humorista GUSTAVO MENDES é expulso de show em BÚZIOS por imitar DILMA, censura petista clara, pode isso ARNALDO ?

Gustavo Mendes, comediante conhecido pela sátira da presidenta Dilma Rousseff, foi retirado do palco durante um show em Búzios, Rio de Janeiro, neste domingo (15). O humorista se apresentou com o espetáculo de stand-up Mais que Dilmais no festival Búzios Love, que comemorava o Dia dos Namorados.

Ele alega ter sido agredido verbalmente nos bastidores por Robson Motta, Secretário Adjunto de Governo do prefeito André Granado (PSC), e fisicamente por um funcionário não identificado do staff da prefeitura.

De acordo com Gustavo, foi uma piada envolvendo religião que motivou as agressões. Na brincadeira em questão, Gustavo brincava com o fato de uma antiga proibição de venda de bebidas alcoólicas em festas religiosas, dizendo que “foi Jesus quem transformou água em vinho”.

Neste momento, o empresário de Gustavo foi notificado por funcionários da prefeitura que ele deveria deixar o palco. Nos bastidores, houve discussão e Robson o teria xingado. Na sequência, um funcionário da prefeitura, não identificado, deu um chute no humorista.

Sob vaias da plateia, Robson discursou contra o conteúdo do espetáculo de Gustavo. “Quero pedir desculpas aos familiares aqui presentes a intenção nossa era trazer cultura, mas de forma respeitosa para a família da cidade. O povo de Búzios não pode compactuar com essa sacanagem, temos que respeitar a comunidade católica”, disse, sob protestos e gritos de “censura!” de presentes.

Em nota, a Prefeitura de Búzios alega que pediu ao artista, previamente, “cuidado especial com o texto teatral para que fosse apresentado em praça pública”, por “se tratar de um show inserido em um evento de uma comunidade religiosa”.

Também em nota oficial, Gustavo argumenta que não foi informado de que o espetáculo estaria inserido em uma comunidade religiosa, e que a prefeitura tampouco pediu alterações no texto. Ele acrescenta ainda que quaisquer alterações caracterizariam “censura prévia” e que o ator “não aceitaria” participar do show nestas condições. Gustavo não registrou Boletim de Ocorrência – de acordo com sua assessoria de imprensa, ele e sua equipe deixaram a cidade com medo de maiores retaliações. 

( observando o vídeo, o humorista primeiramente recebe advertência pra não imitar a DILMA , depois de expulso ai vem a desculpa de que piadas com religião teria sido o real motivo , vejam o vídeo a cada um conclua por si mesmo.

a mãe do prefeito não teria gostado por ser religiosa ? problema dela, ficasse em casa, quer passar por cima da vontade popular, bem isso é uma das versões apresentadas.

 

pra mim é censura petista mesmo, o povo deveria invadir  a prefeitura e botar todos pra correr, sejam petistas ou religiosos fanáticos 

 

 

e depois vejam a indignação do povo pela expulsão do humorista 

tirar a máscara dos manifestantes, mas e a máscara das autoridades e politicos ?

Manifestante tira máscara e mostra documento a policial militar durante o "Baile dos Mascarados" nas escadarias da Câmara Municipal do Rio

Manifestante tira máscara e mostra documento a policial militar durante o “Baile dos Mascarados” nas escadarias da Câmara Municipal do Rio

Pelo menos duas pessoas foram detidas durante uma manifestação que ocorreu na noite desta terça-feira (3), na Cinelândia, no Centro do Rio de Janeiro. Cerca de 100 pessoas participam do ato, batizado de “baile de máscaras”. Por volta das 20h15, manifestantes tentaram invadir o Theatro Municipal, onde acontece uma festa particular, mas foram impedidos por policiais militares que acompanham o protesto.

De acordo com o tenente-coronel Mauro Andrade, comandante do GPPM (Grupamento de Policiamento de Proximidade em Multidões) da PM (Polícia Militar), há 60 policiais do grupamento no local. Os PMs cumprem pela primeira vez a decisão judicial que obriga a identificação criminal de pessoas que estejam usando máscaras durante manifestações públicas no Rio de Janeiro. Com isso, se necessário, o manifestante será levado à delegacia.

A ação da polícia provocou reações dos manifestantes. Um deles, o estudante de direito Hare Brasil, 23, rasgou a Constituição Federal na página do artigo 5º, inciso LV3. “Ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa se não em virtude da lei”, gritou o universitário. “Inconstitucional”, repetiram os outros manifestantes, aos gritos. “Ditadura, sai do armário”, acrescentaram.

O tenente-coronel afirmou que os dois manifestantes detidos foram conduzidos para a 17ª DP (Delegacia de Polícia), em São Cristóvão, zona norte do Rio, para identificação criminal. Um deles, segundo Andrade, estava mascarado e mostrou o rosto e um documento de identidade, mas “tinha vários celulares na mochila e não soube explicar a procedência deles”. O outro, menor de idade, estava obstruindo a avenida Rio Branco e, de acordo com o policial, causou uma colisão entre um táxi e outro veículo.

Muitos manifestantes usavam máscaras carnavalescas. Ao abordarem os manifestantes e obter suas identificações, os PMs estão preenchendo uma ficha que, segundo Andrade, é um “documento administrativo” da PM para provar à juíza responsável pela decisão que a ordem é cumprida. ( é preciso tomar cuidado com estas decisões de que todo manifestante deve sr identificado pelo rosto e tb pela sua identidade.

pq ? pra agentes da repressão por ex, invadirem a net a deletar cada perfil de quem foi pra rua se manifestar ? primeiro querem que todo protesto seja antes agendado , agora isso, será uma nova ditadura, estamos voando aos naos de chumbo ?

imagine vc ao tentar um emprego e não conseguir, pq sua ficha consta manifestante desordeiro mesmo que vc tenha apenas exercido seu direito de falar ?

portanto precisamos ficar atentos a estas intenções que dizem que querem apenas identificar os baderneiros que depredam o patrimônio publico. )

DEBORAH COLKER x gol linhas aéreas (inteligentes ?)

A coreógrafa Deborah Colker afirmou nesta terça-feira que a tentativa da companhia aérea Gol de barrar ela e a família de um voo devido à uma doença de pele do neto foi uma ação “nitidamente discriminatória, preconceituosa” e que foi provocada pelo despreparo dos funcionários.
 
Théo, que fará 4 anos amanhã (21), estava com a avó, a mãe e o pai quando foi vetado num voo de Salvador para o Rio de Janeiro por ser portador de uma doença congênita chamada epidermólise bolhosa, que causa erupções na pele. A doença, porém, não é contagiosa.
 
 
“Houve um total despreparo, uma total falta de profissionalismo e uma total falta de cuidado de lidar com a família e uma criança de 4 anos que presenciou uma ignorância, estupidez total já dentro do avião”, afirmou Colker à Folha.
O avião sairia de Salvador em direção ao Rio de Janeiro, ontem, quando um comissário os abordou já dentro da aeronave e perguntou sobre a doença da criança, e exigindo um atestado para permitir a permanência do menino. Segundo Deborah, os detalhes da doença já tinham sido dados no momento do check-in.
 
“Tínhamos explicado no check-in que não é contagioso, é uma doença de pele e que ele já viajou de avião várias vezes. Na sexta-feira (16), ele foi para Salvador de Gol e agora estava voltando. Ele tem um pai baiano que mora no Rio e que tem uma filha que mora naquele Estado, então é normal pra ele viajar”.
 
Deborah ainda completou “na ida não precisou [de atestado]. Que abordagem é esse? Que critério é esse? Tinha uma médica no avião, veio um médico da Infraero e mesmo assim foram duas horas no avião. É preciso preparo [dos funcionário], principalmente no caso de uma companhia importante, séria”.
Em nota, a Gol afirmou que cumpriu rigorosamente as recomendações do Manual Médico da IATA (sigla em inglês da Associação Internacional de Transportes Aéreos) e da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). “Lamentamos profundamente os transtornos causados à família com relação à forma como foi conduzido o cumprimento de tais recomendações. A estes e aos demais passageiros, pedimos sinceras desculpas”, completou.
 
A Anac afirma que, pelo Código Brasileiro de Aeronáutica, o piloto é autoridade em voo. Pela norma, “o Comandante exerce autoridade sobre as pessoas e coisas que se encontrem a bordo da aeronave e poderá desembarcar qualquer delas, desde que comprometa a boa ordem, a disciplina, ponha em risco a segurança da aeronave ou das pessoas e bens a bordo e tomar as medidas necessárias à proteção da aeronave e das pessoas ou bens transportados.”
A agência afirmou ainda, em nota, que solicitou informações sobre o ocorrido à Gol e que caso seja constatada alguma conduta inadequada praticada será aplicada a medida cabível, que pode gerar multas de R$ 4.000 a R$ 10 mil.
 
Ela ainda “recomenda aos passageiros que apresentem algum quadro de enfermidade ou especial, como a gestação, que busquem as orientações necessárias para embarcar junto à companhia aérea ou com seus médicos, caso seja necessário. Cada companhia aérea possui políticas próprias que são elaboradas conforme as orientações dos órgãos de vigilância sanitária e do CFM (Conselho Federal de Medicina).”
 
PROCESSO
 
Deborah afirmou que vai processar a Gol pelo constrangimento sofrido durante a viagem. “Lógico que vamos recorrer à Justiça. Pretendo processá-los e que todo o dinheiro desse processo seja revertido à pesquisa genética e que siga de exemplo para que não aconteça com mais ninguém. Tenho essa obrigação ética como avó, como mãe.”
“Tinha dois policiais na porta do avião. A ideia era nos retirar da aeronave. Retirar o monstro de uma criança de quatro anos que tinha uma aparência estranha. Tenho que denunciar isso”, afirmou a coreógrafa.
“Ele falou ‘vó tava todo mundo falando de mim e olhando pra mim’. Ele é um guerreiro. Quem o conhece sabe que ele é uma criança exemplar”, completou Deborah, que destacou ainda que os passageiros que estavam no voo foram solidários e também reclamaram do comportamento da tripulação. 
( infelizmente melhor pra ela arrumar um atestado e esfregar na cara de todos que  barrarem a criança, a GOL arrumou uma dor de cabeça ao não saber tratar o assunto com discrição e inteligência.
 
se eu estivesse a bordo gravaria o barraco e pronto e dai ? democracia é isso, deveriam sim ter gravado e pronto.
 
o preconceito pode ser pra todo mundo até mesmo criança, lembrei por ex de um caso de uma criança anos atras impedida de estudar numa escola pq tinha AIDS, as pessoas retirando seus filhos da escola, lembro de uma senhora falando não é preconceito mas… e ficou no ar a explicação.
 
os pais adotivos entraram na justiça, ela ganhou o direito de estudar, mas morreu pouco tempo depois, mas valeu a luta.
 
portanto dona DEBORAH infelizmente a luta da senhora da sua filha , vai longe.)

policia x manifestantes em passeata próxima ao MARACANÃ

Reprodução

http://fotos.noticias.bol.uol.com.br/imagensdodia/2013/06/24/protestos-no-rio-de-janeiro.htm?fotoNavId=pr10407298 

 ( veja mais fotos no link, e agora a vitória do BRASIL,anestesia o povo, vão diminuir a até parar as manifestações ? com certeza a policia vai agir com mais truculência a partir de agora, se ainda alguém insistir em protestar.)

mulher de bombeiro nega participação do marido em sexo a 3 num quartel de bombeiros em NOVA IGUAÇU

quartel-bombeiro-tv

A mulher do sargento do 4º Grupamento de Bombeiros Militar que ficou 23 dias preso por suspeita de permitir orgia no quartel de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, negou a participação do marido no esquema de organização da “festinha”, em junho de 2012. Um cabo é acusado de praticar sexo com um casal que conheceu na internet dentro do quartel, sob a conivência do sargento.

De acordo com Patrícia Cardoso, o cabo que teria feito sexo com um casal em uma viatura da corporação bolou tudo sozinho e agiu pelas costas do comando. As fotos do encontro vazaram em um site de conteúdo adulto.

— Eu sei da inocência do meu marido. Assim que saiu essa história, em junho do ano passado, ele conversou comigo. Eu sei que ele jamais permitiria isso. Ele não sujaria a farda que ele tanto ama e nem desrespeitaria os nossos dois filhos. Foi tudo organizado pelo cabo. Ele agiu sozinho e enganou todo mundo.

A mulher do sargento contou que o cabo teria aproveitado uma saída de rotina para encontrar o casal na rua e entrar, de forma sorrateira, para o quartel.

— Eles sempre saem para comprar lanche à noite, isso é normal. Então, meu marido disse que ele [cabo] afirmou que ia comprar lanche, mas enganou todo mundo e ainda entrou com o casal.

O juiz militar Marcius da Costa Ferreira aceitou denúncia do Ministério Público Militar do Rio de Janeiro contra o cabo e o sargento. Eles foram acusados de praticar ou permitir a prática de ato libidinoso em local sujeito à administração militar — pena de seis meses a um ano —, com agravantes de abuso de poder ou violação de dever inerente a cargo e quando o ofendido estava sob a imediata proteção da autoridade.

O primeiro interrogatório está marcado para 13 de maio, na Auditoria de Justiça Militar, na Gamboa, zona portuária do Rio de Janeiro.

( esta é a unica imagem que se tem dos fatos, já que não consegui achar as demais fotos, se alguém souber, pode me informar aqui, que mostrarei.

a coisa toda veio a tona, devido a uma tenente ter visto as fotos na net e denunciado tudo, agora resta apurar mesmo se o cabo agiu sozinho, mas pra que investigar a fundo ?  se pode expulsar dois só pra dizer que o corpo de bombeiros é sério né ?

vale o conselho,se vc vai fazer coisas deste tipo, não fotografe nem filme, pois se cai na net, pode explodir do seu lado, quem postou na web e pq  ? colocou num site adulto achando que ninguém do quartel poderia ver ? alias como esta tenente descobriu  isso ?) 

entrevista com SARA WINTER primeira brasileira do FEMEN.

8.fev.2013 – Sara Winter protesta contra o turismo sexual, no aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro

Em entrevista exclusiva ao BOL, Sara Winter, 20, líder do Femen Brasil, movimento feminista que há quase um ano chama atenção do país com protestos de topless, conta que já foi prostituta na adolescência, fala sobre as dificuldades do ativismo com nudez  e ressalta a importância do Dia Internacional da Mulher (8 de Março). “É uma grande conquista para o movimento feminista. Comemoramos com muita alegria, como o nosso feriado”, ressalta. Com 15 mulheres no ativismo, o Femen Brasil, explica Sara, tem uma atuação que vai além das aparições com os seios de fora: “As militantes precisam dedicar sete horas semanais a trabalhos como criação de conteúdo para o site e redes sociais.

É uma forma de mostrar que elas têm cérebro, além de peito”.   As famosas manifestações de topless confrontam o turismo sexual, a exploração sexual de adultos e crianças, a homofobia e a violência doméstica; essa última bandeira Sara levanta com uma motivação pessoal. A jovem conta que sofreu calada às agressões de um namorado quando tinha 18 anos. “Não reagi nem denunciei porque não sabia o que fazer, foram duas vezes. Hoje, várias meninas mandam mensagens para o Femen contando alguns acontecimentos do tipo.

Nós temos advogados que trabalham conosco como voluntários, prestamos assistência jurídica para orientar sobre o que deve ser feito, e também prestamos uma assistência psicológica para ensinar sobre o feminismo – para a mulher não se vitimizar. O mais importante nesse tipo de situação é fazer o B.O., exame de corpo de delito, denunciar, procurar um advogado, procurar grupos de apoio.”

Aos 19, Sara resolveu se articular para criar uma célula do Femen no Brasil: “Fiquei sabendo que o movimento existia na Ucrânia desde 2008, e pensei:  ‘Se tem lá, podemos fazer aqui também’. Era minha forma de levar esclarecimento até a população mais simples. Se o feminismo tivesse chegado até a mim antes, eu nunca teria passado por uma situação de violência”. Os primeiros contatos com as ativistas ucranianas foram feitos pelo Facebook. Após conversas por chat e telefone, Sara foi convidada para participar da Eurocopa (em 2012) para protestar contra a rede de prostituição que se formava em torno do evento esportivo. “Nossa preocupação surgiu porque em volta dos estádios havia vários bordéis, que o próprio governo havia criado para receber os turistas sexuais.”  Orientada pela veterana Alexandra Shevchenko, a jovem mostrou os seios para o mundo pela primeira vez. “

Estava me tornando uma célula do Femen”, conta. Por que o topless? Apesar da militância populista, Sara deixa claro que o Femen não tem políticas pré-definidas. Os seios à mostra, símbolo do movimento, servem como arma de combate. “Nossa ideologia é o sextremismo, uma forma de oposição ao machismo. E a nudez é usada pela sociedade patriarcal desde sempre, a mulher nua ou não vende todo tipo de produto. Já que somos mulheres, ao invés de vender produtos, vendemos ideias sociais. Como todo mundo gosta de olhar o corpo de uma mulher, usamos o nosso corpo para passar uma mensagem escrita no peito, um protesto”, explica. Prostituição Antes mesmo de completar maioridade, Sara entrou para o mundo da prostituição.

Hoje, ela relata a experiência e luta para combater esse tipo de trabalho por acreditar que não se trata de uma escolha. “Eu tinha 17 anos e me prostituí por dinheiro para pagar a faculdade (Sara cursava Relações Internacionais) – foram 10 meses. Acho que eu tenho facilidade para abordar esse assunto por ter tido experiência de causa. O Femen, internacionalmente, entende que a prostituição não é uma escolha. A prostituição é um trabalho temporário, ninguém nasce e fala: ‘Quero ser prostituta quando crescer’. Por isso, acreditamos que a prostituição não pode jamais ser considerada uma escolha, ela é uma consequência de um sistema extremamente falido. E eu fui vítima desse sistema”, lembra.

O machismo no funk carioca Sara Winter acredita que o machismo declarado do funk carioca encontra resposta à altura nas letras de Valesca Popozuda.  “Ela faz um funk feminista, coloca a mulher num papel de protagonista”, avalia.  “Mesmo abordando o sexo de maneira explícita, Valesca se coloca numa posição sexual de vantagem. Portanto, muitas letras são feministas, sim, pois vão de confronto ao funk que subestima a mulher. É uma forma positiva de manifestação porque ela trata a mulher com empoderamento do próprio corpo. O homem não é mais o dominante no sexo. Pela primeira vez, ela insere a mulher nesse contexto. É uma conquista! O que não anula a luta do movimento feminista sobre esse tipo de questão, apenas complementa.”

 

Simpatia ao facismo Antes mesmo de ser um embrião do Femen, Sara foi simpatizante de Plínio Salgado (líder da AIB – Ação Integralista Brasileira), que tem uma linha considerada facista, e também se comunicava com outros movimentos neonazistas. A jovem lembra dessa fase de sua vida e assume que foi um engano ideológico: “Eu me interessava muito por política e  me comunicava via internet com muita gente do Sul do país, que se declarava skinhead. Por isso, acabei ligada a esse tipo de coisa. Mas nunca tive um movimento físico nesse sentido, nem militância, era só simpatizante. Depois, quando eu fiz 17 anos e fui estudar Relações Internacionais, eu entendi que não eram coisas boas. Passei a compreender as linhas políticas: direita e esquerda etc. e fui me desapegando de todas essas ideias. Passei a ler Marx, Voltaire, Russell. Fazia parte das disciplinas de política, sociologia e antropologia na faculdade. Quando comecei a ter contato com essas outras obras, eu percebi que eu preferia as ideias libertárias porque me cativavam mais. Hoje, sou totalmente avessa às ideias com as quais antes eu simpatizava”.

Governo Dilma e aborto Sara não poupa palavras para avaliar criticamente o governo Dilma. “Acho que ter uma mulher no poder supremo no Brasil é como uma ilusão, porque quando a Dilma tomou posse a primeira coisa que ela fez foi engavetar todos os nossos direitos reprodutivos – não falando e não discutindo sobre aborto, por exemplo. Acredito que ela negligencia totalmente essa questão”. A ativista ressalta que o Femen é a favor do aborto em todo e qualquer caso: “Eu gostaria muito que o Brasil seguisse o exemplo do Uruguai tornando o aborto uma prática legal para todas as mulheres. Em primeiro lugar, a criança precisa ser desejada. Temos vários problemas de saúde pública por conta da criminalização do aborto, milhares de mulheres morrem. E é uma situação que não vai acabar nunca, então resolveria se as mulheres pudessem fazer isso com segurança e não em clínicas clandestinas de açougueiros e mercenários e, novamente, é algo que é negligenciado no Brasil por conta de questões religiosas”.

http://noticias.bol.uol.com.br/brasil/2013/03/08/entrevista-com-sara-winter.jhtm  leia a entrevista completa ai.

( antes de meterem o pau, leiam, com a mente aberta ai podem  analisar as atitudes delas

 

REDE GLOBO acobertando um assassino.

A Delegacia de Homicídios procura Pedro Campos acusado de assassinar com dois tiros Pedro Medeiros em um bar de Laranjeiras…

Toda confusão foi registrada pelas cameras do bar e da calçada próxima…

Os dois brigam e Pedro Campos vai embora…

Pedro Medeiros permanece no bar e chama a PM pelo celular…

Uma patrulhinha da Polícia Militar esteve no local por instantes…

Pedro Campos se dirige até sua residencia nas proximidades e retorna com uma arma que desfere dois tiros matando Pedro Medeiros…

Existe vídeo de vários angulos do crime que a DH somente disponibilizou para a Globo dificultando a reprodução exaustiva na Internet que facilitaria a prisão do atirador… 

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2012/03/imagens-mostram-assassinato-de-homem-apos-briga-em-bar-no-rio.html explicando pra vcs a história, o crime aconteceu a 12 dias, as imagens ficaram em poder da rede globo entregues por quem sabe quem,  e só agora foi divulgado.

sendo isso realmente verdade,a GLOBO permitiu que o assassino pudesse até estar fora do RJ, pq as imagens não foram parar na rede no dia seguinte ?, divulgadas a exaustão para que o assassino fosse logo preso ? a GLOBO quer decidir tudo sozinha ? ser a porta voz de todos, quer exclusividade tudo pra si ?)