garoto JOAQUIM PONTE MARQUES, corpo dele foi achado em rio da cidade.

O corpo do garoto Joaquim Ponte Marques, 3, desaparecido desde a última terça-feira (5) em Ribeirão Preto (a 313 km de São Paulo) foi encontrado no início da tarde deste domingo (10) no rio Pardo.

O corpo foi achado a 150 quilômetros de Ribeirão Preto.

Uma das hipóteses levantadas pela Polícia Civil é que ele tenha sido atirado no córrego Tanquinho, que fica a 200 metros da casa da família de Joaquim e, de lá, tenha sido levado até o ribeirão Preto, que é afluente do Pardo.

Segundo o diretor do Deinter-3 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior), João Osinski Junior, o reconhecimento do corpo no IML (Instituto Médico Legal) de Barretos foi feito na tarde deste domingo pela mãe de Joaquim, Natália Mingoni Ponte, o pai, Arthur Paes, e o avô materno da criança.

O corpo de Joaquim foi achado pelo dono de uma propriedade rural da cidade, que avisou o Corpo de Bombeiros.

  Reprodução  
O menino Joaquim Ponte Marques, 3, que estava desaparecido desde a última terça-feira (5) em Ribeirão Preto (SP)
O menino Joaquim Ponte Marques, 3, que estava desaparecido desde a última terça-feira (5) em Ribeirão Preto (SP)

A polícia e o Ministério Público veem indícios da participação de Natália e do padrasto do garoto, Guilherme Raymo Longo, no caso. Ambos negam.

No dia seguinte ao desaparecimento, a polícia pediu a prisão temporária do casal, mas a Justiça negou o pedido, sob a alegação de que eles ajudavam na investigação do caso.

De acordo com o delegado Paulo Henrique Martins de Castro, da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Ribeirão e responsável pelo caso, o pedido foi feito para “auxiliar nas investigações” e porque havia contradições nos depoimentos de Natália e de Guilherme.

O desaparecimento do garoto gerou comoção na cidade e uma campanha feita nas redes sociais por celebridades como a apresentadora Angélica, a atriz Carolina Dieckman e a cantora Ivete Sangalo.

O SUMIÇO

Joaquim estava desaparecido desde a última terça-feira. A mãe disse à polícia ter notado o sumiço às 7h.

Desde então, policiais e o Corpo de Bombeiros fizeram buscas em toda a cidade, sem sucesso. O pai de Joaquim também fez panfletagem com amigos e voluntários todos os dias.

O Corpo de Bombeiros chegou a percorrer 20 quilômetros no córrego, no ribeirão e no próprio rio, em busca do garoto.

Nos últimos dois dias, a Polícia Civil e o Ministério Público buscavam indícios para formular um novo pedido de prisão temporária do casal, que pode ser apresentado nesta segunda-feira (11). ( toda possibilifdade precisa ser cuidadosamente investigada pra não gerar duvidas, o casal é culpado, somente o padrasto, haveria uma terceira pessoa ?

dividas de drógas, um traficante poderia ter dado fim no garoto ? mais fácil e copmodo terem matado o padrasto que seria viciado, a mãe psicóloga que acolhe um tipo destes em sua casa .

não vale ir na comoção e pressa pra resolver tudo nas coxas, policial deve ser policial nestas horas e não se deixar levar. )

justiça de RIBEIRÃO PRETO decreta prisão temporária de atropelador

A Justiça de Ribeirão Preto decretou na sexta-feira (21) a prisão temporária do empresário Alexsandro Ishisato de Azevedo, de 37 anos, indiciado pelo atropelamento que resultou na morte do estudante Marcos Delefrate, de 18 anos, na quinta-feira (20) durante os protestos em Ribeirão. 

A decisão é da juíza da Segunda Vara do Júri e Execuções Criminais, Isabel dos Santos.
Ishisato está foragido desde a noite de quinta-feira. Segundo o delegado Paulo Henrique Martins, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), o empresário foi indiciado por quatro tentativas de homicídio doloso – quando há a intenção de matar.

A detenção é válida por 30 dias, mas pode ser renovada por igual período. A medida, de acordo com o delegado, serve para auxiliar nas investigações.

O corpo de Marcos Delefrate foi enterrado no fim da tarde de sexta-feira no Cemitério Bom Pastor em Ribeirão Preto. A morte do jovem causou comoção e levou 2 mil às ruas em um protesto pacífico pela cidade na noite passada.

Defesa
Na noite de sexta-feira, o empresário falou por telefone com exclusividade ao G1 sobre o atropelamento que aconteceu na Zona Sul de Ribeirão Preto.

Ishisato contou que saía do estacionamento de um supermercado no cruzamento da Rua Professor João Fiúsa e da Avenida José Adolfo Bianco Molina na noite de quinta-feira, quando se deparou com o grupo de manifestantes bloqueando o trânsito. No carro estavam apenas ele e a mulher. Segundo ele, os jovens teriam impedido a passagem e chutado o veículo.

'Estou arrependido, não queria ter feito isso', diz Alexsandro Ishisato, suspeito de atropelar e matar estudante (Foto: Reprodução/EPTV)Alexsandro Ishisato, suspeito de atropelar e matar
estudante (Foto: Reprodução/EPTV)

O empresário afirma que avançou com o carro sobre a multidão porque teve medo de ser agredido pelos manifestantes, que classificou como bandidos. “Eu estou arrependido, não queria ter feito isso, não queria tirar a vida de ninguém. Isso não é da minha índole. Não era um monte de estudante de verdade, era um bando de bandidos. Só tinha bandidos. Eles gritavam “eu sou bandido mesmo”. Eles davam paulada [no carro], me xingavam. Eu só queria sair dali, longe de mim querer fazer mal para alguém”, afirmou o rapaz.

Um jovem que participava do protesto filmou a confusão. As imagens mostram o carro do empresário parando diante dos manifestantes. Depois de uma discussão, Ishisato engata a ré e passa a ser ofendido por algumas pessoas. Nesse momento, ele acelera o veículo e avança sobre o grupo que estava no meio da rua. O estudante Marcos Delefrate, de 18 anos, morreu no local, vítima de traumatismo craniano. Outras 12 pessoas ficaram feridas, quatro foram levadas para hospitais, e já foram liberadas.

Ishisato fugiu do local sem prestar socorro às vítimas, e desde então está sendo procurado pela polícia. O veículo modelo SUV foi apreendido na casa dele, em um condomínio de luxo na Zona Sul de Ribeirão. Após ser periciado, foi constatado que o carro apresentava marcas de pés e parte do vidro do passageiro e uma lanterna quebrados. O carro foi levado para o pátio da polícia em Araraquara (SP).

O empresário não revelou onde se refugiou com a mulher, mas confirmou que não está em Ribeirão Preto. “Qualquer um que passasse pelo que eu passei, faria a mesma coisa. Eu estou com um corte de cinco centímetros na cabeça e só não fui fazer exame de corpo de delito porque eles vão me prender. Eu não quero ir preso, eu não sou bandido.”

O suspeito diz que pretende se entregar, mas teme represálias por causa da morte do estudante. “Só espero que isso tudo acabe logo. Eu queria me entregar em 24 horas, mas o meu advogado disse que se eu for para a rua vão me linchar. Estou esperando.”

Sexta-feira (21) - Manifestantes acendem vela em homenagem a memória do estudante Marcos Delefrate (Foto: Érico Andrade/G1)Manifestantes acendem vela em homenagem a Marcos Delefrate  ( este é o problema em andar de carro em manifestações, aquele atropelador de ciclistas do RS  tinha outros caminhos pra seguir, mas queria passar naquele, ai vcs viram o boliche que ele causou .
não sei se ai neste caso tinha outras alternativas de ruas, ele deveria ter ficado parado com o carro até todos passarem, poderia responder em liberdade , mas devido as manifestações, a juíza entendeu melhor prendê-lo mesmo até pra tentar acalmar a cambada.
agora todos gritarem eu sou bandido mesmo ?)

manifestante é atropelado e morto em RIBEIRÃO PRETO.

Uma nova manifestação foi marcada nas ruas de Ribeirão Preto. O ato será realizado, às 18h, em luto pela morte do jovem de 18 anos, que foiatropelado por uma caminhonete durante o ato. Dezenas ficaram feridos na ocasião. A concentração da nova passeata será na Esplanada do Theatro Pedro II até o local do acidente, avenida João Fiúsa.

Uma montagem anunciando o protesto com a foto da vítima está circulando nas redes sociais. Com a hashtag “#VoltaPraRuaRibeirão”. Na imagem, os manifestantes pedem justiça e solidariedade. “Queremos justiça! Sejam solidários! Vá de roupa preta, leve flores, velas e cartazes!”, diz o grupo.

Durante as manifestações de quinta-feira, que tomou conta das ruas do País , um jovem de 18 anos morreu e outras 11 ficaram feridas após serem atropeladas por um veículo no cruzamento de duas avenidas na zona sul de Ribeirão Preto. Segundo a Polícia Militar, nove pessoas foram socorridas por ambulâncias do Samu. O motorista fugiu sem prestar socorro.

O protesto contava com cerca de 20 mil pessoas. Com megafones, os manifestantes gritavam “Vem pra rua!”, slogan que virou hit nas ruas do País. Muita gente se uniu ao movimento, que começou com as pessoas cantando o Hino Nacional. Os manifestantes portavam cartazes, apitos, faixas e saíram fazendo muito barulho. ( bem o cara pode fazer o seguinte, sumir, se tornar foragido, ou ficar na moita e depois se apresentar em uma delegacia com advogado e dizer que teve de sair saindo pois temia ser linchado pela multidão.

assim escapando do flagrante  e responder o ato em liberdade, é sempre assim.

menina de 6 anos passa mal ao fumar maconha em RIBEIRÃO PRETO (SP)

Uma menina de apenas seis anos foi parar no hospital depois de fumar um cigarro de maconha em Ribeirão Preto, interior de São Paulo.
 
A mãe conta que a filha brincava com outras crianças na rua quando ganhou o cigarro de dois vizinhos — um adulto e outro menor de idade. Depois de fumar a droga, ela começou a passar mal.
 
— Ela estava meio passada, com o olhinho vermelhinho.
 
Acompanhada da polícia, a mãe levou a menina a um hospital. A médica que fez o atendimento confirmou que a menina usou a droga e que os efeitos estavam quase no fim.
 
Um inquérito policial vai ser aberto e o caso será investigado pela delegacia da Infância e Juventude. O Conselho Tutelar também foi acionado e quer ouvir as explicações da mãe.
( pois é não da mais pra brincar na rua sossegado, mas como pobre não mora m condomínio né ? a mãe não tem de explicar  nada, a policia tem de enquadrar quem ofereceu maconha a menina.
por isso que não da pra liberar drogas dentro das cidades, volto a falar 1000000 vezes se for preciso, liberem fora das cidades , ai cada um que use a sua maldita.)