comércio enfia a faca dos preços altos na gringaiada da copa

‘Paguei R$ 15 em uma caipirinha e achei o Metrô caro’, disse um torcedor russo / Mauricio Maranhao/Diario SP

Uma dose de tequila por R$ 24, latas de cerveja a R$ 5, uma vaga em quarto comunitário de hostel por R$ 110 a diária e uma corrida de táxi da Vila Madalena à Paulista por US$ 20 (ou R$ 44,60). Esses são alguns dos preços que turistas estrangeiros relataram ter pago nos seus dias de estadia na capital para os jogos da Copa.

A impressão que fica ao conversar com eles é que os preços inflaram com o Mundial. E quem mais é prejudicado pela política de aumento de preços são os estrangeiros, que não estão acostumados com o custo de vida no país e não têm como verificar se o preço é exagerado ou não. Para evitar abusos, o Procon-SP lançou um site e uma cartilha que contêm recomendações (veja mais abaixo).

“Achei tudo aqui muito caro. A gente deu sorte de ficar na casa de um amigo em São Paulo, porque sei que iríamos gastar muito”, disse a equatoriana e professora de inglês Alexandra Moran, de 47 anos. Pesquisando na internet, ela viu que Brasília tem o custo de vida parecido com São Paulo. Na capital brasileira ela gastou US$ 1 mil pelo aluguel de uma casa por três dias. “Graças a Deus temos um conhecido em São Paulo. O custo de uma viagem para cá está mais alto do que ir à Europa ou Estados Unidos”, afirmou.

O mexicano Miguel Ángel Gutiérrez, de 43 anos, que mora na Cidade do México, foi à Vila Madalena para assistir ao jogo do Brasil e decidiu tomar uma tequila. Quase passou mal, mas não foi pela qualidade da bebida e sim pelo preço dela: R$ 24. “Para beber aqui em São Paulo a gente gasta bastante dinheiro. Já gastei uns R$ 300 só nisso em três dias”, conta Gutiérrez.

O colombiano Álvaro Pajaro Rada, de 48 anos, veio com um colega e com o filho, Johan, de 16, para assistir a todos os jogos da Colômbia. Anteontem, eles foram à Fifa Fan Fest e ficaram impressionados com os preços da cerveja. “Uma lata pequena custava R$ 5. E a gente até saiu da área reservada do evento para tentar comprar fora, em um bar, mas todos os bares dos arredores cobravam a mesma coisa.”

Procon-SP lança cartilha e site para visitantes durante a Copa

A Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria Estadual da Justiça e da Defesa da Cidadania, lançou na manhã de ontem  o hotsite Procon na Copa e a cartilha “Direitos do Consumidor Turista”.

O hotsite Procon na Copa (www.procon.sp.gov.br/proconnacopa) tem como finalidade atender às demandas dos turistas, tais como bagagens extraviadas, problemas com transporte, queixas sobre hospedagem, alimentação ou telefonia, dúvidas com segurança e operações bancárias e demais imprevistos que possam importunar o consumidor turista.

A cartilha é um guia de 200 páginas com todas as informações para o consumidor turista, desenvolvido em português, inglês e espanhol. Também serão distribuídos panfletos em aeroportos, rodoviárias e hotéis da capital e das cidades que receberão seleções, com QR Code que dará acesso à cartilha. Os coordenadores dos Procons das cidades que receberão delegações participantes da Copa também participaram de capacitações específicas para o Mundial.

( ah mas tb quem mandou virem pra cá ? brasileiro enfia a faca mesmo até o talo, e não é apenas na copa, todo feriadão, quando os manés brazukas  sofrem pra chegar na praia , encontram preços altos tb)

FIFA retira da net cartilha que falava mal do BRASIL, falava a verdade oras

  • Fan Fests devem resultar em ainda mais gastos aos cofres públicos

     

  • Após algumas críticas relacionadas aos atrasos das obras e organização da Copa do Mundo, foi a vez do povo brasileiro ser atacado pela Fifa. Através de uma cartilha publicada na Fifa Weekly, revista semanal da entidade, os turistas que virão para o país durante a competição foram alertados sobre algumas preocupações que deverão ter enquanto permanecerem no Brasil.
Em formas de conselho, a revista, intitulada “Brasil para principiantes”, traz uma série de precauções quanto a estadia dos turistas no país. Contato físico, paciência e fila foram alguns dos tópicos abordaods pela publicação.Até às 23 horas desta sexta-feira (21), ainda era possível encontrar a revista no ar. Após reclamações, a entidade resolveu remover a edição do ar.

Confira os dez ítens da cartilha

1. Sim nem sempre significa sim
Os brasileiros são otimistas e nunca começam uma frase com a palavra “não”. Para eles, “sim” significa na realidade ‘talvez”. Quando disserem “Sim, eu te ligo”, é melhor que não espere que o telefone toque nos próximos cinco minutos.

2. Horário flexível
A pontualidade é um conceito muito flexível no Brasil. Quando marcar com alguém, ninguém espera que estará no lugar combinado na hora exata. O normal é contar com uns 15 minutos de atraso.

3. Contato físico
Os brasileiros e as brasileiras não estão familiarizados com o costume da Europa de manter distância como norma de cortesia e conduta. Eles falam com as mãos e não evitam de tocar o interlocutor. Isso pode facilmente se transformar em um beijo se a conversa estiver ocorrendo em uma discoteca, por exemplo.

4. Fazer fila
A paciência na hora de esperar não é uma das principais virtudes dos brasileiros. Por exemplo, não existe uma “fila mecânica” como na Inglaterra. Os brasileiros preferem ser inteligentes, sempre se arranjando para chegar na frente.

5. Moderação
Quem se animar a ir a uma churrascaria, deverá praticar jejum de 12 horas e maneirar na hora de comer, já que as melhores carnes chegam na parte final.

6. A lei do mais forte
A regra que dá direito à preferência dos carros no trânsito é simples: o veículo maior passa na frente.

7. Proibido fazer topless
A imagem das mulheres com pouca roupa, tão típica no carnaval, pode ser enganosa e é diferente da realidade. É certo que os biquínis brasileiros têm menos pano que os europeus, mas as brasileiras nunca os tiram na praia, onde fazer topless é proibido e pode resultar em prisão.

8. A língua espanhola não vale
Os turistas que tentarem se comunicar em espanhol terão a sensação de estar falando com as paredes. A língua nacional do país é o “brasileiro”, uma variável do português. Quem falar que Buenos Aires é a capital do Brasil, pode estar seguro de que será deportado imediatamente.

9. Experimentar o ‘açaí’
As bacias da Amazônia fazem maravilhas: previnem as rugas e têm o mesmo efeito de uma bebida energética. Algumas mordidas podem recuperar o jogador de futebol mais cansado.

10. Paciência
No Brasil é muito comum fazer as coisas no último minuto. A recomendação aos turistas é que tenham muita paciência. No final, tudo estará pronto a tempo. Isso pode ser aplicado aos estádios. A filosofia dos brasileiros na vida pode ser resumida com a seguinte frase: “relaxa e aproveita.”

( primeiramente se o turista vem atras de mulher, drogas em geral, não é principiante e já conhece  como funciona tudo aqui não conhece gente ? quantos de primeira viagem realmente virão aqui ?, e quantos veteranos virão ?  por acaso a FIFA sabe , pra bolar esta cartilha ?
e a cartilha falou alguma mentira ? aqui é assim mesmo, la fora tb, vc que é brasileiro, que já foi lá fora nunca sentiu malandragem gringa  pra cima de vc ? ou vc acha que malandragem é exclusividade nossa ?
mas tiveram de retirar do ar, devido ao  mi,mi,mi  dos politicamente curretos , da pressão do coitadismo, que insistem  impor aqui  , temos malandragem si, gente que quer fazer de tudo pra lucrar algum com a copa, só os verdadeiramente honestos que que não vão ganhar nada.)