33 médicos não querem atender pobres em SOROCABA

Dos 63 médicos aprovados em concurso público e convocados pela Prefeitura para atuar como plantonistas no atendimento à população pelo Sistema Único de Saúde (SUS), apenas 49 participaram da atribuição de cargos e 14 não compareceram à chamada, ontem pela manhã, no Salão de Vidro do Paço. Na primeira etapa de preenchimento das vagas, no dia 4 de setembro, dos 79 clínicos gerais, ginecologistas e pediatras chamados, 19 se ausentaram, somando, assim, 33 médicos que não tinham confirmado o interesse pela vaga durante a atribuição. O número corresponde a 23% do total de 142 convocados para compor as equipes.

Os convocados para a atribuição de ontem tinham até as 17h para se apresentarem na Prefeitura e confirmar o interesse pela vaga. Até às 21h, a Secretaria de Comunicação (Secom) não havia informado se outros médicos entre os convocados tinham comparecido para assumir o cargo. A expectativa é de que todos os 109 profissionais contratados já estejam atendendo a população até 1º de outubro.

Segundo o secretário da Saúde, Armando Raggio, as vagas remanescentes não serão preenchidas neste momento. De acordo com ele, há a possibilidade da abertura de um futuro concurso, porém sem data prevista. “Abrimos concurso para 189 vagas e conseguimos classificar 142. Desses, nem todos compareceram. Vamos aproveitar todos que se interessaram. Já não há como colocar médicos nos lugares vagos, porque não há uma lista de espera”.

As vagas destinadas aos profissionais concursados serão nas Unidades Pré-hospitalares (UPH ) da Zona Norte e Oeste, em três Pronto-Atendimentos (PA) localizados em Brigadeiro Tobias, Parque das Laranjeiras e Edén e nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) do Vitória Régia, Vila Hortênsia, Nova Sorocaba e Brigadeiro Tobias.

A saúde é a principal área de reclamação dos sorocabanos, afirma Raggio. Dessa forma, esses novos profissionais irão renovar o sistema. No entanto, ele próprio admite a dificuldade em se preencher as vagas. “Temos grandes problemas dentro do nosso sistema de saúde, que possui uma grande potencialidade. Talvez isso assuste um pouco. Mas esses médicos que compareceram possuem uma disponibilidade surpreendente.”

Para o secretário, essas admissões irão contribuir para a retomada da credibilidade da saúde da cidade. “Com o cumprimento das escalas os pacientes terão mais confiança nos médicos, trará mais diálogos e com isso a proximidade entre médico e o paciente.” Essas contratações também contribuirão para a transformação das UBSs em Centros Integrados de Atenção, conforme anunciou o secretário da Saúde em entrevista ao Cruzeiro do Sul , no último dia 15. Esses Centros Integrados de Atenção terão aparelhos de raio-x odontológico, eletrocardiógrafo, equipamentos para intubação, desfibrilador, cilindro de oxigênio e medicamentos emergenciais.

Como forma de melhorar o cenário da saúde no município, Raggio lembrou que até 2016 serão construídas seis UBSs: três para reposição ou ampliação de unidades já existentes e outras três para atender bairros que não possuem esse tipo de atendimento. “Estamos estudando junto ao Conselho de Municipal de Saúde os locais para serem realizadas as obras.”

( com certeza estes ai querem atender a burguesia sorocabana, atuando em clinicas particulares, não querem atender POBRE.)

ação anti crack em bairros de SOROCABA,adianta ?

Os bairros Aparecidinha, Vila Barão, Nova Esperança, Lopes de Oliveira, Ana Paula Eleutério (Habiteto), Parque São Bento, Parque das Laranjeiras e Vila Sabiá serão atendidos pelo programa Crack, é possível vencer, do governo federal, conforme estabelecido pelo comitê local de gestão do Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e outras drogas. O plano, em geral, tem como objetivo aumentar os serviços de tratamento e atenção aos usuários e seus familiares, reduzir a oferta de drogas ilícitas por meio do enfrentamento ao tráfico e às organizações criminosas e promover ações de educação, informação e capacitação. 

Sorocaba participou do primeiro grupo de municípios convidados a aderir ao plano e para desenvolver as ações criou um comitê formado por representantes das secretarias da Cidadania (Secid), Juventude (Sejuv), Educação (Sedu), Saúde (SES), Segurança Comunitária (Sesco) e Governo e Relações Institucionais (Sgri). O grupo, com base em informações de diversos setores, elaborou um diagnóstico e um plano de ação municipal, elencando oito áreas prioritárias, que são os bairros citados acima. Esses locais foram escolhidos considerando o número de ocorrências policiais, densidade demográfica, acesso a serviços públicos, dentre outros.

A Secid não mencionou detalhes sobre o plano de ação, incluindo quando começará a vigorar, e informou que a proposta do município está em processo de avaliação pelo governo federal e, posteriormente, terá orientações sobre a aprovação e os próximos passos para a implantação do plano em Sorocaba.
 
Meta para 2014

O programa Crack, é possível vencer reúne ações que envolvem diretamente as políticas de saúde, assistência social e segurança pública e, de forma complementar, de educação e garantia de direitos. As ações são organizadas em três eixos temáticos: prevenção, cuidado e autoridade. O governo federal disponibilizará recursos financeiros, assumindo contrapartidas e implementando os equipamentos de saúde, assistência social e segurança. A Secid explica que ainda não há um valor específico definido para Sorocaba, pois isso dependerá de quantas ações serão contempladas.

A meta é que até 2014 as redes tenham sido ampliadas, fortalecidas e, sobretudo, integradas, aumentando e melhorando a capacidade de acolhimento de usuários de drogas e apoio aos familiares, assim como a revitalização de espaços urbanos anteriormente ocupados com cenas de uso de crack, trazendo mais segurança às comunidades.
 
Política municipal

Desde junho de 2011, Sorocaba conta com uma Política Municipal sobre Drogas, denominada programa Entre Nós, que tem uma rede de atenção para acolhimento, prevenção, tratamento e reinserção social das pessoas em situação de vulnerabilidade e também que fazem uso indevido de álcool e outras drogas, com ou sem dependência. 

O programa é desenvolvido através de tratamento comunitário e trata-se de uma proposta de seguir orientações prescritas pela Secretaria Nacional Antidrogas (Senad). O “Entre Nós” conta, entre seus equipamentos, com os Centros de Atenção Psicossocial – Álcool e Drogas (Caps AD), o Ambulatório de Saúde Mental, as rodas de Terapia Comunitária, os Centro de Referência em Assistência Social (Cras), o Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas), as unidades do Território Jovem, o Consultório de Rua, o Centro de Referência Especializado para a População em Situação de Rua (Centro POP), ONGs que prestam serviços a pessoas em situação de exclusão, além de convênios com comunidades terapêuticas por meio das Secretarias da Cidadania, Juventude e Saúde.

O Consultório de Rua, que começou em 2011 atendendo a 10 bairros, funciona atualmente de segunda à sexta-feira, das 14h às 20h, nos seguintes locais: Brigadeiro Tobias, Vitória Régia, Ana Paula Eleutério (Habiteto), Vila Sabiá e Jardim Ipiranga/Vila Helena.( conversei uma vez com uma pessoa que trabalha numa fundação casas, ela me disse, que se eles conseguirem evitar que um de menor volte a ser apreendido, pra eles já é uma vitória.

pra quem trabalha em clinica de recuperação tb é assim ? se conseguirem recuperar apenas uma pessoa ta bom demais ?  quantos conseguem se livrar da droga e quantos viciados entram na droga ? façam as contas.
não é mais fácil liberar e fornecer a droga num lugar afastado ? )

atenção senhores pais, olha o salgadinho do demônio na mão do seu filho

Apesar da forma inusitada que William Ferraz Machado, 25 anos, escolheu para esconder os entorpecentes que vendia, ele foi flagrado por membros da GCM (Guarda Civil Municipal), na manhã de ontem. 


O rapaz foi abordado com um pacote de salgadinho contendo porções de maconha, cocaína e crack, nas proximidades de uma escola estadual no Parque das Laranjeiras, zona norte.
No momento em que patrulhavam as ruas ao redor da escola, os GCMs explicam que dois jovens foram vistos saindo de uma viela. Ao notarem a aproximação da viatura, um deles correu, mas foi abordado. “William estava com o pacote de salgadinho nas mãos e o colocou no chão. Em seguida ficou de costas e colocou as mãos na cabeça para ser revistado”, explica o GCM Oliveira Lima, que atendeu a ocorrência juntamente com o GCM André.

No bolso do suspeito foram localizados R$ 52. “Ele não esperava que fóssemos olhar a embalagem de salgadinho”, destaca o GCM. Dentro do saco havia mais de cem flaconetes de cocaína, quatro tabletes de maconha e cinco flaconetes de crack.

Mesmo assim, William negou o envolvimento com o tráfico, afirmando que era usuário de drogas e que todos os entorpecentes apreendidos era para  consumo próprio.

Familiares do jovem foram avisados da apreensão. Os pais do acusado disseram aos guardas que o filho era usuário de maconha e de cocaína. “A mãe dele disse que amigos da família a avisaram que o filho tinha começado a traficar na avenida Ulysses Guimarães”, complementa Oliveira Lima.

Como o jovem seguia com um segundo rapaz para o portão da escola, a suspeita é de que ele teria deixado o ponto de tráfico da avenida e migrado para a escola, que fica próxima de sua residência, com o objetivo de vender aos alunos da unidade de ensino. Levado ao Plantão Policial Norte, o jovem foi indiciado em flagrante por tráfico de entorpecentes.

Para o delegado Marcelo Almagro, as evidências apresentadas não deixaram dúvidas do envolvimento de William com o crime.
O acusado foi encaminhado ao Centro de Detenção Provisório, do bairro Aparecidinha, onde permanecerá à disposição da Justiça.( tinha de fazer ele comer todo o salgadinho com droga, depois leva no hospital e enfia até a sonda no rabicó dele pra fazer a lavagem.)