FELICIANO quer retirada de vídeo do grupo de humor porta dos fundos

 

O deputado federal Marco Feliciano usou sua conta no Twitter para iniciar uma campanha contra um vídeo do coletivo de humor Porta dos Fundos.

Publicado nesta segunda (19), o vídeo “Oh, Meu Deus!” mostra a atriz e cantora Clarice Falcão interpretando uma mulher que vai ao ginecologista e lá descobrem uma imagem de Jesus Cristo em sua vagina. A descoberta da imagem provoca uma peregrinação para ver as partes íntimas da moça.

Incomodado com o conteúdo do vídeo, o pastor evangélico escreveu no microblog “Assim caminha a humanidade… Video podre! Ajudem a denunciar para retira-lo do ar —>” e reproduziu o link do vídeo.

Até o momento da publicação deste texto, o post de Feliciano já havia sido retuitado 249 vezes. O vídeo do Porta dos Fundos já foi visto por mais de 283 mil pessoas.

Conhecido pelo humor politicamente incorreto, o Porta dos Fundos já havia abordado religião em vídeos como “Demônio“, “Deus” e “Confessionário

João Vicente do Castro, um dos sócios do Porta dos Fundos, conversou com o UOL sobre a polêmica. “O vídeo fez muito sucesso, não faço muita ideia do que o Feliciano falou, mas… a gente não vai tirar do ar, só isso”, garantiu.

“Se você for se preocupar com todos os vídeos que soltamos, sempre vai ter alguém para ficar incomodado”, disse o empresário e ator. “A gente também não pode parar de fazer o nosso trabalho com medo de alguém se magoar.”

Castro explicou que já houve casos nos quais o Porta dos Fundos já se desculpou, quando uma pessoa se sentiu ofendida por determinado vídeo. “A gente respeita evangélicos, muçulmanos, católicos, todo mundo”, disse. “A gente não vai botar no ar, por exemplo, algo sobre o Holocausto, já que é um tema que causou muita dor nas pessoas.”

Alegando que mesmo os alvos das piadas do Porta dos Fundos, como gays e mulheres, costumam gostar das esquetes, o sócio defende o humor do grupo. “Eu não vou falar que o nosso humor é fofinho. Às vezes, a gente traz algo mais apimentado pra tela”, afirmou. ( internet  vê quem quer, se vc se ofendeu com um certo site de humor, ou qualquer outra coisa, vc nunca mais clica nele, simples assim.

afinal o grupo não atua na tv, pois os politicamente curretos tomaram conta, agora não venham patrulhar a internet atras de coisas que lhe desagradem,agora é estranho FELICIANO se ofender, afinal idolatria a imagens, é coisa de católico .

FELICIANO mais uma vez perde a chance de se calar e meter a viola no saco e juntamente com a bancada evangélica . abandonar o governo, afinal se queremos um estado laico, não da pra esta cambada estar no poder né ? )

pai do DINHO ( MAMONAS ASSASSINAS) X MARCOS FELICIANO.

Os integrantes do Mamonas Assassinas morreram em 1996, em um acidente aéreo

Após a divulgação de um vídeo em que o pastor evangélico e presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, Marco Feliciano, afirma que Deus teria matado os integrantes do Mamonas Assassinas, Hidelbrando Alves, pai do vocalista Dinho resolveu entrar com um processo por danos morais contra o deputado, ainda nesta semana.

No vídeo, o pastor afirma que o conteúdo das músicas da banda era inadequado.”Ao invés de virar pra um lado, o manche tocou pra outro. Um anjo pôs o dedo no manche e Deus fulminou aqueles que tentaram colocar palavras torpes na boca das nossas crianças”, diz Feliciano.

Na época em que as imagens foram gravadas, 1996, o pastor afirmou ainda que Dinho era da Assembléia de Deus e se vendeu ao Diabo em troca de fama. Hidelbrando, que tomou conhecimento das declarações do deputado através dos jornais, disse que o filho pouco frequentava a igreja e que o pastor disse besteiras. “Eu vou processá-lo, de qualquer forma”, afirmou o pai do cantor

( e ele declarou em entrevista ontem, no RATINHO que não sai , ele tb havia falado de JOHN LENNON, ainda bem que a YOKO ONO não mora aqui, senão seriam dois processos.)

MARCOS FELICIANO se compara a YOANI SANCHEZ em matéria de perseguição, toma vergonha seu MARCOS.

Recém-eleito presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, o pastor Marco Feliciano (PSC-SP) se compara à ativista cubana Yoani Sánchez ao afirmar que sofre perseguição de simpatizantes de uma “ditadura da desinformação”.

Em entrevista à Folha, Feliciano disse que sofre ameaças de morte desde que foi indicado para a vaga destinada ao seu partido na comissão, e avalia pedir proteção policial para ele e sua família.

Eleição de pastor para comando de comissão pode ser revista, diz presidente da Câmara
Pastor que preside comissão propôs castração química a estupradores
Atos em 10 cidades vão pedir que pastor deixe Comissão de Direitos Humanos
Pastor eleito para comissão responde por estelionato e homofobia no STF
Vídeo mostra pastor Marco Feliciano pedindo senha de cartão de fiel
Tendências/debates: Marco Feliciano – Ditadura gay e direitos humanos
Tendências/debates: Jean Wyllys – Cinismo Cruel

“A situação está tomando dimensões muito estranhas. É assustador, estou me sentindo perseguido como aquela cubana lá. Como é o nome? A Yoani Sánchez”, disse, em referência à blogueira crítica do governo de Cuba, que enfrentou protestos no Brasil.

Acusado por movimentos sociais de homofobia e intolerância racial e religiosa, Feliciano foi alvo de uma avalanche de críticas ao ser eleito na última quinta-feira presidente de uma comissão que tem como uma de suas atribuições lidar com demandas de homossexuais, prostitutas, negros e outras minorias.

  Alan Marques – 05.mar.2013/Folhapress  
O deputado Marco Feliciano (PSC-SP), eleito presidente da Comissão de Diretos Humanos
O deputado Marco Feliciano (PSC-SP), eleito presidente da Comissão de Diretos Humanos

Feliciano já sofre pressão para renunciar ao posto. Há na internet petições de movimentos sociais com mais de 50 mil assinaturas pedindo o seu afastamento. “Não estou preocupado. Isso é democracia”, disse. “Tenho em meu site uma petição muito maior. São 120 mil e só faz crescer.”

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), afirmou neste sábado (9) em Natal que a escolha de Feliciano pode ser eventualmente revista, se aparecerem “fatos novos”.

“Se fatos novos surgirem, a Câmara poderá avaliar a situação da Comissão de Direitos Humanos, mas sempre respeitando o direito de cada parlamentar e de cada partido”, afirmou Henrique Alves.

Segundo Feliciano, “todo pedido de audiência será acatado, qualquer pessoa que nos procurar será ouvida”.

“Não sou homofóbico, estou sendo mal interpretado. Peço apenas que me deem uma chance. Não fiz mal algum a ninguém e, se alguém acha que fiz, que me perdoem pelo mal entendido”, acrescentou Feliciano.

Manifestação contra Feliciano e Renan em SP

 Ver em tamanho maior »

Adriano Vizoni/Folhapress

AnteriorPróxima

Ato de repúdio contra a eleição do deputado federal e pastor evangélico Marco Feliciano (PSC-SP) para a presidência da Comissão de Direitos Humanos; no caminho, os manifestantes se juntaram a outro grupo que protestava contra o presidente do senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) Leia mais

O deputado diz não ter “culpa” por assumir a comissão e que foi criada uma “celeuma” em torno da “omissão” de líderes na Casa. “Se há algum culpado pelo PSC ter assumido os Direitos Humanos, essa culpa é do PT.”

As vagas nas comissões são distribuídas pelo tamanho das bancadas. O PT, que presidia a de Direitos Humanos até então, tinha direito a três, mas preferiu outras.

Segundo Feliciano, seu partido tinha escolhido a Comissão de Fiscalização e Controle, “sempre a última a ser escolhida”. Porém a perspectiva de ficar com uma comissão de impacto social pesou na escolha da legenda.

Ele disse que, ao se informar sobre as matérias que passaram na comissão em 2012, ficou “assustado” com a “apatia” dos deputados.

“Quero criar uma agenda mais dinâmica, com grupos de trabalho”, afirma. Feliciano diz querer trabalhar por imigrantes presos no exterior e que estão, diz ele, “em prisões desumanas”, sem ajuda de consulados.

Colaborou DANILO SÁ, em Natal

Manifestação contra Feliciano e Renan em Brasília

 Ver em tamanho maior »

Sergio Lima/Folhapress

AnteriorPróxima

Manifestação contra o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) e contra o presidente eleito da Comissão dos Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, Dep. Marcos Feliciano (PSC-SP); o movimento que contou com 150 pessoas, surgiu nas redes sociais provocando uma concentração na rodoviária de Brasília e caminhada até o Congresso Nacional Leia mais ( ta todo mundo quer diotadura, o gay, quer a feminista quer, o sem teto quer, o sem terra quer, todos querem.
não é mais fácil cada um pegar sua parte e pronto, é que nem dividir herança, acada um pega sua fatia e acabou, isso tudo parelçe mesmo briga de herança, pq um irmão quer pagar mais que ao outro, pq cuidou mais dos pais, pq é casado , pq é homem etc etc.
no caso do BRASIL é o mesmo, vc é gay não tem direito, vc é mulher não tem direito, vc não manda no seu corpo, não tem controle de natalidade pq não permitimos , queremos mais e mais crianças, é assim que ta a coisa.
e assim, gays, índios, mulheres, sem teto, deficientes, ciclistas, pedestres, mendigos, catadores etc , perdem seus direitos, pq querem implantar TEOCRACIA aqui.)