di menor foge da STA CASA e agita zona oeste de SOROCABA numa caçada humana

O adolescente fugiu da Santa Casa de Sorocaba e tentou entrar na escola Senador Vergueiro – Cortesia/Amanda Rafaela

Mais fotos…

Um adolescente, que estava internado na Fundação Casa, fugiu manhã de ontem, após ser levado à Santa Casa de Misericórdia de Sorocaba, onde passaria por um exame clínico, depois de ter se queixado de dores. E provocou uma verdadeira caçada pela cidade, que só terminou à tarde.
 
De acordo com informações da Polícia Militar, o jovem, que não teve a idade revelada,  aproveitou que os agentes responsáveis por ele se distraíram e saiu correndo do hospital, ainda algemado e invadiu a Escola Estadual Senador Vergueiro, que fica na Vila Hortência.
 
A invasão do rapaz deixou alunos e professores em pânico. Ele voltou a fugir, mas, mesmo assim,  a direção da escola só liberou os estudantes com a presença de seus responsáveis. Já os alunos do período da tarde, foram aconselhados a entrar imediatamente para unidade, que permaneceu trancada e sob vigilância durante todo o dia.
 
Segundo a PM, todos os moradores dos bairros que cercam a Santa Casa foram alertados: a polícia solicitou que todos ficassem de portas e janelas trancadas, para evitar uma invasão.
 
Para capturar o adolescente, a PM contou com a ajuda do helicóptero Águia, e ele só foi achado no fim da tarde em uma casa na rua Teodoro Kaisel, onde tentou se esconder.
( imagina, coitadinho, ele só queria dar uma volta pelas ruas, tava com saudades, esticar as canelas.
é mais um incompreendido no sistema.) 

bandido louco ao volante de uma carreta causa destruição na zona oeste de SOROCABA

Com carreta roubada, homem mata um e acerta casas em Sorocaba (Foto: Júlio Leite)

Uma viatura da PM foi atingida pelo caminhão (Foto: Júlio Leite)

Com carreta roubada, homem mata um e acerta casas em Sorocaba (Foto: Júlio Leite)
casa atingida pelo canalha.

Um homem provocou diversos acidentes na noite desta terça-feira (4), em Sorocaba (SP), enquanto dirigia uma carreta por vários bairros da Zona Oeste da cidade. Segundo informações da Polícia Militar, por volta das 22h30, o caminhoneiro atropelou um motociclista no Jardim Nova Esperança e fugiu sem prestar socorro.
Ainda de com a polícia, o pai do motociclista perseguiu o caminhoneiro e, no Jardim Simus, conseguiu parar a carreta. Na discussão, o pai do motociclista tentou tirar o caminhoneiro do veículo e acabou morto prensado contra o muro de uma casa do bairro, que teve a parede destruída.
Em seguida, a Polícia Militar tentou conter o caminhoneiro, que avançou sobre o policiamento e cabou passando por uma viatura, que ficou destruída. Além disso, o homem com a carreta ainda destruiu mais duas casas do Jardim Simus, na Viela das Rosas.
Durante a fuga, pela avenida Américo Figueiredo, o motorista teria provocado mais destruições, próximo à sede da 1ª Companhia da Polícia Militar. E, ainda, postes de energia elétrica teriam sido derrubados no bairro Júlio de Mesquita.
O caminhoneiro só foi parar o veículo no Jardim Santa Bárbara, onde o motorista foi detido e levado ao Plantão Policial para prestar depoimento.
Com carreta roubada, homem mata um e acerta casas em Sorocaba (Foto: Rafael Sarti)
Caminhão foi encontrado abandonado no bairro Júlio de Mesquita
Com carreta roubada, homem mata um e acerta casas em Sorocaba (Foto: Rafael Sarti)
Segundo a polícia, uma pessoa morreu atropelada durante a fuga (Foto: Rafael Sarti)
Com carreta roubada, homem mata um e acerta casas em Sorocaba (Foto: Rafael Sarti)
Postes e casas ficaram destruídos por onde caminhão passou
(Foto: Rafael Sarti)
 ( mais fotos e mais detalhes da tragédia vc vê ai no link)



( passei na rua  aqui no JULIO DE MESQUITA FILHO,  e ai está a CPFL fazendo os reparos na rede elétrica, passei ai na rua ontem  a noite as 22:05 momentos aós ter ocorrido a baderna,a rua se luz, o poste destruido, até esbarrei num fio, felizmente sem risco de choque, agora esperemos que o canalha, safado, bandido, FDP, responda pelo que fez, não venha direitos dos manos querer soltar o cara pra responder em liberdade.)

UPH ZONA OESTE e NORTE, a chaleira ta fervendo e ninguém ta nem ai.

Pacientes na Unidade Pré Hospitalar (UPH) Zona Oeste, na avenida General Carneiro, invadiram consultórios à procura de médicos, devido à demora ontem à tarde no atendimento. A reclamação era de que não havia profissionais para atender desde as 8h, ao passo que pessoas saíam carregadas do local, após esperar mais de seis horas na fila. Também teve críticas aos funcionários da UPH, acusados de debochar das reivindicações dos pacientes. 

A Secretaria da Saúde de Sorocaba (SES) alegou que a escala de médicos da unidade estava completa de manhã e à tarde – cinco clínicos e três pediatras – e que não era para haver “intercorrências que trouxessem prejuízo aos usuários”. Porém, reconheceu que, por cerca de duas horas, os atendimentos ficaram parados, que o movimento esteve acima do normal. O órgão vai apurar o que aconteceu.

A dona de casa Maria Tereza Camargo, 63 anos, sofre de diabetes e pressão alta e precisa de aplicação de insulina duas vezes ao dia. Levou à UPH o neto que estava doente, mas à tarde estava decepcionada com a demora: “Estou aqui desde 10h e até agora não fui atendida como um monte de gente aqui. É um absurdo.” A vendedora Fátima Caruso, 53, chegou no mesmo horário e não se conformava com a situação. Era um dos pacientes que entraram nos consultórios para procurar pelos médicos e tirar satisfações com o coordenador da unidade, que, segundo ela, não quis atender o grupo. A situação, apontou, começou a ser normalizada após as 14h30.

Outro paciente revoltado era o jardineiro Aderson Luiz de Souza, 31. Tinha dor de dente e febre, e disse que houve atendimentos para pessoas que não estavam na fila, desrespeitando a ordem de espera. Já a funcionária pública Letícia Padovan, 17, que sofre de problemas no coração, esbravejava: “Quem está atendendo lá não é médico, não há ninguém atendendo que seja médico de verdade.” “Tem sido assim direto, os atendentes ficam tirando sarro da gente, eles fingem que estão trabalhando, mas estão nos sacaneando”, complementou a vendedora Isilda Patrícia, 42, ressaltando que o problema persiste desde o início do ano. 

Conforme a SES, na UPH Zona Oeste são atendidos em média 600 pacientes por dia. Das 7h às 13h de ontem, foram 350 (fora o setor de pediatria, cujo fluxo de atendimento estava normal). “Todos os casos de urgência e emergência foram prontamente atendidos.” Para minimizar o problema, divulgou, o resultado do concurso público para contratação de médicos deve sair nos próximos dias. Os aprovados serão chamados para assumir o cargo em agosto. Com isso, a SES quer reforçar a equipe e espera solucionar ou minimizar problemas do tipo.

“O governo e a prefeitura bem que poderiam permitir o convênio com as universidades para que os alunos possam trabalhar, pois há bastante médico que se forma e pode atender a população. Não adianta tapar o sol com a peneira. Os responsáveis sempre se escondem”, opinou o estudante de medicina André Castanho, 24, mais um na fila de espera naquela ocasião.( como o quartel da policia fica ali pertinho, estão esperando um quebra quebra geral, ai cada um se tranca na sua sala e espera a policia chegar pra conter os revoltosos.

deve ser isso.)

e na zona norte

No domingo, dois irmãos de 18 e 23 anos foram parar no Plantão Policial Norte após destruírem a porta de um dos consultórios e um banheiro na UPH (Unidade de Pré-Hospitalar)  da Zona Norte. Segundo dados registrados no boletim de ocorrência, um deles justificou a depredação dizendo que achou que o irmão não estava sendo bem atendido.

Na tarde de ontem, um ato de indignação semelhante ocorreu na UPH  da Zona Oeste. Na ocasião,  o jardineiro Anderson Luiz dos Santos, 31, deu murros numa das mesas da unidade de saúde para ser atendido. “Fiquei com muita raiva quando percebi que estavam passando pessoas na minha frente”, diz.

Ao lado dele estava a vendedora Fátima Caruso, 53, que saiu da zona norte para buscar atendimento na área oeste. “Achei que lá [na zona norte] estava ruim, mas aqui está pior. Pagamos nossos impostos e não temos atendimento”, desabafa, acrescentando  que estava na UPH Oeste há sete horas. 

O jardineiro reclamava de  dor e inflamação no rosto. Após perder a paciência,  foi atendido. “Tô saindo com a mesma dor que entrei, sem nenhuma injeção e com uma receita. Vou ter de comprar os remédios.” 
Já a  vendedora disse que apenas um coordenador estava atendendo. “Muita gente desistiu e foi para casa. A saúde em Sorocaba é uma vergonha.”

opinião: Jefferson Delfino -presidente da Sociedade Médica de Sorocaba
Violência coloca profissionais da área da saúde em risco

São cada vez mais frequentes as agressões sofridas pelos servidores da saúde. O que não parece frequente é que o administrador enxergue nisso um risco ou uma necessidade premente. Em todas as oportunidades, infelizmente, cada vez mais frequentes fazemos a mesma solicitação e obtemos a mesma resposta, ou seja, o mais profundo silêncio. Já tivemos oportunidade de solicitar diretamente ao Secretário Municipal de Saúde, mas este também parece cerceado pelas circunstâncias, embora reconheça a situação. As perguntas se repetem: até quando seremos alvo de agressões? O que será necessário acontecer para que se implemente um serviço de proteção?

MAIS

Escala estava completa
A Secretaria da Saúde de Sorocaba informa que a escala de médicos da Unidade Pré-Hospitalar da Zona Oeste estava completa durante a manhã e à tarde ontem, com cinco médicos clínicos e três  pediatras realizando os atendimentos. “Porém, a Secretaria reconhece que, por cerca de duas horas, os atendimentos ficaram parados na UPH e, desta maneira, vai apurar o que realmente ocorreu, saber os motivos desta demora e tomar todas as providências cabíveis”.

Embriaguez e violência
Por volta das 19h30 de domingo, um ajudante geral de 18 anos recebia soro na UPH Norte por estar embriagado. Foi então que seu irmão, de 23, invadiu o local e foi até a sala de medicação. Lá começou a chutar e esmurrar portas e equipamentos. O gesto foi seguido pelo irmão. Ambos foram encaminhados à delegacia e indiciados por dano qualificado ao patrimônio público. Uma fiança de R$ 678 foi estipulada e paga pelos irmãos que responderão pelo crime em liberdade.

Sobre o ocorrido na UPH Norte, a  Secretaria de Segurança Comunitária informa que casos semelhantes de violência não são frequentes e que a Guarda Civil Municipal mantém GCMs nas unidades de saúde da cidade.( no caso ai tem gent5e que procura por sarna pra se coçar, não sabe beber não beba, dirija com cuidado,etc , evite procurar acidentes, pois a saúde ta uma merda mesmo.)

pacientes chutam o pau da barraca em protesto na UPH ZONA OESTE em SOROCABA.

Apenas dois médicos apareciam na escala mantida na unidade – Fábio Rogério

Mais fotos…

Cansados de aguardar por atendimento médico, pacientes e acompanhantes saíram da Unidade Pré-Hospitalar Zona Oeste e fecharam o trânsito na avenida General Carneiro das 19h30 às 21h30 de ontem. Debilitada com a falta de atendimento uma jovem começou a passar mal precisou ser carregada de volta para dentro da unidade pré-hospitalar. Segundo relatos dos manifestantes duas pessoas teriam desmaiado na rua. A reportagem conversou com pacientes que esperavam desde às 15h. Entre os manifestantes estava a acompanhante de uma idosa com 72 anos que sofre de câncer no intestino e aguardava atendimento com dores desde às 18h30.

Para fechar a avenida os pacientes fizeram um cordão em cima da faixa de pedestres. Com a interdição da via os motoristas davam a volta no quarteirão, o que não evitou que houvesse congestionamento. Dos motoristas que ficaram parados no protesto, vários apoiaram a manifestação pela demora no atendimento médico, alguns reagiram ao bloqueio, lançando os veículos contra os pacientes e outros passaram sobre o canteiro da avenida e deixaram o local pela contramão. Os veículos desviaram um quarteirão antes do ponto de interdição.

No painel com espaço para colocar os nomes de até seis médicos plantonistas, somente após a imprensa chegar à unidade foram colocados dois nomes. O oficial da Polícia Militar que estava no local, tenente Heron Buono de Oliveira, disse ter ouvido relato de pessoas que aguardavam por atendimento desde às 14h enquanto a informação do profissionais é que haviam dois médicos clínicos gerais prestando atendimento e um para fazer cirurgias. 

A versão da Prefeitura foi que faltaram dois médicos dos sete plantonistas: um clínico e um pediatra. Explicou que o plantão é de quatro clínicos e três pediatras. Informou que o atendimento é priorizado para os casos de urgência e emergência e o tempo médio de espera era de duas horas. Algumas pessoas que passavam pelo local aderiram à causa dos pacientes, como estudantes da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), entre eles, Carlos Henrique Calegari, 23 anos e Alessandro Jordão, 22 anos. Eles disseram ter levantado informações com a equipe de atendimento que estavam ausentes o coordenador médico e o responsável técnico pela unidade. “De seis médicos apenas dois estão trabalhando”, disseram. ( em fevereiro estive aui nesta unidade , pois havia suspeita de que eu estivesse com dengue , poder ver ai no  link .

 https://nejaim399.wordpress.com/2013/02/27/epidemia-de-dengue-acho-que-fui-uma-das-vitimas/

a mesma situação, ameaçaram causar tumulto, lembro que três GMS se posicíoanaram no corredor pra um possivel confronto, mas nada ocorreu, agora a mesma situação ai, pois é apesar de terem bloqueado a AV , valeu o protesto, agora basta a prefeitura acordar de vez.)

UPH ZONA oeste em SOROCABA o caos na saúde, mas o que interessa é o futebol né ?

Casos de urgências foram atendidos prontamente, informou a Prefeitura – Por: Aldo V. Silva
Mais fotos…

Mais uma vez, as pessoas que necessitaram de atendimento médico na Unidade Pré-Hospitalar (UPH), da zona oeste, situada na avenida General Carneiro, precisaram também ter muita paciência, e alguns, revoltados com a demora, reclamaram da falta de médicos na unidade. Ontem à tarde, pelo menos 10 pacientes, entre dezenas de pessoas que esperavam na fila dentro do estabelecimento, disseram à reportagem do Cruzeiro do Sul que aguardavam há mais de quatro horas pelo atendimento e não conseguiam passar por uma consulta médica.

A Prefeitura de Sorocaba informou, por meio da Secretaria Municipal de Comunicação (Secom), que ontem dois clínicos, dos sete médicos escalados para realizar o plantão médico durante o feriado prolongado de Corpus Christi, faltaram ao trabalho, e por isso ocorreram demoras no atendimento durante o dia; porém, após a troca de plantão, às 19h, o atendimento à população deveria voltar à normalidade. Segundo a Secom, apesar dos desfalques no quadro, os casos de urgências foram atendidos prontamente.

Reclamações

A desempregada Maria do Carmo Dias Dantas, 31 anos, esperava por um diagnóstico médico com relação à filha de 12 anos que há dois dias reclamava de dores na cabeça, nos olhos e apresentava febre alta e enjôo. “Eu suspeito que seja dengue, mas minha filha não consegue passar pelo médico. Estou muito preocupada”, disse Maria do Carmo. Ela comentou que uma atendente havia informado que o médico de plantão tinha ido embora e que seria necessário esperar pelo substituto.

Outra paciente revoltada com a demora no atendimento foi a doméstica Alexandra Alves Santa Rosa, 35 anos. Ela passou às 10h por um médico que a encaminhou ao setor de raio-x da unidade, para fazer exames do tórax e dos pulmões; porém, segundo ela, quando retornou para o consultório, o médico que até então estava de plantão, já havia encerrado o expediente e até perto das 15h não conseguia uma análise médica sobre os exames solicitados. “É uma falta de consideração. De respeito com a gente. Ninguém explica o que está acontecendo. Ficam tratando a gente com indiferença. Cadê os médicos?”, revoltou-se Alexandra.

Já o vendedor Gustavo Torres Loureiro, 34 anos, disse que esteve na unidade pré-hospitalar anteontem à noite e foi atendido devido um quadro de deficiência respiratória. Foi medicado e retornou para casa. Porém, segundo ele, o problema respiratório ficou mais complicado e foi novamente até a unidade para nova consulta. “Tenho diabetes e problema de pressão e fiquei preocupado de ser algo grave. Mas estou aqui esperando atendimento e não consigo”, lamentava Loureiro.( no dia em que precisei usar este lugar, pois estava com suspeita de dengue, o quadro era exatamente este ai, a noite é que a coisa piorou, até presenciei 4 GMS  já posicionados numa porta prontos para tentarem conter um tumulto, que não houve, quem quiser ver o dia em que estive lá basta ver o link com fotos e vídeo.)

https://nejaim399.wordpress.com/2013/02/27/epidemia-de-dengue-acho-que-fui-uma-das-vitimas/

epidemia de dengue, acho que fui uma das vitimas

a coisa começou ontem dia 26/02, na rua entregando folhetos, já sentia fraqueza, não aguentei mais e fui pra casa, deitar na cama, mais tarde, estava com febre ai eu e minha irmã fomos os posto de saúde do bairro.

ai começaria meu calvário, feito exames, coleta de sangue, nos informaram que teríamos de ir ao PA DA ZONA OESTE , NA AV GENERAL CARNEIRO, oras se na tv vc deve procurar o posto  de saúde mais próximo de onde mora , é propaganda enganosa ?

ao chegarmos no PA começaria o que seria um dia de horror, chegamos umas 2 e pouco da tarde, fomo sair umas 9 e cacetada da noite.


notem pela foto o caos que ta o PA, bem tive de coletar sangue de novo, pois ali o resultado saíria em 2 horas, no posto demora 2 dias, mas esta fila nunca andava.


esta moça ai tb com suspeita de dengue, chegou a desmaiar na fila, ai está sendo atendida pela enfermeira,  e ela veio de longe la do ÉDEN, pois é galera , estão mandando gente do ÉDEN pro PA zona oeste, então se vc mora em lugar afastado não fique doente.


ah e a enfermeira que ta atendendo a mocinha, não tem jeito com criança não, ela sabe dar injeção ou coletar de adulto, mas a criançada berrava na mão dela. 




a todo instante, gente batia na porta pra saber de seu exame, se tava pronto, ou se ia demorar, tanto que teve um cara que bateu a porta na cara de uma moça deixando-a revoltada, meu exame só sai as 8:59 da noite.



esta porta ai que está trancada, seria uma das saída do lugar, então se houver algo como que fica ?


bem com exame na ,mão, faltava passar pelo médico, mas como ja era noite, o plantão já havia sido trocado e NÃO TINHA MÉDICO, a coisa tava tensa no local, tanto que 4 guardas municipais , já se posicionaram num dos corredores, minha irmã teve de fazer um drama ali,que eu tava com febre alta coisa e tal, deixaram eu passar na frente de todos, pois logo surgiu uma médica.


bem como protesto, deixei este material num dos banheiros lá, a médica disse que teria de voltar e refazer os exames, hj fui no posto do meu bairro primeiro pois tb teria de ir pra uma reavaliação, como nada deu alterado e tudo normal, não acharam necessário voltar ao PA , amanhã devo ir novamente ao posto, até que seja contatado que tenho ou não dengue.

por isso estou aqui agora em casa escrevendo isso, senão estaria no PA , tirando mais fotos , mas vamos ver que bicho dá. 


mas a coisa da dengue ta feia no BRASIL todo pessoal, vamos tomar cuidado, a coisa ta feia, assim como eu, vc tb pode passar mal de-repente e ter de correr num PA da vida, e passar horas de horror.