curintianu assassinado era a favor de brigas sem covardia , ah ta faz me rir

Pouco depois da meia-noite do último domingo, depois de voltar da Arena Corinthians onde assistiu ao clássico contra o Palmeiras, o torcedor corintiano Daniel Jones Veloso, de 22 anos, foi cercado por um grupo que dirigia carros e motos. Acreditando ser um assalto, ele pediu para sua namorada fugir.

De longe, a namorada viu Daniel ser agredido pelo grupo, que em seguida fugiu. Nenhum objeto foi roubado. O torcedor foi levado para o hospital municipal, onde morreu por conta dos ferimentos.

Guardas municipais disseram ter encontrado no local do crime duas barras de ferro. Essas informações constam em um boletim de ocorrência escrito com base no depoimento de testemunhas do crime, registrado como homicídio na delegacia de Itapevi, cidade da região metropolitana de São Paulo.

A morte aconteceu a 60 km de onde Corinthians e Palmeiras jogaram o clássico com torcida única, medida adotada pelo Ministério Público de São Paulo com o intuito de combater a violência no futebol.

A polícia dizia que ainda investigava se os assassinos de Daniel eram realmente membros de alguma torcida. Mas dentro da Gaviões da Fiel, agremiação à qual Daniel era filiado desde 2008, os associados têm certeza de que ele foi vítima de uma emboscada armada por palmeirenses.

“Foi um crime bárbaro, um massacre, um ato de fascismo”, definiu o publicitário Chico Malfitani, uma das lideranças históricas da Gaviões. “Não é a Mancha [Verde, organizada do Palmeiras], a direção, até porque a Mancha comunicou aos associados que não havia ponto de concentração para o jogo em lugar nenhum. São alucinados que estão lá no meio, assim como tem alucinados no nosso meio.”

Daniel Veloso, conhecido na torcida como Dan Jones, era um usuário ativo de redes sociais. Algumas de suas postagens no Facebook mostram que ele reagia com naturalidade à cultura de violência que permeia alguns setores da nossa sociedade.

Reprodução

No dia 12 de setembro, ele fez dois comentários públicos sobre episódios de violência no futebol. Primeiro, ao comentar a foto de um torcedor do Santa Cruz massacrado por rivais do Sport em Pernambuco, ele disse que a vítima não seria “inocente” por supostamente ter assumido o risco de frequentar um lugar conhecido por ser palco de brigas de torcida.

Depois, ao compartilhar o vídeo de uma briga entre torcedores estrangeiros que se agrediam sem armas e de igual pra igual, elogiou a organização dos brigões. “Sem judaria porrada pra valer!”, escreveu Daniel. “Judaria” é um termo usado como sinônimo de covardia, exatamente o que fariam com ele alguns dias depois.

Reprodução

Cultura da violência torna torcedores vítimas e algozes de si mesmos

Em seu Facebook, Daniel chegou a criticar o país por não ter conseguido implantar uma “cultura hooligan”. No meio dos torcedores organizados, brigas entre agremiações rivais são toleradas e até incentivadas, desde que os participantes não usem armas e se enfrentem em equilíbrio de forças e igualdade de condições.

O uso de armas e massacres, como bater em alguém já caído, são vistos como “judarias” (traições, covardias). Às vezes, as torcidas criam músicas em alusão à covardia de rivais em brigas.

Não é um comportamento incentivado pelas direções das organizadas, que em geral se mostram avessas à cultura da violência entre seus membros. Mas como são instituições enormes, com dezenas de milhares de filiados, o controle é muito difícil.

“É preciso que o Estado investigue e puna os autores desse crime”, disse Malfitani. “Só assim podemos tentar reverter essa onda de violência. A impunidade e o isolamento da gente, o discurso de guerra no estádio, e não de festa, são os grandes motivadores do aumento da violência. Se a polícia nos tratasse bem, nos tratassem como cidadãos e não como marginais, as coisas certamente seriam diferentes.”

Diretores tentam conter ideias violentas dos associados

Depois da morte de Daniel, o Facebook e os grupos do Whatsapp dos organizados corintianos foram inundados de mensagens pregando vingança aos palmeirenses, em uma repetição do histórico recente de confrontos entre os dois grupos. A direção da Gaviões diz estar tentando acalmar os ânimos e demover seus associados de ideias violentas.

“Vingança não leva a nada, porque a gente se vinga hoje, eles se vingam amanhã e nós estramos na barbárie”, disse Malfitani, que é bastante respeitado no grupo por ser um dos fundadores da agremiação. “Estamos tentando segurar e ter um pouco de bom senso, mas não temos poder de polícia. Não é a Gaviões que investiga e que pune, isso é papel do Estado. A impunidade gera a sensação no garoto de que tudo pode, que ele pode matar uma pessoa com barra de ferro e se vangloriar.”

A página de Daniel também estava cheia de mensagens de amigos lamentado sua morte repentina. Ele parece ter sido uma pessoa querida. Como frequentava os jogos do São Caetano, torcedores organizados do clube fizeram uma homenagem a ele no domingo, indo ao estádio de preto. 

“Me jogue aos lobos e voltarei liderando a matilha”, foi a frase que ele escolheu para se definir na rede. “Não era um marginal e não tinha antecedentes [criminais]”, disse Malfitani.

( o mané ai era a favor de cultura HOOLIGAN ? e desde quando brasileiro briga limpo ? vc bate num cara ele pode vir com uma arma atras d evc outra hora, tem os bananas que tem amigo puliça que tem pega depois na rua e por ai vai.

nos séculos 19,18 pra trás,a  coisa se resolvia em duelos , dois homens cad um com uma arma e pronto, ou espadas, brigas de antigamente sim, eram um contra um e quem perdesse tinha de aceitar a derrota, mas hj ?  

não se faz mais homens com honra de antigamente, hj spo tem covarde, ignorante, ainda mais quem briga por causa de futebol ? os dirigentes mais ricos e o pobre se matando nas ruas, muitas vezes o jogo é marmelada, com resultados já combinados em campeonatos de cartas marcadas.

lamentável sua morte, mas este cara morreu a toa, defendia brigas , mas foi vitima dela, é a mesma coisa, um viciado em drogas vê os outros morrerem , mas acha que com ela nada acontece. 

um burro a menos, meus pêsames a sua família, e mais burros ainda os que o mataram.)

comercial de hemorróidas deixa o telespectador chocado, ai frescura

DIAS APÓS A GAFE, EXPRESSÃO FOI SUBSTITUÍDA POR “DORES AO EVACUAR”

Na noite da última quinta-feira (29), a Rede Record causou polêmica ao exibir um comercial do remédio para hemorroidas Proctan, do Genomma Lab.

Com pouca sutileza, a propaganda mencionou a expressão “coceira no *”, enquanto mostrava imagens de um vaso sanitário e rolos de papel higiênico. Apesar de a palavra para indicar “ânus” ter sido substituída por um asterisco, o público ficou espantado com a abordagem.

“Um comercial sobre coceira no *: existe e passa na Record”, comentou um internauta nas redes sociais. “Além de falar em coceira no *, a propaganda fala para as pessoas se medicarem evitando ir ao médico, olha a m… que é isso”, disparou outro seguidor.

Até a ex-BBB Angélica Morango se manifestou a respeito da campanha publicitária. “Passada com um comercial da Record que fala ‘Antes de consultar um médico, muitas pessoas com coceira no *…’, não acredito que ouvi isso!”, escreveu em seu perfil no Twitter.

“Antes de consultarem um médico, muitas pessoas com coceira no * acreditavam que era por falta de higiene. Atenção: eram hemorroidas”, dizia o locutor da chamada.

Entretanto, no último sábado (31), uma nova versão da mesma propaganda foi lançada. Desta vez a expressão “Coceira no *” foi substituída por “dores ao evacuar”.

Apesar de a Record continuar exibindo o comercial com o texto menos grosseiro, a ilustração ainda chama atenção por ser um reto desproporcionalmente grande, pegando fogo.

Confira, nas páginas a seguir, outras gafes e fatos inesperados que já ocorreram na TV!

( chocar pq ? nossa, caiu a bolsa, o PIB, o pais ta parado por causa disso, ah me faz o favoer todo mundo não tem cu caramba.

até a sub-celebridade ANGÉLICA MORANGO resolve se aparecer, se fosse eu o comercial ficava do jeito que tá e e seria exibido de manhã, tarde e noite, e com a palavra CU sem censura ) 

plano diretor de SOROCABA, mais asfalto, menos verde.

Em uma votação com as galerias de participação popular cheias, com dezenas de cidadãos, os vereadores aprovaram ontem, em segunda e última discussão, o novo Plano Diretor por 14 votos a seis, mesmo sob vaias, xingamentos e cartazes pedindo a rejeição do projeto de lei 178/2014 (veja abaixo o voto de cada vereador). Eram necessários sete votos contrários para que o projeto fosse rejeitado. A população se manifestou durante toda a discussão do projeto, aplaudindo os vereadores que anunciavam o voto contrário ao novo plano e vaiando os que diziam que votariam a favor. Após a aprovação, por volta das 13h30, as 221 emendas parlamentares passíveis de aprovação começaram a ser apreciadas, votação que invadiu a madrugada novamente. Agora o texto segue para o prefeito Antonio Carlos Pannunzio (PSDB) para sanção e publicação. 

Estudantes, representantes de associações de bairro, de entidades representativas e cidadãos comuns levaram faixas e cartazes que diziam “Os estudantes são contra o PL 178”, “Mais verde, menos concreto”, “Água? Onde?” e “Chega de cinza, defendemos o verde”. 

Nas discussões sobre o projeto, o vereador Luis Santos revelou que votaria contra o projeto, mudando seu voto em relação à primeira discussão, em 16 de outubro. Santos afirmou que decidiu com sua consciência, pensando na qualidade de vida da população, na proteção ambiental e dos recursos hídricos, e para que Sorocaba não se transforme em uma Guarulhos ou Campinas. 

A fala de Santos foi aplaudida pela maioria da população, assim como as de Crespo e Carlos Leite, que defenderam a rejeição do projeto e a formulação de um substitutivo com a participação de universidades e entidades representativas. “É preciso discutir, definir que cidade queremos. Será que queremos uma Sorocaba com 1,2 milhão de habitantes, como esse novo plano prevê?”, questionou Crespo. 

Quando Anselmo Neto, o último inscrito antes da votação, subiu à tribuna e revelou que seu voto seria pelo sim, os ânimos se agitaram. “Esse plano é muito ruim, muito mal elaborado, mas retirá-lo agora não vai melhorar em nada a situação”, afirmou. A população na galeria vaiou o vereador e Crespo começou a rebatê-lo, mesmo sem o microfone ligado. “Nós temos que entender que nessa cidade as mudanças são necessárias. O Partido Progressista quer uma cidade progressista com qualidade de vida”, disse Anselmo, ainda sob vaias. 

Após a aprovação do projeto, às 13h30, dezenas de pessoas se levantaram e demonstraram indignação com o resultado. As vaias e gritos se intensificaram. Frases e xingamentos como: “O povo nunca é ouvido”, “Vendidos”, “Picaretas” e “Traição” foram ditas em coro. Um grupo de cidadãos permaneceu questionando os vereadores sobre o resultado por cerca de 40 minutos, dificultando até mesmo que os parlamentares que falavam ao microfone pudessem ser ouvidos, já na tentativa de apreciação das emendas. 

Vereadores que haviam afirmado que votariam contra o projeto, mas não confirmaram a promessa na votação, foram cobrados pela população. Entre eles estavam Fernando Dini e Anselmo Neto, que foram chamados de traidores. Dini argumentou que as emendas adequariam o projeto.

 
O aposentado Ronildo Rossi, 62 anos, relata que ficou entristecido com a votação. “É uma sem-vergonhice. Tem vereador que falou até no jornal, deu a palavra que ia votar não. Esse pessoal traiu o povo, mas não vamos perder a esperança, vamos continuar a lutar”. 

O publicitário Ricardo Eli Feldman, 32 anos, disse que não ficou satisfeito e continuará brigando para que, de alguma maneira, o novo plano seja barrado. “O novo plano acaba com a natureza, com o verde. Os vereadores foram contra os interesses da população. Pelo menos nós sabemos agora quem são os falsos, que não cumprem a palavra”.

Capturarplano

( como o povo não vai pedir a cabeça de todos que votaram a favor, que em 2016 não os reelejam de novo ta bom ? guardem bem os nomes de todos.)

game inspirado nas peladonas de PORTO ALEGRE, e apareceu mais uma heheheh

gaúcho cria jogo inspirado nas peladonas de PORTO ALEGRE. 

Inspirado nas peladas de Porto Alegre, gaúcho desenvolve jogo para celular
“Corrida Pelada! POA” pode ser baixado gratuitamente no Google Play

Aproveitando a onda de corredoras peladas na capital gaúcha, o gaúcho Cristiano Bartel desenvolveu o jogo Corrida Pelada! POA para Android. 

O game é protagonizado por uma mulher loira nua que foge de um policial. Por que ela está correndo pelada? 
Assim como na vida real, não se sabe.

Há obstáculos no caminho para atrapalhar a corredora, como mesas, carros, buracos, cascas de banana, entre outros. 

Cada vez que a mulher pula um desses empecilhos, ganha um ponto. 
Quanto mais pontos o jogador acumula, mais acelerado fica o jogo. 
São duas fases disponíveis no game: parque e cidade, que não lembram Porto Alegre, mas o que vale aqui é a brincadeira.

Caso o jogador obtenha 45 pontos, irá avançar para a segunda etapa, que acontece na Terceira Perimetral, outro ponto onde surgiu uma “peladona”. 

A ideia de Bartel é continuar atualizando o jogo, assim que surgirem novos casos de pessoas nuas correndo pelas ruas da capital gaúcha. 
 
– O jogo foi feito em 24 horas por uma pessoa só, então peguem leve com a avaliação – justifica o desenvolvedor da Auren Games na descrição do jogo no Google Play.

Corrida Pelada! POA foi disponibilizado nesta segunda-feira para download gratuito no Google Play. O joga roda em celulares Android 2.3 ou superiores. 

( deveriam fazer um bem realista, os gráficos igual aos jogos de hj, onde rolaria até sexo, a peladona se encontra com um peladão e os dois fazem um vuco vuco no meio de um matagal, ou uma construção abandonada ai simmmmmmmmmm.) 

 

 

Pela terceira vez em 11 dias, uma mulher foi flagrada pelada pelas ruas de Porto Alegre. 

Depois do Parcão e da Terceira Perimetral, o fato ocorreu perto do Palácio Piratini, no Centro Histórico.

Segundo a agência Futura Press, o fotógrafo Fernando Teixeira registrou a imagem por volta das 15h deste domingo.

Nua, apenas com boné para se proteger do sol e tênis.

 

( isso foi antes de uma tal corrida pelada, que havia sido marcada pela internet, eh deilicia, pena que no meu bairro não tem disso não.)

eleições 2014, vc decide se quem continuar na lama

todos então decidindo, se preferem o petismo, ou o tucanismo, diariamente vemos combates entre os dois lados, troca de acusações etc, o PT está a 12 anos no poder, e vc pode melhor avaliar se valeu a pena e se vale ainda, ou querer trocar.

é claro que ambos os lados não prestam, mas afinal o povinho bunda que por falta de analise, fala de querer se informar, cagou nas urnas no primeiro turno e deixou estas duas opções, tinham outras mas como sempre por falta de cérebro deixaram estas.

vc pode votar nulo, dizer que não concorda com nenhum dos dois, prefere praia e cerveja do que votar ,e depois se justifica, mesmo seu voto nulo acabe por  favorecer um deles, ou seja sem querer vc acaba elegendo um.

se o povo não for pra cima, não acordar de vez, qualquer um que entre será a mesma coisa, o politico é sustentado por vc, imagine se nenhum pobre pagasse imposto, acha que os ricos conseguiriam sozinhos fazer o pais funcionar ?

então independente do que vc fará na próxima eleição, cobre, acorde de uma vez, mostre que quem manda realmente é vc, políticos não são deuses.

 

homem é tratado com descaso em UPH após perder a filha , e médico diz que foi frescura dele

Abalado pela morte da filha de um ano e cinco meses, vítima de afogamento na cidade de Capela do Alto, o agricultor Vanilton de Souza afirma ter sido xingado de “vagabundo” por funcionária e ouvido do médico que o atendeu na Unidade Pré-Hospitalar da Zona Norte em Sorocaba (UPH) que os sintomas que apresentava “eram frescura”.

O caso, registrado no plantão policial na noite de quarta-feira, ganhou repercussão na internet graças às imagens captadas por Fernando dos Santos, testemunha do que se passou. Mesmo sedado, Vanilton reagiu e teve de ser controlado pelos irmãos que o levaram para ser atendido no hospital.

 

 

Indignado, Fernando disse que “em Sorocaba agora é assim; não basta deixar de socorrer, tem de ofender”. “Isso aqui está uma vergonha. Eu não sei o que mais falta acontecer. O rapaz estava mal e o médico não quis prestar assistência como deveria. Aí, ele, nervoso, ficou alterado. Onde está o atendimento humanizado de que tanto falam?”.
O vídeo postado na rede mostra Vanilton em desespero por conta do que sua família chamou de “descaso” e “falta de respeito com a pessoa humana”. As filmagens mostram funcionários se afastando e evitando sedar o rapaz. 
“Como é que pode um profissional da saúde não ter sensibilidade e saber que a pessoa perdeu a filha e, mesmo assim, chamar ela de vagabunda? Aí já é demais!”, comentou o irmão do paciente, Onilton de Souza.

Tragédia

A tragédia que se abateu sobre Vanilton aconteceu na terça-feira, numa chácara do bairro Iperozinho, na qual ele trabalha como caseiro. A menina Julia Emanuele, de um ano e meio, caiu na piscina e morreu afogada. O pai ainda tentou socorrê-la com a ajuda de conhecidos e saiu correndo até a via de acesso, que fica em frente ao imóvel.

Deseperado, tomou um táxi que passava. No caminho, porém, o veículo capotou. “Ela já estava morta, mas a ideia era buscar todas as possibilidades o que, infelizmente, não deu resultado”, disse o tio da menina. Julia foi sepultada quarta-feira, mas seu pai, muito abalado precisou de socorro médico e foi trazido para Sorocaba.

“Antes a gente tivesse ficado por aqui mesmo. Sair para escutar xingo depois de tudo o que aconteceu. Vocês aí me desculpem, mas acho que nós aqui, de uma cidade muito menor, não tratamos os doentes assim, não. Esse médico precisa aprender a respeitar a profissão dele e aqueles que têm de tratar”.

A Secretaria da Saúde de Sorocaba (SES) informa que o paciente foi atendido pela Unidade Pré-Hospitalar (UPH) da Zona Norte na noite desta quarta-feira (9), passou pela triagem e foi prescrita, por um médico, a medicação necessária para seu caso. Foi verificada sua pressão arterial, taxa de glicemia e frequência cardíaca; parâmetros que estavam normais. Tudo que estava ao alcance da equipe da unidade foi realizado. A SES acredita que pode ser um mal entendido e está averiguando o caso, inclusive ouvindo funcionários da unidade para apurar o ocorrido.

 

( e o careca ai do vídeo diz pra respeitar a privacidade, que privacidade o cabeça de ovo ? todo mundo tava vendo o sofrimento do homem ali, o cara tem a cara de  pau em querer censurar, tem de mostrar pra todo mundo o que ta acontecendo, se o médico disse que ele tava com frescura apanhou foi pouco.) 

lei da palmada pode criar mais mini tiranos, isso sim

 

se vc pensa em ter filhos, por favor pense 1000 vezes, analise minha filha:

vc não pode abortar, pois os machões  fundamentalistas religiosos  dizem que não pode,, por ser lei da vida, crime contra sei lá o q, blá,blá, blá, vc está matando um inocente,enfim baboseiras aos montes.

na hora de ter filho é parto por cesárea, pq o natural demora, na verdade não querem perder tempo , a não ser que seja rica , famosa e poderosa, ai esperam a vontade né não ? , ou seja mandam em vc mais uma vez, alem do aborto, ainda querem decidir por onde seu filho deve sair , pela via natural ou cortar sua barriga.

ainda tem a laqueadura, tem de ter certa idade  , pelo menos dois filhos, e pasmem, precisa seu companheiro assinar, quer dizer ,ainda te tratam como débil, incapaz de decidir por si mesmo,a como se seu marido fosse seu dono e dono da sua vida, PQP  ( A NÃO SER QUE  PAGUE O PREÇO COBRADO,  AI A COISA MUDA)

agora  a maldita lei da palmada, não defendemos chinelo, cinta, vara nem nada, mas pelo jeito só o fato de vc berrar com seu filho(a) poderá ser enquadrado como violência, o estado pode intervir, vê se pode. 

na verdade castigo físico não adianta, alem de traumatizar e criar revoltados, mas a lei na verdade quer decidir como  deve agir, ou seja não fazer nada, tentar mimar e conversar com carinho, ai a criança monta é encima dos pais, ah por favor.

portanto faz o seguinte, quer fazer sexo ? faça, mas não faça filho, pois pelo jeito que vai ,eles não serão seus por completo mesmo.

 

UPH, zona norte de SOROCABA, está na mesma lama de sempre, falta médicos

Mais fotos…

A Unidade Pré-Hospitalar (UPH) Zona Norte ficou superlotada ontem. Por volta das 15h, havia fila para fazer ficha de atendimento e muitos desistiram de esperar e foram embora. O problema também foi registrado de manhã. O encarregado de obras João Luiz da Costa Palácios, 29 anos, chegou ao local por volta das 11h, pois estava com os mesmos sintomas de quando teve dengue e pneumonia, no ano passado. Mas somente às 14h30 foi atendido pela triagem. “Quando eu cheguei só tinham três médicos na placa de plantonista, mas apenas um deles estava nos atendendo, pois os outros dois estavam em emergência, conforme me informaram”, explica. Até as 15h30, horário em que a reportagem deixou o local, João Luiz ainda não havia sido atendido por um médico. 

Também descontente com o serviço, o auxiliar de instalação Tiago Roberto Lamarca, 22, chegou às 10h, mas só foi atendido pela triagem às 14h. Porém, ainda aguardava o atendimento médico, sem ter alguma previsão de horário. “Apenas um profissional estava atendendo pela manhã. Além disso, fui mal atendimento. Estou com sinusite e falta de ar”, conta. De acordo com outras pessoas que também aguardavam, até as 13h40 apenas três médicos realizavam o atendimento. Após isso, as placas que informam o número de médicos plantonistas foi modificada, passando a ter, então, quatro, tanto urgência quanto emergência. Além disso, pacientes disseram que uma mulher chegou a desmaiar na sala de espera de atendimento médico. 

Prefeitura responde 

Em nota, a Secretaria da Saúde de Sorocaba (SES) informou que quatro médicos estavam atendendo na Unidade Pré-Hospitalar (UPH) Zona Norte no período da tarde. A escala deveria estar com seis profissionais. Um faltou e outro encerrou contrato temporário com a Prefeitura. 

Todos os casos de urgência e emergência estavam sendo prontamente atendidos e os demais casos realmente aguardavam mais para a consulta, porém, a espera se encontrava dentro do protocolo estabelecido (casos que não são de urgência e emergência podem esperar por até 4 horas). Para minimizar o problema, a coordenação da unidade chamou mais dois médicos para ajudar no atendimento. Estes profissionais começaram a trabalhar por volta das 16h30. 

As UPHs contam com um coordenador clínico e um administrativo. Estes dois são responsáveis pela unidade e são eles que tomam as providências necessárias e cabíveis para resolver eventuais problemas como este. A coordenação da regional da SES, em que se encontra a UPH, também estava ciente e providenciou o reforço juntamente com a unidade.

( pois é , mandaram todos os adultos da zona oeste e sul, que eram atendidos na UPH  zona oeste pra zona norte, a oeste só atenderia crianças.

era a reforma da saúde do governo CARAMUNNZIO , mas ficou a mesma porcaria de sempre, aposto que a que só atende crianças deve estar a mesma merda.)

pronto socorro agóra só atente gente que vier dos postos ou UPHS, os demais podem empacotar em casa ou na rua.

O Pronto-Socorro Municipal (PSM) de Sorocaba, que funciona na Santa Casa, deixará de atender no sistema de portas abertas. De acordo com o secretário de Saúde, Armando Raggio, a mudança está prevista no novo contrato entre a Prefeitura e a instituição, prorrogando por mais um ano o convênio para a manutenção dos serviços do PSM. A intenção do secretário é que até o final deste mês, os atendimentos e internações do pronto-socorro sejam feitos por meio do encaminhamento das Unidades Pré-Hospitalares (UPHs) e Pronto-Atendimentos (PAs).

O contrato assinado em 2011 entre a Prefeitura e Santa Casa, que deve ser prorrogado anualmente, teve o prazo expirado ontem. As tratativas visando a renovação foram iniciadas no final de setembro e só chegaram num acordo final na última sexta-feira. “Foi uma negociação prolongada, mas em tempo e sem descontinuidade ou interrupção das atividades do pronto-socorro.” Raggio afirmou que o contrato já está assinado pelo provedor da Santa Casa, José Antônio Fasiaben, e agora deverá ser complementado com a assinatura do prefeito.

O secretário destacou que a grande mudança no contrato será a adoção de um modelo de pronto-socorro referenciado, onde ao invés de uma pessoa com algum sintoma bater direto na porta da Santa Casa, seja primeiro atendida na UPH ou no PA, garantindo um fluxo mais adequado de atendimento e com redução da pressão de demanda de pacientes no pronto-socorro. Ele informou que a operacionalização do sistema será feita pelo chamado Centro de Atenção Integrada de Saúde, que atuará mais intensamente no início do próximo ano. “A Santa Casa concordou com essa negociação e dependemos apenas de marcarmos uma data para não haver confusão de trânsito.”Outra mudança a ser implementada, citou o secretário, é a chamada contratualização que permitirá aperfeiçoamento do atendimento de alguns serviços que já são oferecidos, com é o caso da pediatria, onde a Prefeitura pretende investir na compra de equipamentos, além da área de ortopedia e oncologia.

Além da mudança na estrutura de atendimento, o novo contrato vai elevar para R$ 1.382.825 o repasse mensal pré-fixado para a Santa Casa. O valor corresponde a um reajuste de 5,85% do atual repasse (R$ 1.306.390), referente à correção anual do IPCA/IBGE. Já o pagamento pós-fixado, que é repassado após o comprovante de prestação de contas de serviço, o valor permanecerá o mesmo do contrato anterior, que é de R$ 505 mil. O secretário afirmou que a partir do ano que vem, com a contratualização dos serviços, esse valor de repasse poderá ser complementado com o rateio por parte do Ministério da Saúde.

Aumento de demanda

A média mensal de atendimento no PSM, segundo a Prefeitura, é de 12 mil pacientes. Em 1999, quanto iniciou o convênio, a unidade foi preparada para receber uma média de 7 mil pacientes por mês, quase metade do fluxo atual. Esse aumento na demanda foi a justificativa dada pelos dirigentes da Santa Casa em resposta às denúncias de más condições de atendimento do Pronto-Socorro Municipal (PSM), investigadas por uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara.

Em seu depoimento na CPI, o provedor José Antônio Fasiaben informou que o contrato em vigor previa atender a população com 27 leitos de pronto-socorro em observação e 48 para internações; no entanto, a demanda atual é, no mínimo, duas vezes esse número. Fasiaben cobrava da Prefeitura a ampliação do número de leitos no PMS para absorver essa demanda. Em relação à essa cobrança por parte da Santa Casa, o secretário disse com a construção do Hospital de Clínicas de Sorocaba haverá maior disponibilidade de leitos, inclusive com terapia intensiva. Raggio disse que Prefeitura também tem trabalhado para trazer para Sorocaba o Projeto SOS Emergência, do Ministério da Saúde, em parceria com o Governo do Estado, para que possam ser investidos recursos para a ampliação de leitos na Santa Casa.

O Cruzeiro do Sul entrou em contato ontem com a Santa Casa, por meio da assessoria de imprensa, para falar sobre a renovação do convênio, mas foi informado que a instituição só iria se pronunciar com a Secretaria da Saúde, em entrevista coletiva programada para esta semana.

 ( então se a pessoa tiver uma convulsão, piripaque e passar mal em frente a STA CASA por ex,não vai ser atendida ?

ah não passou pelo posto ou UPH então fica ai na calçada, mais um duro golpe contra o sorocaban que paga impostos , vc adulto que mora na zona l

oeste deve ir na zona norte pra ser atnedido e agora mais essa, preferivel morrem em casa então, ai virar um fantasma e assombrar o paço e a câmara dos vereadores , pra não ficar uma pessoa trabalhando la dentro, e pode chamar todos os exorcistas da terra que não vai ter jeito.)