motorista invade casa do cidadão em SOROCABA, botou a culpa numa moto fantasma.

Imagens captadas pelo Centro de Operações e Inteligência (COI) da Guarda Civil Municipal (GCM) flagraram o momento em que a motorista de um Chevrolet Astra Branco invadiu a Casa do Cidadão, situada na avenida Nogueira Padilha, na madrugada desta quarta-feira (24). Com o impacto, as duas portas de vidro se estilhaçaram e parte dos móveis que estavam no interior do prédio público ficaram danificados.
Segundo a GCM, após o acidente, a motorista, de 28 anos, fugiu do local, deixando o para-choque dianteiro e uma das placas do carro dentro da Casa do Cidadão, o que facilitou a identificação da motorista.
Após consulta pela placa do veículo, foi constatado que a mulher reside em Votorantim. Em seguida, ela foi localizada com o carro. De acordo com o guarda Antonio Nóbrega, a mulher relatou que foi fechada por uma moto e, por isso, teria perdido o controle do veículo. A justificativa dada, no entanto, não condiz com as imagens do COI. Após ser identificada, a motorista foi encaminhada ao Hospital Regional de Sorocaba, já que apresentava ferimentos no rosto e no peito.
Por conta das portas de vidro estilhaçadas e dos móveis danificados, a Casa do Cidadão permaneceu fechada até às 13h30 – horário em que reabriu – para reparos. Tapumes irão substituir, provisoriamente, as portas de vidro do local. 
O caso foi apresentado no Plantão Policial Sul, que elaborou boletim de ocorrência por fuga de local de acidente, conforme estabelece o Código de Trânsito Brasileiro (CTB).
 
 
 
 
( pois é ou bebeu, ou tava correndo demais, ai poem a culpa num carro ou moto fantasma que só ela teria visto, são as desculpas de praxe.

VOTORANTIM pode proibir os fogos de artifício, mas e a clandestinidade ?

O uso de fogos de artifício, sinalizadores, shows pirotécnicos com produtos inflamáveis em teatro, bares, boates, auditórios, campos de futebol, clubes e locais cobertos destinados a eventos deve ser proibido em Votorantim. Pelo menos é isso o que quer o vereador Eric Romero (PPS), que teve seu projeto aprovado na Câmara.

“A finalidade desta proposta é evitar tragédias como a ocorrida na casa de shows de  Santa Maria [cidade do Rio Grande do Sul] e a morte do garoto 14 anos que foi atingido no rosto por um sinalizador enquanto assistia uma partida de futebol, na Bolívia”, justifica o parlamentar. “Essas são situações que podem acontecer em qualquer localidade, inclusive em Votorantim”, complementa.

Ainda segundo Eric Romero, durante o jogo entre o Floresta e a Vila Garcia adolescentes utilizavam fogos de artifícios sem nenhum tipo de cuidado ou orientação, colocando em risco vida de outros participantes do evento. “Nossa intenção é coibir atitudes como estas e controlar a utilização desses artifícios”, acrescenta.

O parlamentar do PPS também ressaltou sobre a importância de promover a prevenção e a segurança em diversos eventos da cidade.

Além disso, continua ele, as regras devem  ser aplicadas também aos palcos existentes ou montados ao ar livre quando houver a realização de eventos que não tenham as devidas certidões de aprovação dos órgãos competentes, especialmente do Corpo de Bombeiros.

MULTA /Após sancionado pelo prefeito Erinaldo Alves da Silva (PSDB) e publicado no Diário Oficial, a lei prevê que os infratores responsáveis pelo evento e o proprietário do imóvel particular sofrerão algumas penalidades, incluindo a multa de 400 UFM’s (Unidades Fiscais do Município) que, atualmente,  equivalem R$ 1.232,88.

Em caso de reincidência o valor da infração será  dobrado, podendo ser interditada da  atividade e o fechamento do estabelecimento ou a cassação do alvará de autorização ou de licença.

MAIS

Projeto começou a ser discutido em fevereiro
O autor do projeto, vereador Eric Romero (PPS), apresentou a proposta em fevereiro, mas houve a necessidade de acrescentar uma emenda para que o projeto cumpra sua finalidade, ou seja, após a sanção do projeto pelo executivo, a lei entrará em vigor em 45 dias após sua publicação oficial.

Para a festa junina fogos são permitidos
No caso da tradicional Festa Junina de Votorantim não será impedido de utilizar os fogos, “pois os artifícios são manipulados por profissionais que obtém todos os requisitos exigidos pelos órgãos competentes, incluindo o Ministério da Defesa e o Corpo de Bombeiros”, esclarece Eric Romero.( melhora em partes, mas e a venda pra qualquer pessoa, o cara poderia comprar quantos fogos , se controlar ai apareçem os clandestinos que vendem o quanto a pessoa quiser.

como evitar isso ? o projeto é bom, SOROCABA tem de copiar.)

policia prende traficante que abastecia ZONA LESTE DE SOROCABA.

Policiais apreenderam drogas e armas na chácara do traficante – Por: Emídio Marques
( clique aqui e veja a foto do chefe da quadrilha, se vc sabe de mais podres dele, aproveite e denuncie)
Uma chácara com piscina cercada de muros e uma caminhonete Toyota Hilux na garagem. Era assim que vivia o acusado de chefiar o tráfico de droga nas Vilas João Romão, Zacarias e Sabiá, na zona leste de Sorocaba e próximos à divisa com Votorantim. Emerson José Rodrigues Correia, conhecido como “Verme”, 37 anos, foi preso ontem de manhã na chácara que fica no bairros dos Morros, em Votorantim, a cinco quilômetros da área urbana, em área de difícil acesso por estradas de terra. Houve apreensão de seis quilos de crack e duas armas: uma pistola calibre 380 e um revólver 38.

Policiais militares da Força Tática de Sorocaba prenderam Emerson e mais dois homens e uma mulher. Um rapaz limpava a piscina no momento em que os PMs chegaram à chácara. Levou um susto. O patrão foi à Delegacia Central de Votorantim e declarou que ele tinha ido à chácara a trabalho, portanto não participava da quadrilha. De acordo com o tenente Rodrigo Carneiro, já se sabia que Emerson comandava o tráfico nessa região da cidade. Ele é ligado à facção Primeiro Comando da Capital (PCC) e costumava fazer reuniões na chácara, onde também foram presos Vinícius Felipe Ribeiro Rodrigues, 19, e Alex Sandro Domingues, 25.

 

Informações do Disque Denúncia (181) e que chegaram diretamente à PM (190) ajudaram a localizar a primeira chácara, também no bairro dos Morros, onde foi presa Cintia da Silva, 19. Ela tinha cinco tijolos de crack e o revólver. Os policiais foram então à chácara de Emerson. Houve apoio do helicóptero Águia, para mapeamento da área e eventual fuga dos traficantes, e de cães do canil da PM, para farejar pontos da propriedade onde poderia ter mais droga escondida. 

Os três embalavam o crack em porções pequenas, com papel alumínio, que seriam distribuídas nas “bocas” das Vilas João Romão, Zacarias e Sabiá. Na chácara de Emerson a polícia achou mais um quilo de crack e a pistola. O lugar era usado para preparação da droga e também reuniões do grupo, com churrasco e cerveja. O terceiro endereço foi uma casa na rua Aldo Belentani, próxima à passarela da Vila Zacarias, na margem da Raposo Tavares. O imóvel estava vazio, mas era ponto de venda de crack. No local foram apreendidas 816 pedras da droga.

As Vilas João Romão, Zacarias e Sabiá ficam em morros e o relevo se parece com o das favelas cariocas. Há ruas estreitas e sinuosas. A dinâmica do tráfico também é semelhante. Muitos viciados ou usuários vão de carro ou motocicleta para comprar droga. O acesso é fácil pela rodovia, que tem tráfego intenso. Nas entradas e em partes mais altas existem “olheiros”, que pelo celular ou rádio avisam da chegada da polícia. O tráfico é então interrompido temporariamente, mas volta a ocorrer quando a área fica “limpa”.

 (  o traficante tem de começar a ser quebrado de baixo, acabar com esta coisa de DE MENOR, fez besteira ? cadeia e pronto.

e mandar a policia revistar todo mundo, pode ser mulher, di menor, não interessa, ta na rua em atutude estranha ? vai pra revista e pronto e não vem chiar que foi homem que lhe passou a mão.

e notaram que o traficante vivia bem ? e o usuário como sempre na miséria.)

pai encontra armas com filha de 14 anos e chama a policia em VOTORANTIM

O pai da adolescente conta que não se arrependeu da atitude e que só pensou em proteger a filha caçula O pai da adolescente conta que não se arrependeu da atitude e que só pensou em proteger a filha caçula

A Polícia Militar de Votorantim recebeu uma chamada rara em  23 de agosto. Por volta das 18h, um pedreiro entrou no quarto da filha de 14 anos para efetuar reparos na instalação elétrica. Sobre o guarda-roupa, ele encontrou uma caixa com três armas de fogo: duas mini-garruchas calibre 22 e uma mini-pistola calibre 6,35.

Apesar dos apelos da filha, ele não pensou duas vezes e acionou os policiais, que foram à residência, na Vila Garcia, para apreender o armamento.

“Minha filha gritava, falava que era para entregar a arma a ela, que estava sendo  guardada para um traficante. Mesmo assim, chamei a PM e entreguei tudo”, conta, informando que neste dia a garota saiu de casa e passou a noite fora, retornando em seguida.

A menina  já cometeu um ato infracional há dois  anos, enquanto estava entre amigos “brincando” com uma arma de fogo que pertencia ao mesmo traficante. A jovem disparou acidentalmente, matando uma criança de 12 anos. A menina, então,   passou seis meses na Fundação Casa (Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente). Para o pedreiro, nenhum pai deve acobertar os erros dos filhos. “Quem ama educa”, afirma.

Entre nós / O delegado da Infância e Juventude de Sorocaba, José Augusto Pupin, afirma que é muito comum a atuação de menores de 18 anos no mundo do crime. “É uma escalada, pois ninguém começa roubando um banco. Este processo acontece aos poucos”, diz.

Segundo ele, neste momento a família tem um papel fundamental para recuperar os menores. “Os pais e familiares têm de impor limites”, afirma.

A ideia de que a lei não  atinge os menores seria um dos grandes incentivos para que crianças e adolescentes acabem seduzidos pela criminalidade. “Eles são peças de fácil reposição e acabam pagando sozinhos pelos crimes”, explica.

A lei nº 8069/90 prevê que crimes cometidos por pessoas com idade inferior a 18 anos são considerados atos infracionais e que são passíveis de internação na Fundação Casa. “Dou parabéns a este pai que demonstrou que ama sua filha e deseja que ela saia do caminho do mal”, conclui Pupin.

Jovem é baleado na cabeça

Além de ser mais um instrumento dentro do organismo do tráfico de drogas, a facilidade de acesso a armas de fogo também pode estar associada à prática de homicídios e crimes contra a vida. Não existe regra, já que não é possível afirmar que toda arma obtida de forma irregular seja usada para matar ou ferir alguém. Mas certamente é um facilitador que provoca ocorrências como a registrada na noite desta quarta-feira (28), quando  Wesley Gussonato, 24 anos, foi baleado no bairro Novo Horizonte.

De acordo com as informações da Polícia Civil, a vítima levou dois tiros na cabeça e foi encontrado em uma rua do bairro.  O socorro médico foi acionado e a vítima levada ao  Hospital Regional, onde permanece internada em estado grave e corre risco de morte.

26
armas brancas foram apreendidas em toda a cidade  no período de janeiro a julho de 2011

Tráfico reflete no índice de apreensão de armas
Apesar do bairro Nova Esperança concentrar o maior volume de  ocorrências, não há necessariamente reflexos da violência no local

Segundo levantamento da Polícia Militar, o Jardim Nova Esperança, zona oeste de Sorocaba, apresenta o maior número de armas apreendidas na cidade que, ao todo, somaram 124 até julho deste ano.

O bairro é patrulhado pela 5ª Companhia da Polícia Militar e apresentaria um dos maiores índices de prisões por tráfico de drogas, junto do  Mineirão.

Muitas pessoas estariam indo aos bairros para adquirir entorpecentes. “Isso reflete na quantidade de armas e drogas apreendidas no local”, afirma o capitão da 5 ª Companhia da Polícia Militar, Fernando Agrella. As armas são usadas para trocar com as drogas.

A criminalidade entre adolescentes também cresceu. “Durante as prisões, notamos muitos adolescentes envolvidos com a venda de entorpecentes ”, relata o capitão.

Para ele, o exemplo do caso de Votorantim mostra que as mulheres estão se envolvendo cada vez mais com a criminalidade.

Com a população / O capitão da 5 ª Companhia diz que a contribuição da população é fundamental para reduzir o número de crimes. “Liguem para o 190 e 181, é grátis e o anonimato é garantido”, conclui. Os serviços funcionam 24h em todos os dias da semana.( proteger a filha ? ela ja teve em cana, 6 meses de fundaçãocasas, não serviarm pra nada nesa maldita mania de DIMENOR, e agora JOSE ?

o traficante é capaz de matar o pai e a infeliz ainda fugir com ele, este homem ta com sangue ruim em casa, esta porcaria de DIMENOR ta acabando com o pais, ela tinha de ser apreendida e ficar uns bons anos na fundação.)