lista das compras do avião do TEMER ,é nós que pagamos povo mané.

barra-de-chocolate-sem-lactose-e-sem-gluten-choco-soy-1482860283280_300x200

http://noticias.bol.uol.com.br/fotos/imagens-do-dia/2016/12/27/as-compras-para-o-aviao-de-temer.htm?mobile&imagem=1

Pois é zé povinho ,enquanto vc leva o ferro do dia a dia ,mas uma dúvida,dona MARCELA,come alguma destas coisas ? ou pra ela é versão light .

Confiram no link a lista completa.

 

 

GENOINO vai cumprir prisão domiciliar, que mamata né ?

A casa de Genoino, no Butantã, vai servir de prisão ao deputado

A casa de Genoino, no Butantã, vai servir de prisão ao deputado.

 Seis dias após ser preso em São Paulo para cumprir a pena de quatro anos e oito meses de detenção em regime semiaberto pela condenação no processo do mensalão, o deputado federal licenciado José Genoino (PT-SP) conseguiu, nesta quinta, o direito de voltar para casa.
 
A decisão foi tomada pelo presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Joaquim Barbosa, relator do mensalão, após o ex-presidente nacional do PT ser hospitalizado no Instituto de Cardiologia do Distrito Federal com suspeita de ter sofrido princípio de enfarte, segundo o advogado do petista,  Luiz Fernando Pacheco.
 
Nesta quinta, o DIÁRIO esteve na rua onde Genoino mora, localizada em um bairro de classe média, na região do Butantã, Zona Oeste da capital, e conversou com vizinhos e comerciantes sobre como era o dia a dia do mensaleiro, que pode ir para um hospital antes de voltar para casa. Isso porque,  em sua decisão, Barbosa determinou que o parlamentar siga cumprindo a pena em regime domiciliar ou hospitalar.
 
Após o tratamento inicial, uma junta médica vai  avaliar o estado de saúde do condenado para saber se ele terá condições de retornar ao presídio.
 
lágrimas/ Amiga de Genoino, a cabeleireira e podóloga Salete Souza, de 60 anos, acompanha a rotina do deputado há 11 anos. Pouco antes de saber da decisão do STF, ela não escondia a torcida pela saída dele da cadeia. “Eu me lembro de um dia ele levantar a camisa e mostrar a cicatriz da cirurgia no peito. Ele me disse que passou mal,  quase tinha morrido no hospital”, contou ao DIÁRIO.
 
O salão da cabeleireira fica em frente à residência do parlamentar. Por fora, a casa do petista aparenta ser pequena e simples. Na garagem, ontem, havia um automóvel da marca Renault  modelo Logan. A reportagem avistou uma mulher nos fundos do imóvel. Ao ver o jornalista, ela  se escondeu e não atendeu o toque da campainha.
 
“Ele é um homem reservado. Tinha hábitos simples como caminhar de manhã, levar e buscar os netos na escola, comprar pão na padaria. Não era de ficar batendo papo na rua”, relata Salete.
 
A amiga diz ainda que o petista preferia ir ao salão quando o movimento estava fraco. “Era para evitar situações desagradáveis. Tem gente que gosta dele, tem gente que o odeia.”
 
Orgulhosa por ter ganhado a biografia do deputado das mãos dele, Salete chorou ao saber que o ilustre vizinho poderia voltar para casa. “Ele está doente e precisa ser tratado. A família e os amigos vão ajudá-lo”,  disse.
 
Análise
 
Adriana Martorelli, advogada e presidente da Comissão de Política Criminal e 
Penitenciária da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) 
 
Foi justo para o Genoíno, mas é injusto para tantos outros presos
A decisão do STF é justa e legal. Genoino se enquadra nos requisitos necessários para receber esse benefício. Mas a sociedade clama por igualdade. Eu já presenciei mulheres grávidas e pessoas com doenças mentais, por exemplo, na prisão. Essa categoria também tem direito ao benefício. Mas o nosso sistema judiciário costuma ser injusto.
 
Os vizinhos do petista 
 
Amigos e desafetos contam como era a rotina do deputado antes de ele ser preso
 
Demagogia
O médico veterinário Américo Kume, de 73 anos, não faz questão de esconder sua aversão ao petista. Mesmo antes de aparecerem as denúncias do envolvimento de Genoino no  mensalão, as críticas já eram ácidas. “Cruzei com eles algumas vezes aqui no bairro. Vinha com um discurso de que os filhos dele só andavam de ônibus porque tínhamos de privilegiar o serviço público. Mas ele mesmo sempre andou de carro”, afirmou. Américo define o desafeto como demagogo.
 
Primeiro emprego
O economista Jaime Lira, de 60 anos, conheceu Genoino logo após o deputado ser solto da prisão, em 1977. Ele foi o responsável por arrumar o primeiro emprego ao petista, após a sua libertação. “Eu era estudante. Conversei com o Grêmio Politécnico da USP e ele foi lecionar história por lá”, disse. Segundo Lira, há seis anos Genoíno pediu para hospedar-se em sua casa de praia no Litoral Norte. “Ele mora há 40 anos no mesmo lugar. É lá que ele fez as suas campanhas eleitorais.”
 
Bate-boca no mercado
Há um mês, Genoino foi ao supermercado onde sempre fez suas compras pela última vez. Sua despedida, segundo a encarregada de caixa Adriana Pinheiro, não poderia ter sido pior. Ela conta que um  cliente reconheceu o deputado e, do lado de fora, xingou Genoino  de ladrão. “Ele abandonou as compras e foi tirar satisfação com a pessoa”, relata Adriana. Foi a segunda vez que ela ouviu a voz do petista. “A primeira foi quando ele me pediu para trocar uma lâmpada com defeito”, disse.
 
Bronca
A aposentada Olga Dias da Silva, de 73 anos, é dona de um brechó a poucos metros da casa de Genoino. Há 15 anos no mesmo ponto comercial, ela se acostumou a ver o deputado em suas caminhadas diárias pelo bairro. Das poucas vezes que conversou com ele, um encontro em especial não sai da sua memória. “Ele estava voltando da padaria, acho. Passou reto por aqui. Não deu nem bom dia. Perguntei se era porque as eleições já tinham acabado”, contou, aos risos.
 
PT manobra para aposentar deputado e evitar a cassação
 
Uma manobra de deputados do PT que integram a Mesa Diretora da Câmara adiou, para a próxima semana, o início do processo de cassação do mandato de José Genoino, que está afastado do cargo por conta do seu estado de saúde.
 
A manobra visa tão somente antecipar a avaliação do  pedido de aposentadoria por invalidez do mensaleiro preso e, assim, evitar a cassação.
 
Caso a Câmara conceda a aposentadoria a Genoino, ele vai receber até o final da vida R$ 26,7 mil mesmo sem trabalhar e, por pelo menos os próximos quatro anos e oito meses, preso.
 
O mensaleiro só tomou posse em janeiro, após a condenação pelo Supremo Tribunal Federal. Genoino era só o segundo suplente da coligação. Em setembro ele pediu a aposentadoria por invalidez após ser submetido, em julho, a uma cirurgia para correção de dissecção de aorta (quando a artéria passa a abrir em camadas, provocando hemorragias) no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.
 
( pois é, compensa ficar aposentado e recebendo este absurdo, até o fim da vida mesmo, pra que tentar voltar a politica ? 
 
GENOINO não tem do que reclamar, ficar em casa cheio de mordomias, alais uma casa simples pra quem é acusado de roubar tanto, podedria estar morando em um condomínio fechado por ex, no mais luxuoso.
 
mas quando tava solto tinha saúde né ? lembrei do PÃNICO que pegou GENOINO fumando cigarro, não faz muito tempo, só ficou doente quando foi preso é ? 
 

presídio que abriga PMS teria mordomias escandalosas.

Apesar de fotos que mostram regalias no BEP, PM diz que presídio é fiscalizado com frequência 

Uma das celas do BEP, fotografadas durante inspeção do CNJ 

Foto: Divulgação Paolla Serra A Polícia Militar se manifestou, nesta sexta-feira, sobre a matéria publicada pelo EXTRA que mostra o relatório de uma vistoria realizada pelo Conselho Nacional de Justiça, no Batalhão Especial Prisional (BEP), em dezembro do ano passado. 

De acordo com a nota enviada pela assessoria de imprensa da corporação, desde a inspeção o comando do batalhão mudou e “protocolos e procedimentos já foram adotados”. A PM frisou ainda que a unidade é fiscalizada com frequência pela corregedoria interna, pela Vara de Execuções Penais e pelo Ministério Público. Há ainda fiscalizações com animais do Batalhão de Ações com Cães (BAC) e do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque). 

Segundo a nota, todas as denúncias feitas pelo relatório da CNJ são ou foram motivo de averiguação, sindicância ou inquério policial militar. 

Nas inspeções, documentadas por fotos, foram encontradas celas com ar-condicionado, TV de plasma, teto rebaixado, piso de cerâmica, cozinha artesanal e farta variedade de eletrodomésticos. 

De acordo com o relatório, quanto maior a patente do preso, maiores eras as regalias. Até um banco 24 horas foi encontrado dentro da unidade. 

O relatório do CNJ apontou regalias nas celas dos presos, no BEP. 

O Batalhão Especial Prisional, que abriga PMs e ex-PMs em Benfica, já foi cenários de festas. 

Em julho de 2010, o ex-PM Carlos Ari Ribeiro – apontado como o principal matador da maior milícia do Rio – foi preso quando dirigia um carro roubado. 

Levado para o BEP, Carlão comemorou o aniversário do filho com uma festa dentro da unidade. 

O evento, decorado com bolas coloridas, foi regado a cerveja e energéticos. 

No ano passado, um capitão “esqueceu-se” de trancar as galerias onde estavam os presos, deixou de fazer a conferência e Carlão fugiu. 

Ele foi morto em setembro de 2012, em Inhoaíba, na Zona Oeste. 

Leia a nota da PM na íntegra: 

1- As imagens e fatos apresentados na reportagem do jornal EXTRA desta sexta-feira (30/11) se referem ao mês de dezembro do ano passado. Desde então, o comando da Unidade Prisional mudou e vários novos protocolos e procedimentos já foram adotados. 

A Corregedoria Interna da PM, a Vara de Execuções Penais (VEP) e o Ministério Público (MP) estadual fiscalizam o BEP com frequência. 

2- Todos os fatos irregulares são ou foram motivo de averiguação, sindicância ou Inquérito Policial-Militar. A PM participa das fiscalizações da VEP com os animais do Batalhão de Ações com Cães e com o reforço do Batalhão de Polícia de Choque. 

3- A corregedoria mantém vigilância externa sobre a Unidade Prisional. Em outubro do ano passado, uma destas operações flagrou 2600 latas de cerveja que ingressariam naquela unidade. 

4- Hoje aquela unidade tem 325 presos. Destes, 41 são ex-PMs mantidos por liminar da Justiça. 

5 – O posto bancário existente na Unidade atende ao efetivo e aos funcionários de outros órgãos que interagem com o trabalho na prisão, como a Defensoria Pública. ( é meu caro e vc achava de mordomia era só coisa de preso rico, ou chefe de facções né ?)