godos, visigodos, bárbaros em geral já começam a quebrar o ITAQUERÃO.

cadeira20

Veja  imagens de cadeiras danificadas no setor das torcidas organizadas do Corinthians no estádio do alvinegro na partida contra o Figueirense, a primeira oficial na arena.

Pelas contas do clube, o jogo terminou com 55 cadeiras destruídas na área em que ficam as uniformizadas. Em seu site, a Gaviões da Fiel, principal uniformizada corintiana, negou atos de vandalismo por parte de seus integrantes. “É importante ressaltar a qualidade das mesmas, pois em algumas situações, o torcedor apenas subia na cadeira para passar de um local para o outro e ela já se partia ao meio, pensamos que isso tem de ser revisto”, diz trecho do comunicado emitido pela Gaviões.

Paulo Pan, da Bluecube, fabricante dos assentos da arena contesta a versão da torcida organizada. “Pelo jeito que algumas delas quebraram, eles devem ter pisado na ponta do encosto que não foi feito para aguentar esse tipo de pressão”, disse o executivo .

cadeira10

cadeira3

o nome que querem faz jus ARENA CURINTIA, para bárbaros quebrarem tudo principalmente se perderem um jogo.

aborrecentes dão preju de 7 bilhões ao ano, por causa de gravidez precoce.

O estudo anual “Situação da População Mundial”, divulgado nesta quarta-feira (30) pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), conclui que o Brasil conseguiria acumular R$ 7 bilhões a mais na arrecadação anual se “adolescentes adiassem a gravidez até depois dos 20 anos”.

A pesquisa revela que, nos países em desenvolvimento, 70 mil meninas com menos de 18 anos dão à luz e 200 morrem por causa de complicações da gravidez ou parto, todos os dias. Em todo o mundo, 7,3 milhões de adolescentes se tornam mães a cada ano, das quais 2 milhões são menores de 15 anos. O estudo estima um aumento para 3 milhões até 2030, se a tendência atual for mantida.

O documento do estudo intitulado “Maternidade Precoce: enfrentando o desafio da gravidez na adolescência” aborda, entre outras questões, “as implicações da gravidez na adolescência e o que pode ser feito para garantir uma transição saudável e segura para a vida adulta”.

O estudo destaca ainda as consequências da maternidade precoce e não planejada para “a saúde, educação, emprego e direitos de milhões de meninas em todo o mundo, o que pode se tornar um obstáculo ao desenvolvimento de seu pleno potencial”. Uma das consequências da gravidez na adolescência apontadas pelo relatório é a taxa de abortos inseguros realizados anualmente em países em desenvolvimento: até 3,2 milhões, envolvendo jovens de 15 a 19 anos. (AE)  

( e o JAPÃO ainda tem a cara de pau de reclamar que as japonesas não querem mais engravidar , e os homens não querem saber de sexo.

7 bilhões é apenas na gravidez, sem falar no consumo de drógas, fundações casas etc , aborrecente só sabe dar preju mesmo.)