículo teve algumas poltronas queimadas e ninguém ficou ferido.

Já na noite de anteontem, guardas civis municipais que patrulhavam as imediações da avenida Itavuvu, também na zona norte, se depararam com uma fumaça densa e cheiro de queimado. Foi assim que, por volta das 22h30, eles encontraram um motorista de 33 anos ao lado de um ônibus completamente destruído pelas chamas, na rua Otto Alfred Geislee,  Jardim Maria Antônia Prado.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e fogo  contido. Além da perda total do veículo, a fiação elétrica da rua  ficou comprometida.
O motorista contou que três jovens, aparentando menos de 18 anos, exigiram que ele abrisse as portas do coletivo  que estava estacionado no ponto final. Um deles estava armado.

O trio, que estava encapuzado, exigiu que o motorista descesse sem olhar para trás e ateou fogo no ônibus. Ninguém ficou ferido.
Investigação/ Os dois casos registrados no fim de semana foram atendidos pela Guarda Civil Municipal e registrados no Plantão Policial Norte.
Por se tratar de incêndio criminoso, uma equipe pericial do Instituto de Criminalística avaliou a cena dos  crimes. Tudo foi registrado.

Alterações/ Nas noites de sexta, sábado e domingo, viaturas da  GCM (Guarda Civil Municipal) escoltaram os ônibus dos terminais até os pontos finais dos bairros mais distantes.

O comandante da GCM, Carlos Eduardo Paschoini, explicou  que essas ações preventivas poderão se estender durante a semana.

“Continuaremos a proteger os pontos finais dos ônibus em horários determinados. Se necessário, realizaremos o acompanhamento individual”, complementa.

Ele avalia os incidentes como isolados. “Os autores não foram localizados e, até o momento, os incidentes estão sendo avaliados como isolados.”
Esta é a mesma avaliação feita pela Polícia Militar, que tem atuado com patrulhamento intensificado em algumas partes de Sorocaba. “A Polícia Civil está trabalhando para identificar os responsáveis pelos ataques aos ônibus que são considerados casos isolados”, reforça o capitão da PM Vanclei Franci.

A Urbes informa que o transporte coletivo está atendendo a população normalmente.

Boatos de ataques interrompem rotinaDesde o início do mês os boatos de possíveis ataques feitos pela facção criminosa da capital paulista têm se intensificado em Sorocaba. Com isso, os veículos de comunicação e os números emergenciais que atendem a cidade recebem centenas de relatos de crimes e de situações hostis envolvendo toque de recolher.Porém, os comandos da Polícia Militar e da Guarda Civil Municipal pedem cautela aos moradores. “Durante os últimos dias tivemos muitos boatos que, em sua grande maioria, se mostraram infundados”, afirma  o capitão da PM Vanclei Franci em entrevista   concedida na manhã de ontem.
Ele explica ainda que todas as informações são devidamente checadas. “Temos de tratar com muita cautela todas as informações, pois tais boatos têm o único propósito de espalhar o medo entre os sorocabanos.”Já  o comandante da GCM, Carlos Eduardo Paschoini, avalia que muitos aproveitadores estão tentando intimidar a população. “Os moradores não precisam ficar preocupados, pois as forças policiais estão trabalhando de forma integrada para deixar a comunidade mais segura, tanto de forma ostensiva quanto preventiva”, diz.

A PM finaliza destacando que a atuação integrada (PM, Polícia Civil, GCM e Urbes) está trazendo resultados satisfatórios. “As informações estão chegando e estamos trabalhando intensamente”, conclui o capitão da PM.

Um criminoso completoNa manhã de ontem, Eliazar de Oliveira, 53 anos, foi encaminhado ao Centro de Detenção Provisória após ter sido indiciado por tráfico de entorpecentes e posse ilegal de arma de fogo. Ele foi preso na noite de anteontem, na Vila Haro, zona leste de Sorocaba.O setor de inteligência da Dise (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes) averiguou informações sobre a provável venda de drogas em uma casa da rua José do Patrocínio.Com isso, a  polícia  seguiu ao endereço e observou,  mais uma vez, a movimentação na casa. O acusado foi abordado no portão da casa e permitiu a entrada dos policiais, alegando que não havia nada ilícito.
Na residência foram apreendidos um liquidificador industrial, uma balança de precisão, flaconetes vazios, três revólveres, munições, dois coletes balisticos e 570 flaconetes de cocaína prontos para venda, além de R$ 90. “A casa funcionava como uma refinaria”, conta  o delegado responsável pela Dise, Alexandre Banietti.

A Polícia Civil irá investigar também a procedência dos coletes balisticos e das armas. “Uma das possibilidades é que os coletes tenham sido roubados ou furtados e que ele poderia alugar ou guardar os equipamentos para outros criminosos que praticam roubos.”
Eliazar tem passagens  por tráfico de drogas, rapto consensual, homicídio e porte de arma de fogo.


90% dos boatos seriam mentira, diz polícia; os demais estão sendo devidamente averiguados 
Teorias não são descartadasTanto o capitão da PM quanto o comandante da GCM dizem não descartar possibilidade de ataques envolverem membros de facções criminosas, porém a possibilidade seria mínima e está sendo investigada pelo setor de inteligência da Polícia Civil. Moradores podem colaborar com informações no 181, 190, 197 e 199.( os autores não são pegos e mesmo que sejam, a verdade mesmo não seria divulgado a população pra não causar pânico , ou seja, preferem que fiquemos sem saber se SOROCABA corre risco de guerra entre policia e PCC.
só vemos ter certeza se estourar de vez tiroteios em toda a cidade, e houver o medo e terror nas ruas, bem pais de banana nanicas, povo submisso é isso )

outro busão é incendiado em SOROCABA e ai povo ?

Além de ter destruído o ônibus, o fogo queimou toda a fiação elétrica do local onde aconteceu o crime – Por: Fábio Rogério
Um ônibus da empresa STU, que faz a Linha 303 – Itavuvu/Éden, foi queimado ontem à noite, às 22h20, na rua Otto Alfred Geissler, próximo ao Plaza Shopping Itavuvu. Policiais disseram que dois indivíduos encapuzados aproximaram-se do veículo, que estava estacionado no ponto final, e pouco tempo depois uma terceira pessoa, também encapuzada, apareceu. Foi quando começou o incêndio. Rapidamente os três saíram correndo, em direção à avenida Atanázio Soares. Além de ter destruído o ônibus, o fogo queimou toda a fiação elétrica do local onde aconteceu o crime. Ninguém ficou ferido.

Conforme a Guarda Civil Municipal e a Polícia Militar, não é possível afirmar que o ataque tenha sido por parte de alguma facção criminosa ou seja um ato de vandalismo.

Os policiais evitaram qualquer tipo de especulação a respeito da onda de crimes que vem ocorrendo em São Paulo e que têm sido atribuída ao crime organizado, porém populares estavam receosos.

Zilda Moraes, proprietária de um bar situado na avenida Itavuvu, disse que está apavorada e não sabe como ficará daqui pra frente, se terá toque de recolher. 


Até o fechamento desta edição, enquanto os bombeiros estavam contendo as chamas, a polícia fazia rondas pelo bairro, com o objetivo de encontrar os suspeitos.

Na sexta-feira
O primeiro registro de violência ocorreu na última sexta-feira, quando um ônibus da empresa Consórcio Sorocaba foi parcialmente queimado, no Jardim Bonsucesso, região do Parque Vitória Régia. O ataque contra o ônibus da linha Alpes de Sorocaba/Jardim Imperatriz aconteceu às 22h40 no ponto final, na rua Olga Bernardo de Barros. Também foi feito por três homens que usavam capuzes, porém teve mais pessoas envolvidas, que tinham camisetas escondendo o rosto. Neste caso, o condutor e o agente de bordo estavam no ônibus e foram obrigados a ficar de cabeça baixa, sem olhar para o bando, que fugiu a pé. Não foi confirmado se o incêndio foi um atentado do crime organizado. Pode ter sido uma ação isolada de jovens arruaceiros que aproveitaram a onda de boatos que circulou em Sorocaba na sexta-feira. ( mania de esconder tudo da população, afinal quem sustenta tudo ? não é o povo caramba ?  

ta havendo ataques, SOROCABA ta na mira do PCC, falem logo, o povo tb dorme viu ?)