prefeita ostentação volta a exibir luxo e critica os que falam mal.

Lidiane Leite antes da Denúncia do MP.

Mesmo após sua prisão e de ter sido acusada pelo Ministério Público Federal por desvios de recursos federais, fraude licitatória e associação criminosa, a ex-prefeita da cidade de Bom Jardim, no Maranhão, Lidiane Leite parece que não se abalou.

A jovem de 25 anos, voltou a ostentar e publicar fotos nas redes sociais, inclusive com direito a propaganda de sapatos e a um registro da visita a um salão de beleza, conforme publicado pelo jornal “Extra”.

Ainda segundo a publicação, durante a Operação Éden, da Polícia Federal, que teve início em agosto e investigou denúncias de desvios de verbas da educação de Bom Jardim, Lidiane evitou publicar fotos nas redes sociais, onde antes ostentava uma vida de luxo. Chegou a apagar todas as suas fotos do Instagram, onde coleciona mais de 13 mil seguidores.

A “prefeita ostentação’ também mandou um recado para aqueles que criticam suas postagens. “Eu sou mulher, tenho direito de me maquiar, de ir ao salão, eu tenho direito de comemorar o nascimento de Jesus, direito de ver familiares e amigos, de tirar fotos e publicar, direito de viver, vocês estão querendo me jogar numa cova, vocês são cruéis e sem temor a Deus, peço que todos orem por essas pessoas porque isso não vem de Deus. Agradeço todo dia a Deus por eu ter tanta gente que me ama, que me faz bem. Obrigado senhor por me fazer feliz, porque em nem um momento deixei de confiar nos teus planos. Te amo, pai”.

( e o povo ai da cidade tem direito a que minha senhora ? a ficar quieto e ter de assistir a senhorita se exibir com luxo nas redes sociais e a cidade que se dane ?

se aqui fosse pais de verdade vc , seu ex noivo ou noivo sei lá o quê e outros envolvidos , estariam na cadeia isso sim.)

prefeita ostentação é solta, tb ficou de boca fechada

Lidiane ficou conhecida por postar fotos de viagens, festas, carros e roupas caras nas redes sociais e ainda desdenhar de quem questionava seu poder aquisitivo

Lidiane ficou conhecida por postar fotos de viagens, festas, carros e roupas caras nas redes sociais e ainda desdenhar de quem questionava seu poder aquisitivo

A ex-prefeita de Bom Jardim (MA), Lidiane Leite da Silva, 25, deverá ganhar a liberdade nos próximos dias e usar tornozeleira eletrônica para ser monitorada pela Justiça.

Nesta sexta-feira (9), o juiz José Magno Linhares Moraes, titular da 2ª Vara da Justiça Federal no Maranhão, revogou a prisão preventiva expedida contra Lidiane, determinou o uso de tornozeleira e proibiu a entrada dela no prédio da prefeitura.

Lidiane está presa desde o dia 28 de setembro em um alojamento com ar-condicionado no quartel do Corpo de Bombeiros Militar em São Luís desde que se entregou à Polícia Federal.Ela passou 39 dias foragida da Justiça.

Ela é acusada de desviar recursos destinados à merenda escolar, reforma e construção de escolas no município. Após assumir o cargo, a ex-prefeita costumava esbanjar bens e viagens. Ela ficou conhecida por postar fotos de viagens, festas, carros e roupas caras nas redes sociais e ainda desdenhar de quem questionava seu poder aquisitivo.

Segundo a decisão, o magistrado determinou ainda que ex-prefeita também não poderá viajar sem autorização da Justiça. Ela está obrigada a comparecer uma vez por mês à comarca do município que reside para justificar suas atividades.

Segundo o advogado de Lidiane, Sérgio Murilo Muniz, a família da ex-prefeita informou que ela deverá se mudar para o município de São José do Ribamar (região metropolitana de São Luís) e não voltará para Bom Jardim.

“Estamos aguardando informações da Justiça sobre a instalação da tornozeleira eletrônica para Lidiane sair do quartel. Não sabemos se vai ser hoje. Essa decisão era esperada por ela com ansiedade, pois ela nunca impediu nenhuma investigação”, disse Muniz.

Desde que a Justiça expediu o mandado de prisão preventiva contra Lidiane, a defesa dela alegava que a medida era “desnecessária” porque ela “não atrapalhou as investigações” e nem havia coagido testemunhas.

 

 ( fica quietinha, segura o rojão, que logo vc estará solta nas quebradas de novo, dito e feito, e outros envolvidos ficam na boa)

 

MARANHÃO mais rico ? por isso a violência ? rico onde dona ROSEANA ?


 

SÃO LUIS – O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, reuniu-se nesta quinta-feira com a governadora do Maranhão, Roseana Sarney, para discutir uma ação conjunta para tentar amenizar a situação nos presídios do estado, onde foram registradas 60 mortes de detentos. Em sua primeira aparição pública em entrevista depois que criminosos atearam fogo em ônibus, causando a morte de uma menina de seis anos, a governadora disse que foi pega de surpresa pelas atrocidades e fez uma análise curiosa para justificar o aumento da violência no estado e nos presídios: para ela, isso vem ocorrendo porque o Estado, um dos mais pobres do país, está ficando rico.

– O Maranhão está atraindo empresas e investimentos. Um dos problemas que está piorando a segurança é que o Estado está mais rico, o que aumenta o número de habitantes – justificou a governadora.

Roseana disse que em 2012 foram registradas quatro mortes no sistema penitenciário maranhense e, até setembro do ano passado, 39.

– Até setembro estava dentro do limite que se esperava – declarou, argumentando que as mortes ocorreram apenas em uma unidade do complexo de Pedrinhas, onde duas facções disputam o domínio do tráfico e da cadeia, matando seus rivais, inclusive decepando cabeças.

De acordo com a governadora, sua administração investiu em novas unidades prisionais e na melhoria ao atendimento ao preso.

– Nosso sistema de saúde é muito bom para os presos – afirmou, para complementar: – Nosso presídio feminino é um exemplo para todo o Brasil.

Roseana, assim como o ministro da Justiça, fizeram questão de lembrar que outros estados, como Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, Alagoas e Rio Grande do Sul também enfrentaram uma onda de violência comandada por detentos e que o governo federal ajudou os outros governadores. Segundo a governadora, apesar das mortes, seu governo não cometeu nenhum ato contra os direitos humanos. A ONU, porém, pede uma investigação sobre o assunto.

– Não cometemos nenhum crime de direitos humanos por parte do governo. Mas temos de ser mais atentos – admitiu.

Ao ser perguntada sobre a intenção do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, de pedir a intervenção no Estado por conta da violência, Roseana afirmou que não acredita nessa hipótese e passou a enumerar uma série de obras e ações que sua gestão tem feito.

– Eu não acredito que ele vá pedir a intervenção porque estou cumprindo meu dever. O Maranhão está indo muito bem. Talvez seja o único estado do Brasil que vai ter todas as suas cidades interligadas por asfalto.

Ela se irritou quando uma repórter perguntou ao ministro José Eduardo Cardozo por que a presidente Dilma Rousseff e mesmo ele não haviam se manifestado até o momento sobre os problemas no estado administrado pelo clã Sarney.

José Eduardo disse que o governo se manifesta de forma concreta e procura ajudar Estados administrados pela oposição e por políticos que apoiam o governo. Mas Roseana, exaltada, disse que não é certo falar em família.

– Não existe família. Eu sou a governadora. Quem manda aqui não é a família, sou eu. Vocês querem penalizar a família, mas eu, Roseana, sou a responsável pelo que acontece no Maranhão – afirmou, sendo aplaudida por parte da mídia que apoia seu governo.

As ações anunciadas pelo ministro da Justiça e pela governadora, porém, não têm um impacto imediato – exceto pela transferência de presos para penitenciárias federais, que José Eduardo recusou-se a dizer quando se dará, quantos serão transferidos e para onde.

Entre as ações está prevista a criação de um comitê de gestão, comandado por Roseana, mutirão da Defensoria Pública para ver os presos que podem deixar os cárceres, interligação do sistema de inteligência, criação de um núcleo de atendimento prisional, melhoramento no atendimento à saúde, capacitação de policiais e implantação de alternativas penais e monitoramento eletrônico.

( rico ? só se for o clã SARNEY, a reportagem deve ter errado, culpa do estagiário ?  a situação é o caos, o MARANHÃO vive o que SP E SC já viveram e podem viver de novo, já que o PCC aqui anda quieto demais, dizem, que vai ter copa se eles permitirem.)

mulher mata os pais adotivos, pq eles lhe negaram dinheiro de dízimo

Lineusa Rodrigues da Silva se ajoelha na delegacia no último domingo, 25 (Foto: Reprodução/MeioNorte.com) (Reprodução/MeioNorte.com)

Lineusa Rodrigues da Silva se ajoelha na delegacia no último domingo, 25 

Frequentadora de uma igreja evangélica, Lineusa Rodrigues da Silva, de 24 anos, matou os pais como uma machadinha porque eles não deram o dinheiro do dízimo. O crime, cometido no último domingo, chocou a cidade de Timon, no Maranhão.

O inferno é mesmo pavimentado com boas intenções. De tanto que queria pagar o dízimo à sua igreja, Lineusa matou os pais adotivos a golpes de machadada. Joana Borges da Silva, 104 anos, que mal se levantava da cama, e Lourival Rodrigues da Silva, 84, tiveram as mãos esquartejadas com um serrote e foram seguidamente golpeados com um pedaço de pau.

Objetos usados por Lineusa no assassinato dos pais (Foto: Reprodução/Telacrente)

Objetos usados por Lineusa no assassinato dos pais (Foto: Reprodução/Telacrente)

A jovem foi encontrada pela polícia depois de receber ligações dos vizinhos que ouviram barulhos estranhos durante a noite. Ela confessou o crime e relatou os detalhes dos assassinatos. A delegada da Central de Flagrantes de Timon, Wládia Holanda da Silva, disse que os corpos ficaram totalmente irreconhecíveis. “Em toda a minha experiência como delegada nunca tinha visto nada parecido”, disse ela ao MeioNorte.com.

Lineusa acumulou dívidas de dízimo junto ao pastor da igreja que frequentava, e justificou os assassinatos pela religião. “Eu fiz por Deus”, disse a estudante, que chegou a se ajoelhar na delegacia.

Adotada com cinco meses pelo casal, Lineusa vinha discutindo com os pais adotivos há algum tempo, segundo informou a filha do casal assassinado, Francisca Oliveira da Cruz. Ela também contou que Lineusa tem histórico de problemas mentais.

Não dá para saber quem fez pior, a assassina, que foi levada a cometer um crime em nome do fanatismo religioso, ou do pastor que, sabendo da condição da jovem, fazia qualquer tipo de cobrança.( o pastor tem, advogados, vai se proteger na lei de liberdade de culto, enfim vai sobrar tudo pra infeliz ai.)