SP vai gastar grana em blindados jogando água no povo pra reprimir seus direitos,

Blindado com canhão poderá disparar água, gás lacrimogêneo e tinta a até 60 metros

Blindado com canhão poderá disparar água, gás lacrimogêneo e tinta a até 60 metros

As ações da Polícia Militar do Estado de São Paulo no controle de manifestações vão contar com 14 veículos blindados, entre eles quatro caminhões equipados com canhões de água para dispersar multidões. O processo de licitação internacional, que foi aberto em dezembro e está em andamento, estima um gasto de até US$ 15 milhões com a frota, o equivalente a cerca de R$ 35 milhões.

Segundo a PM, cada veículo com jato de água deverá custar US$ 808.476 (R$ 1,8 milhão). Com capacidade para atingir pessoas que estejam a até 60 metros de distância, o canhão permitirá combinações de água com gás lacrimogêneo e tinta, que poderá ajudar na identificação posterior de manifestantes.

Além desses veículos, foram licitados seis blindados de grande porte para até 24 policiais (US$ 1,5 milhão ou R$ 3,6 milhões cada um), que também serão destinados ao “controle de distúrbios civis”, e quatro veículos de porte médio para transportar de 8 a 12 PMs em “ações táticas e operações especiais” (US$ 595.719 ou R$ 1,3 milhão cada um).

“Distúrbio civil é quando há quebra da ordem. Por exemplo, quando colocam fogo em carro ou na via pública, quando destroem o patrimônio público ou privado”, disse o capitão Sérgio Marques, porta-voz da PM. Segundo ele, todos os 14 blindados poderão ser usados no controle de protestos.

“No deslocamento de um ponto a outro, o policial da tropa de choque vai estar protegido de pedrada, coquetel molotov. O intuito maior é proteger as pessoas, PMs e cidadãos, desde que não seja anônimo nem violento. A partir do momento em que há quebra da ordem pública, são usados os meios necessários para que a ordem seja restabelecida.”

Para o cientista político Guaracy Mingardi, analista criminal e membro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, a compra dos blindados é “um exagero que tem a ver com a mentalidade militar”. Segundo ele, o que acontece no Brasil não é distúrbio civil.

“Temos, sim, bagunça e quebra-quebra, mas não temos distúrbios civis. O que está acontecendo na Ucrânia e na Venezuela é distúrbio civil. E o que acontece no Brasil pode acabar virando um distúrbio civil se nós apelarmos para a violência. O uso da força não adianta”, afirmou o analista.

Segundo Mingardi, a PM não está sabendo identificar manifestantes não pacíficos e erra ao tratar todos da mesma forma. “A função da polícia é identificar o criminoso e indiciá-lo. Esse trabalho está sendo feito, mas de forma lenta, os protestos começaram há nove meses. Isso mostra que estão mais preocupados com a manutenção da ordem do que com o combate à criminalidade. A PM precisa parar de pensar de forma militarizada e começar a pensar como polícia, ou seja, punir quem é criminoso. Vivemos em uma democracia e todos têm o direito de se manifestar.”

O coronel da reserva da PM José Vicente da Silva, ex-secretário nacional de segurança, defende a compra dos blindados. Ele afirma que a manutenção da democracia depende da manutenção da ordem. “Todos precisam cumprir a lei. O Estado tem permissão para usar a força porque o uso da força é necessário para a defesa da democracia”, disse.

De acordo com Silva, o uso de instrumentos como o canhão de água “retarda o uso eventual de armas letais”. “Do revólver para baixo tudo é permitido, desde que restrito às condições técnicas e legais que a polícia precisa atender. Esses veículos evitam o uso de balas de borracha, por exemplo. São muito eficientes, ajudam a dissolver a multidão sem que haja combate corpo a corpo, e são usados no mundo inteiro. O importante é que se respeite a escala gradual de força”, afirmou o coronel, que ministra cursos de estratégia policial para a PM.

O processo de compra dos blindados foi acelerado após as manifestações de junho, mas a PM afirma que essa é uma necessidade antiga. “É uma demanda anterior aos protestos de junho, mas o processo é lento. Já havia o interesse da PM em adquirir esses veículos, pela própria segurança do efetivo e também pelo uso de métodos menos letais”, disse o porta-voz Marques.

Copa do Mundo

A ideia é que os 14 veículos estejam à disposição da corporação durante a Copa do Mundo, em junho, quando protestos contra a realização do mundial deverão tomar as ruas, mas o processo pode não ter sido finalizado até lá. Isso porque a empresa vencedora da licitação terá até 210 dias para entregar os veículos, contados a partir da data da assinatura do contrato. “Não temos como acelerar o processo e não temos como fazer previsão, porque trata-se de um pregão internacional”, afirmou o capitão Marques.

Para Esther Solano Gallego, professora de relações internacionais da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) e pesquisadora do movimento black bloc, a aquisição dos blindados, “praticamente um instrumento de guerra”, é preocupante, pois revela falta de disposição para o diálogo e contribui para o aumento da tensão entre as partes.

“O clima de violência está aumentando dos dois lados, tanto por parte dos manifestantes quanto da polícia, e não vemos estratégias de diálogo, apenas métodos punitivos. Os ânimos estão inflamados e, quando chegar a Copa, estaremos há um ano esquentando esse clima nas ruas. Os riscos de um fato trágico são altos, e é isso que preocupa”, afirmou.

Dos R$ 189,1 bilhões previstos no Orçamento 2014 do Estado de São Paulo, R$ 17,8 bilhões são destinados à Secretaria da Segurança Pública –para efeito de comparação, R$ 18,8 bilhões vão para a Saúde e R$ 27 bilhões para a Educação. Dentro do montante para segurança, a previsão é gastar R$ 381,8 milhões com reaparelhamento da polícia, que inclui a aquisição de veículos, armas, munições e equipamentos de proteção individual e de informática. 

( preferem gastar dinheiro nisso, ao invés de por ex , aplicar esta grana em hospitais padrões FIFA.

o BRASIL sofre com onda de calor , falta de água em alguns lugares, racionamento e termos de ver este líquido precioso sendo desperdiçado pra repressão  , só pra fazer festa pra gringo e os brazukas fanáticos por futebol.)

PM robocop X manifestantes em SOROCABA no 7 de setembro

Mais fotos… ( clique e vejam as fotos da bárbarie)

Um protesto no Dia da Independência do Brasil, no Centro de Sorocaba, na tarde deste sábado (7), terminou em enfrentamento entre manifestantes e a Polícia Militar e a detenção de seis pessoas – um deles adolescente. A confusão ocorreu quando manifestantes interditaram a avenida Dom Aguirre e a Polícia Militar deteve uma pessoa ligada ao movimento punk. Os outros manifestantes que já caminhavam em direção à Prefeitura de Sorocaba retornaram e houve a confusão. Manifestantes acusaram a Polícia Militar de agir com violência, com chutes, empurrões, gás pimenta e agressões com cassetetes. Dois manifestantes ficaram feridos com machucados no rosto e na cabeça, fruto de golpes de cassetete. O capitão da Polícia Militar, Rogério Lima, que comandou a operação, disse que foi necessário o emprego da força diante da baderna instaurada, com ameaças aos motoristas, ofensas aos policiais e agressões com pedaços de madeira e também skates. Segundo a PM, quatro policiais saíram feridos diante de agressões.

A concentração começou na Praça do Canhão e aproximadamente 80 manifestantes estavam no local, com bandeiras do Brasil e máscaras. Uma bandeira do Brasil foi pichada no local, pouco antes dos manifestantes começarem a descer a rua Souza Pereira, no Centro. Parte das pessoas que estavam na praça preferiram não seguir a manifestação. Um grupo de aproximadamente 50 pessoas, alguns mascarados, com bandeiras do movimento punk e do anarquismo, começou a interditar a rua Souza Pereira. Já na esquina com a Leopoldo Machado ocorreu o primeiro conflito, entre manifestantes e a Guarda Civil Municipal (GCM). Dois manifestantes pararam um ônibus e tinham uma lata de spray nas mãos. Antes disso, um manifestante com máscara pichou a porta metálica de um estabelecimento comercial. Um dos mascarados disse ao jornal Cruzeiro do Sul que a manifestação era contra a corrupção e o péssimo serviço público prestado na área da saúde e educação.

A Polícia Militar chegou neste momento e começou acompanhar a movimentação. Manifestantes pegaram um conteiner e arrastaram até o cruzamento com na rua Leopoldo Machado. Novamente o clima ficou tenso e manifestantes gritavam palavras de ordem contra a Polícia Militar, inclusive com alguns insultos. Parte do manifestantes chegou até a avenida Dom Aguirre, embaixo da ponte Francisco Delosso e interditou o trânsito. Policiais acompanhavam no gramado, na calçada da rua Leopoldo Machado. Um dos manifestantes, de cabelo moicano, discutiu com um motorista e chegou a acertar o veículo com o cabo de uma bandeira vermelha e negra, símbolo do anarquismo. Enquanto parte dos manifestantes se dirigia à Prefeitura de Sorocaba, pela avenida Dom Aguirre, a Polícia Militar abordou o manifestante e o clima voltou a ficar tenso. Os outros manifestantes voltaram para impedir a prisão do colega e o enfrentamento começou.

A Polícia Militar usou cassetetes e dois manifestantes acabaram atingidos. Uma das manifestantes foi em direção ao namorado que era imobilizado por policiais e tentou impedir sua prisão, já que ele estava ensanguentado, com ferimento na cabeça. Ela levou um chute e um empurrão do policial, caindo no canteiro central da avenida.

O gás de pimenta foi lançado pelo menos em duas ocasiões.

Neste momento, três manifestantes já estavam presos e os outros voltaram a ofender os policiais. O “não violência” foi gritado várias vezes.

Um manifestante chutou e bateu numa das bicicletas públicas, estacionada na estação da Integrabike, da Prefeitura de Sorocaba. Ele foi seguido, imobilizado e detido na ponte Francisco Delosso.

Outro manifestante também foi preso e imobilizado, após gritar palavras contra os PMs. Uma manifestante gritou palavrões calão no momento em que o capitão da PM, Rogério Lima, dava entrevista a imprensa. “Mentiroso, mentiroso, polícia despreparada”, gritou.”Tenho que fazer mais prisões”, disse o PM à imprensa, ao interromper a entrevista. “Essa moça de cabelo vermelho está presa”, disse o capitão aos seus comandados. A manifestante tentou fugir, mas foi detida pela PM e assim como os demais levada para a viatura.

O manifestante Iago Silva, de 18 anos, que estava sem máscaras, foi um dos que levou um golpe de cassetete no rosto. Com ferimentos abaixo do olho esquerdo, ele estava revoltado. “Estava no meio da avenida gritando palavras de ordem e ele (PM) veio na minha direção para me agredir. Levei pancadas com o cassetete no rosto e na parte de traz da cabeça”, disse ele, que estava com o rosto ensanguentado.

Outro integrante do movimento punk, que não quis se identificar, foi conversar com o comando e queixou-se da atuação da PM. O capitão da PM, Rogério Lima, disse que foi necessário fazer o uso de força e detenção de pessoas diante de uma baderna iniciada por um grupo de anarquista. “Sem dúvida era necessário chegar a esse ponto e tenho policiais feridos. Eu mesmo estou ferido nas mãos, teve paulada, começaram a bater em veículos e quebraram bicicletas públicas.”

O capitão argumentou que foram detidas seis pessoas e foi utilizado uma força moderada, com uso de cassetete e imobilização para algemamento. “Tenho quatro policiais com ferimentos superficiais que levaram pauladas e skatadas na hora do confronto. Os manifestantes foram presos por desacato, agressão, ameaça contra policiais e pessoas que estavam no local.”

Dez viaturas da PM e três da GCM estavam no local. Parte dos manifestantes deitaram na rua Leopoldo Machado, quando o trânsito já estava parado e protestaram contra a ação da PM. O estudante Luis Gustavo de Lima Cuter, de 17 anos, desaprovou tanto a ação da PM como a do grupo de punks. Só que para ele, a atuação da PM foi decepcionante, já que os policiais representam o Estado e têm o dever de defender à população. “Eles têm que proteger e não agredir os jovens como fizeram hoje. Eles deitaram os punks na rua com agressões e nós deitamos na rua pacificamente para protestar”, criticou.

 ( dizem que foram 100 policia contra 50 manifestantes, bem se foi isso precisava toda esta violência ? a ordem é bater mesmo, afinal PM é robocop do estado, apenas cumpre ordens.)

ditadura não quer protestos durante o ROCK IN RIO

Os adolescentes Herika da Silva, 20, de Niterói, e Rodrigo Chaves, 15, de Cascadura, esperam em barraca a abertura do evento no dia 13

A Polícia Militar anunciou na tarde desta terça (10) seu planejamento de segurança para os sete dias de Rock in Rio, que começa na próxima sexta (13).

Em comparação com o último festival, em 2011, o efetivo atual terá 300 policiais a mais a cada dia –um total de 1.000 PMs e 77 viaturas estarão nos arredores e vias de acesso à Cidade do Rock, em Jacarepaguá (zona oeste), a cada dia, divididos em dois turnos.

Segundo a PM, o aumento no efetivo está ligado aos protestos com incidentes violentos, nos últimos meses.

“A gente não pode desprezar o momento atual do país, então há necessidade de maior rigor”, disse o tenente-coronel Marcos Amaral, comandante do 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes).

“Vamos utilizar o mesmo procedimento da Copa das Confederações, fazendo revistas em dois bloqueios em cada uma das extremidades de acesso ao Rock in Rio.”

Duzentos policiais cuidarão dos bloqueios, que estarão nas avenidas Abelardo Bueno e Salvador Allende, por onde o público passará a pé, no caminho para a Cidade do Rock. Antes de chegar à entrada do festival, o público precisará mostrar o ingresso para o dia e passará por uma revista de mochilas e bolsas. Não será permitida a passagem de mascarados.

Na área interna do festival, além da segurança privada haverá agentes da Polícia Civil –910 policiais trabalharão durante os sete dias do festival, em 15 postos de atendimento ao público (12 na parte externa e três na interna) e na Delegacia Móvel que será montada no Riocentro, em frente à Cidade do Rock. ( na verdade, qualquer pessoa poderá sem barrada , basta carregar uma pequena, faixa, ou até mesmo uma camiseta que contenha alguma frase de protesto, nem falar algo vc pode, é a repressão total, este papo de querer conter somente os mascarados não cola.

afinal teremos copa do mundo, e o ROCK IN RIO ( GLOBOSTA) não quer admitir nenhuma manifestação mesmo ordeira, é a ditadura PETRALHA/TUCANADA a todo vapor.

quanto aos aborrecentes ali acima, pq estão ali ? não vieram protestar né ? só querem curtir o ROCK , mas CLAUDIA LEITE é rock ? )

policia x manifestantes em passeata próxima ao MARACANÃ

Reprodução

http://fotos.noticias.bol.uol.com.br/imagensdodia/2013/06/24/protestos-no-rio-de-janeiro.htm?fotoNavId=pr10407298 

 ( veja mais fotos no link, e agora a vitória do BRASIL,anestesia o povo, vão diminuir a até parar as manifestações ? com certeza a policia vai agir com mais truculência a partir de agora, se ainda alguém insistir em protestar.)