faltou ambulância e busão teve de socorrer mulher no terminal STO ANTÔNIO em SOROCABA

Uma mulher teria passado mal dentro do terminal de ônibus Santo Antônio. Sem atendimento adequado do SAMU (Serviço de Atendimento Médico de Emergência) ou de qualquer outro serviço especializado, a mulher teria sido carregada por funcionários do terminal e da Urbes e levada em um ônibus para a UPH (Unidade de Pronto Atendimento) da Zona Norte.

De acordo com informações de quem estava no terminal, o fato ocorreu por volta das 13h30. O Jornal Z Norte flagrou um dos ônibus da STU (Sorocaba Transportes Urbanos) em frente a unidade de saúde. De prefixo 2310, o mesmo estava estacionado no sentido bairro da Avenida Ipanema.

A Secretaria de Saúde de Sorocaba foi procurada para se posicionar sobre a situação, fato que não ocorreu até o fechamento desta edição.

( se o tomorrowland fosse aqui, teria ambulância e médicos no local pra socorrer os nóias sem noção.)

oxente, SOROCABA terá ônibus vindos de PERNAMBUCO,mas são usados vice ?

Placa dos ônibus indica a origem de Camaragibe (PE) – Luiz Setti

Os usuários do transporte coletivo em Sorocaba já são atendidos por cinco “novos” ônibus vindos do Recife. Na verdade são veículos usados, que circulam em baixa velocidade por desregulagem na potência dos motores e não têm ainda o lacre das placas, que indicam a origem de Camaragibe (PE). Com problemas mecânicos, alguns ônibus passam nos pontos com atraso.

Os veículos incorporados à frota da empresa Consórcio Sorocaba são articulados, com capacidade de transportar mais passageiros. A Urbes Trânsito e Transportes confirma que cinco desses ônibus estão atendendo à linha Parque São Bento desde a segunda-feira e outros três articulados entrarão em circulação em data a ser definida. Todos eles já eram usados no transporte coletivo em cidades da Grande Recife (PE) e vieram rodando desde o Estado de Pernambuco até Sorocaba, por quase 3 mil km.

O comboio chegou à cidade na noite de 3 de julho, ainda com a pintura usada no Sistema Estrutural Integrado (SEI), empresa da capital do Estado. Os ônibus entraram pela rodovia José Ermírio Moraes (Castelinho), escoltados por um carro da Urbes e seguiram vagarosamente pela avenida Dom Aguirre. Após receberem o novo grafismo (layout) da frota sorocabana, estão atendendo aos usuários do sistema. A Urbes confirma que alguns desses ônibus necessitam de regulagens mecânicas para andarem mais rápido, mas negou que houve escolta.

Um dos ônibus flagrados sem lacre na placa é identificado pelo número 1220 e tem placas KKG-3941, da cidade Camaragibe (PE). A outra suposta irregularidade está no carro de número 1219, que segundo a passageira Marinalva de Souza, o motorista afirmou que trafegava sem o espelho retrovisor, quando ela teve a bolsa presa na porta no momento do embarque. 

Questionada sobre a falta de fiscalização e inspeção dos “novos” ônibus da frota, a Urbes informou que a responsabilidade das condições de trafegabilidade é de seus proprietários e a fiscalização de trânsito, sob este aspecto, é de competência estadual. Segundo informações da empresa concessionária para a Urbes, a transferência da documentação está em andamento e deve se efetivar na próxima segunda-feira, pois estão legalizados nas cidades de Pernambuco. “A informação da operadora é que durante a manutenção e pintura dos mesmos os lacres devem ter sido danificados”, respondeu a Urbes, acrescentando que após contato do Cruzeiro do Sul determinou a retirada desses veículos de circulação até a regularização. Sobre o acidente pela suposta falta de retrovisor, a Urbes informou que iria apurar.

Esses ônibus estão sendo colocados em circulação pelo consórcio ConSor, grupo de empresas que detém a concessão do lote 1 do transporte coletivo urbano em Sorocaba. Uma das empresas que integram o ConSor, a Rodoviária Metropolitana, atua em cidades de Pernambuco. A versão da Urbes é que a ConSor propôs ampliar e renovar parte de sua frota operacional objetivando ampliar a oferta a seus usuários e que os veículos que foram trazidos para Sorocaba pertenciam a empresas do grupo e estão sendo alocados para a ConSor.
 
Ao todo serão 16 ônibus, oito deles do tipo articulado e outros oito do tipo Padron. Os onze que ainda não estão transportando os passageiros encontram-se em preparação. Para a Urbes, os ônibus estão em bom estado de conservação, contudo alguns ajustes já estão sendo providenciados, inclusive, com relação aos motores (regulagem de potência). A atual frota que atende o transporte coletivo urbano em Sorocaba é de 402 ônibus.

Os articulados foram fabricados em 2008, modelo 2009, ou seja, tem pelo menos quatro anos de uso em cidades de uma região metropolitana, enquanto a idade média da frota sorocabana é inferior a 2,8 anos. Mas diferente de todos os outros ônibus que circulam em Sorocaba, apesar desses terem sido pintados nos últimos dias, desrespeitam a regra que obriga que o ano de fabricação conste na lateral do veículo. A Urbes informa que notificou a ConSor para inserir o ano de fabricação, conforme exigência e informou que a idade do ônibus está em conformidade com as exigências do transporte coletivo em Sorocaba. 

Explicou que os veículos do tipo convencional podem ter idade máxima de oito anos, enquanto para os especiais como articulado ou então o Padron, admite-se dez anos. O articulado tem capacidade para transportar 53 passageiros sentados e 87 em pé. Em reportagem publicada em junho do ano passado a Urbes informava que um ônibus convencional tem 11m de cumprimento enquanto o Padron, 12,5m e capacidade para 10 passageiros a mais e o especial, com 15 metros, capacidade para 26 passageiros a mais que o Padron.

No Recife, frota tem que ter ar-condicionado

Em Recife, região metropolitana de onde vieram os articulados, os ônibus precisam ser novos, ter ar-condicionado e cadeira com ajuste de altura, segundo divulgado pelo site da Rádio Jornal de Pernambuco, em 16 de janeiro deste ano. Essas são algumas da exigências para as empresas que devem assumir a concessão do transporte daquela região de Pernambuco no início de 2014. “Quem não cumprir o contrato pode ser impedido de permanecer no sistema”, está na notícia. 

Em Sorocaba, no final de 2012, o então prefeito e atual presidente do Parque Tecnológico, Vitor Lippi (PSDB) ressaltava a significativa melhoria no sistema de transporte com a entrada da ConSor com 41 ônibus zero-quilômetro, em 31 de outubro do ano passado e com a renovação da frota da STU. Comemorava publicamente a idade média da frota, em 1,69 ano. 

A alegria do prefeito era manifestada na manhã de 9 de dezembro, quando entregava 10 ônibus 0km no estacionamento do Paço Municipal, em companhia de Renato Gianolla, presidente da Urbes. Os veículos eram anunciados para atender a linha Campolim que apresentava aumento no volume de passageiros, em razão do período de compras de final de ano. ( vixi, será que vai prestar vai ?

mas tb economizar ao invés de busão novo, tb de que adianta novos veículos pra uma população que não para de aumentar, logo serão superlotados de cabras tb.

que saudades dos perueiros, que foram vitimas da ditadura AMARY/URBES,a empresa sozinha não da não, precisa de concorrência .

aproveitando o ensejo, lanço a campanha, VOLTA PERUEIROS.)

manifestantes x aumento do ônibus em SOROCABA.

Mais fotos…

Em meio a protestos marcados por badernas e excessos, a nova tarifa do transporte coletivo de Sorocaba, reajustada em 5,49% e com isso agora fixada em R$ 3,15, começou a vigorar ontem. Estudantes secundaristas, universitários e representantes de movimentos sociais como o “Domínio Público” e o “Linha 7” ocuparam a via de acesso ao Terminal Santo Antonio e, ali, buscaram conscientizar os usuários.

Com faixas, narizes de palhaço e apitos eles ocuparam a rua e impediram a passagem dos ônibus. Dessa forma, muitos carros saíram com atraso. A Guarda Civil Municipal (GCM) e a Polícia Militar (PM) acompanharam à distância o movimento, mas não houve necessidade de intervenção. Representantes de entidades que convocaram o ato disseram que muitos dos jovens que lá estavam souberam da mobilização pela rede social Facebook.

“Não temos controle sobre quem veio até aqui. Nossa intenção foi protestar contra uma situação vergonhosa que se arrasta há 16 anos. Temos, sim, críticas, pontos discordantes, mas não compactuamos com o que algumas pessoas fazem”, disse Igor Tanaka. Entre tantas palavras de ordem sobraram até ofensas de ordem pessoal dirigidas ao prefeito Antonio Carlos Pannunzio (PSDB) e ao presidente da Urbes, Renato Gianolla.

Um dos gritos ouvidos que mais chamaram a atenção repetia a frase “puxa, mas que vergonha! O busão está mais caro do que a maconha!”. Além do barulho, os manifestantes também desferiram chutes e socos na divisória de metal colocada sobre a calçada pela empresa que constrói o Shopping Pátio Cianê. A confusão que por pouco não provoca um confronto entre polícia e participantes da atividade foi, mesmo assim, apoiada por quem anda de ônibus.

Anderson Luiz Ramos disse que considera um absurdo ter de pagar tão caro por um transporte ruim como o oferecido na cidade. “Para ajudar, agora os motoristas deram de sair com pressa do local de parada e quase provocam acidentes. Eu tenho problema na perna e, esses dias, por pouco não me machuquei. A gente reclama e ainda ouve desaforos. Mas, não dá para concordar com essa bandalheira de subir o ônibus. Nosso salário não chegou a tanto. Pobre só sai perdendo mesmo”.

A aposentada Nilza Meira de Souza, 72, apesar de não pagar passagem, disse estar condoída com o drama daqueles que ainda pagam. “Eu só tenho esse benefício por causa da idade. Mesmo assim, viajo mal acomodada, sem conforto nenhum, como se estivesse numa lata de sardinha. Nem a lei que garante o assento preferencial eles cumprem. Tenho de, nessa altura da vida, pedir para ocupar uma cadeira. É demais”, reclamou.

Roseli Aparecida Santos era mais uma entre muitos inconformados. “É triste conviver com isso. Na eleição, prometem tanta coisa, dizem que vão olhar pela gente. Depois, é o mesmo sofrimento de sempre. Imagine eu que tenho de pagar por mim e uma irmã. Nem fiz as contas, mas, com certeza, vai pesar no final do mês. Isso sem falar que não vale o preço cobrado. Como passageiros, somos levados como lixo. Aliás, acho que até lixo é melhor acomodado”.

Nervosa e revoltada, Selma Rodrigues conversou com a reportagem caminhando apressada. “Nem me peça para falar o que eu tenho vontade, porque senão vou dizer desaforo. Eu estou por conta com esse governo. A saúde é uma droga, falta creche, a violência aumenta a cada dia. A cidade está paralisada, a dengue aumenta a cada dia. Para ajudar, a passagem aumenta. Olha, eu vou parar por aqui para não explodir. É uma vergonha, uma roubalheira!”.

Com o aumento que entrou em vigor ontem, a tarifa social passou de R$ 2,95 para R$ 3,15; o vale-transporte de R$ 3,15 para R$ 3,35 e a tarifa estudante, de R$1,50 para R$ 1,55. Para praticar a mudança de valores, a Urbes considerou a elevação dos custos operacionais do transporte, diante do aumento salarial e benefícios concedidos aos motoristas (variação de 9,74%) e, ainda, a reposição da variação de preços de insumos que compõem tais custos, como combustíveis e lubrificantes (15,91%), materiais de rodagem (10,51%), capital imobilizado e veículos (6,48%) e despesas administrativas e operacionais (7,99%).
 
Também foram considerados os impactos das medidas do Governo Federal, que desoneraram os custos dos encargos de INSS incidentes sobre a folha de pagamento (5,17%), e a desoneração das alíquotas do PIS e do Cofins (3,65%), que passaram a vigorar a partir de 1º de junho.( primeiramente protesto com baderna não combina, manifestar sim, mas na ordem, depois não venha  gritar que a policia excedeu.

afinal policial já é estressado por natureza, com tanta coisa pra lidar, a turma reclama, mas e na hora de ir ao cinema, baladas etc, pegam o busão , então só andem se for realmente necessário, qualquer pum já pega ônibus. 

demora, anda super lotado ? bem SOROCABA cresce sem controle populacional, e a frota de carros só aumenta, qualquer zé ruela agora quer ter carro, isso ninguém fala né ?)

estuprador do ônibus do RJ, se entregou e é de menor, pra variar.

Rio –  Suspeito de estuprar uma mulher num ônibus da linha 369 (Bangu-Carioca), um menor de 16 anos se entregou à polícia no início da tarde desta terça-feira. O jovem estava escondido desde o dia do crime na casa da avó, na Favela Parque das Missões, em Duque de Caxias.

O padrasto do adolescente negociou a rendição com o delegado-titular da 33ª DP (Realengo), Carlos Augusto Nogueira, desde o início da madrugada. Segundo a polícia, a mãe conseguiu convencer o jovem a se entregar. A vítima do estupro foi até a 17ª DP (São Cristóvão), responsável pelas investigações, para fazer o reconhecimento.

Menor acusado de estupro chega em delegacia | Foto: Alessandro Costa / Agência O Dia

Menor acusado de estupro chega em delegacia | Foto: Alessandro Costa / Agência O Dia

O jovem se entregou na Rodovia Washington Luiz, próximo ao Comando de Operações Navais da Marinha, em Duque de Caxias. De acordo com a polícia, confessou o crime e disse que estava sob o efeito de cocaína no momento do estupro. Ele morava com a mãe na Favela Para Pedro, em Irajá, mas buscou refúgio na residência da avó, na Baixada.

O suspeito, que fará 17 anos no domingo, contou que saiu para assaltar pois queria ter dinheiro para gastar na festa. A arma, uma pistola, foi comprada por R$ 450.

O acusado já responde por crime de assalto a mão armada e revelou que pegou o ônibus errado, pois queria o coletivo parador. Em depoimento, contou que achou a vítima bonita e por isso resolver cometer o estupro.

Menor esconde rosto ao chegar em DP para prestar depoimento | Foto: Alessandro Costa / Agência O Dia

Menor esconde rosto ao chegar em DP para prestar depoimento | Foto: Alessandro Costa / Agência O Dia

Jovem diz que estava sob efeito de drogas na hora do crime

Em sua versão, afirmou que estava sob efeito de cocaína e por isso não conseguiu fazer sexo, uma vez que não teve ereção. Ele, no entanto, afirmou que chegou a pedir que a vítima fizesse sexo oral.

“Não acredito no uso de drogas. Uma pessoa que tem R$ 450 para comprar uma arma poderia ter usado o dinheiro para comprar drogas. Não acredito nessa versão”, disse Carlos Augusto Nogueira, titular da 33ª. De acordo com policiais que estavam no momento da rendição, o jovem ironizou a publicação de suas fotos através da câmera de segurança. “Agora minha foto não vai poder sair mais”, teria dito, numa referência ao fato de seu rosto não poder ser mais exposto já que é menor de idade.

Foto: Paulo Alvadia / Agência O Dia

Jovem foi filmado dentro de ônibus | Foto: Paulo Alvadia / Agência O Dia

Vítima do estupro é casada e mora em Bangu

O Disque-Denúncia (2253-1177) já tinha recebido, até o meio-dia desta terça-feira, 14 ligações sobre o caso. As informações recebidas foram encaminhadas para a 17ª DP (São Cristóvão). Nesta segunda-feira, a polícia divulgou imagens do estuprador gravadas pela câmera do ônibus.

As imagens mostram o criminoso embarcando no ônibus, na Avenida Brasil, na altura de Realengo. Ele assaltou os passageiros, obrigando-os a ficarem na parte de trás do veículo. O estupro aconteceu no espaço reservado a pessoas com necessidades especiais, e durou cerca de 6 minutos. O bandido saltou na Perimetral.

A vítima do estupro é casada e mora em Bangu. Nesta segunda-feira, ela descreveu os momentos de terror, à TV Globo: “Ele levantou e foi para o meio do ônibus, anunciou o assalto e mandou todo mundo ir para o fundo. Pegou na minha mão e e disse ‘vamos aqui na frente’. Sentou, mandou eu sentar ao lado dele começou a colocar a arma nas minhas costelas. Ele bateu seis vezes com o revólver na minha cabeça”. Uma das testemunhas relatou ao DIA o que viu.

“Ele estuprou ela na frente de todos, de forma fria, aparentando não sentir a menor preocupação”.( pronto e agora ? ele vai ser ameaçado de morte assim como sua família ? ai todos irão morar na SUÍÇA, igual o de menor do caso JOÃO HÉLIO, ele e seus familiares hj moram lá.

não duvidem que isso pode acontecer, quanto a vitima do busão, pode esquecer sua justiça.)

divulgado imagens do estuprador do ônibus no RJ

bom, o cara deve ser louco , se ainda permanece na cidade, ainda mais que o caso está até no exterior, se ele estiver escondido numa favela ainda dominada pelo tráfico ou milicia pode ser pego por eles e justiçado.

ou ele se entrega ou se mata mais fácil.

PABLO HENRIQUE DIAS, diz que tocou fogo em ônibus, devido a uma discussão com motorista

Acusado de incendiar ônibus no Jardim Bom Sucesso foi apresentado ontem na DIG – Por: Emídio Marques
O vendedor Pablo Henrique Dias Gomes, de 19 anos e que era procurado por ter incendiado um ônibus no Jardim Bonsucesso, região do Vitória Régia, se apresentou na Delegacia de Investigações Gerais (DIG) na segunda-feira e está preso. Ele confessou que incendiou o ônibus, mas negou ter agido sob ordem de qualquer facção criminosa. 


Pablo disse que discutiu com um motorista no mesmo dia, 23 de novembro, e por isso ele e mais três jovens atearam fogo no coletivo da empresa Consórcio Sorocaba. O acusado liderou o grupo, como mostram imagens da câmera do ônibus, analisadas pela Polícia Civil. Pablo não disse os nomes dos que praticaram o incêndio criminoso com ele.

O fogo foi ateado com álcool que compraram num posto de combustível, mas não se alastrou por todo o ônibus. Atingiu 11 bancos fabricados com material antichama. De acordo com a versão de Pablo à polícia, ele e alguns amigos costumam ficar no ponto final do ônibus e isso incomodou um motorista. Teria havido discussão. Por vingança, Pablo decidiu pôr fogo num ônibus, mas não seria o do motorista com quem brigou. 

No dia 23 de novembro, uma sexta-feira, e em dias anteriores circularam boatos em Sorocaba de “toque de recolher” e que haveria ataques do crime organizado. Diretores de escola suspenderam aulas e muita gente foi para casa mais cedo, à noite. Os boatos se intensificaram justamente no dia 23. 

Coincidência? 
A discussão entre Pablo e o motorista não foi confirmada pela Polícia Civil. A versão dele deve ser confrontada com a desse profissional, se realmente a briga existiu. O delegado Acácio Aparecido Leite, da DIG, disse ontem que vai pedir à empresa de ônibus os nomes dos motoristas que fazem a linha a fim de verificar se é verdade ou não o que declarou Pablo.

O acusado trabalhava havia um mês como vendedor numa loja de sapatos no centro de Sorocaba e morava com os pais no Parque Vitória Régia. Ao saber que o filho estava envolvido no incêndio ao ônibus, os pais o convenceram a se apresentar à polícia. Pablo compareceu espontaneamente na DIG, com advogado.

Apesar de Pablo não relacionar o ataque ao ônibus com ordem do crime organizado, o delegado não descarta essa possibilidade. As investigações prosseguem, inclusive para identificar os outros três autores do incêndio. Nas imagens, Pablo aparece com uma arma, com que rendeu o motorista, o agente de bordo e uma passageira. Ele disse que a arma era uma réplica, que jogou depois num contêiner de lixo. 

Pablo também negou a participação em incêndios a outros ônibus, em Sorocaba e Votorantim. Há suspeita de que teria participado no ataque a um ônibus na rua Otto Geissler, próximo ao Plaza Shopping Itavuvu, e a outro no Jardim São Lucas em Votorantim. Mais seis ônibus foram queimados na garagem da antiga empresa Transporte Coletivo Sorocaba (TCS), no Jardim Betânia, em Sorocaba. O total de ônibus queimados foi de nove.
 
Desordem pública 
A previsão é de que Pablo fique preso pelo menos até a fase final de instrução do processo. Ele é acusado de incêndio criminoso (artigo 250 do Código Penal) com agravante de ser em veículo de transporte público, o que aumenta a pena de 3 a 6 anos de prisão em um terço.

O juiz Jayme Walmer de Freitas, da 1ª Vara Criminal e que autorizou a prisão preventiva de Pablo, entendeu que o fato trouxe prejuízo à ordem pública. Pablo teve passagens na polícia quando era menor de 18 anos. Foi detido por tráfico de droga, roubo de carro e de residência. Na Fundação Casa de Franco da Rocha, participou de motins entre junho e agosto do ano passado. ( discussão com motorista ? foi este o motivo de tudo isso ? uma discussão boba, banal, gerou este incêndio, mas se este foi o motivo pq ele incendiária outros coletivos inclusive o de VOTORANTIM. ?) 

identificado suspeito de ataques a ônibus em SOROCABA

Circuito interno do ônibus mostra Pablo entrando no veículo – Por: Emídio Marques
A Polícia Civil identificou e pediu a prisão do acusado de ser o líder do grupo que ateou fogo no primeiro ônibus incendiado em Sorocaba após a onda de violência na Grande São Paulo atribuída ao crime organizado. Pablo Henrique Dias Gomes, 19 anos, morava no Parque Vitória Régia e está foragido. Ele é quem teria comandando o grupo formado mais três jovens que queimou 11 bancos do ônibus da empresa Consórcio Sorocaba no Jardim Bonsucesso, região do Vitória Régia, na noite de 23 de novembro.


Pablo tem antecedentes criminais de quando era menor de 18 anos. Foi detido por tráfico de droga, roubo de carro e de residência. Na Fundação Casa de Franco da Rocha, ele participou de motins entre junho e agosto do ano passado. Este ano, em junho e já maior de idade, foi pego com droga em Sorocaba, mas por causa da pequena quantidade respondeu por porte.

O delegado José Humberto Urban Filho, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Sorocaba e que coordenou a investigação, disse ontem que não se sabe ainda se Pablo agiu a mando de facção criminosa. “Saberemos quando ele for preso e interrogado”, segundo o delegado. O procurado mudou de bairro para se esconder. Urban acredita que ele pode ser preso nos próximos dias.

Uma testemunha apontou Pablo como um dos autores do incêndio criminoso ao ônibus. A comparação das imagens captadas por câmera do próprio ônibus batem com as características físicas dele. Conforme a investigação, foi Pablo quem aparece portando uma arma de fogo, rende o motorista, o agente de bordo e uma passageira. Outros dois colocam fogo no interior do ônibus, mas não se propagou porque o material dos bancos é antichama. O quarto do grupo espera do lado de fora.

Antes de queimar o ônibus, Pablo teria alardeado seu plano, gritando por ruas do bairro. A Justiça autorizou a prisão preventiva dele, que é acusado de incêndio criminoso (artigo 250 do Código Penal) com agravante de ser em veículo de transporte coletivo, o que aumenta a pena de 3 a 6 anos de prisão em um terço.

O delegado da DIG suspeita que o mesmo grupo pode ter ateado fogo no ônibus da empresa Sorocaba Transportes Urbanos (STU) na rua Otto Geissler, próximo ao Plaza Shopping Itavuvu, na noite de 25 de novembro. As chamas queimaram totalmente o coletivo. Testemunhas viram três indivíduos encapuzados, que fugiram a pé.

Também há suspeita de que o incêndio a outro ônibus em Votorantim, na última quarta-feira, também pode ter sido praticado pelo grupo, devido à descrição física dos autores. O ônibus da empresa São João foi totalmente consumido pelo fogo no Jardim São Lucas. Em Sorocaba e Votorantim nove ônibus foram queimados criminosamente desde o dia 23. Seis, da empresa Breda, estavam na garagem da antiga empresa Transporte Coletivo Sorocaba (TCS), no Jardim Betânia, em Sorocaba.


( esta é uma foto do suspeito que está foragido, se vc o vir , avise a policia, isso se ele ainda estiver em SOROCABA.)