modelo protesta contra DILMA na avenida e é expulsa

<p>Ju Isen causou uma verdadeira confusão no Sambódromo do Anhembi, São Paulo, durante o desfile da Unidos do Peruche, neste sábado (6). A modelo desfilou como Madrinha das Passistas, mas acabou sendo expulsa do local por ter tirado a roupa.</p><p>Famosa por ter ficado nua durante protestos contra o governo federal, a loira decidiu causar polêmica também na Passarela do Samba, após ter sido impedida de exibir o corpo com um tapa-sexo com uma caricatura da presidente Dilma Rousseff.</p><p>Enquanto a comunidade evoluia no Sambódromo, a moça decidiu tirar toda a fantasia, deixando os organizadores bastante insatisfeitos. Paulo Sérgio Ferreira, presidente da Liga Independente das Escolas de Samba fez questão de retirá-la do local.</p><p>Na confusão, Ju afirmou que saiu machucada e que pretende processar a escola da Zona Norte. O presidente da Peruche adiantou que vai verificar o que aconteceu, mas que reprova sua atitude. "O que ela fez não foi legal. Tem um monte de criança, um monte de gente. Isso só acaba denegrindo a imagem do Carnava", disse ao "G1".</p><p>E garantiu que também pretende tomar medidas contra a Isen: "Tenho quase certeza que faremos isso. Não pode fazer esse tipo de situação que ela fez. Não combina com o Carnaval". </p>

Ju Isen causou uma verdadeira confusão no Sambódromo do Anhembi, São Paulo, durante o desfile da Unidos do Peruche, neste sábado (6). A modelo desfilou como Madrinha das Passistas, mas acabou sendo expulsa do local por ter tirado a roupa.

Famosa por ter ficado nua durante protestos contra o governo federal, a loira decidiu causar polêmica também na Passarela do Samba, após ter sido impedida de exibir o corpo com um tapa-sexo com uma caricatura da presidente Dilma Rousseff.

Enquanto a comunidade evoluia no Sambódromo, a moça decidiu tirar toda a fantasia, deixando os organizadores bastante insatisfeitos. Paulo Sérgio Ferreira, presidente da Liga Independente das Escolas de Samba fez questão de retirá-la do local.

Na confusão, Ju afirmou que saiu machucada e que pretende processar a escola da Zona Norte. O presidente da Peruche adiantou que vai verificar o que aconteceu, mas que reprova sua atitude. “O que ela fez não foi legal. Tem um monte de criança, um monte de gente. Isso só acaba denegrindo a imagem do Carnava”, disse ao “G1”.

E garantiu que também pretende tomar medidas contra a Isen: “Tenho quase certeza que faremos isso. Não pode fazer esse tipo de situação que ela fez. Não combina com o Carnaval”.

( primeiramente um tapa sexo seria dificil todos notarem que contra DILMA, mas como ela já havia anunciado que entraria , e pelo jeito o carnaval foi tomdo pelos petistas, pois não se pode protestar.

nudez ? oras todos ficam nus, bebedeira, estão usando camisinha, beijo na boca tb pode transmitir o ZIKA e ai , todo mundo ta ligado ?

será que não teremos nenhuma grávida do carnaval mês que vem ? heim ? a modelo não pode protestar, ah mas é festa, carnaval, oras o povo samba o ano todo todo por este governo de bosta que ta ai, ah a escola pode perder pontos, se for perder então é gente que não sabe julgar o carnaval, que alias todo ano é polêmico, escolas que se dizem roubadas, jurados corruptos etc

a modelo quis se promover, se aparecer, e os idiotas deram motivo, não souberam agir na surdina, expulsam a pontapés e agressões, querem o quê ?

Link permanente da imagem incorporada

PM coxinha detém manifestante gostosa na PAULISTA.

A jovem Jéssica dos Santos, de 25 anos, foi detida em frente ao Masp, na Avenida Paulista, durante a tarde deste domingo (12).' (Foto: Tatiana Santiago/G1)

A jovem Jéssica Basílico dos Santos, de 25 anos, foi detida em frente ao Masp, na Avenida Paulista, durante a tarde deste domingo (12). Ela tirou toda a roupa e colocou apenas uma faixa onde estava escrito “Justiça divina”. A mulher foi levada ao 78º Distrito Policial, nos Jardins, assinou um termo circunstanciado e acabou liberada por volta das 18h30.

Jessica, que se diz cristã, disse ao G1 que recebeu um chamado divino para protestar sem roupa. A detenção ocorreu na esquina das avenidas Paulista e Casa Branca. O caso é o único incidente registrado ao longo da tarde no protesto contra a presidente Dilma Rousseff.

No protesto de 15 de março, Jéssica dos Santos também tirou a roupa no ato, do alto de um carro de som. Na ocasião, ela também foi detida e liberada na sequência.

Ato na Av. Paulista
Segundo a Polícia Militar, a manifestação reuniu 275 mil pessoas às 16h, em seu pico. O Instituto Datafolha estimou o público em 100 mil ao longo do dia e 92 mil no horário de pico, também às 16h. Na avaliação de dois dos grupos organizadores, o Vem Pra Rua e o Revoltados Online, 800 mil participaram do ato em São Paulo. Para o Movimento Brasil Livre, participaram entre 750 mil e 800 mil.

Em 15 de março, as estimativas foram de 1 milhão para a PM e 210 mil para o Datafolha; os organizadores concordaram com os números divulgados pela PM e não fizeram estimativas próprias.

Os atos foram convocados por movimentos com orientação conservadora e contrários ao PT(conheça o perfil dos principais grupos).

Mulher protesta nua na Avenida Paulista, em São Paulo (Foto: Aglécio Dias/Código 19/Agência O Globo)

Mulher protesta nua e é levada pela PM (Foto: Márcio Pinho/G1)

( notem que precisa dois PMS pra segurá-la e mais um terceiro lá atras dando suporte, como se ela fosse uma traficante homicida, que papelão em policia? , quando vcs vão acordar e verem que são apenas peões sendo usados pelo estado, amanhã estes três ai vão se aposentar e ai ?

deixem a gostosa protestar.)

motociclistas protestam em SOROCABA contra aumento da gasosa, mas os motores ainda estão ligados né ?

 

 

Cartazes trazidos pelos manifestantes denunciavam abusos de preços – ADIVAL B. PINTO

Mais fotos…

Um grupo de cerca de 50 motociclistas de Sorocaba e região protestou, na tarde deste sábado (21), contra o aumento do preço da gasolina. A iniciativa teve o objetivo de chamar a atenção para o problema e tentar inibir novos reajustes desse combustível. Segundo os motociclistas, o litro da gasolina ficou de R$ 0,10 a R$ 0,30 mais caro nos postos de combustível de Sorocaba. No protesto, o grupo saiu de um posto de combustível da avenida Engenheiro Carlos Reinaldo Mendes em direção a vias com grande circulação de veículos da cidade.

O protesto contra o aumento no preço da gasolina foi organizado por meio das redes sociais, afirma Munir Santiago, que foi o responsável pela reunião. De acordo com ele, a ideia do evento é chamar a atenção para que novos aumentos no preço da gasolina não sejam concedidos. O motociclista ressalta que todos os postos de combustível de Sorocaba apresentaram grande reajuste no último mês. “Alguns aumentaram R$, 0,10, outros R$ 0,25 ou R$ 0,30”, diz.

Além do aumento do preço, o grupo protesta contra a maior proporção de etanol – passando de 25% para 27% – na gasolina, decidido pelo governo federal nos últimos dias. “O etanol acaba estragando essas motos com o tempo”, comenta Santiago.

O protesto dos motociclistas percorreu as avenidas Dom Aguirre, Juscelino Kubitschek, Moreira César e Afonso Vergueiro.

( ah protestando ? então vejamos : alta velocidade , as populares empinadinhas, entram nas ruas com tudo, as lojas de motos lotadas de gente, os motores cada vez mais barulhentos.

sem falar que aguardam a semana santa pra lotares as praias de novo .

protestar pelo que ? )

mulher maçã protesta contra falta de luz,mas tem um abajur ligado na foto

Mulher Maçã (Foto: Divulgação/Divulgação)

Mulher Maçã protesta contra falta de luz, mas esquece o abajur aceso.

até hj 0 vídeo dela transando é um dos mais procurados nos meus blogs, pelo menos é que diz minhas estatísticas e olha que faz tempo isso.

mas querem saber achei o vídeo dela ou supostamente ela vcs decidem hehehe

http://cnnamadorastube.blogspot.com.br/2014/05/mulher-maca-caiu-na-net-fudendo.html

agora o abajur ligado foi vacilo heim ? 

RACHEL SHEHERAZADE x manifestantes manipulados.

Várias viaturas estiveram na porta do SBT, desde o começo da manhã de ontem, realizando um trabalho preventivo para a manifestação, marcada há alguns dias nas redes sociais, contra a jornalista e apresentadora Rachel Sheherazade, do “SBT Brasil”.

Cerca de 20 mil pessoas apoiaram o movimento no Facebook e Twitter, marcando o protesto para esta sexta-feira. Pelo menos, por enquanto, apenas os policiais estão presentes, para evitar problemas maiores, até porque o SBT está localizado às margens da rodovia Anhanguera.
Veja também:
 
Os funcionários foram obrigados a retirar os seus carros do estacionamento, que fica junto da entrada principal.
 
Como se recorda, a jornalista, na edição do último dia 4, se envolveu em uma outra polêmica, ao comentar o ato de três moradores do Flamengo, no Rio de Janeiro, que torturaram e prenderam um suposto ladrão de 16 anos a um poste.

 

( mas quem são estes pessoas ? militantes de partidos, PSOL E PT ? 

se a maioria da população é a favor de pena de morte, inclusive gostaram de ver p tal di menor amarrado ao poste, a RACHEL apenas disse o que mutos pensam, etes que foram protestar foram pagos pra isso ?

nunca foram vitimas de bandidos, alias bandido não assalta petista, ou do PSOL ? na rua vc pode falar em rodinha de amigos , mas uma jornalista não pode falar na tv ?

o próprio RATINHO cansou de falar que mandaria chumbo em bandido que mexesse com a família dele, ou era sensacionalismo ?

pois é quem tem pena de bandido leve pra casa.)

40 gatos pingados em manifestação contra a prefeitura de SOROCABA

Manifestantes também lembraram vítimas da queda do muro do shopping – Fábio Rogério

Mais fotos…

Lixo acumulado pelas ruas, centralização no atendimento da saúde, falta de vagas em creches, promessas de campanha que deixaram de ser cumpridas no primeiro ano de mandato do prefeito Antonio Carlos Pannunzio (PSDB) e o acidente que há um ano matou sete pessoas quando a parede da ainda construção do Pátio Cianê Shopping desabou na rua Comendador Oeterer. Em protesto a todos esses fatos, cerca de 40 manifestantes saíram às ruas do centro de Sorocaba às 18 horas de ontem com o objetivo de demonstrar insatisfação com a atual administração. Apesar de haver poucas pessoas e na maior parte do tempo terem mantido ao menos faixa das ruas aberta para a passagem dos veículos o trânsito foi prejudicado. A Prefeitura preferiu deixar de se manifestar sobre o ato.
Ainda na concentração, na praça Coronel Fernando Prestes, o aposentado Osvaldo Francisco Ramos, 70 anos, fez questão de usar o megafone para fazer fortes críticas contra o prefeito Pannunzio. Ramos disse que foi preso político em 1969 quando trabalhava como metalúrgico e hoje mora em Capela do Alto. Afirmou que veio a Sorocaba exclusivamente para protestar porque está descontente não só com a política de Sorocaba como da cidade onde reside.

Juliane Loures Ramos, 20 anos, moradora da Vila Leopoldina, disse que foi ela e outra menina de 16 anos quem tomaram a iniciativa de chamar pela internet para uma manifestação outras pessoas que estivessem descontentes. Juliane disse que o limite da insatisfação foi quando soube que não haveria decoração de Natal no centro, já que enfrentou dificuldades para encontrar uma vaga na creche para o filho e está muito insatisfeita com os problemas na coleta de lixo, buracos nas ruas e a falta de estrutura no posto de saúde. Entoando palavras de ordem como “Fora Pannunzio”, “Pannunzio ladrão estamos juntos no lixão”, “O lixo está na rua, Pannunzio é culpa sua”, o grupo percorreu as ruas Coronel Benedito Pires, Francisco Scarpa, avenida Afonso Vergueiro, Comendador Oeterer, Álvaro Soares e Barão do Rio Branco, onde mantiveram alguns minutos de manifestação no cruzamento do Bulevar Braguinha e encerram o ato às 19h15.

Em frente ao Pátio Cianê Shopping os manifestantes fizeram um minuto de silêncio. Também foi o local onde permaneceram por mais tempo parados, cerca de 15 minutos. Mantiveram interditadas duas das três faixas da via sentido sentido avenida Dom Aguirre, mas por várias vezes chegaram a fechar a terceira faixa por alguns segundos, interrompendo o trânsito. O mesmo fizeram por alguns minutos na pista do sentido inverso. 
A Polícia Militar e a Guarda Municipal passaram a acompanhar a manifestação a partir da avenida Afonso Vergueiro, mas sem interferências, a não ser uma abordagem verbal feita por um dos Guardas Municipais que solicitou os nomes de alguns dos manifestantes. Um deles, o estudante de direito e representante do Diretório Centro dos Estudantes na Uniso, Gabriel Soares, 18 anos, disse ao término do ato que foi cumprido o objetivo de mostrar a insatisfação do grupo. Sobre a reação das pessoas, reconheceu que parte delas reclamaram do trânsito, mas muitos também apoiaram o grupo por alguns trechos.

( só 40 ? por isso nem precisou infiltrar agentes da prefeitura ou da policia pra estragar o movimento, nem foi preciso policial chegar com cassetete e dizer que não gosta de manifestante.

fim de ano, a maioria só quer saber de ficar de bunda pra ciuma em qualquer praia por ai , o prefeito CARAMUNZZIO deve estar dando risada dos 40, se fosse festa com rave, funk, bagunça em geral, ai sim, seria hiper ultra mega lotado.

e pq tinha guarda municipal perguntando nome de manifestante heim ?)

pequeno protesto em frente ao PÁTIO CIANÊ, inaugurado ontem.

Representantes de uma das sete famílias que perderam parentes no acidente provocado pela queda do muro lateral do Pátio Cianê Shopping, em dezembro do ano passado, fizeram um protesto em frente ao empreendimento, que foi inaugurado nesta quinta. A chuva, conforme os manifestantes, impediu que um número maior de pessoas engrossasse o ato. Terezinha Maria Marquine Airola, que perdeu duas filhas e um neto, contou que recebeu assistência durante dois meses, mas a ajuda foi suspensa depois desse período sem maiores explicações.

Ela ingressou com ação no qual reclama indenização pelos danos que alega ter sofrido, mas reclama do “descaso”. “Não fomos procurados mais, nem retornaram nossos contatos. Simplesmente nos ignoram. Não é justo passarmos por tanto sofrimento. Estamos todos muito abalados e não podemos passar por essa situação. Acho que um pouco de respeito seria necessário, até em nome da dignidade”, disse. A reportagem tentou contato com a administração do shopping e encaminhou e-mail procurando saber do posicionamento sobre o protesto. Até o fechamento da edição, porém, não obteve retorno. 
Sete pessoas morreram no acidente ocorrido no dia 20 de dezembro de 2012. Em junho deste ano, a mesma família reclamou de ter de passar por uma “maratona” para ter acesso ao tratamento de saúde que ajudaria a superar os danos físicos e emocionais causados pela tragédia. 

Na ocasião, a construtora que executou as obras do complexo informou, por meio de nota, que disponibilizou psicólogos, transporte e o necessário para agilizar cuidados médicos e questões logísticas. Acrescentou que advogados constituídos pela famílias estavam em contato com o seu departamento jurídico para concluir procedimentos judiciais.

( se já não estão nem ai,pois pelo jeito o mau tempo será o principal culpado daquele dia.

tem de fazer protestos diários, e cadê  as demais famílias ? desistiram ? esperam receber um cheque cala a boca e pronto ?)