PF prende suposto grupo terrorista que planejava ataque nas olimpíadas, verdade ou armação ?

© Foto: Reprodução
A mãe do funileiro Vitor Magalhães, preso por suspeita de ligação com o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) nesta quinta-feira (21), declarou que o filho irá provar que é inocente. “Ele não é terrorista”, disse Rosemeire Barbosa, de 45 anos.

Conhecido como Vitor Abdullah, o jovem tem 23 anos, é casado e pai de dois filhos. VItor trabalha com o pai numa oficina de funilaria em Guarulhos, São Paulo.

Os parentes contaram ainda que Vitor se converteu ao islamismo há seis anos e já viajou ao Egito para aprender árabe, ao ganhar uma bolsa de estudos. Depois disso, o jovem voltou ao Brasil e começou a ensinar árabe na internet, usando o canal do Youtube.

“Ele sempre foi um orgulho para mim. Desde que nasceu. Sempre foi muito inteligente e sempre se interessou em aprender outras línguas”, afirmou Rosemeire.

Os pais de Vitor foram surpreendidos por agentes da Polícia Federal na porta de casa e então levaram os agentes até a casa de Vitor. Os pais afirmam que não entenderam o motivo da prisão.

“Ele não deve nada. Ele disse para eu ficar tranquila que ele vai provar sua inocência”, disse Rosemeire. O pai de Magalhães, o também funileiro Francisco Sandoval Magalhães, de 49 anos, também deu declarações sobre o caso. “Para ser sincero, não sei porque ele foi preso. O que o Vitor faz é trabalhar. Ele tem dois filhos para criar. Trabalha e estuda. De repente a polícia vem e pega ele? Não sei de nada de errado que ele faz”, disse.

Os pais choraram ao reconhecer uma foto do filho detido pela PF, sendo levado de avião.

Outras três pessoas foram detidas em cidades de São Paulo e mais seis em diferentes estados.

( estranho né , faltando 14 dias pra esta joça começar anunciam a prisão de suposto grupo terrorista ? isso pra desvir de outros assuntos como a lava jato, quer valer que vão falar de terrorismo até o fim dos jogos ?

agora falar mal de olimpíadas é terrorismo tb ? mas vem cá ? tem provras contra os caras realmente ? ou tudo é armação pra dizer que o BRASIL ta preparado pra combater qualquer ato de terror ? égou mania de EUA agora, importou a paranóia , quer pagar de moderno heim BRASIL.

terceiro mundo, falido, afundado na lama da corrupção e quer dar uma de chique, ah vai se catar BRASIL. )

FRANÇA caça mais suspeitos do atentado ao jornal, mas serão culpados mesmo ?

  • Hayat Boumeddiene, a parceira de Amedy Coulibaly, é o principal alvo da polícia francesaHayat Boumeddiene, a parceira de Amedy Coulibaly, é o principal alvo da polícia francesa

A polícia da França está caçando possíveis cúmplices dos atiradores que mataram 17 pessoas em dois dias de ataques extremistas. As autoridades investigam que tipo de ajuda os suspeitos podem ter recebido de dentro e de fora do país para planejar e financiar os atentados.

O principal alvo é Hayat Boumeddiene, a parceira de Amedy Coulibaly. Ele foi morto quando a polícia invadiu um supermercado em Paris na sexta-feira.

A suspeita teria estado com Coulibaly quando uma policial foi morta na capital. Ela é descrita como “armada e perigosa”.

No outro cerco ocorrido na sexta-feira, dois homens que participaram do ataque à revista “Charlie Hebdo” dois dias antes foram mortos pela polícia.

O presidente François Hollande elogiou as forças policiais, mas fez um alerta sobre a possibilidade de novos ataques.

Ele agradeceu as forças de segurança por sua “bravura e eficiência”, afirmando que a violência desta semana foi “uma tragédia para a nação”.

Hollande afirmou que a ameaça ainda não acabou. “Nós temos que ficar vigilantes. Também peço a vocês que fiquem unidos – essa é a nossa arma”, afirmou ele em pronunciamento à nação.

Cúmplice

François Molins, o procurador chefe da França, disse que as autoridades estão focadas em achar Boumeddiene.

Ela e Coulibaly desapareceram após o assassinato da policial. O suspeito reapareceu na sexta-feira quando invadiu o supermercado Hypercasher, no leste de Paris, mas ela permanece foragida.

O jornal francês “Le Monde” publicou uma série de fotografias que mostrariam Coulibaly com Boumeddiene em 2010. Em uma delas, a mulher de 26 anos aparece usando um véu que cobre todo o seu rosto – peça de vestuário de uso proibido na França – apontando uma besta para a câmera.

O procurador afirmou que a investigação deve se “focar em determinar quem eram os cúmplices, como essas atividades criminosas foram financiadas e nas instruções e ajuda que podem ter sido recebidas de [apoiadores] da França e de outros países”.

Ele disse que 16 pessoas foram detidas para interrogatório até agora, incluindo a mulher de um dos irmãos suspeitos de atacar a “Charlie Hebdo” e outros membros da família deles.

Ato político

O presidente francês elogiou a atuação das forças de segurança nos cercos de sexta-feira.

Ministros franceses se encontrariam na manhã deste sábado para planejar os próximos passos do governo. Eles também planejam realizar um grande comício no centro de Paris no domingo.

O premiê britânico David Cameron, a chanceler (premiê) alemã Angela Merkel e o primeiro-ministro espanhol Mariano Rajoy devem participar do ato.

O presidente americano Barack Obama disse que as agências de inteligência de seu país ajudarão a França a lidar com possíveis novas ameaças.

Enquanto isso, o governo dos Estados Unidos atualizou suas recomendações a viajantes, afirmando que americanos fora dos Estados Unidos devem se manter vigilantes.

Fim dramático

Os dois cercos da polícia a extremistas na França na sexta-feira terminaram de forma dramática. 

O primeiro deles – em Dammartin-en-Goele, a 35 quilômetros de Paris – evolveu os dois irmãos que atacaram a revista “Charlie Hebdo”.

Cherif e Said Kouachi foram mortos quando saíram atirando do prédio onde estavam refugiados. O local estava cercado pela polícia.

Um funcionário feito refém havia sido solto mais cedo pelos suspeitos e um segundo empregado, que estava escondido na lanchonete do edifício, foi libertado pela polícia quando o tiroteio terminou.

Logo depois, as forças de segurança lançaram um ataque contra o supermercado invadido por Coulibaly em Paris. O suspeito foi morto e 15 reféns foram resgatados. Os corpos de quatro vítimas foram encontrados. Elas teriam sido mortas antes da invasão policial.

Vigiados

Autoridades francesas afirmaram que Coulibaly e os irmãos Kouachi já haviam sido identificados previamente. Said Kouachi viajou para o Iêmen em 2010.

Os irmãos estariam ainda em listas de suspeitos da Grã-Bretanha e dos Estados Unidos.

Durante o cerco na sexta-feira em Dammartin-en-Goele, Cherif Kouachi telefonou para uma rede de TV francesa e afirmou que estaria agindo em nome do ramo do Iêmen da rede extremista Al Qaeda (AQAP).

O grupo divulgou na sexta-feira uma mensagem elogiando o ataque, mas logo depois parou de reivindicar a autoria.

Um líder da AQAP, Harith al-Nadhari, afirmou que “os soldados de Deus” ensinaram aos franceses “os limites da liberdade de expressão”.

Também na sexta-feira, por meio de uma ligação telefônica, um homem que alegou ser Coulibaly ameaçou matar reféns se a polícia invadisse o local onde os irmãos estavam refugiados.

As autoridades investigam ainda centenas de telefonemas que teriam sido realizados entre os dois grupos de extremistas nos meses anteriores ao ataque.

O premiê francês Manuel Valls afirmou que houve “uma falha clara” da inteligência francesa.

“O fato de 17 pessoas morrerem mostra que erros foram cometidos”, afirmou.

( agora vai virar caçada pra todo  lado , o que precisa ser evitado é o aproveitamento da direita radical e conservadora que vai usar este atentado pra caçar todo tipo de imigrante que se atrever a tentar entrar em solo europeu.

e tentar expulsar quem já entrou e trabalha tentando sobreviver e principalmente contra os muçulmanos que nada tem a ver com radicais.

se tem mais gente envolvida que sejam todos exemplarmente caçados, se bem que podem culpar qualquer um nestas alturas, alguém acha que da pra confiar em autoridades ?

garoto JOAQUIM PONTE MARQUES, corpo dele foi achado em rio da cidade.

O corpo do garoto Joaquim Ponte Marques, 3, desaparecido desde a última terça-feira (5) em Ribeirão Preto (a 313 km de São Paulo) foi encontrado no início da tarde deste domingo (10) no rio Pardo.

O corpo foi achado a 150 quilômetros de Ribeirão Preto.

Uma das hipóteses levantadas pela Polícia Civil é que ele tenha sido atirado no córrego Tanquinho, que fica a 200 metros da casa da família de Joaquim e, de lá, tenha sido levado até o ribeirão Preto, que é afluente do Pardo.

Segundo o diretor do Deinter-3 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior), João Osinski Junior, o reconhecimento do corpo no IML (Instituto Médico Legal) de Barretos foi feito na tarde deste domingo pela mãe de Joaquim, Natália Mingoni Ponte, o pai, Arthur Paes, e o avô materno da criança.

O corpo de Joaquim foi achado pelo dono de uma propriedade rural da cidade, que avisou o Corpo de Bombeiros.

  Reprodução  
O menino Joaquim Ponte Marques, 3, que estava desaparecido desde a última terça-feira (5) em Ribeirão Preto (SP)
O menino Joaquim Ponte Marques, 3, que estava desaparecido desde a última terça-feira (5) em Ribeirão Preto (SP)

A polícia e o Ministério Público veem indícios da participação de Natália e do padrasto do garoto, Guilherme Raymo Longo, no caso. Ambos negam.

No dia seguinte ao desaparecimento, a polícia pediu a prisão temporária do casal, mas a Justiça negou o pedido, sob a alegação de que eles ajudavam na investigação do caso.

De acordo com o delegado Paulo Henrique Martins de Castro, da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Ribeirão e responsável pelo caso, o pedido foi feito para “auxiliar nas investigações” e porque havia contradições nos depoimentos de Natália e de Guilherme.

O desaparecimento do garoto gerou comoção na cidade e uma campanha feita nas redes sociais por celebridades como a apresentadora Angélica, a atriz Carolina Dieckman e a cantora Ivete Sangalo.

O SUMIÇO

Joaquim estava desaparecido desde a última terça-feira. A mãe disse à polícia ter notado o sumiço às 7h.

Desde então, policiais e o Corpo de Bombeiros fizeram buscas em toda a cidade, sem sucesso. O pai de Joaquim também fez panfletagem com amigos e voluntários todos os dias.

O Corpo de Bombeiros chegou a percorrer 20 quilômetros no córrego, no ribeirão e no próprio rio, em busca do garoto.

Nos últimos dois dias, a Polícia Civil e o Ministério Público buscavam indícios para formular um novo pedido de prisão temporária do casal, que pode ser apresentado nesta segunda-feira (11). ( toda possibilifdade precisa ser cuidadosamente investigada pra não gerar duvidas, o casal é culpado, somente o padrasto, haveria uma terceira pessoa ?

dividas de drógas, um traficante poderia ter dado fim no garoto ? mais fácil e copmodo terem matado o padrasto que seria viciado, a mãe psicóloga que acolhe um tipo destes em sua casa .

não vale ir na comoção e pressa pra resolver tudo nas coxas, policial deve ser policial nestas horas e não se deixar levar. )

caso TAYNÁ ADRIANE DA SILVA, não foi achado sêmen dos suspeitos no corpo dela.

Tayná Adriane da Silva, 14: polícia ainda não sabe se libertará suspeitos

Tayná Adriane da Silva, 14: polícia ainda não sabe se libertará suspeitos

O sêmen encontrado nas roupas da adolescente Tayná Adriane da Silva, 14, encontrada morta no último dia 28 em Colombo, região metropolitana de Curitiba, não é de nenhum dos quatro suspeitos presos, informou nesta terça-feira (9) a Secretaria de Segurança Pública do Paraná.

Segundo a polícia, eles teriam confessado que estupraram e mataram a garota. Os quatro participaram, inclusive, das buscas pelo corpo da garota. Os suspeitos são funcionários de um parque de diversões instalado na cidade –que foi queimado por moradores, revoltados com o caso, após a divulgação da prisão dos suspeitos.

A cúpula da Segurança Pública não informou se os quatros serão, agora inocentados, ou se permanecerão presos.

Cid Vasques, secretário de Segurança Pública, está reunido, na manhã desta terça, com os delegados Agenor Salgado, chefe da Divisão Metropolitana da Polícia Civil, Fabio Amaro, responsável pela investigação, e Silvan Pereira, que prendeu os suspeitos e afirmou que eles confessaram o crime. O MP (Ministério Público) também participa da reunião.

Ao chegar à reunião, Salgado disse que pode ter havido “erro da polícia”, mas disse acreditar no envolvimento dos suspeitos.

Também participa da reunião a perita Jussara Joeckel, do IC (Instituto de Criminalística), responsável pela análise do local onde o corpo de Tayná foi encontrado. Na semana passada, ela já dissera que não havia sinais de estupro, pela maneira como a garota estava vestida.

A afirmação foi desautorizada por Amaro, que, na sexta-feira (5), reafirmou convicção na culpa dos suspeitos e que eles haviam confessado os crimes. Na chegada à reunião, Jussara reafirmou que não vê indícios de abuso sexual.

“Não há marcas de estupro ou abuso, nem fissuras”, falou, a jornalistas presentes ao local. No entanto, ela afirmou que havia sêmen nas roupas da menina.

Apesar disso, e a partir de alegados depoimentos dos suspeitos, os delegados chegaram a revelar à imprensa detalhes de como os estupros teriam sido cometidos.( isso pode ser resultado de má investigação, ou intenção de acusar mesmo a qualquer custo só pra resolver logo o caso, afinal os quatro são pobres.

sob ameaça de colocarem drogas na casa da esposa ou de parentes e pau de arara, qualquer um confessa , pode ser isso não ? o jeito é uma investigação mais detalhada e completa, mas a policia da cidade já está comprometida, então de haver investigação de outras áreas.)