eletricista é morto em LUIZIÂNIA ( SP) ao cortar luz de um ignorante ex detento.

Na última sexta-feira em Luiziânia interior de São paulo, um eletricista identificado como Valdir Carubelli, de 51 anos, funcionário da Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL), foi assassinado por um morador revoltado com o corte do fornecimento de energia de sua casa. Carubelli e um amigo faziam o corte de energia por falta de pagamento quando o morador da casa,identificado como Dionatá Ribeiro de Oliveira, 21 anos, foi tirar satisfações.

De acordo com informações da polícia o eletricista se apresentou devidamente com o crachá da CPFL e avisou ao morador que iria fazer o corte por falta do pagamento mas o morador não aceitou e disse que se ele fosse cortar o fornecimento teria problema. Segundo testemunhas o eletricista disse que, se fosse preciso, chamaria a Polícia Militar para poder fazer seu trabalho. Quando repentinamente o morador entrou na casa e saiu com uma espingarda calibre 28 disparando um tiro na barriga do eletricista que estava fazendo seu serviço.

O eletricista foi internado, em estado grave, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Santa Casa de Araçatuba, onde passou por cirurgia de três horas para recuperação do intestino, perfurado pelo tiro. Mas, na madrugada da ultima-terça(28) ele não resistiu e morreu.

O autor dos disparos fugiu do local mas foi localizado e preso em flagrante pela Polícia Militar, na periferia da cidade. Ele mostrou aos PMs onde escondera a espingarda, sob um monte de areia de construção, em uma rua próxima à sua casa.

Ele disse que tinha comprado a arma havia dois meses para se proteger de pessoas que o ameaçavam e que ficou revoltado quando o eletricista anunciou que cortaria a energia elétrica de sua casa. Segundo informações Dionatá Ribeiro de Oliveira já tinha passagens pela polícia e uma delas na Fundação Casa por homicídio. Ele agora está preso na Delegacia de Polícia de Penápolis esperando vaga no Centro de Detenção Provisória (CDP) de São José do Rio Preto.

( o cara não tinha grana pra pagar a luz, mas tinha arma e pra q ? era pra se defender de bandidos ? ele já tinha passagens sendo uma quando era de menor.

com certeza a arma deve ser do mercado paralelo, tão vendo como quem quer tem arma ? não há um controle e elas podem ser usadas contra qualquer um, tem gente dando tiro por qualquer motivo besta, até mesmo sem .)

15 mortos até agora ( isso se não for mais) policia corre atras, prefeito barata tonta, BRASIL falido.

acorda SOROCABA

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), foi acionado para apoiar a Delegacia de Investigações Gerais (DIG), no esclarecimento dos assassinatos registrados na onda de violência em Sorocaba, que em pouco mais de 24 horas resultou na morte de 11 pessoas e cinco feridos. A medida foi tomada pelo delegado Júlio Gustavo Vieira Guebert, diretor do Departamento de Polícia Judiciária do Interior (Deinter-7), devido ao número de casos em tão pouco tempo. Mas segundo ele, a investigação continua a ser comandada pela DIG. Não há prazo para o DHPP deixar a cidade. 

As diretrizes do reforço por parte do DHPP foram decididas em reunião ocorrida ontem à tarde na sede do Deinter-7, e que contou inclusive com a presença da delegada Elisabete Sato, diretora do Departamento. Além dos delegados assistentes do Deinter-7, também estiveram presentes os três delegados da DIG, e a equipe vinda de São Paulo, composta por mais dois delegados e vários investigadores. 

De acordo com Júlio Guebert, a cidade nunca viveu antes uma onda de violência dessa proporção, e que por isso foi pedido o apoio do DHPP, cuja especialidade é homicídio, vindo a somar com os policiais civis chefiados pelo delegado José Humberto Urban Filho, titular da DIG. O delegado seccional Marcelo Carriel, também destacou que a ajuda do DHPP se fez necessária devido à complexidade da situação, visando assim agilizar os trabalhos de investigação. Ele também frisou que “não é o Deinter-7, não é a DIG, não é o DHPP, é a Polícia Civil como um todo trabalhando para o esclarecimentos dos crimes”. 

Nem Guebert e nem Carriel quiseram comentar as linhas de investigação. A delegada Elisabete Sato limitou-se em dizer que existe a possibilidade dos vários casos estarem interligados. “Só poderemos afirmar categoricamente quando estiverem devidamente investigados”, comentou. 

Os trabalhos começaram ontem mesmo, no início da noite, com as equipes do DHPP e DIG, acompanhadas do diretor do Deinter-7, visitando a casa da rua Francisco Bueno de Camargo, 872, na Vila Nova Sorocaba, onde Cleyton Alessander Ravira, 33, Vinícius Rafael de Souza, 30 anos, e Jonatas Ribeiro Gomes, 21 anos, foram executados com tiros na cabeça e tórax. Uma tenente da Corregedoria da Polícia Militar, de São Paulo, também integra a equipe de apoio às investigações locais. A tenente, que preferiu não ser identificada na matéria, falou que não poderia se manifestar a respeito das investigações, ressaltando porém que a Polícia Militar sempre trabalha em apoio à Polícia Civil. 

Reunião com Pannunzio 

O delegado diretor do Deinter-7, Júlio Gustavo Vieira Guebert, considerou proveitosa a reunião que teve ontem com o prefeito Antonio Carlos Pannunzio, no Paço Municipal. De acordo com ele, o prefeito convocou uma reunião com ele e o delegado seccional Marcelo Carriel, a fim de se inteirar sobre a onda de violência em Sorocaba, bem como cobrar providências e também se colocar à disposição para ajudar no que for preciso. Sem falar sobre as investigações em andamento, Júlio Guebert também não revelou o conteúdo da conversa mantida com o chefe do Executivo.

 

( agora de manhã no meu bairro, duas viaturas passam, com tudo pelas ruas , por causa desta bosta de copa, agora correm atras pra tentar deixar tudo limpinho, afinal receberemos ARGÉLIA aqui .)

CAMPOLIM de bairro chique a degradante, ta igual períferia.

 
Gradil de pista de caminhada foi arrancado durante o conflito
 
 
Uma confusão generalizada na madrugada de hoje, no Parque Campolim, terminou com duas viaturas da Polícia Militar depredadas e atos de vandalismo na praça Carlos Alberto de Souza. O tumulto, registrado por volta da 1h, teria sido decorrente da ação de policiais militares na tentativa de abrir o acesso da avenida Caribe, que teria sido fechado pelos jovens, que toda sexta-feira costumam se reunir no local. Segundo informações de pessoas que estavam nos bares e restaurantes da região, a ação teria assustado muita gente, inclusive pelo uso de bombas de gás lacrimogêneo pela PM. Mas ninguém teria ficado ferido. A partir da próxima semana, a Polícia Militar promete implementar ações ainda mais efetivas para coibir o abuso por parte dos frequentadores do local. De acordo com o capitão Renê Sérgio Calazans, comandante da 1ª Companhia, que abrange o bairro e suas adjacências, as viaturas teriam sido acionadas para liberar o trânsito na confluência das avenidas Caribe com Antonio Carlos Cômitre e tão logo as equipes chegaram, pedras teriam sido arremessadas por populares. Duas viaturas de sua Companhia teriam sido danificadas, uma com os para-brisas dianteiro e traseiro quebrados, e outra com avarias na lataria. A partir disso, viaturas da Força Tática foram chamadas para dar apoio à ocorrência. Capitão Calazans disse não ter a confirmação do uso de bombas de gás lacrimogêneo para conter os agressores.

O comandante da Força Tática, capitão Fernando de Agrella, confirmou, por telefone, que realmente foram utilizadas munições químicas (granadas de efeito moral e gás lacrimogêneo), tendo em vista que o arremesso de pedras e também de garrafas continuaram mesmo com a chegada das viaturas. Ainda segundo ele, o uso de munições químicas foi necessário para poder dispersar a multidão que se encontrava na praça, uma vez que devido ao grande número de pessoas ali concentrada, não era possível identificar quem fazia os arremessos e atos de vandalismo em geral. Ninguém foi detido.
Ainda na tarde de ontem era possível ver o resultado da confusão na praça, com gradil derrubado, garrafas e estilhaços por toda praça do Parque Carlos Alberto de Souza.
  
EU QUERIA SABER QUE TIPO DE GENTE MORA NO CAMPOLIM .
o pessoal não tem poder, grana, nome , influência na cidade ? não mora nenhum coronel, doutor, barão, nenhuma das familias poderosas da cidade mora lá ?
pra permitir esta baderna pelo jeito não , este vai ser o futuro do lugar amanhã ? virar uma cracolãndia, pois se os moradores não impoem respeito, apenas de morarem em casas enórmes e luxuósas.
o CAMPOLA perdeu moral faz tempo, imaginem ano que vem com carnaval, e copa ?

casal de MAIRINQUE executado, policia apreendeu um di menor de 17

Um adolescente de 17 anos é o primeiro a ser detido suspeito do assassinato do subcomandante da Guarda Civil Municipal de Mairinque, Laércio de Sousa Lanes, 42 anos, e de sua esposa Lindalva Prado Lanes, de 38 anos, e pela tentativa de homicídio contra o filho do casal, de 10 anos de idade. O suspeito, que em dois meses alcançará a maioridade, foi detido por policiais militares no final da tarde de segunda-feira em Mairinque, após ser baleado por outro susposto participante do crime. Entretanto, a posição da Polícia Civil ontem foi a de não se manifestar, mas há a expectativa de divulgação hoje de quando será a coletiva de imprensa para falar sobre os avanços das investigações. A divulgação da prisão do adolescente foi feita apenas pela Polícia Militar.
 
A localização de um projétil do mesmo calibre usado no crime, e do coldre pertencente ao subcomandante, reforçam a tese do envolvimento do adolescente, que inclusive teria sido denunciado pelo próprio irmão que o socorreu ao hospital da cidade. O caso que chocou a população de Mairinque, ganhou repercussão nacional também pela semelhança com a chacina da família dos policiais militares Luís Pesseghini e sua esposa Andrea, ocorrido na madrugada do dia 4, em São Paulo, mas cujo autor até então seria o próprio filho do casal, Marcelo Pesseghini, de apenas 13 anos, que teria se matado.

De acordo com as informações passadas pela Polícia Militar de Mairinque, que inclusive já tinha informações chegadas pelo Disque-Denúncia contra o adolescente de 17 anos, ele deu entrada no Pronto-Socorro da cidade por volta das 17h de segunda-feira, com um tiro num dos braços. Socorrido pelo irmão de 24 anos (seu nome não é divulgado para não identificar o adolescente), o jovem a princípio disse que havia sido baleado quando andava de moto, e já com a chegada dos PMs, negou sua possível participação no assassinato e tentativa de homicídio da família Lanes. Porém, seu irmão, que também era procurado pela Justiça por outro crime e foi preso, o denunciou, contando a verdade sobre o ferimento, bem como sobre sua participado na execução do casal.

Conforme o que foi apurado pelos policiais militares, o adolescente estava com um grupo de pessoas em sua casa, no bairro Nova Mairinque, quando foi baleado num dos braços, cujo disparo efetuado por outro suposto envolvido no crime teria sido acidental. Na casa do adolescente foram então localizados um projétil calibre 0.36 deflagrado, que é o mesmo utilizado no ataque à família Lanes, bem como um coldre adaptado de revólver calibre 38, que foi exibido na GCM e reconhecido como pertencente ao subcomandante da corporação. Uma moto sem placa também foi apreendida no local.

Depois de receber os primeiros cuidados médicos em Mairinque, o adolescente foi transferido para o Conjunto Hospitalar de Sorocaba (CHS), onde no mesmo dia foi submetido a cirurgia para retirada do projétil num dos cotovelos, que foi fraturado. Segundo informações da assessoria de imprensa da Secretaria do Estado da Saúde, seu estado era bom e deveria receber alta ainda ontem, o que foi confirmado no final da tarde pela Polícia Civil, sendo então recolhido à Fundação Casa.

Ainda de acordo com a Polícia Militar de Mairinque, não estava descartada a possibilidade do irmão do adolescente ter participado, mesmo que indiretamente, do crime. Isso porque informações davam conta de que ele teria ficado num bar nas proximidades da casa do GCM, na função de “olheiro”. Também segundo a Polícia Militar, o autor do disparo que feriu o adolescente é um rapaz de 20 anos de idade, e as informações também dão conta de que ele faria parte da quadrilha.

Já o filho do casal executado segue internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional, em estado grave. A Secretaria da Saúde informou que a criança até ontem se mantinha sedada e intubada, e que a avaliação neurológica feita na segunda-feira ainda não indicava possibilidade de cirurgia para retirada do projétil. Ontem o menino passaria por nova avaliação, mas nenhum outro boletim médico foi divulgado até o fechamento dessa edição. 

Coletiva

A coletiva de imprensa para divulgar os nomes dos acusados, que aconteceria ontem, poderá ocorrer apenas na sexta-feira. A coletiva no dia de ontem, que a princípio seria pela manhã e depois supostamente à tarde, havia sido cogitada pelo delegado seccional Marcelo Carriel segunda-feira à noite, ao informar que a Polícia Civil teria indícios de quem seriam e onde estariam os assassinos da família do guarda civil municipal de Mairinque. Na entrevista concedida, Carriel declarou que as investigações estavam adiantadas no recolhimento dos indícios e provas para prendê-los (os acusados). 

Ontem, Marcelo Carriel reuniu-se durante toda a manhã, em seu gabinete, com a delegada titular de Mairinque Fernanda dos Santos Ueda, que vem investigando o caso. Entretanto, à tarde o delegado seccional optou por não falar com a imprensa, e segundo foi comentado, provavelmente a coletiva ocorra mesmo na sexta-feira. Procurada por telefone ontem a tarde, a delegada Fernanda Ueda não atendeu a reportagem.

Para o delegado seccional, o bando sabia que invadia a residência do subcomandante, imaginando haver grande quantidade de dinheiro em decorrência da venda do imóvel. Ao seu ver, “foram para matar todos e levar o que pudessem, mas só levaram duas armas: uma pistola calibre 380 e um revólver 38”.
 
O crime

O subcomadante da GCM, Laércio de Sousa Lanes, 42 anos e a esposa Lindalva Prado Lanes, 38 anos, foram executados a tiros por volta das 20h15 da sexta-feira, no interior da residência onde viviam, na rua Maria dos Santos Bernardo, no Jardim Vitória. O filho do casal, com 10 anos, também foi baleado, mas foi socorrido. Os criminosos fugiram em dois carros de propriedade da família, um Fiat Palio de Laércio e um Ford Fiesta, da esposa. Durante a fuga, dois criminosos capotaram o Fiesta a cerca de 300 metros da casa das vítimas e fugiram a pé. O Palio foi encontrado cerca de duas horas depois em chamas, em um bairro próximo do Jardim Vitória. ( para os defensores de armas isso mostra que acontece com quem for, seja militar, policial, civil etc, não adianta ser bom de tiro, enquanto armas estiverem ao alcance de todos a violência não para.

bem o tal di menor ai está recolhido, mas quem matou o casal, ele , todos os integrantes ? ou apenas um ? quem vai assumir a bronca, o de menor pode assumir pra livrar os outros ?  )

protesto em casamento de neta do rei do busão do RJ

Manifestantes realizam protesto em frente à Igreja do Carmo, no centro do Rio, neste sábado, durante o casamento de Beatriz Barata, neta do empresário do setor de transporte da capital fluminense conhecido como Rei do Ônibus, Jacob Barata. Policiais milit (Foto: Luiz Roberto Lima/ Estadão Conteúdo)

Manifestantes realizam protesto em frente à Igreja do Carmo, no centro do Rio, neste sábado, durante o casamento de Beatriz Barata, neta do empresário do setor de transporte da capital fluminense conhecido como Rei do Ônibus, Jacob Barata. Policiais milit (Foto: Luiz Roberto Lima/ Estadão Conteúdo)

Cerca de 50 manifestantes, segundo a PM, protestaram neste sábado (13) em frente à Igreja do Carmo, no Centro do Rio, onde ocorre o casamento de Beatriz Barata, neta do empresário do setor de transportes do Rio de Janeiro, Jacob Barata. A segurança no local foi reforçada durante a cerimônia por 30 homens do 5º Batalhão (Praça da Harmonia), segundo informou a Polícia Militar.

Em seguida, os manifestantes foram para o Copacabana Palace, onde está sendo realizada a festa de casamento de Beatriz Barata.

De acordo com o 19º Batalhão de Polícia Militar (Copacabana), de 150 a 200 pessoas ocupavam o calçadão em frente ao hotel em uma manifestação pacífica. Cerca de 50 policiais em 12 viaturas faziam a segurança do local, informou a PM.

Durante a madrugada, houve tumulto e a polícia usou bombas de gás para dispersar os manifestantes, segundo informações do 19º Batalhão da PM. Às 4h30, cerca de 30 pessoas permaneciam protestando no local.

Manifestantes realizam protesto em frente à Igreja do Carmo, no Centro do Rio, neste sábado, durante o casamento de Beatriz Barata, neta do empresário do setor de transporte da capital fluminense conhecido como 'Rei do Ônibus', Jacob Barata. Policiais mil (Foto: Luiz Roberto Lima/ Estadão Conteúdo)
Manifestantes realizam protesto em frente à Igreja do Carmo, no Centro do Rio, neste sábado, durante o casamento de Beatriz Barata, neta do empresário do setor de transporte da capital fluminense conhecido como ‘Rei do Ônibus’, Jacob Barata. Policiais mil 
( genial heheheehehehh, super ideia, começar a protestar em festas, casórios etc de gente importante , dos coronéis que insistem em mandar em tudo.
que seus filhos netos, nunca esqueçam desta noite, que os senhores do poder, saibam que vai ter e tem de ter protestos a mil por hora, outros grupos peguem esta ideia e tb façam o mesmo.
a falsa noiva ai do cartaz foi gênio.)

prefeito de SOROCABA teria viatura da GCM particular em sua casa

Por volta das 15h05 desta segunda-feira (8), viatura estava estacionada no local

Moradores do Trujillo, zona norte de Sorocaba, notaram que uma viatura da GCM (Guarda Civil Municipal) andou vigiando a casa do prefeito Antonio Carlos Pannunzio (PSDB), morador do bairro, pelo menos há duas semanas e por 24 horas ininterruptas.

 
Segundo o comandante da GCM, Antonio Zanin, o prefeito nem queria tal proteção, mas ficou decidido dentro da secretaria de Segurança Comunitária do município pela vigilância após o setor de inteligência da Polícia Militar informar ao Paço que, pelo menos duas mensagens nas redes sociais pregavam a ida de manifestantes em direção a casa do prefeito. “Temeu-se pela segurança da família e do patrimônio e por se tratar do chefe do Executivo ficou estabelecido a vigilância 24 horas nos dias em que houvesse manifestação ou que o clima fosse agitado, de protesto”, explicou o comandante Zanin.
 
O comandante da GCM desmintiu que a viatura ficava 24 horas desde a semana retrasada, quando foram feitas as primeiras manifestações pela cidade. “É a viatura que faz ronda nos próprios (posto de saúde e escola) do bairro Nova Esperança, que aproveita o bairro vizinho e passa pela casa do prefeito.
 
Porém, moradores das ruas Itapetininga e Tietê, próximos da casa da família Pannunzio e mesmo a equipe do jornal BOM DIA, confirmam que, pelo menos até o início da noite de domingo, o carro da GCM ficava 24
 
MAIS
 
Protocolo de segurança
O comandante da GCM diz que o ato de vigilância é um protocolo de segurança comum e que já foi feito em outras administrações
 
39  
carros modelo VW gol tem a GCM de Sorocaba
 
No mesmo local,há décadas
A família do prefeito Antonio Carlos Pannunzio mora no Trujillo há quase quatro décadas ( se ele nem mesmo pediu isso, então contrate segurança particular e dispense a viatura, que  é paga com dinheiro publico, assim como o guarda , uniforme etc, depois vem a GCM alegar que não tem efetivo em todos os lugares da cidade.)

funkeiro morre atingido por um tirro durante um show em CAMPINAS (SP)

O funkeiro Daniel Pedreira Pellegrine, conhecido como Mc Daleste, foi morto com um tiro durante um show, no bairro São Marcos, em Campinas, na noite de sábado (6).

Reprodução/Facebook.com/MCDalesteOriginal
Funkeiro é morto com um tiro durante show em Campinas
Funkeiro é morto com um tiro durante show em Campinas

Segundo a Polícia Militar de Campinas, o cantor falava com o público que assistia ao show quando foi atingido por um tiro no abdômen e caiu no palco.

Um vídeo postado por fãs do Mc na internet supostamente mostra o momento em que ele é baleado.

O Mc foi levado por membros de sua equipe ao pronto-socorro de Paulínia, mas não resistiu ao ferimento e morreu.

Nenhum suspeito do crime foi preso, de acordo com a PM. ( ninguém se arrisca a ir armado num show lotado se não tiver um bom motivo pra matar, isso ai é bronca das bravas, resta agóra a policia tentar descobrir qual, vejam no vídeo abaixo o momento do tiro.)